29 de maio de 2014

Faleceu Renato Polese

Renato Polese nasceu em Roma em 1924 e começou a trabalhar, após a 2ª Grande Guerra, no prestigiado jornal Il Vittorioso. A partir de 1954, os seus trabalhos começam a ser publicados na imprensa britânica, nomeadamente, na Fleetway.

Mas será a partir de 1967 que a carreira de Polese conhece o merecido sucesso após se associar ao editor Serge Bonelli. Encontramos neste período grandes sucessos editoriais como a Storia del West que, com a colaboração do argumentista Gino D'Antonio, nos narra a epopeia de uma família de colonos na descoberta do Oeste norte-americano.

A partir de 1970, começa uma longa colaboração no jornal Il Giornalino, desenhando Babe Ford (com Mario Basari), Pony Express (Gianni Caratelli), Sheriff (Alberti), Viaggio al centro della Terra, entre muitas  outras histórias.

Nos anos oitenta, Polese inicia, novamente com D'Antonio, o western Bella & Bronco, primeira série da Bonelli onde uma mulher é a protagonista principal. Participa também nas séries Ken Parker, Nick Raider e Zagor.

Em 2006, ilustra O legionário, com argumento de Stefano Piani, uma história sobre a Legião Estrangeira.

Renato Polese morre em 9 de Maio de 2014 com 90 anos.

Em Portugal, Renato Polese possui várias histórias publicadas nas revistas da Empresa Nacional de Publicidade através de one-shots e as séries Barracuda, Charlie Chan, General Johnny e Kansas Kid. Seguidamente, deixamos um ensaio bibliográfico das one-shots de Polese em Portugal:

  • Asas no céu (Pó di cielo), com Raoul Traverso, Álbum do Cavaleiro Andante #105
  • Camisolas azuis (Maglie bleu), com De Barba, Cavaleiro Andante (Nº Especial) de Agosto de 1955
  • Forte Laramie, com Renata Gelardini, Cavaleiro Andante #524 a #539
  • Homens e máquinas, Zorro #72 a #77
  • O corsário dos dois mundos, com Gino Sorgini,Oásis #3 a #4
  • Viagem ao centro da Terra (Viaggio al centro della Terra), com Rodolphe, Jornal da BD #263
  • O segredo da fábrica nº 2 (Il segreto dell'oficina nº 2), com Eros Belloni, Cavaleiro Andante #84 a #104
  • O sheriff de Prescott, Cavaleiro Andante #170 a #181
  • Kumiak; o pequeno esquimó, Cavaleiro Andante (Nº Especial) de Agosto de 1955
  • A grande estrada, Tigre (1ª série) #16
  • O último mamute, Cavaleiro Andante (Nº Especial) Natal de 1957
  • Podia acontecer..., Cavaleiro Andante #326 a #339
  • A canção do deserto, Álbum do Cavaleiro Andante #62
  • Há um avião em perigo, Cavaleiro Andante #438
  • A caminho da terra do oiro, Cavaleiro Andante #443
  • A espora de ouro, Álbum do Cavaleiro Andante #87
  • A ilha das pérolas, Álbum do Cavaleiro Andante #91
  • O primeiro amigo, Zorro #18
  • A primeira patrulha, Mundo de Aventuras (1ª fase) #875
  • A última campanha, Selecções (Mundo de Aventuras) #73






28 de maio de 2014

Michel Vaillant - O regresso de Steve Warson

Ausente após o sexto episódio ("A traição de Steve Warson"), o piloto americano regressa no nono episódio da série. "Le retour de Steve Warson" foi, originalmente, publicada na revista Tintin em 1961 e em álbum em Setembro de 1965.

Steve Warson encontra-se desaparecido após ter disputado o rally Panamericano. Michel Vaillant, preocupado com a ausência do seu amigo, decide procurá-lo, começando por uma pista no porto de Amsterdão, capital da Holanda.

Esta é a súmula do episódio que compõe a nona entrega da colecção que todas as quartas-feiras o jornal Público e a editora ASA nos têm proposto. 







21 de maio de 2014

Michel Vaillant - Os intrépidos

Mais uma aventura inédita em Portugal da série Michel Vaillant. Desta vez, trata-se da sétima aventura do piloto, "Os intrépidos" ("Les casse-cou"), estreada no Tintin belga em 1962 e, em álbum, dois anos depois.

Michel é convidado pelo seu amigo Gil Delamare para participar num filme sobre corridas automobilísticas intitulado "Os intrépidos". O piloto aceita a proposta, aproveitando para testar o novo protótipo da empresa Vaillant. Contudo, existe alguém que quer desacreditar o herói da série. 

"Os intrépidos" é o álbum nº 8 da colecção proposta pela ASA em parceria com o jornal Público e colocado à venda esta quarta-feira.











20 de maio de 2014

Um novo álbum da Natacha

Pouco divulgada em Portugal, a série Natacha volta a ter uma nova aventura, a vigésima segunda.

François Walthéry, o criador da série, recuperou uma obra esquecida de Sirius, datada de 1953, intitulada «L'île aux perles», para desenhar «L'Épervier bleu».

