23 de agosto de 2017

Colecção Valérian #5: Os heróis do equinócio/Metro de Châtelet - Direcção Cassiopeia

A partir de hoje está disponível nas bancas o quinto volume da colecção Valérian, uma edição do jornal Público e da editora ASA. Neste volume são editados o oitavo e nono episódios da série.

"Os heróis do equinócio" ("Les héros de l'équinoxe") estreou-se na revista Pilote em 1978 e foi publicado nos números 47 a 50. Em Portugal, o episódio foi editado em álbum pela Meribérica em 1983 e, em continuação, na revista Jornal da BD (#25 a #32).

Sinopse: de cem em cem equinócios, no planeta Simlane, vários heróis partem para Filène, a ilha das crianças, onde se submetem a um conjunto de provas que determinarão quem será o pai da próxima geração. Não houve vencedores nos últimos equinócios e o planeta está a envelhecer. Em desespero de causa são chamados heróis estrangeiros, e Valérian, enviado da Terra, parece não ter o arcaboiço necessário…

"Metro de Châtelet - Direcção Cassiopeia" ("Métro Châtelet, Direction Cassiopée"), nono episódio da série, foi publicado originalmente na revista Pilote em 1980 entre os números 70 e 73. Por cá, a edição em álbum foi em 1983 pela Meribérica e, em continuação, pelo Jornal da BD (#113 a #120) e pelo suplemento do jornal Diário Popular, Flecha 2000 (#19 a #27).

Neste episódio, enquanto Laureline está a fazer pesquisas na constelação de Cassiopeia, Valérian passeia-se pela nossa época na companhia do fleumático senhor Albert, agente permanente de Galaxity na Paris do século XX. Este informa-o de que estranhos acontecimentos têm vindo a ocorrer no metro de Paris, onde uma composição acaba de descarrilar na estação de Châtelet. Dirigindo-se para o local, Valérian é atacado por um perigoso monstro…

Colecção Valérian #5: Os heróis do equinócio/Metro de Châtelet - Direcção Cassiopeia, Pierre Christie e Jean-Claude Mézières, Público/ASA, 96 pp., cor, capa mole, 8,90€

22 de agosto de 2017

Novas revistas da Disney

Após o encerramento da revista Comix, a Goody prepara-se para regressar ao universo da Disney com o lançamento de três títulos (Tio Patinhas, Donald e Mickey). As revistas serão editadas de três em três semanas e terão 128 páginas ao preço 1,90€. As datas de edição dos primeiros números são as seguintes: 

Tio Patinhas a 22 de Agosto
Donald a  29 de Agosto
Mickey a 5 de Setembro





Capitão Caraíba - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Aventura
(Bélgica) Spirou #1864, 1974-1977
Jean-Pierre Rogé (argumento e desenho)

Estreia em Portugal: Mundo de Aventuras (2ª fase) #201, 4 de Agosto de 1977


Quadriculografia portuguesa:
  • [-] (L’ombre de l’urubu), Mundo de Aventuras (2ª fase) #201
[actualizado a 2-3-2015]

21 de agosto de 2017

As Religiões da Bíblia - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Histórico
(França) Éditions Dargaud, 1984-1985 
Claude Moliterni (argumento) e Jaime Brocal-Remohi (desenho)
Estreia em Portugal: Álbum Edições ASA, 1992


A história da Bíblia em banda desenhada.

Quadriculografia portuguesa:
  • Dos patriarcas ao êxodo (Le peuple juif - les patriarches), 1984, Álbum Edições ASA [1992]
  • O primeiro templo (Le peuple juif – le premier temple), 1984, Álbum Edições ASA [1992]
[actualizado a 6-3-2015]



Jean Giraud - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Argumentista, Desenhador
(França) Nogent-sur-Marne, 8 de Maio de 1938 - Paris, 10 de Março de 2012

Com o seu nome próprio, é o autor da série western Blueberry e sob o pseudónimo de Moebius é um dos artistas mais inovadores do século vinte. Depois de ter seguido estudos de arte desde a mais tenra idade, frequentando a Escola de Artes Aplicadas de Paris, Giraud iniciou-se, em meados dos cinquenta, na BD nos periódicos Far-West, Sitting-Bull, Fripounet et Marisette, Ames Vaillantes e Vaillants Coeurs.

Faz o serviço militar na Argélia, onde colabora na revista do exército 5 / 5 Forces Françaises. No regresso à vida civil, aprende a arte da profissão com Jijé, ajudando-o no episódio de Jerry SpringLa route de Coronado, para a revista Spirou. Para a empresa de publicidade de Benoît Gillain, filho de JijéGiraud contribui com as séries Bonux-Boy e Total Journal. Paralelamente, trabalha nos anos de 1961 e 1962 com Jean-Claude Mézières na coleção L'Histoire des Civilizacions da editora Hachette.

Quando Jean-Michel Charlier oferece a Jijé o argumento para uma nova série de western, este propõe Giraud e nasce então a série Blueberry. O primeiro episódio, Fort Navajo, estreia-se na revista Pilote em 1963. Blueberry logo se torna numa das melhores séries realistas de western. A série tem, ao longo dos anos, vários spin-offs, como A juventude de Blueberry e Marshall Blueberry. Contudo, Giraud não colabora nestes spin-offs, mas contudo a partir de 1991, assume o argumento de Marshall Blueberry (os desenhos são de William Vance e, mais tarde, de Michel Rouge). Desde o final dos anos sessenta, Giraud havia começado a criação de uma obra, mais experimental, sob o pseudónimo de Moebius. Com o seu nome, continua a trabalhar em Blueberry e os seus spin-offs, e cria um novo personagem com Jean-Michel Charlier para uma edição especial de 1976 da revista PiloteJim Cutlass. Para ser a princípio um one-shot, a série foi recuperada em 1987 por Christian Rossi e continuou na revista Á Suivre com argumentos de Giraud até 1990. Após um desentendimento com a editora DargaudGiraud continua Blueberry em revistas como Super-Como Métal Hurlant.

Moebius aparece pela primeira vez em 1963 numa série de contos publicados na revista Hara-Kiri. Nos anos posteriores, Moebius torna-se mundialmente famoso em trabalhos de ficção científica e arte erótica. Associa-se ao argumentista Alejandro Jodorowsky, com o sem palavras heroic-fantasy Arzach, além de numerosas obras para a Métal Hurlant. A partir de 1969, Moebius faz uma série de ilustrações para a revista Opta, marcando o início das explorações de Giraud fora do mainstream. Nos anos seguintes, Moebius aparece em L'echo des Savanes com Cauchemar Blanc, nas Éditions du Fromage com Le Fou Bandard e na revista Pilote com L'Homme est-il Bon?. Em 1975, Moebius, juntamente com Jean-Pierre DionnetPhilippe Druillet e Bernard Farkas, co-funda Associés Les Humanoïdes e lança Métal Hurlant, a influente revista francesa de BD da década de 1970. Para a Métal HurlantMoebius / Gir produz obras como A Garagem Hermética, The Long Tomorrow, Dupla Evasão e Citadela Cega. Com Alejandro Jodorowsky cria, em 1980, o detective futurista John Difool.

