19 de setembro de 2018

Roger Mas - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Roger Masmonteil
Desenhador, Argumentista
(França) 17 de Maio de 1924 - 28 de Agosto de 2010

Roger Mas é conhecido na BD por ter substituído Cabrero Arnal na série Pif, publicada no L'Humanité e, posteriormente, na revista Vaillant. De 1955 a 1965, Roger anima a série Spoutnik no mensário Pif e no jornal L'Humanité. Em 1967, abandona a série Pif para continuar a série Pifou e criar a série Léo Bête com Jean Sanitas para o Pif Gadget. Em 1968 e 1969, Roger Mas faz uma breve aparição na revista Tintin com a série Késako. A partir de 1987, ilustra novas aventuras de Pifou para uma revista homónima. Reforma-se no início da década de 90.

Séries publicadas em Portugal:
KésakoPif

[actualizado em 21-12-2014]

18 de setembro de 2018

Donald #9 > Nas bancas desde 18 de Setembro de 2018

Conteúdo do número:

  • CRÓNICA DE UM REGRESSO EPISÓDIO #1
  • CRÓNICA DE UM REGRESSO EPISÓDIO #2
  • ZÉ CARIOCA: O NASCIMENTO DE UMA LENDA
  • ZÉ CARIOCA: O XERIFE HOSPITALEIRO
  • DONALD MENINO E OS SEGREDOS ENCANTADOS DO BOSQUE
  • PATOS VOADORES: EMPRÉSTIMO


Donald #9, Goody, 128 pp., cor, capa flexível


Enrico Marini - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhador
(Suíça) Liestal, 13 de Agosto de 1969

Suíço de origem italiana, Marini estuda na École des beaux-arts de Bâle. Apaixonado pela BD e pelo género manga, com a idade de oito anos reproduzia os seus heróis preferidos. Nos finais dos anos 80, decide apresentar algumas pranchas no Salão Internacional de BD de Sierre. As edições Alpen, crentes no seu talento, propõem-lhe uma colaboração na série Os Dossiers de Olivier Varése. Após quatro álbuns, Marini lança-se num novo projecto, Gipsy, com argumento de Thierry Smolderen. Em 1996, agora com Stephen Desberg, inicia a série A Estrela do Deserto. Dois anos mais tarde, desenha Les Héritiers du Serpent, com textos de Exem. Em 1998, surge a série Rapaces, um policial americano com argumento de Jean Dufaux. Continuando com a DargaudMarini e Desberg iniciam a série medieval O Escorpião e, em 2007, As Águias de Roma, uma série que decorre na capital do império romano no início da era cristã. 

Séries publicadas em Portugal:

[actualizado em 31-08-2018]

17 de setembro de 2018

Kingdom Hearts #1

A Goody disponibilizou o primeiro volume do mangá Kingdom Hearts, uma adaptação de Shiro Amano da  série de videojogos desenvolvidos pela Square Enix em colaboração com a Disney Interactive Studios sobre a coordenação de Tetsuya Nomura. A presente edição integral da série comporta quatro volumes com as aventuras originais publicadas revista mensal Monthly Shōnen Gangan entre 2003 e 2005.

Eis a sinopse da editora:
Quando uma terrível tempestade destrói a paz da ilha tropical onde habita, um jovem rapaz chamado Sora é lançado à deriva para longe do seu mundo e dos seus amigos, Riku e Kairi. Entretanto, o Castelo Disney está em alvoroço quando descobrem que o Rei Mickey está desaparecido, ficando o Feiticeiro Donald e o Capitão Pateta encarregues de o encontrar!

Quando Sora, em busca dos seus amigos, e o Donald e o Pateta, em busca do seu rei, se cruzam, é um encontro que vai mudar o destino do universo para sempre!

Kingdom Hearts: Final Mix 1, Shiro Amano, Goody, capa flexível, 190 pp., 9,90€

Corto Maltese: Sempre um pouco mais longe

Arte de Autor, detentora dos direitos de edição em Portugal de Corto Maltese, lançou neste mês de Setembro mais dois volumes da série de Hugo Pratt, em edições bem cuidadas e com alguns documentos extra.