15 de maio de 2014

Boule et Bill contre les Mini-requins

Em 24 de Dezembro de 1969 publica-se no #1132 da revista Spirou uma história curta de Boule et Bill, intitulada "Boule et Bill contre les mini-requins", curiosamente, a primeira de muitas histórias curtas que aquele semanário passaria a inserir nas suas páginas.

Esta história, inédita em Portugal, também era inédita num álbum a cores (havia sido editada a preto e branco pela Yann Rodler em 1978). Para colmatar esta lacuna editorial, a Dupuis decidiu apresentar esta obra do desenhador Roba e do argumentista Maurice Rosy num álbum de 62 páginas a cores no formato da época (140x185). 

Este documento histórico testemunha o início de uma das séries mais emblemáticas da revista da Marcinelle, que semanas depois, volta às páginas da Spirou sobre a forma dos carismáticos gags de uma ou duas pranchas. 





14 de maio de 2014

Michel Vailant - A traição de Steve Warson

Como ficámos a saber no episódio anterior ("O carro nº 13"), Michel Vaillant consegue vencer as "24 horas de Le Mans"' apesar das "habilidades" criminosas de Bob Cramer. Esta vitória relança a convicção do pai Vaillant de que a marca deverá penetrar no mercado norte-americano, participando em algumas mediáticas provas do calendário automobilístico dos Estados Unidos da América. Para tal, a escudaria vai contar com o seu piloto Steve Warson, americano bem conhecedor dos circuitos e da concorrência que a Vaillant terá de enfrentar.

"Le trahison de Steve Warson" é o sexto episódio da série, estreado na revista belga Tintin em 1961 e editado em álbum Março de 1964 pela editora Lombard.

Este álbum é o sexto da colecção Michel Vaillant editado pela parceria Público/ASA, colocado hoje à venda e é oportunidade para os leitores portugueses viverem a aventura, já que a edição portuguesa da Editorial Íbis de 1965, há muito se encontra esgotada e as existentes alcançam valores de coleccionista.



12 de maio de 2014

11 de maio de 2014

Os bons amigos Philip e Francis

Há alguns anos, Didier Convard e André Juillard decidiram recriar um conjunto de aventuras de alguns heróis dos anos cinquenta (Johan et Pirlouit, Barbe-Rouge, Les Pieds Nickelés, ...), mas com mais alguns anos de idade.

Blake e Mortimer também se viram envelhecidos no álbum "L'aventure immobille" que a Dargaud decidiu reeditar. Os velhos amigos de Jacobs voltam à Grande Pirâmide para uma nova aventura, tentando resolver, de novo, o seu enigma.

Os apaixonados de Blake e Mortimer poderão reviver uma aventura dos heróis ingleses, enquanto não se deliciam com o próximo álbum ("Le batôn de Plutarque") da dupla de Jacobs, entretanto publicada em tiras diárias no Le Soir.


10 de maio de 2014

As vendas do blogue

Desta vez, coloco à venda algumas obras tintinófilas, todas em bom estado:


  • Les Archives Tintin - Le Secret de la Licorne - 20 €
  • As jóias de Castafiore - Record - não numerado - capa mole - 10 €
  • Tintin et les forces obscures - 10 €
  • Les personnages de Tintin dans l'histoire - História - vol 1 - 10 €
  • Tintin no Congo/Tintin na América - volume duplo do Círculo de Leitores - 15 €
  • Os charutos do faraó - Record - cartonado - 20 €
  • Tintin et Le toisson d'or - Casterman - cartonado - 1966 - 25 €
  • Tintim no pais do ouro negro - Flamboyant - com título na lombada - estado geral bom - 25 €




9 de maio de 2014

dBD #83

Uma das minhas compras assíduas é a revista francesa de informação sobre a banda desenhada no mercado francófono. Mensalmente, a dBD, disponível nos quiosques portugueses, apresenta-nos, numa revista de grande qualidade, a actualidade da actividade bedéfila em França, com entrevistas, notícias e artigos de resenha histórica, assim como um caderno crítico sobre as últimas novidades editoriais do mercado da banda desenhada.

Neste número de Maio, destaco um excelente artigo biográfico sobre os 75 anos do Batman, o portefólio de Pierre Alary, uma entrevista a Derib pelos seus 50 anos de carreira e a edição do novo volume da série Yakari e, finalmente, o habitual artigo de Henri Filippini, desta vez, dedicado ao detective Gil Jourdain.

dBD #83, mai 2014, 98 pp., 9,80€ 

8 de maio de 2014

Ramiro faz 40 anos

Estamos em 1973. William Vance é colaborador assíduo na revista Femmes d'Aujourd'hui, onde desenha a série Bob Morane, com argumentos do criador Henri Vernes. Apesar de também colaborar na revista Tintin com Bruno Brazil, Vance decide avançar com uma nova série para aquela revista feminina, associando-se a Lucien Meys na criação de Roderic, uma série que se centra nas Cruzadas da Terra Santa. Contudo, esta personagem conhece apenas dois episódios, sendo substituída por Ramiro. A primeira prancha desta série aparece no número 1514 da Femmes d'Aujourd'hui de 8 de Maio de 1974.

