16 de outubro de 2019

Emilio Van der Zuiden - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhador, argumentista
(Bélgica) 27 de Maio de 1968

Estuda em Paris, exerce diversos ofícios na imprensa escrita, para finalmente se lançar na banda desenhada em 2007. Publica um primeiro álbum sob o nome de Julio Ballester, Georges Caplan vous parle… . Este romance gráfico conta a vida boémia na Paris dos anos 1960 de um jovem poeta espanhol: Jorge Bernall. Divide a tarefa com Olivier Marin. Este último participa no desenho dos cenários e carros e assina o argumento, enquanto Emilio Van der Zuiden prepara o storyboard, os esboços das pranchas e pinta as personagens. O sucesso é tal que Pierre Paquet, o editor, cria para a ocasião a colecção Calandre. Uma segunda aventura intitulada Les Déesses de la route é publicada em Setembro de 2010. O argumento é, desta vez, co-assinado por Matapat (que foi durante algum tempo director da colecção). Em 2011, Emilio Van der Zuiden desenha sozinho Les Filles de l’oncle Bob. Ainda com Metapat como argumentista, esta aventura é uma biografia romanceada do célebre piloto de rali, Roberto Neyret. Inicia em seguida um projecto sozinho: McQueen. O seu último trabalho (2017) é uma adaptação de um romance de Agatha Christie: Os Beresford – Mister Brown.

Séries publicadas em Portugal:
Beresford (Os), Investigações de Margot (As)

[actualizado em 12.10.2019]

15 de outubro de 2019

Dylan Dog: Trevas Profundas

Já se encontra disponível a primeira edição da nova editora de BD, A Seita. Trata-se de uma aventura de Dylan Dog com o título Trevas Profundas e tem argumento de Dario Argento, o mestre do cinema de terror italiano, em colaboração por Stefano Piani, e com desenho de Corrado Roi. A capa é da autoria de Gigi Cavenago

Nesta nova aventura, Dylan Dog envolve-se com duas mulheres misteriosas, diferentes em tudo, mas profundamente ligadas por um elo desconhecido. O herói irá apaixonar-se por uma delas, e seguirá um tortuoso caminho que o levará ao mundo do sadomasoquismo. Visitamos também um episódio da História da rígida hierarquia inglesa: os “whipping boys”, crianças de baixo estrato social, educadas junto dos jovens da nobreza e que eram punidos em vez deles, quando eles infringiam as regras. No caso de Trevas Profundas, a ligação entre estes vários elementos culmina numa tragédia sangrenta com a obrigatória incursão do sobrenatural.

Dario Argento é um conhecido realizador de cinema italiano, com obras emblemáticas do estilo Giallo, como Profondo Rosso, Suspiria ou Inferno. Nascido numa família ligada ao meio cinematográfico, cedo se sentiu inspirado por velhos contos de folclore italiano, bem como pelos dos Irmãos Grimm, de Hans Christian Andersen ou de Edgar Allan Poe. A sua paixão pelo terror e o sobrenatural começou a manifestar-se cedo, mas antes de enveredar pelas suas próprias obras, chegou a trabalhar como guionista em obras de realizadores emblemáticos seus conterrâneos, como Sergio Leone, com quem colaborou em Era Uma Vez no Oeste. A ligação de Argento à banda desenhada já vem de longe. Entre 1990 e 1991, emprestou a cara e o nome à revista de terror Dario Argento Presenta: Profondo Rosso, onde, além de surgir na capa, aparecia nalgumas histórias como apresentador/anfitrião, na linha do Uncle Creepy, das revistas da editora Warren, de onde provinha muito do material publicado em Dario Argento Presenta...

Stefano Piani começou na Bonelli na série Nathan Never, em que colaborou década e meia, embora tenha acabado por escrever para vários títulos da editora. Em 2011, já também com uma carreira como guionista de TV e de cinema, trabalha com Argento em Dracula 3D. A colaboração de ambos nesta história de Dylan Dog acaba por ser a junção de duas sensibilidades similares, que encontram nesta personagem pontos de contacto inevitáveis.

A completar o trio de autores, temos Corrado Roi nos desenhos. É um dos mais icónicos artistas do nosso Detective do Pesadelo, e um dos seus mais populares e prolíficos ilustradores.  É hoje considerado um dos mestres da BD a preto e branco a nível mundial. Tantos anos a trabalhar em DD dão-lhe a posição privilegiada de ser mais do que apenas um mero ilustrador das histórias que os escritores lhe dão. Por exemplo, neste Trevas Profundas o final é, em grande parte, criação sua.

