31 de maio de 2017

Criminosos do Sexo #2: Dois Mundos, uma Polícia

A Devir lançou o segundo volume da série Criminosos do Sexo. Neste volume, Suzie, uma bibliotecária e Jonum actor partilham a mesma habilidade...
À medida que a sua relação evolui, decidem aproveitar este truque para assaltar bancos... mas o que fazer a seguir quando termina a emoção?

Os autores

Matt Fraction ganhou o primeiro prémio literário para novelas gráficas atribuído pelo PEN Center USA. É autor de êxitos literários do New York Times tais como Hawkeye, Casanova e Satellite Sam.

Chip Zdarsky é o criador do popular personagem Stan Lee. Nos últimos dez anos, sob o nome Steve Murray, tem trabalhado como escritor e ilustrador no jornal canadiano National Post, na coluna semanal intitulada Extremely Bad Advice (Muito Maus Conselhos). Nos comics, os seus trabalhos incluem Prison Funnies, Monster Cops e Vampirella.

Criminosos do Sexo #2: Dois Mundos, uma Polícia, Matt Fraction e Chip Zdarsky, Devir, 128 pp., cor, 14,99€

El Cid - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Histórico
(Espanha) Trinca, 1971 - Ikusager, 1984
António Hernandez Palacios
Estreia em Portugal: Jacto #39, 25 de Julho de 1972


Domingo Diaz de Bívar, escudeiro do infante Dom Sancho, é conhecido por Cid Campeador. As suas aventuras decorrem na idos da Idade Média e no combate ao inimigo mouro.

Quadriculografia portuguesa:
  • Livro I - Sancho de Castela (Sancho de Castilla), 1971, Jacto #39 a #54

Les Amis de Hergé #63

Como sócio da associação tintinófila Les Amis de Hergé recebi a revista semestral número 63, dedicada ao estudo da obra de Hergé

Nas 68 páginas totalmente coloridas, saliento a continuação do dossier dedicado às cartes de voeux de Hergé, abrangendo o período de 1940 a 1957. 

Les Amis de Hergé #63, Printemps 2017, 68 pp., reservado aos associados

30 de maio de 2017

Exposição dedicada a Fernando Relvas


Nimona

A editora Saída de Emergência está de volta às edições de banda desenhada depois de ter publicado a adaptação da obra Guerra Dos Tronos de George R. R. Martin. O regresso à nona arte concretiza-se com a edição de "Nimona" de Noelle Stevenson, uma obra premiada com o Prémio Eisner.

Sinopse da editora:
Quando o vilão Lorde Ballister Coração Negro conhece uma rapariga misteriosa de nome Nimona, ambos são impelidos a uma parceria criminosa com o objectivo de lançar o caos no reino. Assumem como missão provar perante todos que Sir Ambrosius Virilha Dourada e os seus comparsas no Instituto Para a Aplicação da Lei e Heroísmo não são tão heróicos e nobres como todos julgam.

Vão ocorrer imensas explosões. E ciência e tubarões também não irão faltar. Mas quando simples actos traquinas se transformam numa batalha sem quartel, Lorde Coração Negro descobre que os poderes de Nimona são tão misteriosos quanto o seu passado. E o seu lado selvagem poderá ser muito mais perigoso do que ele próprio está disposto a admitir…

Nimona, Noelle Stevenson, Saída de Emergência, Coleção Bang!, brochado, 272 pp., cor, 18,80€

Fontes de inspiração na BD: Do Tintin ao Menino Triste


Diógenes Podengo - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Diógene Terrier
Juvenil
(Bélgica) Éditions Casterman,  1981-1990
Godi (argumento e desenho)
Estreia em Portugal: Álbum Livraria Bertrand, Outubro de 1983


Diógenes é um cão de olho vivo que deseja viver em paz. Contudo, os predadores, nomeadamente, a toupeira Georgette e o pássaro Max Columbia, não o deixam sossegar.

Quadriculografia portuguesa:
  • A casa de Diógenes (Le maison de Diogène), 1981, Álbum Livraria Bertrand [1983]
  • Os pássaros mecânicos (Les oiseaux mécaniques), 1981, Álbum Livraria Bertrand [1984]

29 de maio de 2017

Nocturno - Uma nova obra de Tony Sandoval

"Nocturno" é mais um romance gráfico de Tony Sandoval com edição da Kingpin Books.

Sinopse da editora:
Seck é um músico de carisma único que vive atormentado pelas visões do seu falecido pai, que persiste em ditar o rumo da vida do frágil e inseguro filho.
Karen é uma jovem repórter que sonha com leviatãs dos mares e revê-os em transe durante as actuações dos Kraneus, a banda de Seck. Será a ligação umbilical entre os dois suficiente para evitar a lenta caminhada de Seck rumo ao coração das trevas?

Nocturno, Tony Sandoval, Kingpin Books, 240 pp., cor, capa dura, 19,80€

Cabra-cega - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Colin-maillard
Romance gráfico
(França) Á Suivre #107, 1986
Max Cabanes (argumento e desenho)
Estreia em Portugal: Álbum Meribérica, 1988
Outras publicações: Selecções BD (1ª série), Selecções BD (2ª série)


Quadriculografia portuguesa:
  • Bertille (Bertille), 1988, Selecções BD (1ª série) #32
  • Marie-Anje (Marie-Anje), 1988, Selecções BD (2ª série) #4
  • A menina (La demoiselle), 1988, Selecções BD (1ª série) #36
  • Cabra-cega [colectânea] (Colin-maillard), 1989, Álbum Meribérica [1989]

28 de maio de 2017

Aventuras na ilha do tesouro

A Kingpin Books prepara-se para lançar a obra "Aventuras na ilha do tesouro" do artista brasileiro Pedro Cobiaço.

Sinopse da editora:
A Ilha do Tesouro é um lugar fantástico, feito de formas e cores exóticas. Essa é uma história sobre os momentos quentes e rasgados da vida, e sobre como uma série de aleatoriedades, curiosamente conectadas, acabaram por levar Capitão – que, ao que tudo indica, será nosso protagonista – a botar seus pés nesse pedaço mágico de terra & gente.

Uma viagem libertária, e libertadora, ao imaginário tribal e mitológico do Brasil. Ou como a revolta dos Cabeças-de-Abóbora contra uma qualquer guarda real invasora pode despoletar uma aparente ligação onírica a um estranho limbo, povoado pelas narrações e desabafos de um demiurgo mascarado que procura lidar com a perda do pai.

Aventuras na ilha do tesouro, Pedro Cobiaço, Kingpin Books, 144 pp., cor, brochado, 17,99€

Balafon - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Balaphon et les autres 
Humorístico
(França) Tintin, 1969
Lucien Meys (argumento e desenho)
Estreia em Portugal: Tintin #34/2º ano, 17 de Janeiro de 1970

Quadriculografia portuguesa:
  • [gag], 1969, Tintin #34 e 52/2º ano

27 de maio de 2017

Figuras de Tintin #32: O general Alcazar

Nesta estatueta, Alcazar adopta o uniforme militar típico dos guerrilheiros, conservando o seu temperamento fogoso e o seu carácter colérico. Alcazar, líder dos pícaros, irrita-se e zanga-se, injuriando sem cerimónia os seus soldados bêbados, ameaçando de morte quem ousar desafiá-lo. No entanto, sempre que aparece a sua doce "pombinha", a sua Peggy de papelotes, o impetuoso general transforma-se em "Zazar", manso como um cordeiro e dócil como um cachorrinho para agradar à sua amada. Alcazar estreou-se nas aventuras de Tintin em "A orelha quebrada", passando pelas "As sete bolas de cristal" e "Carvão no porão" e, finalmente, na última aventura terminada desenhada por Hergé, "Tintin e os Pícaros".

A referência da figura encontra-se na vinheta C1 da prancha 40 de "Tintin e os Pícaros".

Figuras Tintin #32: O general Alcazar, Moulinsart, distribuído pela Altaya, estatueta+livro de 16 pp.+passaporte, 12,99€



Conversas com os putos

A editora Polvo prepara-se para lançar o álbum “Conversas com os putos”, de Álvaro. A obra terá apresentação no XIII Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja, dia 28 de Maio (domingo), às 15h30, no Cine-Teatro Municipal Pax Julia, com a participação do autor e do editor, Rui Brito.