Sempre um pouco mais longe
Corto Maltese alarga o seu périplo tropical à selva sul e centro-americana e às ilhas caribenhas. Vudu e política, golpes e repúblicas de bananas, escravatura, mulheres belas e misteriosas, a duradoura miragem do Eldorado, são alguns dos cenários e dos meandros das aventuras deste herói singular, independente e livre, imbuído de um certeiro instinto de justiça. Na extraordinária elegia que é «A Lagoa dos Bons Sonhos», o fim próximo da I Guerra Mundial é pretexto para uma meditação melancólica sobre os sonhos de glória.

Corto Maltese: Sempre um pouco mais longe, Hugo Pratt, Arte de Autor, 128 pp., capa dura, preto e branco com prefácio a cores, 26,95€

Editorial Verbo/Difusão Verbo - Ensaio de quadriculografia


Ficha técnica:
Estado: Activa
Morada: Avenida António A Aguiar 148, 1º
1069-019 Lisboa
E-mail: 
Link: 
Telefones: 213 801 100

A Editorial Verbo é uma editora portuguesa fundada em 1958. É a editora de grandes nomes da cultura portuguesa, de diferentes áreas do saber, tais como Joaquim Veríssimo Serrão, João César das Neves, Aníbal Cavaco Silva, Adriano Freire, Maria de Lourdes Modesto, Tomaz de Figueiredo, Marcello Caetano, Germano Marques da Silva, entre muitos outros. Na ficção juvenil destacam-se Maria Teresa Maia Gonzalez, autora do bestseller A Lua de Joana, e co-autora com Maria do Rosário Pedreira da popular série O Clube das Chaves, adaptada à televisão. Na publicação de enciclopédias destacam-se a Enciclopédia Luso-Brasileira de Cultura e a sua sucedânea, Edição Século XXI, obras de importante referência e ímpares no panorama português. Na banda desenhada, sob a designação Difusão Verbo, publicou vários livros, entre eles o mundialmente famoso Tintim.

Séries publicadas:

One-shots publicados:
  • Noite de Natal (Étrange amis de Noel), André Franquin e Will [1972]
  • Um dia com os peles-vermelhas (Une jounée chez les indiens), Jacques Devos, Jamic e Louis Salvérius [1972]
  • Ovos de Páscoa (Joyeuses Pâques pour mon petit Noel), André Franquin e Will [1972]
  • O músico Guilhermino (Guillot le musicien), René Hausman [1972]
  • Os saltimbancos (Les baladins), René Hausman [1972]
  • Popsi, o esquilo (Popsi, l'écureil), Remy Dubois e Renée Fucks [1972]
  • A lenda do deserto (La légende du desert), Louis Salvérius e Jacques Devos [1972]
  • O galaró (Grand-coq), Remy Dubois e Charles Degotte [1972]


[actualizado em 18-2-2015]

16 de setembro de 2018

Corto Maltese: Sob o signo do capricórnio

A Arte de Autor, detentora dos direitos de edição em Portugal de Corto Maltese, lançou neste mês de Setembro mais dois volumes da série de Hugo Pratt, em edições bem cuidadas e com alguns documentos extra.

Sob o signo do Capricórnio
No início do seu périplo tropical, em plena I Guerra Mundial, Corto Maltese — «o último representante de uma dinastia completamente extinta que acreditava na generosidade e no heroísmo» — faz amizade com o jovem inglês Tristran Bantam, meio-irmão de Morgana Dias dos Santos, praticante de macumba e pupila da visionária Boca Dourada, a quem visita na Baía acompanhado por Steiner, antigo professor da universidade Praga e futuro companheiro de viagens, na pista de tesouros misteriosos, cumprindo o seu destino de cavalheiro da fortuna.

Corto Maltese: Sob o signo do capricórnio, Hugo Pratt, Arte de Autor, 152 pp., capa dura, preto e branco com prefácio a cores, 26,95€

Raphael-Carlo Marcello - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhador, Argumentista
(Itália) Vintimille, 16 de Novembro de 1929 - 23 de Dezembro de 2007