Trevas Profundas faz parte do repertório recente de Dylan Dog. Nesta, como em outras, a personagem começa já a acusar a idade (nasceu em 1986), não tanto pelo aspecto físico, mas pela inadaptação aos tempos modernos. Por exemplo, é conhecida a sua incompatibilidade com telemóveis. Ainda assim, DD não perde um átomo da sua propensão romântica, ao cair rapidamente apaixonado, como é sua marca, e envolver-se de corpo, coração e alma num labirinto de terror que culminará em tragédia e redenção. Um profundo, complexo e misterioso conto do sobrenatural, que levará o leitor a visitar recantos estranhos da natureza humana, e a entrever aquilo que se oculta para lá do véu da morte.

Dylan Dog: Trevas Profundas, Dario Argento, Stefano Piani e Corrado Roi, A Seita, 120 pp., p&b, capa dura, 12,50€


14 de outubro de 2019

A Filha de Vercingétorix, o 38.º álbum das aventuras de Astérix, chega à aldeia a 24 de Outubro

A Filha de Vercingétorix, o 38.º álbum das aventuras de Astérix, chega a Portugal a 24 de Outubro, em simultâneo com a França e outros países, cuja tiragem global será de 5 milhões de exemplares!

Um ano de aniversário e a publicação de um novo álbum tão esperado: 2019 é definitivamente O ano ASTÉRIX! Por imposição da tradição de alternância, é no coração da célebre aldeia gaulesa que a nova aventura de Astérix e Obélix tem lugar. Depois de uma escapadinha a Itália em 2017 com Astérix e a Transitálica, eis o regresso à Armórica para um encontro que vai pôr a aldeia em polvorosa! A Filha de Vercingétorix é o fruto da quarta colaboração entre o argumentista Jean-Yves Ferri e o desenhador Didier Conrad, uma dupla que continua a imaginar novas aventuras, sempre inscritas no fabuloso universo criado por René Goscinny e Albert Uderzo.

Voltas e reviravoltas em perspectiva! A filha do célebre chefe gaulês Vercingétorix, perseguidas pelos romanos, refugia-se na aldeia dos irredutíveis gauleses, único lugar na Gália ocupada que pode garantir a sua protecção. E o mínimo que se pode dizer, é que a presença desta adolescente especial vai provocar múltiplos distúrbios intergeracionais…

Astérix #36: A Filha de Vercingétorix, Didier Conrad e Jean-Yves Ferri, ASA, 48 pp., cor, capa dura, 10,90€


A capa de La Fille de Vercingétorix foi revelada


Pack Blue Exorcist #1+#2+#3

Se ainda não colecciona o Blue Exorcist, a Devir disponibiliza este pack que oferece três livros na compra de dois.

Blue Exorcist #1+#2+#3, Katzue Kato, Devir, 600 pp., p&b, 19,98€ 

13 de outubro de 2019

Um número especial da Geo Histoire sobre Blake e Mortimer

A Geo Histoire de Outubro/Novembro é dedicada aos personagens criados por Edgar Pierre Jacobs perto da data do lançamento do segundo volume de "O vale dos imortais", de que a revista exibe alguns extractos. 
Este exemplar da Geo Histoire remonta aos momentos chaves das aventuras do capitão Blake e do professor Mortimer, como os mistérios das pirâmides egípcias, a corrida ao armamento, a guerra fria, o perigo nuclear. Por outro lado, num espírito pedagógico, a revista explora o império britânico, as explorações polares, as duas guerras mundiais, a espionagem e os desafios científicos, acontecimentos que marcaram o século XX e as aventuras de Blake e Mortimer.
Este número pode ser encontrado em algumas livrarias portuguesas.

Blake et Mortimer: deux aventuriers ao coeur du XXe siècle, Geo Histoire, octobre-novembre 2019, 136 pp., cor, capa dura, 14,50€

Os Beresford #1: Mister Brown

A Arte de Autor lança o terceiro volume da sua colecção Agatha Christie. Desta feita, trata-se do primeiro volume da série Les Beresford com o título Mister Brown com argumento e desenho de Emilio Van der Zuiden.

Prudence Cowley (dita Tuppence) e Thomas Beresford (dito Tommy) são dois «velhos» amigos, ambos desmobilizados depois da Primeira Guerra Mundial, tendo a primeira participado no esforço de guerra como enfermeira e o segundo combatido (e sido ferido) nas fileiras britânicas. Ambos são envolvidos num caso de espionagem, durante o qual terão de lidar com um misterioso adversário, designado como Mister Brown, o qual anseia por recuperar documentos comprometedores confiados a uma jovem, uma certa Jane Fish, sobrevivente ao afundamento do navio Lusitania, e que, consciente do risco que corria, tratou de se esconder desde então, dissimulando a sua identidade.

