15 de outubro de 2018

Ferdinando Tacconi - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhador, Argumentista
(Itália) Milão, 27 de Dezembro de 1922 - 12 de Maio de 2006

Ferdinando Tacconi forma-se em Artes Aplicadas no Castelo Sforzesco e inicia a sua carreira artística após a Segunda Guerra Mundial, começando com trabalhos de ilustração para as revistas femininas Mondadori das Confidenze de Liala e Grazzia. As suas primeiras BD’s são publicadas pelo editor Pascal Giurleo, como Il Pirata Morgan, Pilota Jack, Diabo Miss e Sciuscià. Ingressa na editora Torelli, onde cria em 1951 Nat del Santa Cruz com Dalmasso, seguido por El Bravo com Bignotti.
Em meados dos anos 50, começa a produzir ilustrações para o mercado britânico através dos estúdios de Roy d'Ami. O seu primeiro trabalho no mercado britânico foi Jet Morgan, baseado num famoso programa de rádio. Também desenha Jeff Hawke para a Junior ExpressRiders of the Range in Eagle e várias obras para a Fleetway, incluindo contributos para a Comet, Top Spot, Buster, War Picture Library, Air Ace Picture Library, Battle Picture Library, Thriller Picture Library e Fleetway Super Library, além de produzir capas para títulos de romance.
De volta à Itália no final dos anos 60, começa a trabalhar para o Il Corriere dei Piccoli e para a editora Barbieri. Para esta última, cria a sexy Isabella. Em 1973, cria a sua melhor série juntamente com Alfredo Castelli, Os Aristocratas, para o Il Corriere dei Ragazzi. A série, baseada no filme Sette Uomini d'Oro, aparece no Corriere até 1976, e depois publicado na revista alemã Zack até 1982. Além disso, Tacconi contribui para as coleções Larousse na L'Histoire de France e L'Histoire du Far West, e ilustra o álbum da BonelliUn Uomo un'Avventura com textos de Gino d'Antonio. Também com d'AntonioTacconi faz várias histórias sobre a Segunda Guerra Mundial em Il Giornalino.

Séries publicadas em Portugal:
Aristocratas (Os)

[actualizado em 22-1-2015]

14 de outubro de 2018

Jean Tabary - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhador, Argumentista
(Suécia) Estocolmo, 5 de Março de 1940 - (França) Pont-l'Abbé-d'Arnoult, 18 de Agosto de 2011

Sueco, filho de um violinista, o seu primeiro emprego é de estucador de esculturas de tecto. Em 1956, começa a colaborar com a revista Vaillant (mais tarde, Pif) com a série Richard et Charlie, que funciona como série semanal de aventuras até 1962. Contudo, é a criação de Totoche que se destaca na produção de Tabary na Vaillant. Além de Totoche e Corinne et Jeannot, Tabary também produz Grabadu et Gabaliouchtou para a Vaillant (1958). Aparecendo como gags ou páginas de jogos, a série durou quatro anos, reaparecendo na revista Fluide Glacial, em 1977. Em 1962, Tabary inicia a sua colaboração com René Goscinny. O seu primeiro trabalho foram as aventuras de Haroun el-Poussah para a revista Record. Contudo, é o a fome de poder do Grão-Vizir Iznogoud que o torna no personagem principal da série. Quando cessa a publicação, as aventuras de Iznogoud são publicadas na revista Pilote (1968-1977) e no Pif Gadget (1986-1992). Em 1962, Tabary e Goscinny criam a sua segunda série para a Pilote, o poético Valentin O Vagabundo. Parte dos episódios são escritos por Fred e Tabary é assistido pelo seu irmão Pierre. As aventuras finais do personagem aparecem no Lucky Luke Mensuel entre 1974 e 1976, mas foi revivido por Tabary na revista Corinne et Jeannot em 1999. Entre 1966 e 1968, Tabary é argumentista em Buck Gallo, uma série desenhada para a Pilote por Mic Delinx. Após a morte de Goscinny, em 1977, Tabary continua Iznogoud com os seus próprios argumentos. Juntamente com o jornalista Francis Slomka, funda a sua própria editora, Éditions BD'Star, mais tarde, Éditions Séguinière e, finalmente, Éditions Tabary. Após sofrer um derrame em 2004, Tabary desiste de desenhar. 

Séries publicadas em Portugal:

[actualizado em 29-12-2014]

13 de outubro de 2018

René Sterne - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Argumentista, Desenhador
(Bélgica) 25 de Agosto de 1952 - 15 de Novembro de 2006

René Sterne estuda História, Francês e Filosofia. Cansado dos estudos, faz algumas viagens com a esposa, a desenhadora Chantal de Spiegeleer. Após o regresso, começa a trabalhar em BD. Cria Adler, série sobre um piloto desertor da Luftwaffe Helen, uma aventureira irlandesa.

Além de seu trabalho na BD, é bastante activo como artista de publicidade. Desde 1992, vive nas ilhas Grenadine no Caribe, onde falece em 2006. O seu projeto final foi trabalhar com Jean Van Hamme num novo episódio de Blake & Mortimer, que ficou inacabado, tendo sido terminado pela sua esposa.