A partir de 1983, Moebius rentabiliza em merchandising as suas produções. Co-funda a empresa Aedena e estabelece-se em Los Angeles. Durante a sua estadia nos EUA, vê as suas obras mais importantes serem publicadas pela Marvel. Paralelamente, ilustra um episódio de Surfista Prateado de Stan Lee, e colabora com o argumentista Jean-Marc Lofficier em The Elsewhere Prince e The Onyx Overlord, respectivamente, desenhados por Eric Shanower e Jerry Bingham. Sob a etiqueta Aedena, produz o portfolio La Cité-Feu com Geoff Darrow  e escreve A Noite da Estrela para Marc Bati. Também com Bati, realiza Majeur Cristal para a editora Dargaud, uma série que foi mais tarde renomeada para Altor.

Em 1989, regressa à Europa, onde começa uma colaboração com a revista À Suivre. Além dos argumentos para a série Jim Cutlass com o seu próprio nome, começa o ciclo O Mundo d'Edena, uma série que tem origem em Sur l'Étoile, uma história publicitária em BD para a marca Citroen. Em 1992, volta a trabalhar com Jodorowsky em Le Coeur Couronne, uma novela gráfica para os Les Humanoïdes Associés.

Em 1994, começa uma nova versão do clássico Little Nemo de Winsor McCay, agora desenhada por Bruno Marchand. Desenha O Homem de Ciguri, a aguardada sequela de A Garagem Hermética. De seguida, participa em projectos colectivos e escreve Ikaru para Jiro Taniguchi, cuja história é publicada numa revista japonesa. A dupla Moebius/Jodorowsky cria em 1995 um novo ciclo chamado Après l'Incal, publicado pela Les Humanoïdes a partir de 2000.

Além de suas grandes histórias em BD e ilustração, Moebius também colabora na 7ª arte, com argumentos, entre outros, para a Disney no filme Tron, e em 1985, é o autor dos argumentos, cenários e figurinos para o filme Little Nemo. Na década de noventa, trabalha em projectos de filmes como Starwatcher e faz uma adaptação do filme Le Garage Hermetique, que permanece inédito devido a problemas financeiros.

Séries publicadas em Portugal:
Altor, BlueberryBlueberry (A Juventude de), Blueberry (Marshall), Jim Cutlass, John Difool, Little Nemo, Mundo de Edena (O), Surfista Prateado

One-shots publicados em Portugal:
  • Arzach (Arzach), 1976, Moebius, Jornal da BD #137 a #140; Álbum ASA [2003]
  • The long tomorrow (The long tomorrow), 1976, Moebius e O'Bannon, O Mosquito (5ª série) #3 a #4; Álbum Correio da Manhã [2004] 
  • Ktulu (Ktulu), 1978, Moebius, O Mosquito (5ª série) #10
  • Escala em Pharagonescia (Escale sur Pharagonescia), 1980, Moebius, Álbum Meribérica [1991]
  • Dupla evasão (Double évasion), 1980, Moebius, O Mosquito (5ª série) #11
  • A noite da estrela (La nuit de l'étoile), 1984, Moebius e Bati, O Mosquito (5ª série) #7 a #10
  • Sobre a estrela, um cruzeiro Citroen (Sur l'étoile, une croisière Citroën), 1984, Moebius, Jornal da BD #121 a #128
  • O triunfo dos porcos (La ferme de animaux), 1985, Bati e Giraud, Selecções BD (1ª série) #26 a #28
  • Cidadela cega (La citadelle aveugle), 1989, Moebius, Álbum Meribérica [1993]; O Mosquito (5ª série) #11; Álbum Correio da Manhã [2004]
  • Major Fatal - O homem de ciguri (L'homme de ciguri), 1995, Moebius, Álbum Meribérica [1996]
  • Garagem Hermética - 2 volumes, Álbuns Meribérica [1990]
  • Balada (?), ?, Moebius, Jornal da BD #143 a #144
  • A louca do Sacré-Coeur (La folle du Sacré-Coeur), Moebius e Jodorowsky, 2004, Álbum Público/Edições ASA [2015]*
* Colecção Novela Gráfica
[actualizado em 10-3-2015]

20 de agosto de 2017

Sobre os Traços do Drácula - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Sur les traces de Drácula
Histórico
(Bélgica) Éditions Casterman, 2006-2006
Yves H. (argumento) e Hermann (desenho)
Outros autores: Dany
Estreia em Portugal: Álbum Vitamina BD, 2006


A epopeia  sangrenta de Vlad Dracula, dito o Empalador, príncipe da Valáquia no final da Idade Média.


Quadriculografia portuguesa:
  • Vlad, o empalador (Vlad, l’empaleur), Hermann e Yves H., 2006, Álbum Vitamina BD [2006]
  • Transilvânia (Transylvania), Dany e Yves H., 2006, Álbum Vitamina BD [2007]
[actualizado a 7-3-2015]

André-Paul Duchateau - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Argumentista
(Bélgica) Tournai, 8 de Maio de 1925

André-Paul Duchâteau é um dos melhores argumentistas da BD franco-belga. Após uma actividade de romancista, André-Paul Duchâteau escreve em 1948 os seus primeiros argumentos para BD para revistas como a Bravo, a Mickey e a Spirou, trabalhando no estúdio de Tenas Rali. Em 1951, começa a trabalhar com Tibet nas revistas Tintin Volkske Ons, iniciando as famosas séries Ric Hochet e Chick Bill. Na década de sessenta, Duchâteau intensifica as suas actividades, escrevendo argumentos para Mittéï (Os 3A), Aidans (Bob Binn), Parras (Comissaire Marin) e Eddy Paape (Les Jeux de Toah). Na colaboração com Christian Denayer produz a série YalekAlain Chevalier e Les Casseurs (Al & Brock). Na década de setenta, sucede a Jean Van Hamme como o argumentista de Mr. Magellan (desenhos de Géri), escreve para Paape (Luc Orient e Yorik das Tempestades), Cosey (Monfreid et Tilbury), MiTacq (Derval Stany), Follet (Valhardi) e Pleyers (Tiger Joe). Na década de oitenta, lança novas séries com Grzegorz Rosinski (a saga de ficção científica Hans), Patrice Sanahujas (Serge Morand Chancellor), Vance (Bruce J. Hawker) e Xavier Musquera (Peggy Press). No final dos anos oitenta, torna-se editor literário da editora Lombard. Em 1989, é responsável pela colecção Detetives BD da editora Lefrancq, onde escreve várias adaptações para BD de romances policiais. Na década de noventa, continua a fazer adaptações para BD de escritores como Mik Fondal (Les Galapiats de la Rue Haute com Didier Desmit) e John Flanders (Edmund Bell com Raoul Giordan). Inicia novas séries, como Wilt, com Yves UrbainDetective Carol com Eddy Paape e Les Romantiques com Eric Lenaerts (2001 a 2003). 