Raphaël (Raffaele) Carlo Marcello abandona os estudos e muda-se para Paris, onde faz a sua estreia na BD em 1948. Colaborando com a agência SagéditionMarcello começa a ilustrar Loana et le Masque Chinois em Aventures de Paris-Jeunes e Nick Silver na Victoire Collection. Junta-se à Opera Mundi, em 1950, e torna-se um artista versátil em BD de jornais, como adaptações de Ben Hur, Jane Eyre e da Bíblia, bem como La Découverte du Monde e L'Histoire de Paris. Desde 1952, está presente na revista Heróic com séries como Oliver Twist, Gil Blas e Bug Jargal, além da série Le Cavalier Inconnu (1955-1970), que aparece na revista Pepito. O seu trabalho para a imprensa diária continua com várias adaptações de obras literárias para a Mondial-Presse a partir de 1956. Além disso, os seus trabalhos aparecem em Bugs Bunny (Bob Franck), Lisette, Monty (Canadian Boy), Mireille (MylèneDanseuse Étoile), L'Intrépide / Hurrah (Le Diamant Noir) e Rintintin. Depois de algumas aparições em Tout le Western e Bunny, junta-se ao Pif Gadget em 1970 e com o escritor Jean Ollivier cria a sua série mais famosa, Docteur Justice. Na mesma revista, ilustra Amicalement Votre (uma adaptação de Victor Mora), Taranis (textos de Ollivier e mais tarde de Mora), Tarao (texto de Roger Lécureux) e La Guerre du Feu. De 1973 a 1976, Marcello ilustra John Parade, Patrouilleur de l'Espace, com texto de Maric no Le Journal des Pieds Nickelés. Colabora na série Larousse, de 1976 a 1985, com L'Histoire de France en Bandes dessinéesA Descoberta do Mundo e A História do Far West. Está presente em Le Journal de Mickey com Le Regard du TigreZorro e Os Cinco. Juntamente com Maric, produz a série de ficção científica Cristal, bem como a colecção de contos Voulez-Vous de nos Nouvelles? para a revista  Spirou (1981). Desenha uma história em BD sobre Michael Jackson para a Hachette em 1988, e a série Wayne Thunder, escrita por Alain De Kuyssche para a Lombard. Para a editora Albin MichelMarcello cria L'epopée du Paris Saint-Germain, Nuit Barbare e AmokRaphaël Marcello volta para a sua cidade natal, Vintimille, em 1991, onde inicia uma colaboração com a revista Il Giornalino e a editora Bonelli, ilustrando episódios de Tex e Zagor.

Séries publicadas em Portugal:

One-shots publicados em Portugal:
  • Fátima, os pastorinhos de Nossa Senhora, Álbum Éditions du Signe [1992]
[actualizado em 29-12-2014]

15 de setembro de 2018

Revistas da Panini Brasil da Marvel em distribuição nas bancas portuguesas




Colecção 25 Anos Vertigo #5: Preacher - A caminho do Texas (1º volume)

Hoje é dia da disponibilização do último volume da Colecção Vertigo 25 anos da editora Levoir. Trata-se do primeiro volume de Preacher: A caminho do Texas de Garth Ennis e Steve Dillon.  

A série foi publicada nos Estados Unidos entre 1995 e 2000 e contou com 66 números e 6 edições especiais.

Sinopse do volume:
Preacher conta a história de Jesse Custer (nome que, não por acaso, tem as mesmas iniciais do que o de Jesus Cristo…) um pastor em crise de fé de Annville, uma pequena cidade texana, que durante um dos seus sermões é acidentalmente atingido por uma estranha energia vinda dos céus, Génesis, fruto do amor proibido entre um anjo e um demónio. Como resultado, a pequena igreja em que ele pregava é completamente destruída e todos os fiéis mortos. Só Custer sobrevive ao desastre. O pastor descobre que recebeu a dádiva da voz de Deus, o que faz com que qualquer pessoa obedeça ao que ele diz. Acompanhado por Tulip, a sua antiga namorada de gatilho fácil, e por Cassidy, um vampiro irlandês que gosta tanto de álcool como de sangue, Custer inicia uma viagem pelo continente americano em busca de Deus, perseguidos pelo Santo dos Assassinos, o mais implacável executor entre o Céu e o Inferno.

Preacher - A Caminho do Texas, Colecção Vertigo 25 Anos - Volume 5, Garth Ennis e Steve Dillon, Levoir, capa dura, cor, 200 pp., 13,90€

Futuroscópio

Futuroscópio é a nova de Miguel Montenegro, autor de Psicopatos.

Sinopse:
Um estado terapêutico, o poder político e a autoridade médica aliam-se para determinar o percurso que a Humanidade deve seguir, não se admitindo excepções.
Vigiar, punir, estigmatizar e manipular: a diferença é uma doença que pode ser curada. A revolução uma epidemia a ser tratada.