O adversário dos dois heróis planeia, com efeito, subverter por via de uma revolução a ordem social estabelecida no Reino Unido, plano que poderia ser aniquilado pela descoberta desses documentos… Mister Brown é uma banda desenhada adaptada do best-seller de Agatha Christie, a «Rainha do Crime».

Os Beresford #1: Mister Brown, Emilio Van der Zuiden, Arte de Autor, 64 pp., cor, capa dura, 16,50€


12 de outubro de 2019

Os Filhos de El Topo #1: Caim

O primeiro volume de Les Fils d'El Topo, Caim (Cain, 2016) de Alejandro Jodorowsky e desenhado por José Ladrönn é mais uma novidade da Arte de Autor para este Outono.

No árido Oeste, El Topo foi um bandido que, ao abrir as portas do seu coração, se tornou um santo, chegando a realizar grandes milagres. Teve dois filhos, de duas mulheres diferentes. Figura funesta de couro negro a deambular pelo deserto, Caim, o maldito, jurou matar o pai, a quem nunca perdoou. Incapaz de levar a cabo a sua vingança, decide então voltar a atenção para o seu meio-irmão Abel. E neste oeste selvagem, tingido de misticismo, aqueles que cruzarão o seu caminho serão as vítimas colaterais…

Foi no início dos anos 1970, à meia-noite em ponto, durante um festival de cinema, que o casal de vedetas, John Lennon e Yoko Ono, projecta El Topo de Alejandro Jodorowsky. Imediatamente celebrado pela crítica e pelas maiores estrelas de rock da época, o filme dá origem à corrente Midnight Movies e gera um verdadeiro culto entre os cinéfilos do mundo inteiro. Ainda hoje ele não perdeu nada da sua grandeza e do seu estatuto de obra mítica. Quase meio século depois, Alejandro Jodorowsky decide contar a continuação… em banda desenhada. Graças ao traço virtuoso de José Ladrönn  dá-nos um western alegórico e surrealista, onde, como é frequente no genial criador chileno, o género está ao serviço de considerações filosóficas e espirituais mais profundas.

Os Filhos de El Topo: 1. Caim, José Ladrönn e Alexandro Jodorowsky, Arte de Autor, 64 pp., cor, capa dura, 17,50€

My Hero Academia #4

Com o título "O rapaz que nasceu com tudo", já está disponível o quarto volume de My Hero Academia.
Após conseguir o primeiro lugar na corrida de obstáculos do Festival Desportivo da Academia de Heróis, Midoriya acaba em maus lençóis na prova de cavalaria. 
Ao mesmo tepo, Deku tenta passar despercebido, mas todo o país está a ver... assim como as forças negras que atacaram a Academia.

My Hero Academia #4, Kohei Horiskoshi, Devir, 212 pp., p&b, 9,99€

11 de outubro de 2019

Exposição 3BD - Viseu


Batman: O regresso do Cavaleiro das Trevas

Foi hoje para as bancas mais uma obra de Frank Miller, Klaus Janson e Lynn Varley com o selo DC Black Label e edição portuguesa da Levoir: Batman - O Regresso do Cavaleiro das Trevas.

Bruce Wayne é um velho de 55 anos, vive numa Gotham apodrecida num futuro próximo, está amargurado e consumido por uma angústia que o isola e o faz reviver tormentos do passado, como por exemplo, a morte dos seus pais. Wayne refugiou-se na vida social de um milionário. Mas, é arrancado do seu torpor pela aparição de um gang urbano, os Mutantes, contra os quais volta a vestir o manto do Morcego regressando num verdadeiro ciclone de fúria e acção, para confrontar esta nova geração de criminosos.

Ao Cavaleiro das Trevas vai juntar-se uma jovem rapariga, assumindo o manto de Robin. Conseguirão Batman e Robin derrotar os seus mais letais e perigosos inimigos, depois dos anos de prisão que os transformaram em psicopatas perfeitos? E, mais importante, quem conseguirá sobreviver à verdadeira guerra de super-heróis que se avizinha – e ao confronto final daqueles que já foram os maiores heróis da Terra?

Batman: O regresso do Cavaleiro das Trevas, Frank Miller, Klaus Janson e Lynn Varley, Levoir, 216 pp., cor, capa dura, 25,90€

10 de outubro de 2019

Nova editora A Seita!

A editora G. Floy decidiu separar projectos (devido a algumas mudanças internas ) e de colocar os projectos de livros de autores portugueses, que editava em conjunto com a ComicHeart, os livros da Bonelli (Dylan Dog, etc...), que tinham outros parceiros e alguns projectos adicionais que ainda não saíram (sobretudo na área do franco-belga) numa empresa distinta.

