8 de agosto de 2018

Derib - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Claude de Ribaupierre
Desenhador, Argumentista
(Suiça) La Tour-de-Peliz, 8 de Agosto de 1944

Após um emprego como instrutor de equitação, Derib viaja para Bruxelas para iniciar uma carreira na BD. Consegue um emprego nos Estúdio Peyo, onde trabalha em vários episódios dos Schtroumpfs, publicadas na revista Spirou. Desenha alguns episódios de As Mais Belas Histórias do Tio Paulo, bem como a sua primeira série realista, Arnoud de Casteloup (1966).

A partir de 1967, junta-se a Maurice Rosy para iniciar a série Attila, o cão detective falante, para a revista Spirou. Nesse mesmo ano, cria a coruja Pyhagore, com textos de Job, para o Le Crapaud à Lunettes. Para a mesma revista, Derib cria, novamente com Job, as aventuras do pequeno índio Yakari, a primeira série de sucesso da sua carreira. Em 1970, ingressa na revista Tintin, onde estreia o western Go West, com argumento de Greg. Em 1972, Derib cria a famosa série Buddy Longway que continua até 1987.
Na década de 1980, começa a utilizar a BD numa óptica de intervenção social. Em 1981, cria Jo, o primeiro livro em BD sobre a SIDA. Em Pour toi, Sandra (1995), Derib lida com o problema da prostituição e da violência. Posteriormente fez La Saga Grande Indienne, uma longa saga sobre os nativos americanos. Além disso, começa a série Red Road, um western dos dias de hoje. Em 2002, retoma a série Buddy Longway até ao seu final em 2006. 

Séries publicadas em Portugal:
AhlalàààsAttilaBuddy LongwayYakari 

One-shots publicados em Portugal:
  • O homem que desafiava o destino (L'homme qui défiait le destin), 1979, Derib e Christian Godard, Selecções Tintin #1
  • O homem que acreditava na Califórnia (L'homme qui croyait à la Californie), 1981,  Derib e Christian Godard, Tintin #44 a #47/14º ano
  • Orelhas compridas (Longues oreilles), 1981, Mundo de Aventuras (2ª fase) #527
  • Aquele que nasceu duas vezes (Celui qui est née deux fois), 1983, Mundo de Aventuras (2ª fase) #503
[actualizado em 25-7-2018]

Sem comentários:

Enviar um comentário