O LIVRO

O QUE É UM EXPLICADOR? É alguém que tenta meter na cabeça dos alunos aquilo que não apreenderam na escola. O QUE É UM ALUNO? É alguém que passa várias horas por dia em frente de um professor, à espera do toque de saída. O QUE É UM PROFESSOR? É alguém encarregue de manter turmas de quase trinta alunos numa sala e que ainda tem de tentar dar-lhes aulas, até ao dia em que mete baixa psiquiátrica sendo, semanas depois, substituído por alguém que até há pouco tempo ainda era aluno. O QUE É ESTE LIVRO? É uma compilação de supostos diálogos entre um explicador de Geometria Descritiva e os seus alunos.
O propósito desta obra não é o de insultar os alunos (por muito que apeteça ao autor). Não. É o de olhar para uma geração heterogénea de miúdos que dentro de poucos anos estarão a trabalhar, nas filas do Instituto do Emprego e Formação Profissional, a votar, a ditar o que as TVs transmitem e que (esta parte é importante) nos irão pagar a reforma.

O AUTOR

Álvaro nasceu em 1970. Em 1993 licencia-se em Arquitectura na Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, actividade que exerceu a tempo inteiro até finais da década de 90, tendo paulatinamente vindo a passar-se da elaboração de projectos de licenciamento para as aulas de formação profissional a adultos e de explicações a adolescentes.
Na área da banda desenhada já tem umas coisas editadas. “Sexo, Mentiras e Fotocópias”, “Balcão Trauma” (2 Vols.) e “No Presépio...”, este com argumento de José Pinto Carneiro e contemplado no Amadora BD 2014 com o prémio “Melhor Álbum de Tiras de Humor”.
Pode ser googlado por alvarocartoon.

Conversas com os putos, Álvaro, Polvo, Colecção: De Bom Humor, nº 8, 64 pp., p/b, capa brochada com badanas, €7,90

Jardim de inverno - Uma novidade da Kingpin Books

"Jardim de inverno" ("Le jardin d'hiver") com texto de Renaud Dillies e desenho de Grazia La Padula com edição original de 2009 da Paquet tem agora uma versão em português da Kingpin Books.

Sinopse da editora:
A gota de água. O transbordar do copo. Ou como o gotejar periódico e crescente vindo do andar de cima levará Sam, um jovem barman de um clube de jazz, a conhecer um velho afável, mas aparentemente senil. Poderá ser ele, porém, o providencial jardineiro das coisas simples e belas que Sam negligenciou durante tanto tempo?
Um relato invernoso feito de cruéis abandonos, adiados reencontros e chuvosos recontros, e de uma rotina aparente capaz de encerrar, afinal, inusitadas revelações. Inusitadas e belas como um jardim.

Jardim de inverno, Grazia La Padula e Renaud Dillies, Kingpin Books, capa dura, cor, 64 pp., 16,20 €

Adam Eterno - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Ficção cientifica
(Inglaterra), Thunder, 1970 - Valiant, 1976
Eric Bradbury (desenho) e ? (texto)
Estreia em Portugal: Gafanhoto #5, Março de 1974
Outras publicações: Desporto & Aventura 

Na Idade Média, Adam é assistente de um alquimista que descobre a poção da imortalidade. Obrigado a tomar a poção, Adam é condenado a errar pelo espaço e pelo tempo e só uma morte provocada por uma arma de ouro o poderá salvar do tormento da imortalidade. Enquanto vivo, ele é um defensor da justiça e dos mais fracos. Nos primeiros episódios, Adam procura a sua morte, propensão que vai desaparecendo com o decorrer da série. 

Quadriculografia portuguesa:
  • Fantástica aventura (?), O Gafanhoto (2ª série) #5
  • Viagem no tempo (?), Desporto & Aventura #7

26 de maio de 2017

Airborne 44 #5: Se é preciso sobreviver

Está a partir de hoje disponível o quinto volume da coleção Airborne 44, editado pela parceria Asa/Público, com o titulo "Se é preciso sobreviver" ("S'il faut survivre"), da autoria de Philippe Jarbinet. 

Eis a sinopse da editora:
O crash bolsista de 1929 e o Dust Bowl atiraram-nos para as ruas. Tendo como única riqueza a nossa juventude, nós não éramos senão migrantes sem raízes, sem trabalho e sem futuro.
Ignorávamos que, para salvar a nossa pele, iríamos ter de a pôr em risco…

Airborne 44 #5: Se é preciso sobreviver, Philippe Jardinet, ASA/Público, 48 pp., capa dura, cor, 8,90€

Jim del Monaco: Ladrões do tempo

Já se encontra disponível mais um álbum da série Jim Del Monaco, uma criação de Luís Louro e António José Simões.

Depois do relançamento da colecção em 2015, ano em que se cumpriram 30 anos sobre a publicação da primeira história, chega esta semana às livrarias “Jim Del Monaco - Ladrões do Tempo”, de Luís Louro e António José Simões, o 9º álbum das aventuras deste improvável herói.
O lançamento do livro decorrerá no dia 3 de junho (sábado), pelas 18h30, no Espaço LeYa da Feira do Livro de Lisboa. O livro será apresentado por Rui Reininho.
A inauguração de um museu de paleontologia, que esconde um poderoso segredo, está no centro de uma conspiração de perigosos extremistas amantes de práticas desviantes que desejam restabelecer a nova ordem mundial.
Quando, inusitadamente, rebenta uma velha guerra de ossos, é revelada a verdade que deu buraco, o mesmo através do qual se inicia uma perseguição errática no tempo, que leva Jim Del Monaco ao regresso ao passado e a um salto ao futuro, sempre no encalço dos meliantes com ameaçadoras criaturas a morderem-lhe os calcanhares.
Inicialmente inspiradas em Jim das Selvas e tendo por pano de fundo a era colonial de meados do século passado, as aventuras de Jim Del Monaco desenrolam-se em torno dos mitos e lendas do grande continente africano, bem como dos clássicos intemporais da literatura e do cinema de aventura, suspense, mistério e ficção científica. Os acontecimentos e personagens são tanto reais como ficcionados, mas estão sempre de alguma forma associados ao imaginário da época, embora por vezes pontuados por elementos descontextualizados e importados da modernidade.

Os enredos abordam os temas e situações de forma caricatural, numa linguagem humorística e apimentada, com desenlaces rápidos, inesperados, surreais e até mesmo absurdos, tendo unicamente por objetivo entreter e divertir de forma bem humorada.
Publicada regularmente entre 1986 e 1993, a série Jim Del Monaco conquistou vários prémios e distinções, destacando-se:
- Melhor BD de 1986 para os leitores do “Tablóide”, Diário Popular
- Prémio “Vinheta” – Melhor BD 1986
- Prémio “Mosquito” – Melhor Argumentista 1985 e 1986
- “Autores da década de 80” para o suplemento “Espectáculo” d’O Primeiro de Janeiro (31/12/1989)
A série foi relançada em 2015, ano em que se cumpriram 30 anos sobre a publicação da primeira história de Jim Del Monaco, e tem agora sequência com a publicação do 9º álbum das aventuras do mais improvável herói da era do colonialismo em pantufas.

Jim Del Monaco vol. 9: Ladrões do Tempo, Tozé Simões e Luís Louro, ASA, 48 pp., cor, capa dura, 14,95€

Yataka - Ensaio de quadriculografia portuguesa


Ficha técnica:
Aventura
(França) Yataca, 1968-1985
Vítor Péon (desenho)
Estreia em Portugal: Yataka #1, Maio de 1977


Yataka é um homem da selva, corajoso e determinado. Vive perto do lago verde do Quénia, onde aprende a amar com o gigante negro Umbala e os outros animais da selva. Já adulto e com o seu companheiro inseparável Umbala, combate todos aqueles que atentem contra a paz junto das tribos e, particularmente, dos seus amigos pigmeus. Péon desenha estas aventuras com argumentos de autores anónimos, mas outros artistas também assumem a arte de Yataka.

Quadriculografia portuguesa:
  • Kongar, o cobarde!, Yataka #1
  • O diabólico doutor Marabunta, Yataka #2
  • O general diabo, Yataka #3
  • Os okapis sagrados, Yataka #4
  • As minas do rei Salomão, Yataka #7
  • As sardinhas que valem ouro, Yataka #8

Cidades: The Lisbon Studio Series, vol. 1

Com lançamento marcado para o Festival Internacional de BD de Beja, já no próximo sábado, "Cidades" é o primeiro volume de uma colecção de antologias de histórias curtas pelos membros do The Lisbon Studio: sete histórias, oito autores e dois prefácios marcam o início desta série, num volume da melhor banda desenhada que se faz no nosso país!

Dia 27 de Maio pelas 16h30, no Teatro Municipal Pax Julia, no centro de Beja, estarão presentes vários dos autores para a apresentação e lançamento e haverá uma sessão de autógrafos a seguir.