Nesse sentido, todas essas pessoas ligadas a esses projectos, em associação com a G. Floy, criaram uma nova editora, A Seita (da BD!). Tudo o resto se mantém igual. A G. Floy continuará a editar os seus projectos de BD que co-produz a partir do mercado internacional, e a publicar os seus livros e séries como dantes. A nova editora arrancará com os livros que já tinham sido editados pelas pessoas ligadas ao projecto (mas que na altura eram lançadas com o selo da G. Floy) e começará a fazer os seus lançamentos normais a partir daí. Daí? Não, de hoje! Hoje chega a bancas um novo Dylan Dog (Trevas Profundas, escrito por Dario Argento, o mestre do cinema de terror italiano, e com a arte fantástica de Corrado Roi), o primeiro livro a sair com a chancela d'A Seita!

One-Punch Man #4

Mais um volume desta saga nas bancas.
Saitama decide que o momento é perfeito para participar numa competição de artes marciais. Entretanto Taco de Beisebol Metálico, herói de Classe S é encarregue da protecção de um director da Associação de Heróis e do seu filho, sem suspeitar dos problemas que vai encontrar.

One-Punch Man #10, Yusuke Murata e One, Devir, 212 pp., p&b, capa flexível, 9,99€

8 de outubro de 2019

Top das vendas de Bd em França de 23 a 29 de Setembro de 2019

1º lugar (=) [2ª semana]
Happy Sex #2
Zep
DELCOURT

2º lugar (=) [5ª semana]
Les Indes fourbes #1
Juanjo Guarnido, Alain Ayroles
DELCOURT

3º lugar (novo)
Yoko Tsuno #29: Anges et faucons
Roger Leloup
DUPUIS

7 de outubro de 2019

Tony Chu #12: Maus Vinhos

Este é o volume final de Tony Chu, a série sobre o agente federal cibopata capaz de obter impressões psíquicas daquilo que come. Vão ser resolvidos mistérios, revelados segredos, e vão ser perdidas muitas vidas. Sim, isto é o fim da linha para o best-seller do New York Times, vencedor de múltiplos prémios Eisner e Harvey, a série sobre cozinheiros, canibais, canalhas, chuis (má aliteração!) e clarividentes!

A conspiração da carne de galinha e das letras de fogo no céu é finalmente desvendada, mas o preço é muito alto e terrível. Tony terá de enfrentar mais uma tragédia e tomar uma decisão fatídica sobre o futuro do planeta Terra!

Reúne os números #56-60 de Chew bem como a obra-prima moderna da banda desenhada (se nos é permitido dizê-lo!) Poyo: o galo-demónio!

O último volume de uma das mais populares séries que a G. Floy tem vindo a publicar nestes últimos cinco anos, que fez parte do lote de três séries com que a editora iniciou a fase recente de edição em Portugal (com Saga e Fatale), e um marco na edição de BD no nosso país, onde não é comum uma série tão longa ficar completa!

Uma série que satisfaz até à última dentada, e que os fãs terão agora de digerir completamente!

É difícil acreditar que chegámos ao fim disto tudo, mas aqui estamos, no último volume de CHU/Chew, e vão mergulhar no arco de história final, e com mais consequências, claro,” afirma Layman, “Cada volume é como um adeus, e há muitas personagens que não vão chegar ao fim da história. Queremos agradecer a todos os que acompanharam o Tony Chu e os seus amigos ao longo destes doze volumes, e estamos a fazer o melhor que podemos para lhes dar umas despedidas de uma maneira que seja mesmo muito ‘estilo-CHU’. Como o célebre tespiano e filósofo Shia LaBoeuf em tempos talvez tenha dito (provavelmente), ‘que longa e estranha viagem isto foi’

John Layman escreveu comics para inúmeras personagens das principais editoras americanas. Mas Chu (em inglês Chew) tornou-se de longe na sua série mais popular que já lhe valeu dois Prémios Eisner e dois Prémios Harvey. Rob Guillory nasceu, foi criado e vive na Louisiana, e até ao momento em que foi escolhido por John Layman para artista de Chu era um relativo desconhecido. Desde então, Guillory dedicou-se à sua série, tendo encerrado os doze volumes de Chu em finais de 2016.