Quadriculografia portuguesa


One-shots:

  • Vidocq, o galeriano detective (Vidocq le galérien detective), 1960, Fernan e Duchateau, Cavaleiro Andante #502
  • Um rei bárbaro (Un roi barbare), 1978, Franz e Duchateau, Mundo de Aventuras Especial #32
  • Missão em 2012 (Mission en 2012), 1978, Paape e Duchateau, Selecções do Mundo de Aventuras #232 
[actualizado 31-10-2014]

19 de agosto de 2017

Christian Vanel - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Aventura
(França) Spirou #1499, 1967-1968
Dan Daubenay (argumento e desenho)
Estreia em Portugal: Mundo de Aventuras (2ª fase) #100, 28 de Agosto de 1975


O tenente Christian Vanel é o comandante do Albatros que navega nos mares do Sul sobre a protecção do rei Luís XV. Esta efémera série, com apenas dois episódios, conta-nos as aventuras de Vanel e da sua tripulação, visitando locais inóspitos com populações hostis.
A série, concebida pelo espanhol José Larraz sob o pseudónimo de Dan Daubeney, encontra-se integralmente publicada em Portugal.


Quadriculografia portuguesa:
  • O templo sagrado (Le temple de Kanamas), 1967, Mundo de Aventuras (2ª fase) #100 a #103
  • A ilha dos homens sem alma (La vallée des hommes sans âme), 1968, Mundo de Aventuras (2ª fase) #117
[actualizado a 7-3-2015]

18 de agosto de 2017

Clin d'oeil - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Humorístico
(França) Tintin, 1975-1985
Serge Ernst (argumento e desenho)
Estreia em Portugal: Tintin #35/10º ano, 14 de Janeiro de 1978
Outras publicações: Tintin Especial Anual, Álbum Edinter


Qudriculografia portuguesa:
  • [gag], Tintin #35, #45, #47, #50, #51 e #52/10º ano; #6, #14, #20 e #30/11º ano; #34, #37, #40, #43, #48 e #49/12º ano; #30, #32, #39 e #43/14º ano; #1/15º ano
  • [gag], Tintin Especial Anual de 1978
  • Olho Vivo 1 (Clin d'Oeil), 1981, Álbum Edinter [1985]
  • Olho Vivo 2 (Deuxiéme Clin d'Oeil), 1982, Álbum Edinter [1985]
[actualizado a 11-3-2015]

Os Vingadores - Volume 2

Já se encontra nas bancas o segundo volume de Os Vingadores, numa edição da Goody.

Sinopse da editora:
As boas-vindas foram dadas ao Nova, à Ms. Marvel e ao Miles “Homem-Ranha” Morales! Mas enquanto o Warbringer fez jus ao nome e acabou por ser vencido, a equipa reunida teve dificuldades em manter a coesão. Será que conseguem pôr as diferenças de parte? A não perder o beijo mais poderoso de sempre e a revelação de quem puxa os cordelinhos nos Vingadores. Ainda: o Esquadrão de Unidade, ou os Vingadores-X (Deadpool incluído), tentam, a todo o custo, derrotar o autointitulado “Homem Dilacerado”.

Os Vingadores - Volume 2, Mark Waid, Mahmud Asrar, Gerry Duggan e Ryan Stegman, Goody, 128 pp., capa mole, cor, 7,90€

Colecção Novela Gráfica (3ª série): Vapor

Chega hoje às bancas o oitavo volume da coleção Novelas Gráficas 2017. “Vapor”, de Francesc Capdevila Gisbert, mais conhecido como Max, foi a obra escolhida. 

Max é considerado um expoente da banda desenhada espanhola underground. Tem como galardões o Prémio Nacional do Comic Espanhol(2007) e três prémios Ficomic para o Melhor Álbum Espanhol. 

Actualmente, é colaborador do jornal El País e um dos seus últimos trabalhos foi um álbum para o Museu do Prado, comemorando os quinhentos anos da morte de Hieronymus Bosch.

Eis a súmula de "Vapor":
Nicodemo, aturdido pela estupidez do mundo e pela banalidade do grande circo em que tudo se converteu, retira-se para o deserto qual moderno anacoreta em busca da tranquilidade necessária para se reencontrar. Mas, nem no mais remoto recanto do deserto se livrará das distracções do mundo contemporâneo.

Seco e intratável, são adjectivos que o próprio Max utilizou para referir-se tanto ao estilo do desenho de Vapor como ao carácter do seu protagonista.

Colecção Novela Gráfica (3ª série): Vapor, Max, Levoir, 120 pp., p&b, capa dura, 9,90€

17 de agosto de 2017

Sambre - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Histórico
(França) Circus #86, Junho de 1985
Yann (argumento) e Bernard Yslaire (desenho)
Estreia em Portugal: Álbum Baleia Azul, Setembro de 1999
Outras publicações: Álbum Witloof


Estamos no início do século XIX. Bernard Sambre, um aristocrata falido, apaixona-se por Julie. Perseguida e ameaçada de morte pelo ódio de Sarah, irmã de Bernard, Julie foge para Paris. Bernard vai ao seu encontro. É na capital, que se apresta a viver a Revolução de 1848, que o casal a espera um amor impossível.

Quadriculografia portuguesa:
  • Olhos de sangue (Plus ne m’est rien…), 1986, Álbum Baleia Azul [1985]
  • Eu sei que tu virás (Je sais que tu viendras…), 1990, Álbum Witloof [2003]
  • Revolução, revolução (Révolution, révolution…), 1990, Álbum Witloof [2003]
  • Teremos que morrer juntos (Faut-il que nous mourions ensemble…), 1996, Álbum Witloof [2003]
[actualizado a 10-3-2015]

16 de agosto de 2017

Valérian #4: O Embaixador das sombras / Em Terras fictícias

Já se encontra disponível nas bancas, juntamente com o jornal Público, o quarto volume da colecção Valérian que junta os episódios "O embaixador das sombras" e "Em terras fictícias".

"O embaixador das sombras" ("L’ambassadeur des ombres") data de 1975 e foi publicado originalmente em continuação na revista francesa Pilote (#14 a #17). Em Portugal, foi editado em álbum em 1982 pela Meribérica e, em continuação, em 1983, na revista Jornal da BD (#41 a #48).