Inspirado por alguns dos mais importantes debates ideológicos e morais do início do século XXI, o autor apresenta um universo distópico, marcado pelo intervencionismo estatal e pelo furor terapêutico da medicina, onde o individualismo é uma ilusão e a liberdade um conceito arcaico, num futuro onde a pessoa dá lugar ao simulacro e a angústia à felicidade.

Futuroscópio, Miguel Montenegro, Arcádia, cor, capa dura, 14,95€

Bob Lubbers - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Robert Lubbers
Bob Lewis
(EUA) Long Island, 10 de Janeiro de 1922 

Lubbers frequenta a Art Students League de Nova Iorque. Em 1942, ingressa na Fiction House, onde é director artístico entre 1945 e 1950. Para este editor, ilustra séries como Rip CarsonU.S. RangersCaptain Wings e Commando Ranger. De 1950 a 1954, desenha a série Tarzan  para a United Feature Syndicate. De 1954 a 1958, ilustra Long Sam,  com textos de Al Capp. Em 1959, sucede a John Spranger em O Santo, adaptação da obra de Leslie Charteris. De 1960 a 1967, desenha o Agente Secreto X-9. Em 1968, realiza o efémero Robin Malone. Em 1970, é assistente anónimo de Al Capp em Lil'Abner.

Séries publicadas em Portugal:
Agente Secreto X-9, Robin Malone, Tarzan

[actualizado em 1-1-2015]

14 de setembro de 2018

Homem-Aranha Série II Vol.9> Nas bancas a partir de 14 de Setembro

OS INÍCIOS DE IMPÉRIO SECRETO E LIMIAR DE VENOMVERSE 

Os tentáculos da H.I.D.R.A. chegaram fi nalmente às histórias do Homem-Aranha, com uma explosiva ligação aos eventos do Império Secreto. Tudo começa com o Octopus Superior a bater à porta das Indústrias Parker, para se prestar a devida vassalagem ao omnipresente Steve Rogers… uma batalha que promete não deixar pedra sobre pedra na vida de Peter Parker. Igualmente poderoso é o começo do arco “Limiar de Venomverse”, onde a X-23 se junta ao simbionte para uma dose de ação sem limites.

Inclui:
THE AMAZING SPIDER-MAN (2015) #29 E #30 – POR SLOTT, GAGE, IMMONEN, VON GRAWBADGER E GRACIA
SPIDER-MAN (2016) #15 E #16 – POR BENDIS, BAZALDUA E PONSOR; EDGE OF VENOMVERSE (2017) #1 – POR ROSENBERG, BOSCHI E BROWN
MATERIAL DE VENOMVERSE: WAR STORIES (2017) #1 – POR BUNN, MARTELLO, TARTAGLIA, OKORAFOR, FORD E HERRING

Homem-Aranha - Série II - Vol.9, Goody, 128 pp., cor, 7,90€


Martin Lodewijk - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Argumentista, Desenhador
(Holanda) 30 de Abril de 1939

Martin Lodewijk inicia a sua carreira na editora ATH, onde produz dois livros de Babel en Knetterton. Desenha o herói pirata Arent Brandt (mais tarde renomeado para Captain Kidd). De seguida, é convidado a assumir Frank, de Vliegende Hollander, no jornal de Piet Wijn. Após um ano, desiste da BD, ingressando na arte publicitária. Após seis anos, Ian Kruis aconselha-o a voltar à BD, criando o Agente 327 na revista Pep em 1966. Após várias histórias curtas, Lodewijk cria a primeira grande aventura em 1968. Expande as suas actividades na revista Pep, escrevendo argumentos para outros artistas. Cria o gangster Johnny Goodbye com Dino Attanasio, bem como Bernard Voorzichtig - Ti voor Twee com Jippes Daan. Quando em 1976 as revistas Pep Sjors se fundiram para nascer a EppoLodewijk torna-se editor-chefe, juntamente com Frits van der Heide. Assume a escrita de Storm, uma série de ficção científica (arte de Don Lawrence), e inicia a série Jennifer Jones, com Eric Heuvel. Em 1978, ganha o Stripschapsprijs - o grande prémio holandês para os artistas de BD. Além de criar histórias em BD, realiza vários trabalhos comerciais, como uma série de animais que riem para o Jardim Zoológico de Amesterdão. Após uma longa ausência, Martin Lodewijk inicia em 2000 uma nova série do Agente 327 no jornal holandês Algemeen Dagblad. Em 2003, inicia a série de mangá holandesa Quark com o artista Adri van Kooten. Lodewijk Claus D. Scholz são apontados como os novos autores de De Rode Ridder, após a morte de Karel Biddeloo em 2004. É nomeado Cavaleiro da Ordem de Orange-Nassau (Ridder em de Orde van Oranje-Nassau).