Tony CHU #12: Maus Vinhos, Rob Guillory e John Layman, G. Floy, 184 pp., cor, capa dura, 16€

6 de outubro de 2019

Jean-Claude Gal - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhador
(França) Digne, 6 de Agosto de 1942 - 23 de Agosto de 1994

Inicia a sua carreira artística em 1972, com a publicação de uma história curta no jornal Pilote. Outras histórias curtas se seguirão, novamente no Pilote, incluindo uma primeira colaboração, em 1973, com Jean-Pierre Dionnet. Esta colaboração leva à realização de um álbum de heroic-fantasy a preto e branco: Os Exércitos do Conquistador. Lançado em 1977, este álbum foi pré-publicado na revista Métal Hurlant. Nos anos seguintes ao lançamento de Os Exércitos do ConquistadorGal tem a oportunidade de fazer várias histórias curtas para a revista Métal Hurlant. Em 1981, vê o lançamento de um título feito há mais de dez anos, L'Aigle de Rome. Esse mesmo ano é especialmente marcado pela publicação da primeira parte da saga de Arn com La Vengeance d'Arn, primeira parte de uma violenta história de heroic-fantasy, novamente desenhada em preto e branco e escrita por Jean-Pierre Dionnet. Devido ao extremo cuidado no seu trabalho, o final da saga de Arn, Le Triomphe d'Arn, só surge em 1988. A série Diosamante, lançada em 1992, dará a Gal a oportunidade de fazer o seu primeiro álbum inteiramente em cores directas, com argumento de Alejandro Jodorowsky. Se o contexto dessa história permanece ancorado na heroic-fantasy, os temas abordados por Alejandro Jodorowsky e o uso da cor diferenciam Diosamante dos trabalhos anteriores de Gal. Quando morre em 1994, Gal trabalha na sequência de Diosamante, da qual já havia realizado várias pranchas. O projeto de continuação da série nasce em 2002, com desenho de Igor Kordey.

Séries publicadas em Portugal:

One-shots publicados em Portugal:
  • Um povoado perdido, à espreita (Un village perdu, à flanc d'abîme), 1973, Gal e Jean-Pierre Dionnet, Jornal da BD #69
  • Os exércitos do conquistador (Les armées du conquérant), 1977, Gal e Jean-Pierre Dionnet, Álbum Levoir [2016]
[actualizado em 06.10.2019]

Juvebêdê #76

Chegou-me o número de Julho de 2019 da revista de divulgação bedéfila, a Juvebêdê, Além de muitas breves sobre lançamentos editoriais e alguns eventos, o numero 76 traz-nos reportagens sobre os festivais de BD de Coimbra e Beja. O presente número não esquece Geraldes Lino, com uma breve homenagem.

Juvebêdê #78, Julho de 2019, 24 pp., cor

5 de outubro de 2019

Red Ryder - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Western
(EUA) Newspaper Enterprise Association, 6 de Novembro de 1938
Fred Harman (argumento e desenho)
Estreia em Portugal: Mundo de Aventuras (1ª fase), 26 de Abril de 1952
Outras publicações: Águia, Ciclone, Condor Mensal, Condor Popular, Enciclopédia "O Mosquito", Jornal do Cuto, Selecções do Mundo de Aventuras, Tigre (1ª série), Álbum Pirâmide

Red Ryder é um vaqueiro norte-americano imaginado pelo empresário Stephen Slesinger e desenhado por Fred Harman (o autor de Bronco Pellos).

A série começou a ser distribuída em 6 de Novembro de 1938, logo em prancha dominical,  pela Newspaper Enterprise Association e, dez anos depois, era publicada em mais de 750 jornais para uma audiência de 14 milhões de leitores. A 27 de Março de 1939 inicia-se a tira diária, começando Harman a necessitar da ajuda de outros artistas, não creditados, como Jim Gary (o autor do Rei da Polícia Montada), John Wade HamptonEdmond Good e Robert MacLeod. Este último assume a responsabilidade da série quando Harman se retira em 1963 para se dedicar à pintura e à sua recente associação Cowboys Artists of America.

Red era um rude vaqueiro que trabalha na fazenda Painted Valley em Blanco Basin, na Cordilheira de San Juan com sua tia, a Duquesa (Duchess) e o seu companheiro, Little Beaver (Pequeno Castor). Os restantes personagens são o capataz Buckskin Blodgett, a namorada de RedBeth, e o bandido Ace Hanlon. O cavalo de Red é o Thunder Papoose o de Little Beaver. As aventuras de Red Ryder versam o combate à criminalidade, nomeadamente, o combate a ladrões de cavalos e outros vigaristas profissionais. Red Ryder tinha a particularidade de nunca matar os criminosos, tentando sempre desarmá-los.

O sucesso da série desperta a venda de licenças para novelas, programas de rádio, rodeios e bonecos como o célebre kit Red Ryder. Entre 1940 e 1957, a série é publicada em formato comic-book. Na televisão e no cinema, Red Ryder é adaptado, na década de 40 do século passado, em mais de 35 filmes e séries. 