Nesta sexta aventura, Valérian e Laureline são incumbidos de escoltar o Embaixador da Terra até Ponto Central, uma estação espacial que reúne todas as civilizações do universo. A sua missão: tomar posse daquele formidável planeta artificial. Logo à sua chegada, porém, o Embaixador é raptado juntamente com Valérian. E Laureline, para os encontrar, tem de embrenhar-se sozinha pelo intrincado labirinto que constitui Ponto Central.

"Em Terras fíctícias" ("Sur les Terres truquées"), sétimo episódio da série, estreou-se na revista Pilote, em 1976, entre os números 31 a 34. "Nas terras programadas" foi o título escolhido para as primeiras edições portuguesas, tanto em álbum, pela Meribérica em 1982, como no Jornal da BD, em 1983 (#49 a #56).

Neste episódio, Valérian e Laureline são incumbidos de descobrir quem será o indivíduo que se infiltrou nos arquivos de Galaxity e se dedica a recriar épocas passadas da História da Terra. Segue-se um vertiginoso turbilhão de viagens pelo espaço e pelo tempo, em que Valérian – ou melhor, clones seus, já que ele é replicado centenas de vezes ao longo desta missão – se vê a braços com as mais estranhas situações em mundos que são artificiais.

Valérian #4: O Embaixador das sombras / Em Terras fictícias, Jean-Claude Mézières e Pierre Christin, Público/ASA, 96 pp., cor, capa mole, 8,90€ com o jornal Público

Phil Perfect - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Aventura
(França) Métal Hurlant, 1981-1986
Serge Clerc (argumento e desenho)
Outros autores:  Francis Gorin
Estreia em Portugal: Jornal da BD #118, 6 de Novembro de 1984


Phil Perfect é um jornalista especializado em música rock que se converte em detective privado. Juntamente com o seu companheiro Sam Bronx, consumidor de bebidas fortes, vai resolvendo casos intrigantes no mundo do espetáculo musical.

Serge Clerc é o criador desta série pós-modernista, sendo acompanhado por diversos argumentistas, como José-Louis Bocquet, François Gorin e François Landon.

Quadriculografia portuguesa:
  • Ninho de espiões em Alpha Plage (Ni d'espions à Alpha-plage), 1982, Clerc, Jornal da BD #118 a #120
  • Um assunto de vida ou de morte (Une question de vie ou de mort), 1983, Clerc, Jornal da BD #128
  • A lenda do rock’n roll, Clerc, Jornal da BD #138
  • Erro (quase) fatal, Clerc, Jornal da BD #151
  • A lenda do rock’n rol – Pânico punk, Clerc, Jornal da BD #154
  • Hits Ville USA, Clerc e Gorin, Jornal da BD #158
[actualizado a 10-3-2015]

15 de agosto de 2017

Homem-Aranha Vol. 2 - Global

A Goody lançou nas bancas portuguesas o  segundo volume da colecção Homem-Aranha. Este número inclui os episódios "Global" e "A Cave".

Sinopse da editora:
As indústrias Parker têm mais sucesso do que nunca, com novos escritórios em Xangai, Londres e São Francisco. Peter Parker está constantemente a viajar pelo mundo, com o seu “guarda-costas”, o espetacular Homem-Aranha, sempre a reboque. Mas o sucesso traz inimigos, como o grupo astrológico Zodíaco que alargou o seu horizonte para ameaçar a Terra inteira. Além disso, em África, alguém ameaça a paz de uma aldeia, sob máscaras da família do Duende. Cabe ao aranhiço investigar o que se passa e salvar a população, incluindo a tia May.

Colecção Marvel Homem-Aranha Vol. 2 - Global, Dan Slott e Christos Gage (#5), Goody, 128 pp., cor, 7,90€

Lili, Hospedeira do ar - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Liliane hotêsse de l’air
Aventura
(França) Mireille, 1954-1958
Marijac (argumento) e Christian Mathelot (desenho)
Estreia em Portugal: Cavaleiro Andante Nº Especial, Abril de 1955
Outras publicações: Cavaleiro Andante


Lili é uma bela e simpática jovem, hospedeira de aviões de longo curso. Indonésia, América do Sul, África são destinos para onde Lili viaja, juntamente com os seus amigos pilotos, Marc e Jacques. Entretanto, Lili enfrenta situações perigosas que tem de resolver com coragem e inteligência. A série tem como público central o leitor feminino.

Quadriculografia portuguesa:
  • Três num avião [1º episódio], 1954, Nº especial do Cavaleiro Andante de Abril de 1955
  • [-], 1954, Cavaleiro Andante #495 a #510
[actualizado a 10-3-2015]

14 de agosto de 2017

Os Guerrilheiros - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Los Guerilleros
Western
(Bélgica) Spirou, 1968-1970
Miguel Cusso (argumento) e Jesus Blasco (desenho)
Outros autores: José Larraz
Estreia em Portugal: Jaguar #1, 15 de Outubro de 1971
Outras publicações: Mundo de Aventuras (2ª fase), Grilo (Portugal Press), Selecções do Mundo de Aventuras


Os Guerrilheiros são constituídos pelo branco Ray, o índio Yuma e o mexicano Pedro de Guzman.

Quadriculografia portuguesa:
  • Os Guerrilheiros (Los Guerilleros), 1968, Jaguar #1
  • A sombra do antepassado (L'ombre de l'ancetre), 1970, Blasco, Cusso e Larraz, Mundo de Aventuras (2ª fase) #58
  • A última façanha de Durango Scott (La dernier exploit de Durango), 1973, Blasco, Cusso e Larraz, Grilo #1 a #15; Selecções do Mundo de Aventuras #205
[actualizado em 10-3-2015]

13 de agosto de 2017

IR$ - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Policial
(França) Éditions Le Lombard, 1999
Bernard Vrancken (argumento) e Stephen Desberg (desenhos)
Estreia em Portugal: Álbum Público/Edições ASA, Abril de 2011


Larry, da Polícia Criminal Fiscal, utiliza todas as tecnologias para poder investigar as grandes fortunas ligadas à criminalidade.

Qudriculografia portuguesa:
  • A via fiscal (La voie fiscale), 1999, Álbum Público/ASA [2011]*
  • A estratégia Hagen (La stratégie Hagen), 2000, Álbum Público/ASA [2011]*
*Álbum duplo [A via fiscal +A estratégia Hagen] [Colecção Os Incontornáveis de BD #6]
[actualizado a 10-2-2015]



12 de agosto de 2017

As Memórias do Capitão Moulin-Rouge - Ensaio de quadriculografia portuguesa


Ficha técnica:
Les mémoires du Capitaine Moulin-Rouge
Humorístico
(França) Éditions Milan, 1987-1989
Pierre-Yves Gabrion (argumento e desenho)
Estreia em Portugal: Álbum Meribérica, 1990
Outras publicações: Selecções BD (1ª série)


Quadriculografia portuguesa:
  • Amazónia (Amazonia), 1987, Álbum Meribérica [1987]; Selecções BD (1ª fase) #23 a #25
[actualizado a 11-3-2015]

Último número da Comix

Infelizmente, a Goody vai descontinuar a revista Comix, lançando o nº 200, o último da colecção.