“...Todas estas cidades, reais e imaginárias, são tão verdadeiras como as feitas de metal e betão. Existem no espaço entre os autores e os leitores, são histórias que vivem nesses entretantos...” 
- do prefácio de Filipe Homem Fonseca

O The Lisbon Studio é um colectivo de ilustradores, designers e autores de BD, que conta com mais de uma década de existência, e que partilham um espaço com vista para o Tejo, em Santa Apolónia. Originalmente fundado por um pequeno grupo que incluía Jorge Coelho, Rui Gamito, Frederico Penteado e outros, foi-se expandido ao longo dos anos para juntar os maiores nomes da banda desenhada naquela que é, de facto, a casa da BD em Portugal. Autores que trabalham para a Marvel, autores que representam alguns dos maiores best-sellers da BD portuguesa, autores que representam estilos e modos de criação muito variados, incluindo autores que trabalham em design, ilustração, web-design, e mais. No The Lisbon Studio - apesar da constituição dos membros do TLS se ter alterado ao longo dos anos - não só se sente a herança dos seus fundadores, como a marca deixada por todos os que por aqui passaram.

A TLS Series é uma antologia criada pelos membros presentes do The Lisbon Studio, marcando o regresso deste colectivo ao mundo da edição, depois da publicação de um total de 11 números online - Mag e WebMag, entre 2013 e 2016 - desta vez em parceria com a ComicHeart e a G.Floy Studio.

CIDADES: The Lisbon Studio Series, vol. 1, Histórias de Joana Afonso, João Tércio , Dileydi Florez, Gonçalo Duarte, Filipe Andrade, Marta Teives e Pedro Vieira de Moura e Ricardo Cabral; capa de Filipe Andrade; inclui prefácios de Jorge Coelho, fundador do The Lisbon Studio, e de Filipe Homem Fonseca; G.Floy e ComicHeart, capa dura, 120 pgs. (16 a cores, 104 a p/b), 11,99€


Top das vendas de BD em França de 8 a 14 de Maio

1º lugar (=) [2ª semana]
Centaurus #3: Terre de folie
Zoran Janjetov, Leo, Rodolphe
Delcourt

2º lugar (+2) [9ª semana]
Gérard : cinq années dans les pattes de Depardieu
Mathieu Sapin
Dargaud

3º lugar (-1) [2ª semana]
Une sœur
Bastien Vivès
Casterman

25 de maio de 2017

The Walking Dead - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Fantástico
(EUA) Image Comics, 2003
Robert Kirkman (texto) e Tony Moore (desenho)
Outros autores: Charlie Adlard e Cliff Rathburn (desenho)
Estreia em Portugal: Álbum Devir, 2011



A série narra a história de um grupo de pessoas que tenta sobreviver num mundo atingido por um apocalipse zombie.

Quadriculografia portuguesa:
  1. Dias passados (Days gone bye), Charlie Adlard e Tony Moore [2011]; Integral* [2016]
  2. Um longo caminho (Miles Behind Us), Charlie Adlard, Cliff Rathburn e Robert Kirkman [2011]; Integral* [2016]
  3. Segurança na prisão (Safety Behind Bars) Charlie Adlard, Cliff Rathburn e Robert Kirkman [2012]; Integral* [2016]
  4. O desejo do coração (The Heart's Desire), Charlie Adlard, Cliff Rathburn e Robert Kirkman [2012]; Integral* [2016]
  5. A melhor defesa (The Best Defense), Charlie Adlard, Cliff Rathburn e Robert Kirkman [2013]
  6. Esta triste vida (This Sorrowful Life), Charlie Adlard, Cliff Rathburn e Robert Kirkman [2013]
  7. A calma antes (The Calm Before), Charlie Adlard, Cliff Rathburn e Robert Kirkman [2013]
  8. Feitos para sofrer (Made To Suffer), Charlie Adlard, Cliff Rathburn e Robert Kirkman [2014]
  9. Aqui permanecemos (Here We Remain), Charlie Adlard, Cliff Rathburn e Robert Kirkman [2014]
  10. Aquilo em que nos tornamos (What We Become), Charlie Adlard, Cliff Rathburn e Robert Kirkman [2014]
  11. Temam os caçadores (Fear the Hunters), Charlie Adlard, Cliff Rathburn e Robert Kirkman [2015]
  12. Viver entre eles (Life among them), Charlie Adlard, Cliff Rathburn e Robert Kirkman [2015]
  13. Longe demais (Too far gone), Charlie Adlard, Cliff Rathburn e Robert Kirkman [2016]
  14. Sem saída (No way out), Charlie Adlard, Cliff Rathburn e Robert Kirkman [2016]
* Álbum que reúne os quatro primeiros episódios

A leoa - Uma novidade da G. Floy

A G.Floy irá lançar no Festival Internacional de BD de Beja o álbum "A leoa", de Anne-Caroline Pandolfo e Terkel Risbjerg - os mesmos autores de "O Astrágalo", já editado entre nós. O lançamento decorrerá no Teatro Municipal Pax Julia, no sábado dia 27 pelas 16h15, com a presença dos autores, e será seguido duma sessão de autógrafos.

O livro será distribuído em livrarias em data a anunciar, durante o mês de Junho.

Anne-Caroline Pandolfo e Terkel Risbjerg apresentam um retrato audacioso e imaginativo de Karen Blixen, a autora de “África Minha” e “A Festa de Babete”, uma das mulheres mais livres e originais da primeira metade do século 20, e que deixou uma marca indelével e complexa na cultura do seu país, a Dinamarca.

A vida (ou as vidas) da baronesa Karen Blixen desfila à nossa frente neste álbum. Desde uma infância com um pai adorado mas muito ausente, um aventureiro nunca satisfeito, e com uma mãe encerrada na mentalidade conservadora da Dinamarca do final do século XIX, até uma aventura desesperada para escapar a um destino que lhe tinha sido traçado, burguês e aborrecido: aceita casar com o barão Bror Blixen, e tomar as rédeas de uma plantação de café no Quénia... onde descobrirá uma paixão louca, o seu grande amor africano... até ao seu regresso à Dinamarca e à sua coroação como autora literária famosa.

Anne-Caroline Pandolfo e Terkel Risbjerg trabalham juntos há alguns anos, em adaptações à banda desenhada de livros vários, e em projectos próprios. Anne-Caroline Pandolfo é ilustradora e argumentista; um encontro fortuito com produtores de filmes leva-a a realizar duas curtas-metragens animadas para crianças, e isso vai encorajá-la a continuar esse trabalho criativo na banda desenhada. Terkel Risbjerg é um artista dinamarquês que estudou cinema e filosofia em Copenhaga, e acabou por se fixar em França, onde trabalhou alguns anos em animação, tendo trabalhado nomeadamente em Le Chat du Rabin e na série Yakari. Juntos, assinaram já cinco romances gráficos: "O Astrágalo" (já editado pela G.Floy), bem como "Mine: Une Vie de Chat", "Le Roi des Scarabées", e mais recentemente "Perceval", adaptação do "Romance de Perceval", publicado nas Éditions Le Lombard - e este "A Leoa". Para o seu próximo projecto, adaptarão para BD o célebre romance "Serena", de Ron Rash.



“Redescoberta pelo grande público pela ocasião da estreia do filme "África Minha" (1985), a autora dinamarquesa não se pode reduzir a um único romance. E é isso que demonstram Anne-Caroline Pandolfo e Terkel Risbjerg com "A Leoa". Morta aos setenta e sete anos, Karen Blixen no fim apenas viveu dezassete anos na sua fazenda de Mbogani! (...) Um álbum que não é bem uma autobiografia no sentido estrito, mas sim um álbum que retoma os princípios do conto, em que a singularidade do destino da heroína é entendida através do olhar das fadas totémicas que se aproximaram do seu berço e zelaram para que ela se tornasse quem acabou por ser.”
Chroniques BD Gest

Para uma interessante entrevista dos autores ao célebre programa de TV Francês La Grande Librairie! apresentado por François Busnel, sigam este link para o Youtube:


A Leoa: Um Retrato Gráfico de Karen Blixen, Anne-Caroline Pandolfo (argumento) e Terkel Risbjerg (desenho), G. Floy, capa dura, 192 pgs. a cores, 17,99€

Mulher-Maravilha #1: Terra Um

Está disponível hoje nas bancas o primeiro volume da colecção Mulher-Maravilha, numa edição da Levoir e distribuição conjunta com o jornal Público.