Quadriculografia portuguesa:
  • Assalto à caravana, Condor Mensal #23
  • Frente a frente, Condor Popular #6-Vol. 10
  • Os azares do tio Feliciano, Condor Popular, #10-Vol. 19
  • Quem não arrisca, Condor Popular #7-Vol. 18
  • 1949/12/26-1950/03/14 - Os assaltos misteriosos, Jornal do Cuto #98
  • 1950/03/20-1950/07/01 - Luta desigual, Enciclopédia «O Mosquito» #2 
  • 1951/10/21-1952/01/20, Mundo de Aventuras (1ª fase) #141 a #153
  • 1952/03/30-1952/06/21 - Os traficantes, Mundo de Aventuras (1ª fase) #686
  • 1953/06/08-1953/09/18 - Contrabando, Mundo de Aventuras (1ª fase) #305 a #326
  • 1954/08/16-1954/10/30 - A mina de oiro, Ciclone #7
  • 1954/11/01-1954/12/18 - O torneio infantil, Condor Popular #9-Vol. 9
  • 1954/12/05-1955/02/27 - O segredo de Buster Silvestre, Águia #56
  • 1954/12/29-1955/02/19 - O pequeno órfão, Mundo de Aventuras (1ª fase) #379 a #385
  • 1955/02/21-1955/04/16 - A vingança do encapuzado, Condor Popular #2-Vol. 7
  • 1955/03/06-1955/09/04 - Um caso de amnésia,  Tigre (1ª série) #2
  • 1955/04/18-1955/06/08 - Casamento contrariado, Mundo de Aventuras (1ª fase) #347 a #356
  • 1955/06/09-1955/06/18 - Quem lhe dói o dente..., Mundo de Aventuras (1ª fase) #408 a #409
  • 1955/06/20-1955/08/20 - A venda do rancho, Condor Popular #5-Vol. 9
  • 1955/08/22-1955/12/27 - A morte espreita, Tigre (1ª série) #45
  • 1956/01/02-1956/03/03 - Viagem perigosa, Condor Popular #2-Vol. 11
  • 1956/01/22-1956/03/11, Mundo de Aventuras (1ª fase) #448
  • 1956/03/05-1956/04/28 - O segredo da mina abandonada, Condor Popular #8-Vol. 13
  • 1956/03/18-1956/04/29 - Os azares de Pedro Coyote, Mundo de Aventuras (1ª fase) #457
  • 1956/04/30-1956/06/23 - A venda de gado, Condor Popular #1-Vol. 14
  • 1956/06/25-1956/07/21 - Caçada perigosa, Condor Popular #2-Vol. 14
  • 1956/07/23-1956/09/29 - O assalto ao banco, Condor Popular #5-Vol. 14
  • 1956/09/09-1956/11/25 - Vizinhos perigosos, Mundo de Aventuras (1ª fase) #612
  • 1956/10/01-1956/12/29 - O regresso de Susana, a terrível, Tigre (1ª série) #51
  • 1956/12/02-1957/02/24 - O regresso de Zeke O'Conner, Mundo de Aventuras (1ª fase) #580
  • 1957/01/01-1957/03/30 - A vingança dos malfeitores, Condor Popular #2-Vol. 15
  • 1957/04/01-1957/07/18 - Um caso de amnésia, Tigre (1ª série) #66
  • 1957/06/09-1957/08/25 - Na pista dos malfeitores, Águia #15
  • 1957/07/22-1957/11/16 - Gigantes do Oeste, Tigre (1ª série) #96
  • 1957/09/01-1958/01/02 - A fotografia reveladora, Mundo de Aventuras (1ª fase) #584
  • 1957/11/18-1958/01/25 - Caçada perigosa, Condor Popular #4-Vol. 16
  • 1958/01/19-1958/03/02 - O tesouro escondido, Águia #23
  • 1958/01/27-1958/02/22 - Atraso fatal, Mundo de Aventuras (1ª fase) #589
  • 1958/02/24-1958/05/31 - O rapto de Susie, Mundo de Aventuras (1ª fase) #555
  • 1958/03/09-1958/06/01 - Perdidos no subterrâneo, Mundo de Aventuras (1ª fase) #620
  • 1958/06/02-1958/09/13 - Viagem tormentosa, Mundo de Aventuras (1ª fase) #544
  • 1958/06/08-1958/09/14 - O roubo do mapa, Águia #38
  • 1958/09/15-1959/01/03 - Aventura em Londres, Tigre (1ª série) #83
  • 1958/09/21-1958/02/14 - Perdidos no subterrâneo, Mundo de Aventuras (1ª fase) #628
  • 1958/12/25-1959/03/08 - As desventuras de Coyote Pete, Mundo de Aventuras (1ª fase) #591
  • 1959/01/05-1959/05/16 - Chantagem infrutífera, Tigre (1ª série) #74