11 de agosto de 2017

Pellucidar - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Heroic-Fantasy
(EUA) Weird Worlds Comic #1, Agosto/Setembro de 1972
Alan Weiss (desenho) e Len Wein (argumento)
Outros autores: C. Bunker, Mike Kaluta e Denny O'Neil
Estreia em Portugal: Mundo de Aventuras (2ª fase) #90, 19 de Junho de 1975


Baseado na obra de Edgar Rice Burroughs, conta as aventuras de David Innes e do amigo inventor Abner Perry nas entranhas da Terra.


Quadriculografia portuguesa:
  • A arena da morte (The arena of Sudden Death), 1972, Alan Weiss e Len Wein, Mundo de Aventuras (2ª fase)# 90
  • Escravos dos Mahars (Slaves of the Mahars), 1972, Alan Weiss e Len Wein, Mundo de Aventuras (2ª fase)# 90
  • O templo dos condenados (Temple of the Dammed!), 1972, Alan Weiss, C. Bunker e Len Wein, Mundo de Aventuras (2ª fase)# 96
  • Jubal, o feio (Jubal, the ugly one), 1973, Mike Kaluta e Denny O'Neil, Mundo de Aventuras (2ª fase) #96
  • Combate! (Combat!), 1973, Dan Green e Denny O'Neil, Mundo de Aventuras (2ª fase) #96
  • Regresso! (Return!), 1973, 1973, Dan Green e Denny O'Neil, Mundo de Aventuras (2ª fase) #112
  • Armadilha (Trap), 1973, 1973, Dan Green e Denny O'Neil, Mundo de Aventuras (2ª fase) #112
[actualizado a 12-3-2015]

Colecção Novela Gráfica: Dylan Dog

Esta semana a Levoir e o jornal Público apresentam em estreia nacional Dylan Dog, o popular detective do sobrenatural criado pelo Tiziano Sclavi em 1986 para a editora italiana Sergio Bonelli, e que, mais de trinta anos depois da sua estreia se mantém como um verdadeiro fenómeno de culto, que aliou o sucesso do público à aclamação da crítica e mesmo de intelectuais conhecidos como Umberto Eco, que declarou:  “Posso ler a Bíblia, Homero e Dylan Dog dias e dias sem me aborrecer”.

Não, não é exagero de Umberto Eco. Dylan Dog é tão interessante quanto os clássicos, lá encontramos referências não gratuitas à literatura, aos clássicos, à música, que vão desde o pop ao cinema de autor, temos filosofia, crítica social, religião, reflexões acerca da humanidade, uma enorme mistura tratada com muito bom humor, inteligência e um cinismo ácido e mordaz.

Massimo Carnevale e Roberto Recchioni são os autores da obra apresentada esta semana, Dylan Dog: Mater Morbi. Nomes grandes dos fumetti italianos, o argumentista Recchionie o desenhador Massimo Carnevale criaram uma história em que o conhecido detective Dylan Dog, hipocondríaco confesso, enfrenta o seu medo mais profundo: a deterioração do próprio corpo devido a uma doença desconhecida e talvez até incurável. Uma doença que o levará às profundezas de um mundo onírico e aterrorizador, onde encontrará… Mater Morbi!

Prémio de melhor novela gráfica de terror pelos prestigiados The Ghastly Award 2016, Dylan Dog: Mater Morbi é uma reflexão carregada de crueza sobre os efeitos que uma doença grave tem no ser humano, sobre o medo irracional dos hospitais e da perda de saúde, o terror provocado pela aproximação da morte, a atitude com que cada pessoa enfrenta a sua doença e com ela convive.

Dylan Dog: Mater Morbi é um presente para os amantes de comic de terror. Com prefácio de João Miguel Lameiras, capa dura e 120 páginas no formato 170×257 mm é um objecto de culto de aquisição imprescindível para os fanáticos de Dylan Dog. Uma obra para guardar e recordar.

Assassination Classroom #9: Hora do embate

Mais um volume desta série de manga está nas bancas sob a chancela de Devir.

Neste volume, Nagisa arrisca a vida ao tentar derrotar o autor de um ataque biológico.
Depois de assentar o pó, Korosensei tenta iniciar alguns romances de verão entre os alunos do 3º E, mas afinal é Irina que tem alguém debaixo de olho...
De volta à escola, um dos alunos do 3.o E afasta-se da turma... pelas razões erradas.

Como conseguirão os restantes trazê-lo de volta, antes que os atinja de forma irreparável? 

Assassination Classroom #9: Hora do embate, Yusei Matsui, Devir, 192 pp. p&b, capa mole, 9,99€


10 de agosto de 2017

Revista do Clube Tex #6

Recebi a nova revista do Clube Tex, datada de Julho de 2017. A capa deste número foi exclusivamente desenhada por Massimo Rotundo e como ponto forte, a publicação pela primeira vez a cores do episódio de Tex, "Morte no deserto", com argumento de Nizzi e desenhos de Ticci.

Eis o sumário deste número com 56 páginas:


Mickey através dos séculos - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Mickey à travers les siècles
Juvenil
(França) Éditions Hachette, 1970-1993
Pierre Nicolas (desenhos) e Pierre Fallot (argumento)
Estreia em Portugal: Álbum Edinter, Julho de 1982

Aventuras de Mickey, evocando factos da História do Homem.

Quadriculografia portuguesa:
  1. Mickey e os peles vermelhas (Mickey chez les Peaux-Rouges) [1982]
  2. Mickey e Merlin (Mickey et Merlin l'enchanteur) [1982]
  3. Mickey corsário (Mickey corsaire) [1982]
  4. Mickey e o conde de Monte Cristo (Mickey et le vrai comte de Monte-Cristo) [1982]
  5. Mickey entre os homens das cavernas (Mickey chez les hommes des cavernes) [1982]
  6. Mickey escudeiro de Ivanhoe (Mickey écuyer d'Ivanhoé) [1982]
  7. Mickey e o colar da rainha (Mickey et le collier de la reine) [1984]
  8. Mickey na Babilónia (Mickey à Babylone) [1984]
  9. Mickey amigo de D'Artagnan (Mickey ami de d'Artagnan) [1984]
  10. Mickey e os trabalhos de Hércules (Mickey et les travaux d'Hercule) [1984]
  11. Mickey e Henrique VIII (Mickey rencontre Henri IV) [1984]
  12. Mickey e Guilherme Tell (Mickey et Guillaume Tell) [1984]
[actualizado a 13-3-2015]

9 de agosto de 2017

Pitanga

Y
Ficha técnica:
Quotidiano
(Portugal) O Diário, 1 de Fevereiro de 1985
Arlindo Fagundes (texto e desenho)
Outras publicações: O Mosquito (5ª série), Jornal da BD, Álbum Editorial Caminho, Álbum Associação Salão Internacional de Banda Desenhada do Porto


Aventuras de um barbeiro de luxo.