Séries publicadas em Portugal:
AdlerBlake & Mortimer

[actualizado em 18-12-2014]

12 de outubro de 2018

Ataque dos Titãs #1

Ataque dos Titãs ((Shingeki no Kyojin), um dos mangas com maior sucesso mundial é a mais recente aposta editorial da JBC Portugal

Sinopse da editora:
Centenas de anos atrás criaturas assustadoras com semblante humanoide apareceram. Chamados de “titãs”, os seres gigantes têm um apetite insaciável que os faz atacar todo e qualquer ser humano que aparece à sua frente e eles acabaram por se tornar numa ameaça para a existência da humanidade.

Sem armas para se livrar dos temidos titãs, parte dos humanos une-se e constrói uma fortaleza com altas muralhas para se proteger dos males do mundo exterior e, assim, se manterem a salvo dos devoradores de pessoas.

Nos dias actuais, a vida do lado de dentro dos muros parece ter encontrado a paz, prosperando em diversas vilas que aprenderam a lidar com a antiga ameaça há muitas gerações. Eren Yeager, Mikasa Ackerman e Armin Arlert são três crianças com sonhos e esperanças de explorar o mundo, já que cresceram imaginando as maravilhas que existem além das grandes muralhas.

O que eles não esperavam é que esse estado de tranquilidade pudesse desfazer-se com o surgimento de um titã nunca antes visto. Com os seus 60 metros de altura, ele destrói a principal defesa dos humanos trazendo o caos e a morte e roubando futuros. Este dia torna-se num momento inesquecível para Eren, que promete a si mesmo que fará o necessário para destruir todos os titãs da face da Terra.

A edição portuguesa de Ataque dos Titãs traz ainda um bónus ultra-especial: uma entrevista nunca antes publicada em português, com Hajime Isayama, autor do manga. São três páginas em que responde às perguntas dos fãs japoneses. Além disso, tem também um desenho feito por ele em que mostra o ambiente de trabalho em que Ataque dos Titãs foi criado. Isayama Sensei conta como começou a desenhar ainda criança e revela de onde retira ideias para a história, qual sua personagem favorita, de onde tirou o modelo para o corpo dos Titãs e que, depois de Ataque dos Titãs, pretende desenhar uma história que está pensando desde os tempos do Liceu.

Hajime Isayama nasceu a 29 de Agosto de 1986 em Hita, província de Oita, Japão. Isayama terminou os estudos do colégio na sua cidade e matriculou-se no Departamento de Artes de Kyushu Designer Gakuin, para o núcleo de desenho manga.
Em 2006, a sua obra Attack on Titan recebeu o prémio “Magazine Grand Prix”, promovido pela Editora Kodansha. Três anos depois a obra premiada passou a ser publicada pela Kodansha tornando-se num sucesso mundial.
Entre outros trabalhos de Isayama estão obras como o premiado “Heart Break One” (vencedor do Weekly Shōnen Magazine Freshman Manga Award), “orz” e “The Killing Pawn”.

Ataque dos Titãs #1, Hajime Isayama, JBC Portugal, 200 pp., p&b, capa flexível, 9,99€

Tokyo Ghoul #13

O 13º volume da série de manga Tokyo Ghoul de Sui Ishida está nas livrarias.

Neste volume, os investigadores do Bairro 20 tentam derrubar o ghoul Coruja de um Só Olho, com ligações a Akira e Yoshimura. A rusga ao café Anteiku, onde se pensa que o Coruja esteja escondido resulta numa batalha sem precedentes para ambas as partes.

Tokyo Ghoul #13, Sui Ishida, Devir, 220 pp., p&b, capa flexível, 9,99€

Sirius - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Max Mayeu
Argumentista, Desenhador
(Bélgica) 26 de Setembro de 1911 - (Espanha) Jávea 1 de Maio de 1997

Ainda antes de concluír a licenciatura em Direito, publica os seus primeiros desenhos em revistas estudantis, no Libre Belgique e na La Dernière Heure. Em 1938, cria para Le Patriote illustréBouldaldar et Colégram, que, posteriormente, é rebaptizado por Polochon noutras publicações (Bravo, La Libre Junior, Pistolin, Spirou e Bonnes Soirées). Em 1942, surge L'Épervier bleu nas páginas da revista Spirou, interrompida em 1953 por motivos de censura. Dois anos depois, cria Caramel et Romulus publicada no L’Espiègle au grand cœur, um suplemento da Spirou. Em 1946, desenha Godefroid de Bouillon, uma banda desenhada histórica. Em 1953, com Xavier Snoeck inicia a grande saga de Timour (34 álbuns), que conta as aventuras de uma família ao longo da história da humanidade. Na Pilote, em 1972, com Gérald Forton, cria uma série destinada a um público mais adulto, as aventuras humorísticas e fantásticas de PembertonSirius continua sozinho a série entre 1974 e 1980, após Forton ter emigrado para os Estados Unidos. Em 1977, após a criação do suplemento Le Trombone Illustré, parodia a série de um certo Penthergast. Por razões de saúde, abandona a BD e vive os últimos anos na Costa Blanca, no sul de Espanha.

Séries publicadas em Portugal:
Timour

One-shots publicados em Portugal:

  • A ilha das pérolas (L'île aux perles), 1949, Álbum do Cavaleiro Andante #91[1]
[1] episódio da série L'Epervier Bleu


[actualizado em 24-9-2018]