  • 1959/03/15-1959/06/14 - O regresso de Susana, Mundo de Aventuras (1ª fase) #595
  • 1959/05/18-1959/08/14 - A vida por um fio, Mundo de Aventuras (1ª fase) #567
  • 1959/06/21-1959/09/13 - Coyote Pete o trovador, Condor Mensal #2
  • 1959/09/20-1959/11/15, Mundo de Aventuras (1ª fase) #627
  • 1959/11/09-1969/02/13 - Duelo no mar, Mundo de Aventuras (1ª fase) #573
  • 1960/01/22-1960/01/31 - As férias do Pequeno Castor, Mundo de Aventuras (1ª fase) #598
  • 1960/02/07-1960/03/27 - O segredo dos gémeos, Mundo de Aventuras (1ª fase) #593
  • 1960/02/15-1960/05/14 - A grande aventura, Mundo de Aventuras (1ª fase) #602
  • 1960/03/04, Mundo de Aventuras (1ª fase) #627
  • 1960/04/10-1960/07/31 - Missão arriscada, Mundo de Aventuras (1ª fase) #634
  • 1960/05/16-1960/07/13 - Erro fatal, Mundo de Aventuras (1ª fase) #609
  • 1960/07/14-1960/08/13 - Traição na pradaria, Mundo de Aventuras (1ª fase) #607
  • 1960/08/07-1960/08/28, Mundo de Aventuras (1ª fase) #660
  • 1960/08/15-1960/11/19 - A fotografia delatora, Mundo de Aventuras (1ª fase) #622
  • 1960/09/04-1960/11/06 - O aprendiz de pistoleiro, Mundo de Aventuras (1ª fase) #604
  • 1960/11/13-1961/04/02 - O tesouro do subterrâneo, Mundo de Aventuras (1ª fase) #653
  • 1960/11/21-1961/02/15 - O rapto do chinesinho, Mundo de Aventuras (1ª fase) #648
  • 1961/01/07-1962/03/24, Mundo de Aventuras (1ª fase) #684
  • 1961/02/16-1961/04/15 - O segredo de Happy Deal, Águia #63
  • 1961/04/09-1961/07/16 - A lei do Oeste, Águia #69
  • 1961/04/17-1961/06/17 - A grande burla, Ciclone #65
  • 1961/06/19-1961/08/05 - Erro fatal, Condor Popular #8-Vol. 24
  • 1961/08/07-1961/10/19 - A lei dos bravos, Mundo de Aventuras (1ª fase) #669
  • 1961/10/01-1961/10/22 - Peripécias no Oeste, Mundo de Aventuras (1ª fase) #679
  • 1961/10/20-1961/12/16 - Vaidade abatida, Mundo de Aventuras (1ª fase) #675
  • 1961/12/18-1962/01/27 - O último recurso, Mundo de Aventuras (1ª fase) #681
  • 1962/01/29-1962/03/17 - Maus vizinhos, Condor Popular #10-Vol. 38
  • 1962/05/07-1962/06/23 - Os quatro fugitivos, Condor Popular #10-Vol. 39
  • 1962/07/30-1962/10/06 - O roubo do banco, Mundo de Aventuras (1ª fase) #752
  • 1962/08/12-1962/10/14 - O charlatão, Condor Popular #6-Vol. 54
  • 1962/10/08-1962/11/24 - O rapto do pintor, Condor Popular #4-Vol. 46
  • 1962/10/28-1963/01/13 - O gorila de papel, Condor Popular #4-Vol. 47
  • 1962/11/26-1963/01/26 - Cabeça a prémio, Águia #117
  • 1963/01/20-1963/03/17 - A grande caçada, Condor Popular #9-Vol. 51
  • 1963/01/29-1963/03/02 - O falso bandido e o falso xerife, Condor Popular #10-Vol. 47
  • 1963/03/24-1963/05/12 - A grande batalha, Condor Popular #2-Vol. 55
  • 1963/04/03-1963/04/30 - Armas perigosas, Selecções (Mundo de Aventuras) #40
  • 1963/05/01-1963/06/22 - A noiva, Selecções (Mundo de Aventuras) #51
  • 1963/08/26-1963/11/30 - A mina de ouro, Selecções (Mundo de Aventuras) #46
  • 1963/10/13-1964/01/05 - Red Ryder vai à cidade, Ciclone #249
  • 1963/12/02-1964/02/17 - O duelo, Condor Popular #7-Vol. 50
  • 1964/02/18-1964/03/24 - O assalto ao banco, Selecções (Mundo de Aventuras) #51
  • Operação difícil!, Águia #51
  • Tempestade no rancho, Mundo de Aventuras (1ª fase) #253 a #286
  • O ladrão, Mundo de Aventuras (1ª fase) #181 a #190
  • [-], Álbum Pirâmide [1981]
[actualizado em 04.10.2019]