Séries publicadas em Portugal:
Agente 327Jennifer JonesJohnny GoodbyeLucky LukeStorm

[actualizado em 22-12-2014]

13 de setembro de 2018

Largo Winch - A nova colecção do Público/ASA

A ASA e o Público reúnem pela primeira vez em português, já a partir de 26 de Setembro, a colecção completa de LARGO WINCH.

São 10 álbuns duplos e 1 álbum single, de capa dura, da autoria de Philippe Francq e Jean Van Hamme nos álbuns duplos e Philippe Francq e Eric Giacometti  no álbum single.

Sem família nem compromissos, LARGO WINCH vê-se, aos 26 anos de idade, à frente de um império financeiro avaliado em dez biliões de dólares… Conhecido como o “bilionário humanista”, ele vem a revelar-se um herói contestatário, sedutor e desordeiro que, entre mulheres com um charme assassino e banqueiros pouco escrupulosos, entre combinações financeiras improváveis e negócios duvidosos, faz questão de responder na mesma moeda a todos os que o importunam – por vezes, no limite da legalidade!

Esta colecção inédita em português, que resulta da parceria ASA/Público, é composta por 10 volumes duplos e um single, de capa dura, que integram todos os títulos da série até agora publicados e será distribuída com o jornal Público, todas as quartas-feiras, entre 26 de Setembro e 5 de Dezembro de 2018.

O PVP de cada álbum duplo é de 11,90€ e o do álbum single é de 6,90€.




TÍTULOS E DATAS DE SAÍDA


Saída

Título em português
Desenhador / Argumentista
Nº Páginas

Data de saída
1
O Herdeiro / O Grupo W
Francq /
VanHamme
96
26-09-2018
2
O.P.A. / Business Blues*
Francq /
VanHamme
96
03-10-2018
3
H / Dutch Connection
Francq /
VanHamme
96
10-10-2018
4
A Fortaleza de Makiling / A Hora do
Tigre
Francq /
VanHamme
96
17-10-2018
5
Ver Veneza… / ... E Morrer *
Francq /
VanHamme
96
24-10-2018
6
Golden Gate / Shadow *
Francq /
VanHamme
96
31-10-2018
7
O Preço do  Dinheiro* /  Lei  do  Dólar *
Francq /
VanHamme
96
07-11-2018
8
Os Três Olhos dos Guardiães do Tao /Lei e a Virtude *
Francq /
VanHamme
96
14-11-2018
9
Mar Negro / Ira Vermelha *
Francq /
VanHamme
96
21-11-2018
10
Contradança/ 20 Segundos *
Francq /
VanHamme
96
28-11-2018
11
A Estrela da Manhã*
Francq / Giacometti
48
05-12-2018

* Inédito em Portugal

Clássicos da Literatura Universal Vol. 2/5 > Nas bancas a partir de 13 de de Setembro de 2018

Mais um volume da colecção das adaptações de grandes Clássicos da Literatura através da Banda Desenhada Disney. Nesta colecção é possível encontrar obras literárias de referência mundial, adaptadas à nona arte com as nossas personagens favoritas. Esta colecção diferencia-se pelo seu carácter de novela gráfica, com desenhos e cores intensas que conferem uma profundidade e dinamismo a cada história muito singular.

Todos os volumes contêm duas histórias. Neste volume são as seguintes:

Drácula
Publicado em 1897 e escrito pelo irlandês Bram Stoker, esta obra de ficção gótica é um romance epistolar. Por outras palavras, a história é contada através de um conjunto de cartas, entradas de diários, jornais e registos de navios. O enredo tem início com a visita de Jonathan Harker, um advogado inglês, à propriedade de Conde Drácula, na fronteira entre a Transilvânia e a Moldávia. Rapidamente, o jovem advogado inglês se apercebe do exotismo do seu anfitrião e que os tempos que se aproximam serão estranhos…

Pela Estrada Fora
Dentro do género romantismo sombrio, Edgar Allan Poe escreveu inúmeras obras que, abordavam a morte, os efeitos da decomposição e o luto. Poe também escreveu contos de humor e sátiras, recorrendo à ironia e ao ridículos para fazer o leitor libertar-se do paradigma cultural da época.