Eis a sinopse deste volume:

Diana vive na Ilha Paraíso, com a sua mãe a rainha Hipólita. Durante milénios as amazonas habitantes da ilha construíram uma próspera sociedade longe da maligna influência dos homens.  Mas a jovem Diana não está satisfeita com sua vida reclusa, sabe que há mais mundo para além da ilha e resolve explorá-lo mesmo que tenha de ir contra os desejos de sua mãe e esta não concorde com os seus planos.

Escrita por Grant Morrison e ilustrada por Yanick Paquette chega a mais provocativa das origens da Mulher-Maravilha – uma leitura sem igual que honra a rica história da personagem!

O primeiro volume da colecção incluirá a oferta dum postal com a imagem oficial do filme da Mulher-Maravilha com a colaboração da “Warner Bros. Portugal e NOS Audiovisuais”.

Mulher-Maravilha #1: Terra Um, Grant Morrison e Yanick Paquette, Levoir, cor, capa dura, 11,90€ com o jornal Público

"Mensur" de Rafael Coutinho, uma novidade da editora Polvo

"Mensur" é o título de mais um romance gráfico disponível no mercado português. A obra de Rafael Coutinho terá apresentação no XIII Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja, dia 27 de Maio (sábado), às 16h45, no Cine-Teatro Municipal Pax Julia, com a participação do autor e do editor, Rui Brito, seguido de uma sessão de autógrafos entre as 18 às 19h30.

A distribuição comercial de “Mensur” ocorrerá durante o mês de Junho.

O LIVRO

Um dos artistas mais talentosos da banda desenhada brasileira, Rafael Coutinho, está de regresso com este que é o seu mais ambicioso trabalho desde “Cachalote”, romance gráfico criado em parceria com o escritor Daniel Galera e já publicado pela Polvo.
Em “Mensur”, Coutinho conta a história de Gringo, um andarilho que percorre cidades brasileiras em busca de trabalhos pontuais. É um dos últimos praticantes de mensur, uma luta de espadas surgida entre estudantes universitários na Alemanha do século XV. Enquanto lida com os seus próprios fantasmas e obsessões, um caso amoroso pode colocá-lo em rota de conflito com o seu passado e com segredos que jamais deveriam vir à tona.
Um dos mais originais e impressionantes trabalhos da BD brasileira, “Mensur” é uma saga pessoal e um épico íntimo da busca por um lugar e, sobretudo, por algum tipo de paz.

O AUTOR

Rafael Coutinho apresenta-se como autor de banda desenhada, artista plástico e editor. Nascido em São Paulo em 1980, formou-se em Artes Plásticas pela Universidade de São Paulo (Unesp), em 2004. No seu país é conhecido pelo romance gráfico “Cachalote” (Quadrinhos na Cia., 2010; Polvo, 2014), “O Beijo Adolescente” 1, 2 e 3 (selo Cachalote, 2011, 2013 e 2015) e “As Aventuras do Barão de Munchausen” (Cosac Naify, 2014).


Mensur, Rafael Coutinho, Polvo, Colecção: Romance Gráfico Brasileiro, nº 17, 204 pp., p/b, brochado com badanas, €17,99 

24 de maio de 2017

Novos álbuns de Corto Maltese

Depois de, no mês de Abril, a Arte de Autor ter apresentado obras de dois dos maiores autores de banda desenhada Italianos (Manara e Serpieri), chegou agora a informação de que a editora passará a editar em Portugal o personagem Corto Maltese.

Este personagem, considerado por alguns a criação maior do autor italiano Hugo Pratt (e que foi publicado pela primeira vez na revista Sgt Kirk a 10 de Julho de 1967) comemora este ano 50 anos.

Mas 2017 é, no que refere a Pratt e a Corto Maltese, um ano de dupla efeméride, pois, se Pratt fosse vivo, completaria no próximo dia 15 de Junho 90 anos.
Para comemorar este duplo evento, a Arte de Autor irá publicar, em simultâneo, dois livros:

  • "A balada do mar salgado", em edição cartonada, a preto e branco com capa mate e verniz cartonado; esta edição, que conta com o prefácio de Umberto Eco e um caderno introdutório com aguarelas a cores, é limitada a 1000 exemplares.
  •  "Sob o sol da meia-noite", o último título assinado por Canales e Pellejero, o qual terá uma primeira edição a cores.
Sinopse do primeiro episódio das nova aventuras de Corto Maltese:

1915. Acabado de chegar ao Panamá acompanhado por Rasputine, Corto Maltese está novamente de partida! O destino é São Francisco e a sua Exposição Internacional onde espera encontrar um amigo de longa data, o escritor Jack London. Mas o autor de "O Apelo da Selva" dirige-se já para o México, a fim de efectuar uma reportagem sobre a revolução de Pancho Villa e ambos desencontram-se. Deixou no entanto uma mensagem pedindo a Corto que entregasse uma carta a uma certa Waka Yamada; esta, uma antiga estrela de ‘saloon’ em Dawson City durante a corrida para o ouro, havia-se convertido em militante contra o tráfego de brancas no Alasca. Em troca de lhe fazer chegar essa carta, London promete a Corto uma nova aventura… e um misterioso tesouro! Corto Maltese inicia assim um longo périplo pelas vastas extensões geladas do Grande Norte, numa viagem pautada por inúmeros perigos e ameaças. Porque, sob o sol da meia-noite, há outros predadores que rondam para além dos lobos e dos ursos… Criada pelos espanhóis Juan Díaz Canales e Ruben Pellejero, a obra é a primeira história do personagem Corto Maltese escrita sem a participação de Hugo Pratt, e foi inicialmente publicada em França em Setembro de 2015.

Os autores:

Juan Díaz Canales nasceu em Madrid em 1972. Desde muito novo que gosta de banda desenhada. Aos 18 anos, começou a trabalhar num estúdio de desenhos animados de nome “Lápiz Azul”, onde conhece Juanjo Guarnido, com quem trava uma grande amizade. Juan continuou a viver em Espanha enquanto Juanjo é contratado pelo novo estúdio que a Disney abriu em Paris. Apesar da distância, começam ambos a realizar um projecto comum que obtém um êxito fulgurante: Blacksad, série da qual acabam por publicar cinco volumes e a qual obteve, em Espanha, o Prémio Nacional del Comic 2014. Entretanto, Canales estuda Belas Artes na Universidade Complutense de Madrid, tendo decidido, em 1996, fundar a sociedade “Tridente Animación” juntamente com Teresa Valero e outros dois amigos. Desde então, a sua actividade profissional divide-se entre a sua faceta de desenhador de pré-produção para séries de televisão e longas-metragens de  animação, e a de argumentista de banda desenhada, a qual inclui obras como Los Patricios (desenhos de Gabor), ou Fraternity (desenhos de José Luis Munuera).

Rúben Pellejero nasceu em Badalona (Barcelona – Espanha), em 1952. Desenhador profissional desde 1970, dedica-se à BD a partir de 1982 com a publicação de Historias de una Barcelona. Com argumento de Jorge Zentner, assina as histórias As Memórias de Mr. Griffaton e, mais tarde, FM em Frequência Modulada. Dieter Lumpen surge em 1985. Em 1996, publica O Silêncio de Malka obra que no ano seguinte obtem, em Angoulême,  o Alph’Art para o Melhor Álbum Estrangeiro. Publica ainda  L’Impertinence d’un été (com Denis Lapière) e Loup de pluie (com Jean Dufaux), antes de retomar  Corto Maltese  em parceria com Juan Diaz Canales.

Os livros estão disponiveis no site www.artedeautor.pt  com distribuição na próxima semana  nas livrarias e na Feira do Livro de Lisboa.

Corto Maltese: A balada do mar salgado, edição comemorativa dos 50 anos, Hugo Pratt, Arte de Autor, 184 pp., p&b, 26,95€
Corto Maltese: Sob o sol da meia-noite, Juan Díaz Cañales e Rúben Pellejero, Arte de Autor, 88 pp., cor, 18,65€

Vega - Ensaio de quadriculografia portuguesa


Ficha técnica:
Aventura
(Bélgica) Tintin, 1978-1979
Stephen Desberg (argumento) e Felicíssimo Coria (desenhos)
Estreia em PortugalTintin #18/12º ano, 15 de Setembro de 1979

Histórias de filibusteiros.

Quadriculografia portuguesa:
  • O ouro dos amotinados (L’or des mutinés), 1979, Tintin #18/12º ano

23 de maio de 2017

Lançamento do 1º volume de Cockman


"Lugar Maldito", André Oliveira e João Sequeira

A Polvo prepara-se para lançar em Junho mais uma novidade da banda desenhada portuguesa. Dos autores de "Tormenta" surge a obra "Lugar Maldito". A obra terá apresentação no XIII Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja, dia 27 de Maio (Sábado), às 14h30, no Cine-Teatro Municipal Pax Julia, com a participação dos autores e do editor, Rui Brito. A sessão de autógrafos das 18 às 19h30. 