Quadriculografia portuguesa:
  • La chavalita, 1985, O Diário (01.02.1985 a 05.04.1985); Jornal da BD #201 a #208; Álbum Editorial Caminho [1985]
  • Pitanga e os animais, 1985, O Mosquito (5ª série) #11
  • Parabéns a você, 1996, Álbum ASIBDP [1996]
  • Quem vem e atravessa o rio..., 1996, Pedro Sousa e Arlindo Fagundes, Quadrado (2a série) #3
  • A rapariga do poço da morte, 2003, Álbum Editorial Caminho [2003]
[actualizado a 15-3-2015]

Valerian #3: Bem-vindos a Alflolol + Os Pássaros do Mestre

Está disponível a partir de hoje o terceiro volume da colecção Valerian, uma edição da Levoir e distribuído pelo jornal Público.

O álbum duplo contém os quarto e quinto episódios da série: "Bem-vindos a Alflolol" ("Bienvenur sur Alflolol" e "Os Pássaros do Meste" ("Des oiseaux du maître").

Em "Bem-vindos a Alflolol", após uma “pequena viagem” de 4000 anos, os habitantes de Alflolol regressam a casa e deparam-se com uma situação completamente diferente daquela que tinham antes da sua partida: o seu planeta, entretanto rebaptizado Technorog, foi colonizado pela Terra e submetido a uma exploração industrial intensiva. É o início de um confronto entre a desordem bem-humorada dos alflolianos e o pragmatismo do governador terrestre.

O episódio estreou-se em continuação na revista francesa Pilote em 1971 entre os números #632 e #653. Em Portugal, a Meribérica publicou a aventura em álbum em 1980 e, mais tarde, na revista Jornal da BD (#33 a #40) e no suplemento do Diário Popular, Flecha 2000 (#1 a #9). 

O episódio "Os Pássaros do Mestre" foi estreado em continuação na revista Pilote em 1973 entre os números #710 a #722. Em Portugal, o episódio foi publicado pela primeira vez com o título "O Senhor das Aves" na revista Tintin em 1975 (#28 a #47 do 8º ano). Mais tarde, com o título "Os Pássaros do Senhor" foi editado em álbum pela Meribérica e pelo Jornal da BD (#84 a #88).

Nesta aventura, Valérian e Laureline despenham-se num planeta desconhecido, onde são feitos prisioneiros. Mais tarde descobrem que a população deste planeta, oriunda dos quatro cantos do universo, está completamente à mercê de uma entidade misteriosa chamada “Mestre”, que obriga habitantes e prisioneiros a trabalhar até à exaustão, sob a ameaça dos seus terríveis pássaros, cuja mordida provoca a loucura…

Valerian #3: Bem-vindos a Alflolol + Os Pássaros do Mestre, Pierre Christin e Jean-Claude Mézières, Público/ASA, 96 pp., 8,90€

Edições Marvel da Panini Brasil nas bancas portuguesas em Agosto 2017

Avante Vingadores #3

Espectacular Homem-Aranha #4

O Velho Logan #4

Universo Marvel #2

Os Vingadores #3

X-Men #2

8 de agosto de 2017

Os Fogos de Askell - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Les feux d’Askell
Heroic-Fantasy
(França) Éditions Soleil Productions, 1993
Scotch Arleston (argumento) e Jean-Louis Mourier (desenho)
Estreia em Portugal: Álbum Vitamina BD, 2004


Askell é composto por ilhas e vários tipos de embarcações num mar infinito. Mercadores e contrabandistas desembarcam mercadorias preciosas nos portos. Dao X’lan, mercenário, Cybill, dançarina erótica, Brumaire, lançador de punhais e Karesquin de Villoque, capitão do Ode Sublime e poeta, percorrem o arquipélago a bordo do barco-teatro, vivendo aventuras fantásticas e burlescas.

Quadriculografia portuguesa:
  • O unguento prodigioso (L'onguent admirable), 1993, Álbum Vitamina BD [2004]
[actualizado a 15-3-2015]

Jessica Jones: Alias #3

A G. Floy acaba de lançar o terceiro e último tomo da saga Alias.

As aventuras da Vingadora que se tornou detective privada continuam com mais um caso complexo, que explora o submundo do universo Marvel! Quando era super-heroína, Jessica Jones vivia atormentada pela sua falta de auto-estima e incapacidade de dominar os seus poderes, e despiu a capa quando percebeu que seria sempre considerada uma super-heroína de segunda. 

Convertida em detective privada implacável, Jessica encontra uma misteriosa rapariga vestida de Homem-Aranha escondida no seu apartamento... que foge a voar antes que ela possa falar com ela. Pelos seus contactos, Jessica percebe que ela é Mattie Franklin, a.k.a. a Mulher-Aranha, uma super-heroína adolescente com uma ligação pessoal a J. Jonah Jameson, do Clarim Diário. Mas Mattie está em perigo, e com a ajuda inesperada de Jessica Drew - a Mulher-Aranha original - terá de tentar salvá-la.

No terceiro volume da série, Brian Michael Bendis lança Jessica Jones nos baixos-fundos da vida dos super-heróis menos famosos e com menos sucesso do universo Marvel, e cria uma das histórias mais fortes de Alias, num registo que explica a razão pelo qual ele foi um dos argumentistas mais celebrados da altura, injectando uma dose fortíssima de realismo e conteúdo adulto nos seus comics. A arte de Michael Gaydos também complementa perfeitamente a série, com o seu estilo nervoso, rápido e negro. Alias ganhou dois prémios, o prémio Comics Buyer's Guide para “Série Favorita” e o Harvey para “Melhor Série em Continuação”. E agora que Bendis juntou as peças todas do puzzle, e se prepara para contar as origens secretas de Jessica Jones (no quarto volume), o leitor poderá ver também porque a série foi nomeada para dois Eisners em 2004: “Melhor Série em Continuação”, e “Melhor Arco de História” (para o quarto volume).

O terceiro volume das aventuras de Jessica Jones, a heroína da Marvel que deu origem à série de TV da NETFLIX! E preparem-se para mais uma série da Netflix com Jessica Jones como protagonista: em DEFENDERS ela junta-se ao Demolidor, a Luke Cage e ao Punho de Ferro para derrotar uma organização criminosa em Nova Iorque! 