Clássicos da Literatura Universal #2, Goody, cor, 8,90€

Concurso Internacional de Banda Desenhada Avenida Marginal

Jacques Laudy - Ensaio de quadriculografia portuguesa


Argumentista, Desenhador
(Bélgica) Schaerbeek, 7 de Abril de 1907 - Woluwé-Saint-Lambert, 28 de Julho de 1993

Jacques Laudy é um dos primeiros artistas da revista Tintin, em conjunto com Hergé Edgar P. Jacobs. Nascido em Schaerbeek, filho do pintor Jean Laudy, estuda Belas Artes em Bruxelas no início de 1920. Durante este período, conhece os seus futuros colegas Jacques van Melkebeke e Edgar P. Jacobs. Em 1940, Laudy estreia-se na revista Bravo!, ilustrando capas e histórias, desenhando  séries de BD como Bimelabom et Chibiche e Gust le Flibustier. Introduz Jacobs na Bravo! e, assim, colabora na estreia deste grande mestre da BD. Além disso, Laudy cria Buonamico em Grand Coeur, e contribuiu para o ABC Petit Monde. Em 1946, está envolvido no lançamento da edição belga da revista Tintin. Para as primeiras edições da revista, ilustra histórias como Les Quatre Fils Aymon e Rob Roy e, em 1948, inicia a sua série Hassan e Kadour a partir de argumentos de Jacques van Melkebeke. Em 1952, Laudy interrompe esta série para fazer David Balfour, com argumento de Yves Duval e baseado na obra de Robert Louis StevensonLaudy também está presente em Petits Belges com L'Histoire comique de Charles Quint et autres contes (1953-1958) e também com novas histórias de Hassan e Kadour (1960-1962). Em 1962, abandona a BD para se dedicar à pintura. Em 1993, publica um livro sobre Edgar P. Jacobs, falecendo no mesmo ano.

Séries publicadas em Portugal:
Hassan & Kadour

[actualizado em 27-11-2014]

12 de setembro de 2018

Top das vendas de BD em França de 27 de Agosto a 2 de Setembro de 2018

1º lugar (+2) [2ª semana]
Les Profs #21: Rentrée des clashs
Simon Léturgie, Erroc e Sti
BAMBOO

2º lugar (novo)
Ekhö, monde miroir #8: La Sirène de Manhattan
Alessandro Barbucci e Christophe Arleston
SOLEIL

3º lugar (+1) [5ª semana]
Les Légendaires origines #5: Razzia
Nadou e Patrick Sobral
DELCOURT

Fantomius Minissérie Vol. 0 > Nas bancas desde 6 de Setembro de 2018

Após os cinco volumes iniciais, a colecção dedicada a Fantomius encerra com uma edição especial que revela novas informações sobre as origens do Ladrão Cavalheiro, nomeadamente a sua ligação com o Superpato. Lembramos que foi o diário do Fantomius que deu origem ao alter-ego do nosso Pato Donald.
Em Superpato e a Sombra de Fantomius vamos conhecer a história de alguém que também encontrou o diário do Ladrão Cavalheiro mas que, ao contrário de Donald, vai utilizar essas informações para cometer assaltos indiscriminados (colocando as culpas no Superpato).
Superpato e o Tesouro de Dolly Paprika gira em torno da lenda do pendente perdido da companheira de Fantomius que, segundo reza a história, permite a quem o encontrar aceder à localização de todos os tesouros da famosa dupla de ladrões. Claro que o Tio Patinhas fará de tudo para conseguir meter as mãos em tamanho achado.
Em Superpato e o Segredo de Fantomius será preciso apanhar outro criminoso que tenta seguir as pisadas de Fantomius, desta vez tendo como referência um romance escrito pelo
conhecido Stephen Quack, baseado nos feitos históricos do Ladrão Cavalheiro. Por fim, em Superpato e o Passado Sem Futuro vamos reviver o primeiro encontro entre Fantomius e Dolly Paprika (história apresentada no volume 5), agora na pele do nosso Superpato face a uma inesperada viagem ao passado e que pode colocar em causa a própria existência do nosso super-herói do presente.