Sinopse da editora:
Nunca vos contaram do rapaz de carvão?
Tantas, tantas histórias…
Daquelas que escapam ao entendimento e flutuam na memória, às vezes durante toda uma vida.
Samuel e Maria estão em fuga. De tudo, de todos e até de si próprios. Assombrados pelo amor proibido que é o seu, decidem refugiar-se no sítio mais improvável: uma casa antiga, situada numa clareira de silêncios e caretos vigilante.
Entre o pó do carvão, inundada pelo cheiro a sangue e a cinzas, nada vai ser como dantes.
Lugar Maldito” é uma BD de terror à portuguesa, passada no Alto Douro. Porque os demónios, é sabido, também lá moram.

OS AUTORES

ANDRÉ OLIVEIRA. Lisboa, 1982. Licenciado em Design de Comunicação, é hoje copywriter e escritor. Co-editou a antologia de banda desenhada “Zona” e foi comissário da “Trienal Movimento Desenho, 2012”, tendo organizado o evento “BD ao Forte”. Editou curtas de banda desenhada na revista CAIS, de 2012 a 2016, e fez parte do colectivo TheLisbonStudio. Escreveu os livros de BD “Há Sempre um Eléctrico que Espera por Mim” (com Maria João Careto, Bedeteca de Beja), “Hawk”(com Osvaldo Medina, KingpinBooks), “Casulo” (com vários autores, KingpinBooks), “Vil – A Tragédia de Diogo Alves" (com Xico Santos, KingpinBooks), “O Incrível Tarantantan de Balbino o Esfutricador”(com Pedro Carvalho, KingpinBooks), “Tiras do Baralho!” (com Pedro Carvalho, El Pep), “Volta - O Segredo do Vale das Sombras”(com André Caetano, Polvo), “Tormenta”(com João Sequeira, Polvo), “Milagreiro”(com André Caetano, Filipe Andrade, Nuno Plati, Ricardo Cabral, Ricardo Tércio, Ricardo Drumond e Jorge Coelho, Polvo), os cinco primeiros números da série “LivingWill” (com Joana Afonso e Pedro Serpa, Ave Rara) e o primeiro da série “Gentleman” (com Ricardo Reis, Ave Rara). Ao longo do seu percurso, tem contado com várias exposições e prémios, entre os quais o Prémio Nacional de BD de “Melhor Argumento para Álbum Português”com “Hawk” (2014) e “Volta – O Segredo do Vale das Sombras” (2015).


JOÃO SEQUEIRA. Portalegre, 1971. Licenciado em Arquitectura (1995). Frequentou os cursos de Desenho na SNBA, Desenho e Pintura no atelier Arte Ilimitada, Banda Desenhada no CITEN e Design de Animação e Multimédia na ESTG-Portalegre. Faz BD desde 1994, tendo participado nos fanzines Alçapão, Gambuzine, Tertúlia BDzine e Efeméride. Ao longo dos anos, participou em diversas exposições individuais e colectivas com trabalhos de desenho e banda desenhada. Em 2005, publica o álbum “Metamorfina” (texto de Miguel Mocho e edição Bedeteca de Lisboa); em 2012, “Psicose” (texto de Miguel Costa Ferreira e edição da El Pep); em 2014, “F(r)icções“ (texto de Nuno Duarte e edição da El Pep) e, em 2015, “Tormenta” (texto de André Oliveira e edição da Polvo). Em 2010, ganha o 1º prémio (escalão A+) no festival de BD da Amadora com a BD “República” e em 2011o 1º prémio (escalão B) no festival Moura BD com a BD “Movimento perpétuo”, ambas com texto de Miguel Costa Ferreira. Em 2016, conquista o Prémio Nacional de BD de “Melhor Desenho para Álbum Português” com “Tormenta” e o mesmo álbum garante-lhe uma nomeação para o Galardão de Excelência na Ilustração da ComicCon Portugal.

Lugar Maldito, André Oliveira e João Sequeira, Polvo, 96 pp., p/b, cartonado, 12,90€

Tai-Dor - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Ficção Científica
(França) Éditions Novedi, 1987
Serge Le Tendre e Rodolphe (argumento) e Jean-Luc Serrano (desenho)
Estreia em Portugal: Álbum Meribérica, 1987
Outras publicações: Selecções BD (1ª série), Público Júnior


Tai-Dor é um mundo diferente com vegetação luxuriante povoado por animais fabulosos. Após passar o espelho-porta de acesso a este mundo, Tierrien Servin casa com a princesa Tanis, da qual tem um filho, Gilles de Tai-Dor, que, quando crescido, combaterá os inimigos. A partir de 1997, Serrano dá o seu lugar ao belga Luc Foccroulle.

Quadriculografia portuguesa:
  • As luvas de Tai-Dor (Les gants de Tai-Dor), 1987, Álbum Meribérica [1987]; Selecções #7 a #9; Público Júnior #47 a #69
  • A máscara de Tai-Dor (Le masque de Tai-Dor), 1988,  Álbum Meribérica [1989]; Público Júnior #76 a #99

22 de maio de 2017

XIII Festival Internacional de BD de Beja

O Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja realiza-se este ano entre os dias 26 de Maio e 11 de Junho, abraçando exclusivamente o Centro Histórico da cidade e em especial o Largo do Museu Regional, epicentro desta Festa da BD.

São 18, as exposições patentes ao público, e 10, os países representados, da Argentina à Dinamarca, passando por Angola e pela Roménia…

Para além das exposições, o Festival oferece aos visitantes uma Programação Paralela bastante diversificada onde pontuam as apresentações de projetos, as conversas à volta da BD, o lançamento de livros, as sessões de autógrafos, workshops, concertos desenhados, etc., etc.

Como não podia deixar de ser, o Festival tem também à disposição dos visitantes o Mercado do Livro - a maior livraria do país durante este período, com mais de 60 editores presentes - e uma zona comercial com várias tendas instaladas (venda de action figures, arte original, posters, prints, etc.).
               
O Festival inaugura sexta-feira, 26 de Maio, às 21h00, no Pax Julia – Teatro Municipal.

Na sexta-feira 26 e no sábado 27 as noites são de concertos desenhados (a programação só termina às 4h00 da manhã).

O primeiro fim-de-semana (26, 27 e 28 de Maio) reunirá grande parte dos autores representados nas exposições.

Para informações sobre o programa do Festival siga o link http://www.festivalbdbeja.com.

S.O.S. Felicidade - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
S.O.S. bonheur
Antecipação
(Bélgica) Spirou #2430, 8 de novembro de 1984 – Éditons Dupuis, Junho de 1989
Jean Van Hamme (argumento) e Griffo (desenho)
Estreia em PortugalSelecções BD (1ª série) #20, Dezembro de 1989


O cenário da série centra-se num futuro próximo, onde um Estado intolerante com uma polícia omnipresente se ocupa de toda a felicidade do povo, com o indivíduo a perder todas as suas liberdades. A série desenvolve-se ao longo de histórias curtas, traduzindo uma imagem pessimista de um futuro pouco risonho.

Quadriculografia portuguesa:
  • [-], 1984, Selecções BD #20 a #21



Yves Duval - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Argumentista
(Bélgica) Etterbeek, 21 de Março de 1934 - 22 de Maio de 2009
Michel Duverchin (pseudónimo) 

Yves Duval é um dos mais proeminentes argumentistas da revista Tintin. 
Nascido em 1934 em Bruxelas, Yves Duval começa a carreira na editora Lombard com apenas 16 anos e o seu primeiro trabalho foi publicado na revista Tintin com o título «Ils l'Appelaient Alcibiade», ilustrado por Raymond Reding. Em 1952, adapta Robert Louis Stevenson no episódio «David Balfour», com desenhos de Jacques Laudy
O forte controlo governamental das revistas juvenis obriga os editores a apresentarem material com forte pendor cultural, nomeadamente histórico, dando ênfase a grandes feitos da humanidade. As revistas apostam nas histórias curtas de quatro páginas, com a revista Spirou a lançar «As mais belas histórias do Tio Paulo» onde Octave Joly assina a maior parte dos argumentos. A revista Tintin opta por episódios soltos (alguns são integrados na série Authentique), tendo Duval idealizado cerca de 1500, ilustrados por grandes nomes da BD como Jean Graton, René Follet, Hermann, Sidney, Eddy Paape, Cicuendez, Fernand Cheneval, Philippe Delaby, Jean-Claude Servais, Fred Funcken, Paul Cuvelier, Ferry, Christian Denayer, Jo-El Azara e Charles Jarry. Simultaneamente, escreve numerosos artigos, contos, romances e entrevistas para a revista Tintin, assim como para La Semaine de Suzette, Line, Pilote e Record
Duval também é o argumentista de famosas séries da revista Tintin, tais como Capitan, Tenente Burton e Doc Silver (com o casal Funcken), Howard Flynn e Ringo (com William Vance), Ken Krom, Rataplan e Lady Bound (com Berck), Hassan & Kadour (com Jacques Laudy), Marc Franval (com Édouard Aidans) e Spaghetti (com Attanasio). Enquanto escreve para o Tintin, o seu nome também aparece na revista Pilote (Buck Gallo com Mic Delinx) e no Le Soir Jeunesse (Les Aventures de Christopher com Franz). 
Yves Duval, que, por vezes, utilizou o pseudónimo Michel Deverchin, foi também jornalista da revista belga Paris-Match e é autor de guias de viagens e obras históricas.  
Este grande autor da BD franco-belga faleceu em 22 de Maio de 2009, com 75 anos.

