20 de fevereiro de 2018

Jean Roba - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Argumentista, Desenhador
(Bélgica) Bruxelas, 28 de Julho de 1930 - 14 de Junho de 2006

Jean Roba foi um dos artistas mais populares da revista Spirou, trabalhando para este semanário a partir de final dos anos 50 até meados dos anos 80. Nascido em Schaarbeek perto de BruxelasRoba teve uma educação em várias disciplinas artísticas como artes decorativas e design de moda. Começa a sua carreira fazendo ilustrações publicitárias através do Estúdio Creas, após cumprir o serviço militar em 1951. Trabalha para os estúdios durante seis anos, onde se torna director de arte. Em 1957, inicia trabalho para as revistas das edições Dupuis, incluindo Bonnes Soirées e Spirou. Através da World Press Agency, também desenha dois episódios da série As Mais Belas Histórias do Tio Paulo, com textos de Eddy Paape, utilizando o pseudónimo conjunto Robeddy . A sua primeira BD a solo é o conto Tiou, le Petit Sioux, publicado pela revista Spirou em 1958. No final dos anos 50, Roba trabalha no estúdio de André Franquin, ao lado de Jidéhem. Assiste Franquin e desenha os cenários e personagens secundários para três histórias de Spirou e Fantasio que são publicados no jornal Le Parisien, entre 1958 e 1960. Participa em L'île au boumptéryx, uma história sobre aves poedeiras de ovos de bombas, juntamente com Franquin, Jidéhem e Denis Marcel. Em 1959, juntamente com Maurice Rosy, Roba cria um conto sobre um menino e o seu Cocker Spaniel para a secção de mini-livros da revista SpirouBoule et Bill contre les mini-requins. No ano seguinte,  desenvolve esta história numa tira humorística inspirada nos Peanuts de Charles Schulz , que se torna a sua marca registada no mundo da BD: Boule e Bill. A tira da família simpática aparece nas páginas do Spirou numa base semanal até 1987. Além disso, Roba inicia uma segunda série em 1962, acerca de um grupo de crianças A Turma, inspirado no filme americano filme Our Gang. Baseado numa ideia de Franquin, os primeiros quatro episódios foram escritos por VicqRoba sempre preferiu trabalhar no campo do humor em gags, embora tenha feito uma história em continuação com Boule e Bill, chamada Globe Trotters em 1981. Além da BD para a SpirouRoba desenha gags com a menina Pomme para a Record em 1962 e 1963. Em 1977, desenha Le Jour Sixième para a Spirou no suplemento Trombone Illustré.

Séries publicadas em Portugal;
Boulle & BillSpirou & FantásioTurma (A)

[actualizado em 10-11-2014]

Selecções Tintin [Íbis] - Ensaio de quadriculografia

Datas de publicação:
#1 (? de 1977) a #9 (?)
Dimensões aproximadas: 125x185 mm
Cor: P/B
Periodicidade: Quinzenal
Director: Vitor de Oliveira Faria
Propriedade: Editorial Ibis, Lda

Séries publicadas:

[actualizado a 16-12-2014]

Pantera Negra Minissérie Vol.3/3 > Nas bancas desde 20 de fevereiro

E eis o último volume da minisérie Pantera Negra.

Sinopse deste volume:
NEM MESMO OS DEUSES LUTAM CONTRA O DESTINO.
Há muito tempo – antes de existirem Panteras Negras ou mesmo Wakanda – existiam os Orixás. O panteão de deuses e deusas dos quais se elevou a nação wakandiana tal como a conhecemos atualmente: Thoth, Ptah, Mujaji, Kokou… e Bast, a Deusa Pantera. Mas agora, enquanto o país enfrenta um período de enorme agitação, os deuses estão silenciosos. Para onde foram os deuses de Wakanda? T’Challa pretende encontrá-los e para o conseguir vai comunicar diretamente com os espíritos dos Panteras do passado. No meio de tudo isto, o rei terá de lidar com o perigoso Doutor Faustus, um mestre em manipulação mental e psicológica! O que se esconde na discoteca dos irmãos Fenris, em Nova Iorque? Onde estão Zenzi e Zeke Stane? De que lado estão as Anjos da Meia-Noite? E por fi m, será que a Ororo vai voltar para os braços do seu amado rei T’Challa?


Pantera Negra Minissérie #3, Black Panther (2016) #13-18 - por Ta-Nehisi Coates, Chris Sprouse, Wilfredo Torres, Adam Gorham, Jacen Burrows, Terry Pallot, Walden Wong, Karl Story, Dexter Vines, Laura Martin e Andrew Crossley, Goody, 128 pp., cor

19 de fevereiro de 2018

Gos - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Roland Goossens
Desenhador, Argumentista
(Bélgica) Thy-Le-Château, 1 de Março de 1937

Em 1964, Gos ingressa nos Estúdios Peyo, participando no argumento de Jacky & Célestin, uma série desenhada por Walthéry. Colabora em inúmeros episódios da série Schtroumpfs. Em finais de 1966, desenha para a revista Spirou a série Babou le petit puma e, no ano seguinte, colabora no argumento de Panade à Champignac, uma aventura de Spirou & Fantásio, desenhada por Franquin. Dois anos mais tarde, uma vez mais com Walthéry, redige o argumento de Cirque Bodoni (um episódio de Benoît Brisefer) e as primeiras aventuras de Natacha.  Em 1970, assume o desenho de Gil Jourdan, continuando Maurice Tillieux a escrever os textos. Em Novembro de 1972, lança a sua própria série, Khéna

Séries publicadas em Portugal:

[actualizado em 10-11-2014]

Editorial Futura - Ensaio de quadriculografia

Estado: Activa
Morada: Rua General Morais Sarmento, 9-C/V-Esq
1500-310 Lisboa
Telefones: (+351) 217155848

A Editorial Futura, foi particularmente activa nas décadas de 70 e 80 do século XX, especialmente na edição de álbuns de banda desenhada.