Inclui:
::: A SOMBRA DE FANTOMIUS
::: O TESOURO DE DOLLY PAPRIKA
::: O SEGREDO DE FANTOMIUS
::: O PASSADO SEM FUTURO
e ainda...
Além das quatro histórias do famoso Ladrão Cavalheiro, este volume inclui ainda um artigo especial sobre os loucos anos 20 do século passado, época que serve de pano de fundo às aventuras do nosso Fantomius, período em que se cultivava o gosto pela moda, pela música, pelo espectáculo e pelo desporto.

Fantomius #0, Goody, 120 pp., cor, capa flexível, 7,90€

Laudec - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhador
(Itália) 4 de Junho de 1947

Originário do sul de Itália, emigra, com apenas três anos, com os seus pais para a Bélgica, instalando-se na cidade de Antuérpia. Como prémio de bom aluno, Laudec recebe um álbum das aventuras de Spirou. O entusiasmo leva-o à decisão da opção de desenhador de banda desenhada. Contudo, tendo em conta a sua subsistência económica, Laudec obtém um diploma de técnico de electrónica e automatismos, aceitando um emprego como mecânico de automóveis. Durante alguns anos, colabora em vários fanzines belgas. Após ganhar um concurso de BD, Mittei convida-o para seu assistente. Confrontado com a decisão de continuar os estudos em electrónica e a banda desenhada, opta pelo que acha mais seguro, e continua os estudos, dedicando as noites e os fins-de-semana a ilustrar  Les Contes de Curé-la-flûte para a revista Spirou, com argumentos de Mittei. De seguida, colabora com François Walthéry na série Natacha. Em 1986, decide dedicar-se por completo à BD e com Raoul Cauvin lança a sua série mais famosa: Cédric.

Séries publicadas em Portugal:
Cédric

[actualizado em 26-11-2014] 

11 de setembro de 2018

Mickey #8 nas bancas

Conteúdo deste número:

  • MÁGICOS DE MICKEY MONDIMONTANHAS PARTE1
  • MÁGICOS DE MICKEY MONDIMONTANHAS PARTE2
  • MICKEY E O INCRÍVEL VLADIMIR
  • VAMOS MUUUVER! MAS QUE FÉRIAS
  • MICKEY NÃO EXISTE
  • INDIANA PATETA E A SELVA DE TRÂNSITO
  • MICKEY E A ARTE DO PERFEITO VIAJANTE
  • VISITA INESPERADA

Mickey #8, Goody, 128 pp., cor, capa flexível, 2,50€


Uderzo: L'intégrale 1951-1953

A obra de Uderzo sempre mas fascinou. Não só pelo Astérix, uma das minhas primeiras paixões da banda desenhada, mas mais tarde por outros heróis como o Oumpah-Pah, João Pistolão e a biografia de Marco Polo

Este fascínio levou-me a adquirir os volumes bio-bibliográficos que retratam a vida e a obra de Albert Uderzo. O segundo volume, que agora adquiri, atravessa os anos de 1951 a 1953, contando a sua estreia na agência L'International Press, os seus primeiros trabalhos com Jean-Michel Charlier (Belloy), com René Goscinny (Oumpah-Pah e Jean Pistolet) e com Octave Joly

Uderzo: L'intégrale 1951-1953, Alain Duchêne Philippe Cauvin, Hors-Collection/Les Éditions Albert René, 2014, 418 pp., cor, capa dura, 69€

Nova série Demolidor em 4 volumes > Nas bancas a partir de 11 de Setembro de 2018

O Demolidor está de regresso. O Matt Murdock abandonou a sua carreira de advogado de defesa e arranjou emprego nos escritórios do procurador. Mas o seu novo trabalho não é tão simples como esperava, principalmente quando entra em choque com o chefe do crime local, o Dez-Dedos. Será esta uma missão para o Demolidor? Lutar contra o crime nas sombras e processar criminosos durante o dia – é todo um novo capítulo na vida do homem sem medo, e traz consigo um aprendiz. Bem-vindo a Hell’s Kitchen, Blindspot. Em breve, vais descobrir que a vida do Demolidor traz consigo uma mão cheia de ninjas.