Quadriculografia portuguesa:


One-shots:
  • Paz sobre a Terra (Paix sur la Terre), 1953, Craenhals e Duval, Cavaleiro Andante [Nº Especial] Natal de 1954
  • O homem de sabre invencível (Lasalle, premier sabreur de France), 1953, Reding e Duval, Cavaleiro Andante #162
  • Justiça do Oeste (Justice est faite!), 1953, Follet e Duval, Cavaleiro Andante #114
  • A epopeia da água pesada (L'épopée de l'eau lourde), 1954, Reding e Duval, Cavaleiro Andante #112
  • A descoberta da Ilha da Páscoa (La découverte de l'ile de Pâques), 1955, Follet e Duval, Selecções BD (2ª série) #22
  • A invenção da Santa Cruz (L'invention de la sainte croix), 1958, Cheneval e Duval, Álbum do Cavaleiro Andante #77
  • Wellington, o duque de ferro (Le duc de fer Wellington), 1958, O Falcão (1ª série) #53
  • Pilâtre de Rozier (Pilâtre de Rozier), 1959, Aidans e Duval, Cavaleiro Andante #454
  • Grandes esperanças (La Grande Espérance), 1959, Funcken e Duval, Cavaleiro Andante #470
  • O estranho senhor Cícero (L'étrange Monsieur Cicéron), 1959, Cheneval e Duval, Álbum do Cavaleiro Andante #68
  • Sobre esta pedra edificarei a minha igreja (Sur cette pierre, je batirai mon église), 1959, O Falcão (1ª série) #54
  • Manolete (Manolete), 1959, Aidans e Duval, O Falcão (1ª série) #54
  • Barentz (Barentz), 1959, Funcken e Duval, O Falcão (1ª série) #75
  • Jacques Cassard (Jacques Cassard), Funcken e Duval, Alvo #36
  • George Stephenson, a vida e obra de um grande inventor (Les débuts de George Stephenson), 1960, Cheneval e Duval, Cavaleiro Andante #488
  • Oxford-Cambridge (Oxford-Cambridge), 1960, Cheneval e Duval, Cavaleiro Andante #520
  • Ingemar Johansson, uns punhos perfeitos (Une droite du tonnerre ! Ingemar Johansson), 1960, Graton e Duval, Cavaleiro Andante #478
  • Chiquito de Cambo, o rei dos jogadores de pelota basca (Chiquito de Cambo le roi des Pelotaris), 1960,  Fernan e Duval, Cavaleiro Andante #518
  • Centauros do mar (Les Centaures de la mer), 1960, Fernan e Duval, Cavaleiro Andante #494
  • Páscoa no circo (Pâques dans l'arène), 1960, Funcken e Duval, Cavaleiro Andante #538
  • O primeiro voo do Harry (Le premier vol de Harry), 1960, Cheneval e Duval, Álbum do Cavaleiro Andante #76
  • Laurel & Hardy (Deux amuseurs de génie, Laurel & Hardy), Nº Especial do Cavaleiro Andante Natal de 1960
  • Georges Carpentier, o pugilista científico (Georges Carpentier gentleman du ring), 1960, Graton e Duval, O Falcão (1ª série) #62
  • A mais bela volta à França (Son plus beau Tour de France), 1961, Graton e Duval, Cavaleiro Andante #543
  • Pedro Bruegel (Pierre Bruegel), 1961, Funcken e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #482
  • Tom Souville, capitão dos corsários (Tom Souville), 1961, Fernan e Duval, Cavaleiro Andante #530
  • Adolphe Sax, o homem que revolucionou a arte musical (Adolphe Sax), 1961, Fernan e Duval, Cavaleiro Andante #533
  • A prodigiosa epopeia do Transcontinental (La prodigieuse épopée du Transcontinental), 1961, Cheneval e Duval, Cavaleiro Andante #534
  • Forte Álamo (Fort Alamo), 1961, Fernan e Duval, Cavaleiro Andante #544
  • Fra Diavolo (Fra Diavolo), 1961, Fernan e Duval, Cavaleiro Andante #545
  • Os lingotes do «Laurentic» (Les lingots du «Laurentic»), 1961, Cheneval e Duval, Cavaleiro Andante #548
  • O senhor de Vaucanson e o seu mundo encantado de autómatos (Monsieur de Vaucanson), 1961, Funcken e  Duval, Cavaleiro Andante #550
  • Jan Olieslagers (Jan Olieslagers «le démon anversois»), 1961, Fernan e Duval, Cavaleiro Andante #553
  • No tempo de Ramsés II (Au temps de Ramses II), 1961, Funcken e Duval, Zorro #133
  • Nos tempos dos primeiros caminhos de ferro (Au temps des premiers chemins de fer), 1961, Funcken e Duval, Zorro #134
  • O tesouro dos Maias (Le trésor des Mayas), 1961, Cheneval e Duval, Álbum do Cavaleiro Andante #89
  • A fera de Gévaudan (La bête du Gévaudan), 1961, Ramboux e Duval, Tintin #25/11º ano
  • Rostopchine: o homem que incendiou Moscovo (Rostoptchine l'homme qui incendia Moscou), 1961, Funcken e Duval, Zorro #146
  • Uma corrida infernal (Une course infernale), 1961, Fernan e Duval, Álbum do Cavaleiro Andante #93
  • Little Big Horn River (Little Big Horn River), 1962, Torton e Duval, Zorro #147; Mundo de Aventuras (2ª fase) #481
  • As flores renascem na Primavera (À Pâques, la prairie refleurira), 1962, Funcken e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #498
  • A conspiração do General Malet, o homem que quase derrubou um império (La conspiration du général Malet), 1962, Funcken e Duval, Cavaleiro Andante #549
  • A estranha aventura do senhor de Chimay (L'étrange aventure du sire de Chimay), 1962, Fernan e Duval, Cavaleiro Andante #552
  • Os filhos do sol (Les fils du soleil), 1962, Funcken e Duval, Zorro #17
  • No século de oiro da pintura holandesa (Au siècle d'or de la peinture hollandaise), 1962, Funcken e Duval, Zorro #135
  • O polverello e o presépio de Greccio (Le poverello et la crèche de Greccio), 1962, Vance e Duval, Camarada (2ª série) #26/6º ano
  • No tempo de Elisabeth 1ª de Inglaterra (Au temps d'Elisabeth 1ère d'Angleterre), 1962, Funcken e Duval, Zorro #145
  • Um jovem pastor chamado David (Un jeune berger nommé David), 1962, Fernan e Duval, Zorro #150
  • A heróica epopeia dos Cavaleiros de Malta (L'héroïque épopée des chevaliers de Malte), 1962, Vance e Duval, Zorro #155
  • No tempo da Roma imperial (Au temps de la Rome impériale), 1962, Funcken e Duval, Zorro #158
  • O padre Flanagan: um apóstolo revolucionário (Un apôtre révolutionnaire le père Flanagan), 1963, Funcken e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #323
  • Antoine-Marie Carême: um cozinheiro ideal (Un maître-queue de génie Marie-Antoine Carême), 1963, Vance e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #346
  • Sobieski, o furacão: o salvador do ocidente (Le sauveur de l'occident, Sobieski, l'ouragan), 1963, Vance e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #350
  • Laetitia Bonaparte, a senhora mãe (Un coeur et une tête Madame Mère Laetitia Bonaparte), 1963, Vance e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #420
  • De um jogo nasce um telégrafo, Claude Chappé (D'un jeu nait le télégraphe, Claude Chappe), 1963, Funcken e Duval, Selecções do Mundo de Aventuras #235
  • Fátima, terra eleita de Nossa Senhora (Terre élue de Notre-Dame Fatima), 1963, Cheneval e Duval, Pisca-Pisca #14; Mundo de Aventuras (2ª fase) #448
  • William Wallace (William Wallace), 1963, Colsoulle e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #523
  • A curiosa aventura da girafa do rei (La curieuse odyssée de la girafe du roi), 1963, Funcken e Duval, Pisca-Pisca #5
  • Frederico Froebel (Friedrich Froebel), 1963, Cheneval e Duval, Pisca-Pisca #8
  • Os heróis não se medem aos palmos (L'héroïque petit Bara), 1963, Vance e Duval, Pisca-Pisca #9
  • Milagre de Natal (Le miracle de Noël), 1963, Vance e Duval, Pisca-Pisca #10