Jessica Jones: ALIAS volume 3, Brian Michael Bendis e Michael Gaydos, reúne os #16-21 da série original de ALIAS, álbum, formato comic, 144 pgs a cores, capa dura, 12,99€

7 de agosto de 2017

O Mercador de Ideias - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Le marchand d’idées
Ficção científica
(França) Circus, 1982-1988
Philippe Berthet e Antonio Cossu (argumento e desenho)
Estreia em Portugal: Álbum Meribérica, 1984


John Diller tem como emprego efetuar missões através do tempo, sendo atacado por assassinos extra-terrestres. Para se salvar, tem de saltar de universo em universo, até que descobre que a Terra está ameaçada por uma invasão intergalática. A saga é constituída por quatro álbuns.

Quadriculografia portuguesa:
  • O mercador de ideias (Le marchand d’idées), 1982, Álbum Meribérica [1984]
[actualizado a 15-3-2015]

6 de agosto de 2017

O Terceiro Testamento - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Le troisième testament
Aventura
(França) Éditions Glenat, 1997-2003
Xavier Dorison e Alex Alice (argumento) e Alex Alice (desenho)
Estreia em Portugal: Álbum Baleia Azul, Setembro de 1999
Outras publicações: Álbum Witloof


Deus aparece um dia a Julius de Samaria e dá-lhe uma caixa, dizendo-lhe: "Esta caixa é tudo o que um homem precisa saber. Confio-ta. Deixa a tua terra e encontra o lugar mais secreto do mundo onde depositarás o cofre, sem nunca o abrires. Esta é a Minha Vontade". Então, Julius, deixando o seu povo, parte em busca do lugar mais secreto do mundo para esconder a caixa. Mas a curiosidade leva-o a abrir o cofre. Contudo, não vê o que contém porque Deus abre a terra sob os seus pés e Julius é engolido para toda a eternidade.
A série encontra-se integralmente publicada em Portugal.

Quadriculografia portuguesa:
  • Marcos ou o despertar do Leão (Marc ou le réveil du Lion), 1997, Álbum Baleia Azul [1999]
  • Mateus ou a face do anjo (Mathieu ou le Visage de l'Ange), 1998, Álbum Witloof [2000]
  • Lucas ou o sopro do Touro (Luc ou le soffle duy taureau), 2000, Álbum Witloof [2000]
  • João ou o dia do Corvo (Jean ou le jour du corbeau), 2003, Álbum Witloof [2003]
[actualizado a 16-3-2015]

Colecção MARVEL: Os Vingadores Vol. 1

Já se encontra nas bancas o volume 1 da série Os Vingadores, uma edição da Goody.

Quando se julgava que Os Vingadores já não tinham qualquer equipa no ativo, eis que surgem duas equipas para fazer frente às ameaças com que o mundo se depara. Enquanto uma improvável união (onde se inclui o Homem de Ferro) é criada para derrotar uma criatura do exército Chitauri, controlada por uma figura altamente sombria, surge também outro esquadrão, liderado por Steve Rogers (o Capitão América original), que pretende unir humanos, inumanos e mutantes, visando afastar os perigos decorrentes do mais recente incidente entre Inumanos e X-Men.

Colecção MARVEL: Os Vingadores Vol. 1 - Os Sete Magníficos I: Futuro Perdido I
Histórias: Os Sete Magníficos (I),  Mark Waid, Mahmud Asrar e Adam Kubert /Vingadores-X (Futuro Perdido (I)), Gerry Duggan e Ryan Stegman 
128 pags, cor, 7,90€

5 de agosto de 2017

Matt Marriott - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Western
(Inglaterra) London Evening News, 19 de Setembro de 1955
Tony Weare (desenho) e Jim Edgar (argumento)
Estreia em Portugal: Mundo de Aventuras (1ª fase) #437, 2 de Janeiro de 1958
Outras publicações: Tigre (1ª série), Selecções do Mundo de Aventuras, Condor (amarelo), Mundo de Aventuras (2ª fase), Lince, Jornal do Cuto, Álbum Editorial Futura, Fandwestern


A história inicia-se nos finais de 1880 aquando da disputa dos vaqueiros e dos agricultores, quando estes se revoltam contra a passagem das grandes manadas de gado pelas suas terras cultivadas. Os pais de Matt Marriott são assassinados por vaqueiros quando defendem as suas terras. Matt, treinado pelo seu amigo Luke Horn, decide ir em busca do assassino dos seus pais.