Ramiro é o filho bastardo do rei Afonso VIII de Castela e as suas aventuras têm como cenário a Espanha medieval e os conflitos entre os diversos reinos cristãos a par da reconquista da Península Ibérica ao invasor mouro. Os primeiros episódios são escritos por Jacques Stoquart, cedendo, pouco depois, o seu lugar a Vance, que assegura a total autoria da série.

Apaixonado pela Espanha, seu país de adopção, Vance descreve com uma veracidade histórica uma época rica em aventura, bravura e heroicidade. Juntamente com a sua esposa, a colorista Petra, espanhola, Vance percorre os célebres Caminhos de Santiago, que lhe permitem conceber alguns episódios da série, reconstituindo, com precisão, os monumentos românicos. Os álbuns de Ramiro são verdadeiras obras didácticas de um período áureo da História da Humanidade, onde Vance oferece um cunho pedagógico com uma série de suplementos documentais que acompanham cada episódio. 

Ramiro teve nove episódios, com o último álbum, a primeira parte de "Qui es-tu, Wisigoth?", a ser editado em 1989. Curiosamente, a segunda parte nunca seria publicada. 

Em Portugal, apenas foram publicados quatro dos primeiros cinco episódios, deixando inédita a segunda aventura. A bibliografia portuguesa da série pode ser consultada na Bedeteca Portugal.



7 de maio de 2014

Michel Vaillant - O carro nº 13

"Le 13 est au départ" é o quinto álbum da série Michel Vaillant, totalmente concebido pelo seu criador, Jean Graton. O episódio estreia-se na revista belga Tintin em 1960, tendo sido publicado posteriormente, em álbum, em 1963.

A aventura, inédita em Portugal, tem o seu início com um pesadelo da mãe de Michel, prevendo a morte deste num acidente nas célebres "24 horas de Le Mans" em colisão com uma viatura negra e branca que ostenta o número 13. Michel acalma-a, dizendo-lhe que a superstição impede que o número 13 seja evitado em corridas automobilísticas. 

Contudo, estranhamente, a próxima corrida de Le Mans vai ter uma equipa americana, a "Texas Driver", que ostenta o supersticioso número 13. Faz parte desta equipa Bob Cramer, um condutor com comportamentos perigosos que jurara vingar-se de Steve Warson, membro da equipa Vaillant. Será que o pesadelo da mãe Vaillant transformar-se-à em realidade?

A curiosidade deste episódio é a estreia da futura esposa de Michel Vaillant, a jovem e charmosa jornalista Françoise Loutar.

Françoise é redactora da Line, uma revista para jovens raparigas, e é filha de Louis Loutar, um magnata da imprensa. Após os primeiros contactos, Michel mostra-se um pouco entediado com a jovem de dezassete anos, devido aos seus ares de petulância e atrevimento, além de se revelar mentirosa. Contudo, Françoise mudará radicalmente a sua personalidade e transforma-se numa mulher radiante, inteligente e sensível, o que levará  Michel a vê-la com outros olhos e a escolhê-la, onze anos depois (ver o episódio "Raparigas e motores"), como sua futura esposa e membro do clã Vaillant



1 de maio de 2014

Michel Vaillant - A rota nocturna

"A rota nocturna" ("Route de nuit"), quarta aventura de Michel Vaillant, é o quinto volume da colecção Público/ASA. A sua apresentação, esta quarta-feira nas bancas portuguesas, marca a estreia em Portugal deste episódio.

Trata-se de uma aventura de 62 pranchas totalmente concebida por Jean Graton, que se estreou na revista belga Tintin em 1960, sendo publicada, um ano depois, em álbum, pela Lombard.

Neste episódio, Michel Vaillant vai ajudar o seu tio Benjamin, proprietário de uma empresa de transportes em Marselha que tem problemas com a concorrente Nord-Méditerrainée de Régis Blancardo.

As investigações de Michel e Steve Warson permitem-lhes descobrir uma rede de tráfico duvidoso desenvolvida pela Nord-Méditerrainée, sem o conhecimento do seu proprietário. A aventura termina com uma verdadeira caça ao cérebro daquela organização criminosa, contando com a ajuda em directo do animador do programa radiofónico Route de nuit

Esta é uma das raras aventuras da série em que Michel Vaillant não tem de exercer as suas virtuosidades de ás desportivo do volante. Contudo, Jean Graton aproveita para realçar as qualidades humanas do herói, solidarizando-se na luta contra a injustiça. Paralelamente, este episódio retrata o mundo dos camionistas e dos seus camiões, como o Berliet GLR e os imaginários Vaillant

Algumas personagens da aventura, como Yves Douléac, Benjamin Vaillant e Régis Blancardo, retomarão a série em episódios posteriores. 

Roland Dhordain, célebre radialista francês dos anos 60-70, famoso pelos seus programas nocturnos de companhia dos camionistas, tem presença nesta aventura, conferindo-lhe uma dose de realidade, com o seu programa a inspirar Jean Graton para as cenas da perseguição final.