Séries publicadas:
Agente Secreto X-9Ás de EspadasBrick BradfordBuck Rogers, Buck Ryan, Buddy Longway, Caminho do Oriente (O), Cisco Kid, Conan, Cuto, Decameron, Dick, Dick O Avançado de Centro, Falcão NegroFantasma, Flash Gordon, Frank Cappa, Garth, Homem-Aranha, Jim CutlassJim das SelvasJim del MónacoJohn DifoolJohnny HazardKerry Drake, LineMandrakeManos KellyMarc MathieuMatt MarriottPríncipe ValenteRic HochetRip KirbyRusty Riley, Star Hawks, Tarzan, ThorgalTomahawk TomTorpedo 1936, Tremendo Tobi, Will Shanon

One-shots publicados:
  • Aladino (Aladino), Chiqui de La Fuente e Carlos Cornejo [?]
  • O flautista de Hamelin (?), Chiqui de La Fuente e Carlos Cornejo [?]
  • Ali-Babá e os 40 ladrões (?), Chiqui de La Fuente e Carlos Cornejo [?]
  • O alfaiatezinho valente (?), Chiqui de La Fuente e Carlos Cornejo [?]
  • O pequeno polegar (?), Chiqui de La Fuente e Carlos Cornejo [?]
  • Robin Hood (Robin Hood), Jesus Blasco [1985]
  • Ubirajara, 1956, José Ruy [1982]
  • Beau Geste, 1952, Fernando Bento [1982]
  • Eurico, o presbítero, 1955, José Garcês [1983]
  • Por mares nunca antes navegados, Baptista Mendes [1983]
  • Com a pena e com a espada - Camões e Afonso de Albuquerque, 1950, Fernando Bento e Adolfo Simões Muller [1983]
  • As aventuras de 4 lusitanos e 1 porca, 1972, José Ruy e Paulo Madeira [1984]
  • A saga do grizzly (La saga du grizzly), 1976, Claude Auclair [1985]
  • Nos mares da China, 1962, Vítor Péon [1985]
  • Aventuras de D. João e Cebolinha, 1956, Artur Correia [1985]
  • A ala dos namorados, 1956, José Manuel Soares e Artur Varatojo [1985]
  • Luz do Oriente, 1981, Augusto Trigo e Jorge Magalhães [1985]
  • Giraldo, o sem-pavor, 1985, José Projecto e Jorge Magalhães [1985]
  • Fátima, 1985, Eduardo Teixeira Coelho [1985]
  • Os violadores do bloqueio e outras histórias (I violatori del blocco+4 historias de racconti di mare), Franco Caprioli [1987]
  • O alegre filibusteiro, Vítor Péon  [1987]
  • O anel da rainha de Sabá, 1953, Fernando Bento [1988]
  • Homens do Oeste, 1980, José Pires [1989]
  • A torre de D. Ramires, 1950, Eduardo Teixeira Coelho [1989]
[actualizado em 17-3-2015]

18 de fevereiro de 2018

Calendário de lançamentos da G. Floy para Fevereiro de 2018


Jean-Claude Fournier - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Argumentista, Desenhador
(França) Paris, 21 de Maio de 1943

Após breves estudos de arte em Paris e aspirações numa carreira em teatro, Fournier é incentivado por Franquin a dedicar-se à BD. Assim, em 1967, ingressa na editora Dupuis e, consequentemente, na revista Spirou. A sua primeira série foi Bizu, uma BD poética baseada num conto de fadas na floresta de Brocéliande.
Passados dois anos, Fournier é convidado a suceder Franquin como o autor da série principal da revista, Spirou e Fantasio. Introduz novos personagens, como o cartel do crime Triângulo, o mágico japonês Itoh Kata e a encantadora polinésia Ororéa. Devido a um desentendimento com o editor, Fournier abandona Spirou e Fantasio em 1981, deixando nove álbuns realizados.
Na década de 1980, Fournier regressa à sua primeira criação, Bizu, realizando dois novos álbuns para a editora Fleurus. Regressa em 1989 à revista Spirou. Junta-se ao argumentista Zidrou para criar uma série humorística sobre uma família de canibais, Les Crannibales, onde trabalha até 2005, publicando oito álbuns.
Entre 1972 e 1986, Fournier exerce, em paralelo, ilustrações e cartoons para o jornal Ouest-France. Realiza trabalhos comerciais para a Citroën, Phenix Maisons e Nestlé. É regularmente convidado a dar workshops em escolas e é co-fundador do Quai des Bulles, o grande festival de BD em Saint-Malo, organizado pela primeira vez em 1992.

Séries publicadas em Portugal:
Spirou & Fantásio

[actualizado em 1-11-2014]