Quadriculografia portuguesa:
  • A guerra do gado (Vengeance trail), Álbum Editorial Futura [1988]*;Fandwestern  #1
  • Índios, búfalos e carris (Buffalo hunters), Álbum Editorial Futura [1988]*;Fandwestern  #2
  • A filha de Belle Benson (Belle Benson's daughter), Fandwestern #3
  • Duelo de fogo em Dodge City (Shotdown in Dodge City), Fandwestern #4
  • Kansas Railroad (Kansas Railroad - Part I), Fandwestern #6
  • A hospitalidade do Urso Negro (Kansas Railroad - Part II), Fandwestern #7
  • O bando de Sunbaugh (The Sunbaugh Gang), Fandwestern #8
  • As nascentes da morte (The springs of death), Fandwestern #9
  • A cidade fantasma (Gost Town), Fandwestern #10
  • A pista Chisolm (The trail boss), Fandwestern #11
  • O xerife de Fireweed (Marshall of Fireweed), Fandwestern #12
  • Purdys e Cahills (Purdys and Cahills), Fandwestern #13
  • A lei de Lynch (Nigger), Fandwestern #14
  • O mayor de Quesada (The mayor of Quesada), Fandwestern #15
  • A trilha para Gila (Road to Gila), Fandwestern #16
  • Uma nota de dez dólares (A ten dollars' bill), Fandwestern #17
  • Rumo ao Kansas (The cattle driver), Fandwestern #18
  • Riverboat (Riverboat), Fandawestern #19
  • O último dos barões de gado (The Last of the cattle barons), Fandwestern #20
  • O pequeno homem de negro (Isepinal and the apaches), Fandwestern #21
  • A história de Zinc Bill (Zincville Colorado), Mundo de Aventuras (1ª fase) #1201
  • O grande Cavalo de Ferro (The Great Iron Horse), Mundo de Aventuras (1ª fase) #913
  • Um homem chamado Jesse James (A Man Called Jesse James), Mundo de Aventuras (1ª fase) #924
  • A história de um intrujão (A Cheater’s Story), Mundo de Aventuras (1ª fase) #939
  • O terrível escocês (The Terrible Scotsman), Mundo de Aventuras (1ª fase) #945
  • Um  punhado de mentiras (A Fistful of Lies), Mundo de Aventuras (1ª fase) #968;Fandwestern  #23
  • A loucura (The Madness), Mundo de Aventuras (1ª fase) #978
  • O rei dos intrujões (The King of Cheaters), Mundo de Aventuras (1ª fase) #987
  • Confissão difícil (Hard Confession), Mundo de Aventuras (1ª fase) #996
  • Cat Bayou (Cat Bayou), Mundo de Aventuras (1ª fase) #1010
  • O sargento proscrito (The Outlaw Sergeant), Mundo de Aventuras (1ª fase) #1020
  • Uma questão de honra (A Matter of Honour), Mundo de Aventuras (1ª fase) #1048
  • O estranho pastor (The Strange Priest), Mundo de Aventuras (1ª fase) #1082
  • A grande leva (The Great Herd), Mundo de Aventuras (1ª fase) #1091
  • O estranho Numbus McBride (The Strange Nimbus McBride), Mundo de Aventuras (1ª fase) #1106
  • Drama em Orchre Flat (Drama at Ochre Flat,Mundo de Aventuras (1ª fase) #1128
  • Ódio de morte (Deathful Hate), Mundo de Aventuras (1ª fase) #1136
  • O terceiro não se perdeu (The Third One Was Saved), Mundo de Aventuras (1ª fase) #1149
  • Os diabos de Dekker (The Deker Devils), Mundo de Aventuras (1ª fase) #1160
  • Acusados inocentes (The Accused Innocents), Mundo de Aventuras (1ª fase) #1192
  • Uma aventura no México (An Adventure in Mexico), Mundo de Aventuras (1ª fase) #1230
  • Os dois velhos inimigos (Two Old Enemies), Mundo de Aventuras (1ª fase) #1236
  • Aventura impiedosa (Ruthless Adventure), Mundo de Aventuras (1ª fase) #1245
  • Calamity Jane (Calamity Jane), Mundo de Aventuras (1ª fase) #1250
  • A vingança do «Urso Corredor» (Runner Bear’s Vengeance), Mundo de Aventuras (2ª fase) #17
  • Uma nota de dez dólares (A ten dollars' bill), Mundo de Aventuras (2ª fase) #23; Selecções do Jornal do Cuto
  • Terra selvagem (Wild Country), Mundo de Aventuras (2ª fase) #30
  • Rosas para a Irmã Eulália (Roses to Sister Eulalia), Mundo de Aventuras (2ª fase) #88
  • Big Cotton (Big Cotton), Mundo de Aventuras (2ª fase) #212
  • Ódio velho não cansa (Old Hate Doesn’t Fade), Mundo de Aventuras (2ª fase) #292
  • Um homem calado (A Quiet Man), Mundo de Aventuras (2ª fase) #361
  • Duelo de gigantes (Giants’ Duel), Selecções (Mundo de Aventuras) #39
  • A última caçada (The Last Hunt), Selecções (Mundo de Aventuras) #48; Fandawestern #25
  • O bando de Gil Catlin (Gil Gatlin’s Gang), Lince #4, Fandwestern  #5
  • O último dos grandes (The Last of the Giants), Condor (Amarelo) #11
  • Luta de morte (Deathful Fight), Tigre (1ª série) #57
  • Os renegados do Kansas (The Kansas Renegades), Tigre (1ª série) #65
  • Duelo mortal (Mortal Duel), Tigre (1ª série) #71
  • Competição mortal  (Deathly Competition), Tigre (1ª série) #79
  • O salto da morte (Death’s Jump), Tigre (1ª série) #84
  • O último recurso (The Last Resource), Tigre (1ª série) #89
  • Mary, a pregadora (Mary The Preacher), Mundo de Aventuras Especial #12
  • [st] (?), Mundo de Aventuras (1ª fase) #437 a #446
  • Abnegação heróica (?), Mundo de Aventuras (1ª fase) #644
  • Luta desigual, Mundo de Aventuras (1ª fase) #586
  • Os fora-da-lei, Mundo de Aventuras (1ª fase) #691;Fandwestern  #24
  • Escândalo em Duchesne, Mundo de Aventuras (1ª fase) #845
  • Um homem chamado Shannon, Mundo de Aventuras (1ª fase) #856
  • O titã, Mundo de Aventuras (1ª fase) #866
  • A longa jornada, Mundo de Aventuras (1ª fase) 3875
  • [st] (?), Mundo de Aventuras (2ª fase) #437
  • Hannibal Kane (Hannibal Kane), Fandwestern #22
  • A sul do Rio Grande (?), Fandwestern #26
  • Uma aventura no México (?), Fandwestern #29
  • O dia dos lobos (?), Fandwestern #48
  • O presídio mexicano (?), Fandwestern #49
  • O grande Tycoon (?), Fandwestern #50
  • A filha de Shotgun Clancy (?), Fandwestern #51
  • Confronto em Duschene (?), Fandwestern #52
  • O pastor Zinnerman (?), Fandwestern #54
  • Montana (?), Fandwestern #55
  • A vingança do urso negro (?), Mundo de Aventuras (1ª fase) #522
  • Teimosia perigosa (?), Mundo de Aventuras (1ª fase) #594
  • Dívida que mata (?), Mundo de Aventuras (1ª fase) #618
  • A manada do Texas (?), Álbum Editorial Futura [1988]*
  • O caminho de ferro (?), Álbum Editorial Futura [1988]*
*Colecção Clássicos da Banda Desenhada #20
[actualizado a 17-3-2015]

4 de agosto de 2017

Colecção Novela Gráfica: K.O. em Telavive

Asaf Hanuka é o autor de K.O. em Telavive, a novela gráfica que a Levoir publica a 4 de Agosto em conjunto com o jornal Público.

Hanuka é um ilustrador e desenhador israelita e um dos mais célebres representantes da nova vaga de banda desenhada internacional que mergulha as suas raízes nos comics, no underground e na observação da vida quotidiana, onde as influências de autores americanos como Daniel Clowes ou Art Spiegelman são perceptíveis.

Em 2015 recebeu o Lucca para o melhor autor e em 2016 o Prémio Eisner para a melhor Antologia/Tiras.

Num país onde a guerra é o quotidiano da população, Asaf tenta de alguma forma mostrar como é ser pai, marido e artista judeu. Como é viver numa cidade cheia de prazeres, e com uma das cenas artísticas mais vibrantes do mundo, um Sin City dentro de Jerusalém. Asaf Hanuka retrata o dia-a-dia do seu país, mas não só. Apresenta-nos todos os ícones dos nossos dias, desde o cubo Rubik aos Transformers, do Iphone ao Facebook de uma forma que deixa os leitores… K.O.

É uma obra altamente recomendável, de profunda modernidade que permite uma reflexão importante sobre a vida em família, a sociedade israelita e os limites da tecnologia no nosso mundo.

Colecção Novela Gráfica: K.O. em Telavive, Asaf Hanuka, Público/Levoir, 200 pp., cor, capa dura, 9,90€ com o jornal Público