Volume 1 - Inclui:
DAREDEVIL (2015) #1-5 — POR CHARLES SOULE, RON GARNEY, MATT MILLA E GORAN SUDZUKA
MATERIAL DE ALL-NEW, ALL-DIFFERENT POINT ONE #1 — POR CHARLES SOULE, RON GARNEY E MATT MILLA.

Calendário dos lançamentos:
Volume 1: 11-set-18
Volume 2: 18-set-18
Volume 3: 25-set-18
Volume 4: 04-out-18

Demolidor #1 (de 4), Goody, cor, 128 pp., 7,90€


Tio Patinhas #9 --> Nas bancas desde 11 de Setembro de 2018

Conteúdo deste número:

  • TIO PATINHAS E AS MENTIRAS DE UM DÓLAR
  • O LAGO DOS PATOS
  • MILIONÁRIO E MORDOMO: A OCASIÃO CERTA
  • CORONEL CINTRA E O HÓSPEDE RECONHECIDO
  • TIO PATINHAS E O SERVIÇO DE CATERING
  • PENINHA VIGILANTE... MAS NÃO DEMAIS: CINTO DE SEGURANÇA 
  • TIO PATINHAS E A ESSÊNCIA DO PROBLEMA
Tio Patinhas #9, Goody, 128 pp., cor, 2,50€

Willy Lambil - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Willy Lambillote
Argumentista, Desenhador
(Bélgica) Tamines, 14 de Maio de 1936

Willy Lambil, cujo verdadeiro sobrenome é Lambillote, estuda Belas Artes em Bruxelas e começa a trabalhar como letrista para a revista Spirou com a idade de dezasseis anos. Aprende a profissão de desenhador de BD, enquanto trabalha nos estúdios de ilustração da Dupuis, fazendo lay-outs para coleçcões como Gags de Poche e ilustrações para Bonnes Soirées. Em 1959, cria a sua primeira história em BD: Sandy et Hoppy. Esta série realista, sobre um menino e o seu canguru é publicada, durante vários anos, na revista Spirou. Depois da morte de Louis Salvérius em 1972, assume o desenho da série humorística sobre a Guerra Civil dos EUAOs Túnicas Azuis, escrito e criado por Raoul Cauvin. Como projecto paralelo, Lambil Cauvin criam Pauvre Lampil em 1973. Nesta série de gags autobiográficos, os autores dão um olhar da vida de um artista de BD e do seu argumentista.

Séries publicadas em Portugal:
Túnicas Azuis (Os)

[actualizado em 26-11-2014]

10 de setembro de 2018

Les Cahiers de la BD #4

Uma das grandes revelações da imprensa bedéfila do último ano foi o (re) lançamento da revista de estudos francesa Les Cahiers de la BD. Neste quarto número,  recentemente adquirido, relativo ao terceiro trimestre de 2018, o tema escolhido é como a BD trata o romance, o sexo e a intimidade. Destaco o dossiê sobre Georges Pichard, a banda desenhada árabe e genealogia da manga, assim como um caderno sobre o futebol e a BD. Como suplemento, a quarta parte da História da BD com o período de 1959 a 1963.

Les Cahiers de la BD #4, juil-sept 18, 194 pp., 12,50€


Hans Kresse - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Argumentista, Desenhador
(Holanda) Amesterdão, 3 de Dezembro de 1921 - Amesterdão, 12 de Março de 1992

Hans Kresse é um dos mais importantes artistas da BD holandesa. Filho de pai alemão e mãe holandesa, inicia a sua carreira em 1938 na revista de escutismo De Verkenner com Tarzan dos Macacos (1938-1940) e Tom Texan em 1940. Influenciado por Hal FosterKresse durante algum tempo não utiliza filacteras, sendo os desenhos acompanhados por textos recitativos. Em 1964, ingressa nos Estúdios de Marteen Tooder. De 1945 a 1946, realiza a série Robby, publicada no magazine Trouw. Em 1946, pegando numa ideia de Toonder, cria a série Eric de Noorman. Paralelamente, a esta série, anima o western Matho Tonga. Para o magazine Pep, desenha Zorro (1964-1967), Vidocq (1965-1970), Minimic  (1971-1972), Wetamo (1972-193) e Alain d’Arcy (1977). De 1974 a 1982, cria para a Dargaud a série Os Peles-Vermelhas.

Séries publicadas em Portugal:
Eric o Homem do NorteMatho TongaPeles-Vermelhas (Os)

[actualizado em 14-08-2018]