  • Charles Tellier, o inventor do frigorífico (Charles Tellier le père du froid), 1963, Cheneval e Duval, Pisca-Pisca #11
  • A comovente paixão de Oberammergau (L'émouvante «Passion» d'Oberammergau), 1963, Vance e Duval, Zorro #132
  • Jesse James, fora-da-lei à força (Jesse James outlaw malgré lui), 1963, Cheneval e Duval, Zorro #179
  • Atenas no tempo de Péricles (A Athènes au temps de Périclès), 1963, Funcken e Duval, Zorro #151
  • O fabuloso documento verde (Le fabuleux document vert), 1963, Beckers e Duval, Zorro #178
  • As férias de Durmont D'Urville (Les fructueuses vacances de Dumont D'Urville), 1963, Vance e Duval, Zorro #181
  • Cantando pelo mundo fora - Os pequenos cantores da cruz de madeira (Les Petits Chanteurs à la Croix de Bois), 1963, Léonard e Duvall, Zorro #182
  • A odisseia do obelisco de Luksor (L'odyssée de l'obélisque de Louqsor), 1963, Fédor e Duval, Zorro #183
  • No tempo do esplendor do império Azteca (Au temps de la splendeur de l'empire aztèque), 1963, Funcken e Duval, Zorro #186
  • Luís de Camões, herói e poeta de génio (Don Luiz Camoens héros et poète de génie), 1964, Cheneval e Duval, Pisca-Pisca #6; Mundo de Aventuras (2ª fase) #375
  • O abade de Smet, um titã do apostolado (Un titan de l'apostolat «Le Père De Smet»), 1964, Torton e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #376
  • John-Fitzgerald Kennedy (John-Fitzgerald Kennedy), 1964, Funcken e Duval, Selecções do Mundo de Aventuras #204
  • Moliére (Jean-Baptiste Poquelin dit Molière), 1964, Funcken e Duval, Selecções do Mundo de Aventuras #238
  • Clóvis, fundador da França (Clovis, fondateur de la France), 1964, Léonard e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #493
  • Mazeppa, o herói da Ucrânia (Le héros national de l'Ukraine Mazeppa), 1964, Funcken e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #514
  • Markos Botzaris (Markos Botzaris), 1964, Torton e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #516
  • A proeza de Roland Garros (L'exploit de Roland Garros), 1964, Cheneval e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #534
  • A primeira travessia do Atlântico Norte de avião (Au temps de la première traversée de l'Atlantique Nord en avion), 1964, Funcken e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #558
  • Flipper, o golfinho (Flipper), 1964, Aidans e Duval, Pisca-Pisca #16
  • Berlitz, o homem que tornou mais fácil o ensino das línguas estrangeiras (Pic de la Mirandole des temps modernes Maximilien Berlitz), 1964, Funcken e Duval, Zorro #139
  • Alain Mimoum: História de um atleta (Alain Mimoun), 1964, Luco e Duval, Zorro #149
  • Oitocentos actores num só Fregoli (Huit cents acteurs en un seul! Fregoli), 1964, Funcken e Duval, Zorro #153
  • Rick Van Looy - Um ás da bicicleta (Un pédaleur à panache Rik Van Looy), 1964, Luco e Duval, Zorrro #175
  • Tom Mix, o rei dos filmes de cowboys (Un roi du western : Tom Mix), 1965, Funcken e Duval, Pisca-Pisca #7
  • O caso do colar da rainha (L'affaire du collier de la raibe), 1965, Funcken e Duval, Nau Catrineta #323 a #326
  • Quando Morse inventou o telégrafo (Quand le peintre sculpteur Samuel Morse inventait le télégraphe électrique), 1965, Funcken e Duval, Pisca-Pisca #17
  • O «inventor» do jornalismo moderno (L'homme qui inventa le journalisme moderne), 1965, Funcken e Duval, Nau Catrineta #315 a #318
  • A tragédia do Lusitânia (La tragédie du Lusitania), 1965, Cheneval e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #449
  • A revolta dos mercenários (La révolte des mercenaires), 1965, Cheneval e Duval, Tintin #34/2º ano
  • Uma história verdadeira: Edward Jenner (Edward Jenner), 1965, Cheneval e Duval, Nau Catrineta #448 a #451
  • Guilherme Ferrabraz (Guillaume Fierabras, comte de Toulouse), 1965, Léonard e Duval, Nau Catrineta #496 a #499
  • O simpático senhor Goldfus (Ce sympathique mister Goldfus), 1965, Van Dessel e Duval, Nau Catrineta #431 a #434
  • O rapaz de S. Francisco: Frisco Kid (Frisco Kid), 1965, Colsoule e Duval, Nau Catrineta #452 a #455
  • G. Lenotre: o grande historiador da pequena história (G. Lenotre), 1965, Funcken e Duval, Nau Catrineta #460 a #463
  • O túnel de S. Gotardo (Victoire sur le St-Gothard), 1965, Cheneval e Duval, Nau Catrineta #470 a #473
  • O inventor da máquina de costura (L'inventeur de la machine à coudre), 1965, Léonard e Duval, Nau Catrineta #560 a #565
  • Caio Marius (Caio Marius), 1965, Funcken e Duval, Nau Catrineta #566 a #571
  • Cornélia, a mãe de Gracus (Cornélie la mère des Gracques), 1965, Funcken e Duval, Nau Catrineta #487 a #490
  • Pequim-Paris: 16.000 Kms (Pékin-Paris 16.000 km), 1965, Funcken e Duval, Zorro #148
  • Manolo, el cordobés (Manolo El Cordobes), 1965, Vance e Duval, Zorro #159
  • Elisabeth da Bélgica (Elizabeth de Belgique), 1965, Forget e Duval, Zorro #180
  • O homem que faz descarrilar os comboios (L'homme qui faisait sauter les trains), 1966, Paape e Duval, Tintin #18/5º ano
  • S.O.S.... Itália (S.O.S.... Italia), 1966, Paape e Duval Tintin #6/1º ano; Selecções do Mundo de Aventuras #196
  • A «rainhazinha» (La «petite reine»), 1966, Paape e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #210
  • Pela espada e pela chama (L'épée et la charrue), 1966, Paape e Duval, Tintin #30/2º ano
  • História de um grande advogado (Un grand avocat en 20 croquis d'audience), 1966, Paape e Duval, Tintin #28/2º ano
  • A travessia do fogo (La traversée de feu), 1966, Paape e Duval, Tintin #18/1º ano
  • Sitting Bull (Sitting Bull) 1966, Hermann e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #375
  • Alerta aos piratas (Alerte aux pirates !), 1966, Hermann e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #388
  • Crazy Horse (Crazy Horse), 1966, Hermann e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #390
  • O Marquês de Pombal (Le marquis de Pombal), 1966, Sidney e Duval, Selecções do Mundo de Aventuras #203; Mundo de Aventuras (2ª fase) #486
  • A guerra do condado de Lincoln (La guerre du comté de Lincoln), 1966, Hermann e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #183
  • Quando Leroy vestia o império (Quand Leroy habillait l'Empire), 1966, Funcken e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #137
  • Hermann Geiger, o samaritano das montanhas (Hermann Geiger le samaritain des montagnes), 1966,  Hermann e Duval, Tintin #25/1º ano
  • O regresso de Ulisses (Le retour d'Ulysse ), 1966, Torton e Duval, Tintin #42/3º ano
  • Claude Bourgelat (Claude Bourgelat), 1966, Colsoulle e Duval Tintin #26/4º ano
  • O fenómeno da publicidade (Le phénomène de la publicité), 1966, Roque e Duval, Tintin #16/1º
  • Sejam bons para os «bichinhos» (Soyez bons pour les animaux), 1966, Roque e Duval, Tintin #8/1º
  • A tragédia mexicana (La tragédie mexicaine), 1966, Sidney e Duval, Tintin #19/1º
  • Jean Robic (Jean Robic), 1966, Colsoulle e Duval, Tintin #46/2º ano
  • Sarah Bernhardt (Sarah Bernhardt), 1966, Cheneval e Duval, Tintin #18/6º ano
  • Um grande senhor da sétima arte (Un grand monsieur du 7ème art), 1967, Paape e Duval, Tintin #17/1º ano; Mundo de Aventuras (2ª fase) #352
  • A evasão de Hugo Grotius (L'évasion d'Hugo Grotius), 1967, Sidney e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #332
  • O talismã de Carlos Magno (Le talisman de Charlemagne), 1967, Vance e Duval, Tintin #6/4º ano
  • Confucius (Confucius), 1967, Sidney e Duval, Nau Catrineta #606 (inc.); Tintin #22/4º ano
  • Henry Wells & William Fargo, o correio do Oeste (Henry Wells et William G. Fargo, les facteurs du Far-West), 1967, Vance e Duval, Pisca-Pisca #2
  • A dinastia dos Campbell (La dynastie des Campbell), 1967, Denayer e Paape, Tintin #2/1º ano; Nau Catrineta #587 a #590
  • O cão salva-vidas (Le chien d'avalanche), 1967, Sidney e Duval, Tintin #23/2º ano
  • O pai da tracção à frente: André Citroen (Le père de la traction-avant: André Citroën), 1968, Paape e Duval, Tintin #43/2º ano
  • A lenda d' El rei D. Sebastião (La légende du roi Sébastien), 1968, Funcken e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #326
  • A descoberta do capitão López (La découverte du général Lopez), 1968, Cheneval e Duval, Nau Catrineta #418 a #421
  • O capitão Fracasse (Le capitaine Fracasse), 1968, Léonard e Duval, Nau Catrineta #372 a #377
  • O palhaço de coração de ouro: Jerry Lewis (Un clown au grand cur), 1968, Jarry e Duval, Nau Catrineta #380 a #383
  • Caçadores sem armas (Chausseus sans armes), 1968, Aidans e Duval, Selecções Tintin (Íbis) #7
  • Operação Overlord (Opération Overlord), 1969, Paape e Duval, Tintin #23/4º ano
  • O cabo das tormentas (Le cap des tourmentes), 1969, Jarry e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #368
  • Buster Keaton, o homem que nunca ri (L'homme qui n'a jamais ri: Buster Keaton), 1969, Jarry e Duval, Tintin #18/6º ano; Selecções do Mundo de Aventuras #237
  • A primeira travessia aérea do Atlântico Sul (La première traversée de l'Atlantique sud), 1969, Paape e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #372
  • O fim de um pirata (La fin d'un pirate), 1969, Hermann e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #373
  • Uma proeza de La Palice (Un exploit de La Palice), 1969, Franz e Duval, Tintin #42/6º ano
  • A lenda do dragão da ilha de Rhodes (La légende du dragon de l'île de Rhodes), 1969, Franz e Clo, Duval, Tintin #51 a #52/3º ano; Nau Catrineta #583 a #596
  • O terreiro dos mártires (Le pavé des martyrs), 1969, Sidney e Duval, Tintin #17/4º ano
  • Mona Lisa (Mona Lisa), 1969, Fahrer e Duval, Tintin #18/3º ano; Nau Catrineta #591 a #594
  • A fidelidade de Ivan Simonoff (La fidélité d'Ivan Simonoff), Sidney e Duval, 1969, Nau Catrineta #595 a #601
  • Cinco rapazes e um carro ( Les 5 de Rüsselsheim), Denayer e Duval, 1969, Nau Catrineta #435 a #438
  • Jean de Catavas (Jean de Catavas), 1970, Sidney e Duval, Selecções do Mundo de Aventuras #237
  • Sonja Henie (La reine de la glace : Sonja Henie), 1970, Jarry e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #491
  • Só frente ao cronómetro (Seul face au chrono), 1975, Hulet e Duval, Tintin #49/10º ano
  • O milagre japonês (Le miracle japonais), 1975, Hulet e Duval, Tintin #48/10º ano
  • Na pesquisa de mamutes (A la recherche des mammouths), 1976, Hulet e Duval, Tintin #46/10º ano
  • O combate das sufragistas (Le combat des suffragettes), 1976, Hulet e Duval, Tintin #50/10º ano
  • Elvis Presley (Elvis Presley), 1977, Dany e Duval, Almanaque do Mundo de Aventuras de 1983
  • O refúgio dos fantasmas (Le repaire aux fantômes), 1977, Vassaux e Duval, Tintin Especial Anual de 1978
  • A coroação de Ártus (Le couronnement d'Artus), 1977, Coria e Duval, Tintin #6/11º ano
  • Um morto com longa vida (Un mort aui a la vie dure), 1977, Coria e Duval, Tintin Especial Anual de 1978
  • A rainha morta (La reine morte), 1977, Coria e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #554
  • Os 47 rô-ninns (Les 47 Rô-ninns), 1977, Degroide e Duval, Tintin #28/11º ano
  • A jornada dos dezembristas (La journée des Décembristes), 1977, Forton e Duval, Tintin #29/11º ano
  • O caso das 40 múmias (L'enquête des 40 momies), 1977, Hulet e Duval, Tintin #30/11º ano
  • O caso Dreyfus (L'affaire Dreyfus), 1977, Vassaux e Duval, Tintin #35/11º ano
  • A noite dos bikbachis (La nuit des Bikbachis), 1977, Coria e Duval, Tintin #2/11º ano
  • As feiticeiras de Salem (Les Sorcières de Salem), 1977, Vassaux e Duval, Tintin #3/11º ano
  • P. P. Rubens (Rubens), 1977, Franz e Duval, Tintin #4/11º ano
  • Os amotinados de Potemkine (Les révoltés du Potemkine), 1977, Forton e Duval, Tintin #7/11º ano
  • O colar da rainha (Le collier de la reine), 1977, Musquera e Duval, Tintin #8/11º ano
  • A fera de Gévaudan (La bête du Gévaudan), 1977, Sidney e Duval, Tintin #25/11º ano
  • A jornada dos dezembristas (La journée des Décembristes), 1977, Forton e Duval, Tintin #29/11º ano
  • A máquina infernal (La machine infernale), 1977, Ferry e Duval, Tintin #34/11º ano
  • O veneno da cólera (Le venin de la colère), 1978, Franz e Duval, Selecções do Mundo de Aventuras #556
  • O índio que se diz de rei de França (Un Indien qui se prétend le roi de France), 1978, Franz e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #423
  • Quando Charlot era uma criança (Quand Charlot était enfant), 1978, Franz e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #428
  • Vidocq, o polícia matreiro (Un héros de feuilleton, Vidocq le rusé policier), 1978, Franz e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #429
  • Os mártires do pólo (Les martyrs du pôle), 1978, Ferry e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #463
  • A máquina infernal (La machine infernale), 1978, Ferry e Duval, Tintin #34/11º ano
  • Fernando, o infante santo (Fernando, prince constant), 1978, Coria e Duval, Tintin #37/11º ano
  • A misteriosa cidade das nuvens (La mystérieuse cité des nuages), 1979, Servais e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #512
  • A caça ao homem do xerife Pat Garrett (La chasse à l'homme du shériff Pat Garret), 1979, Franz e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #451
  • Batalha na Coreia (Baroud en Corée), 1983, Osi e Duval, Selecções Tintin #3
  • S.O.S. Titanic (SOS Titanic), 1983, Ferry e Duval, Selecções BD (2ª série) #25
  • Grandes catástrofes (Grandes catastrophes), 1984,  Ferry e Duval, Álbum ASA
  • Agatha Christie, ? e Duval, Álbum do Cavaleiro Andante #94
  • A revolta dos mercenários, ?, Funcken e Duval, Zorro #171
  • Um capitão chamado Inácio, ?, Funcken e Duval, Zorro #177
  • Longin, um verdadeiro centurião (?),  Paape e Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #391
  • Um regresso agitado (?), Hulet e Duval, Tintin #52/10º ano
  • A louca aventura da subida em balão (?), Cheneval e Duval, Pisca-Pisca #13
  • A primeira corrida dos barcos a vapor (?), Vance e Duval, Pisca-Pisca #14
  • O homem que cortou um continente (?) ? e Duval, Tintin #5/1º ano
[actualizado em 20-02-2018]