3 de outubro de 2019

Promoções na G. Floy


Chegou a altura de uma já habituais promoções da G. Floy. Há muitas novidades e a editora propõe oferta de portes (na encomenda de dois livros), 10% e oferta de portes na encomenda de 3 livros e 20% e oferta de portes na encomenda de 4 títulos ou mais.

Para os membros da lista da editora não há restrições nos livros que desejem adquirir, relembrando-se as últimas novidades e os livros que ainda não entraram em distribuição, mas que estarão prontos a expedir dentro de poucos dias.

Para encomendar e enviar um email para gfloy.portugal@gmail.com.

Novidades disponíveis:
Astonishing X-Men Livro Três - 28€
Ms. Marvel vol. 3: Apanhada - 13€
Deadpool Mata Deadpool - 13€
Saga vol. 9 - 14€
Tony Chu vol. 12: Maus Vinhos - 16€
Harrow County vol. 6: Magia de Raízes - 13€
Descender vol. 4: Mecânica Orbital - 13€
Gideon Falls vol. 1: O Celeiro Negro - 16€
Moonshine vol. 2: Comboio do Tormento - 14€
Huck - 16€
Os Meus Heróis Foram Sempre Drogados - 13€
Jessica Jones vol. 2: Os Segredos de Maria Hill - 14€

O pistoleiro do futuro - Novidade da Escorpião Azul

Violência, armas e tiros... Parece a América do século XXI, mas esta é mais uma entre tantas outras histórias do velho oeste. 
É uma narrativa que conta com os clássicos elementos do faroeste: um pistoleiro com uma mira infalível, mexicanos, índios, conflitos, assaltos, whiskey e cigarros, muitos cigarros! 

Pedro Lopes, o autor, estudou Artes Visuais nos Açores, na ilha Terceira. Fez a sua primeira exposição de caricaturas na maior feira do livro dos Açores: "Outono Vivo". Colaborou ocasionalmente para a revista de BD "h-alt".
"O Pistoleiro do Futuro" é a sua primeira obra.

O pistoleiro do futuro, Pedro Lopes, Escorpião Azul, 48 pp., p&b, capa flexível, 10€

2 de outubro de 2019

Top das vendas de BD em França de 16 a 22 de Setembro de 2019

1º lugar (novo)
Happy Sex #2
Zep
DELCOURT

2º lugar (-1) [4ª semana]
Les Indes fourbes #1
Juanjo Guarnido, Alain Ayroles
DELCOURT

3º lugar (novo)
Les Naufragés d’Ythaq #16: Les Assiégés de Glèbe
Adrien Floch, Christophe Arleston
SOLEIL

1 de outubro de 2019

O filho do Fuhrer - Uma novidade da Escorpião Azul

Neste volume, a acção decorre no longínquo dia 20 de Junho de 1942. As tropas alemãs iniciaram o ataque decisivo ao porto líbio de Tobruk, cuja importância era estratégica para o avanço dos Deutsches Afrikakorps de Hitler. Aquilo que vão descobrir nesta obra de banda desenhada não vem nos livros de história.

O autor, João Gordinho, nasceu em Lisboa em 1969 e desde muito cedo que tem “jeito” para passar para o papel tudo aquilo que o estimula visualmente. Fortemente ligado ao mundo das artes gráficas, tem uma grande paixão pela BD, bem como pelo cartoon. Em 2017, vence o Concurso Nacional de BD da Amadora com a sua história “Os Repórteres de Alepo”. É autor da curta “Onna Bugeisha” que integra a colectânea “Humanus” da Escorpião Azul, editada em 2018.
"O Filho do Fuhrer" é o seu primeiro álbum a solo.

O filho do Fuhrer, João Gordinho, Escorpião Azul, 72 pp., p&b, capa flexível, 12€

30 de setembro de 2019

Entradas na minha biblioteca de BD no mês de Setembro de 2019

Álbuns

  • As serpentes cegas, Levoir, 2019
  • Comanche: obra completa - Volume 2, Ala dos Livros, 2019
  • Os meus heróis foram sempre drogados, G. Floy, 2019
  • O número 73304-23-4153-6-96-8, Levoir, 2019
  • Neve nos bolsos, Levoir, 2019
  • Untertaker #1: O devorador de ouro, Ala dos Livros, 2019
  • Alice num mundo real, Levoir, 2016
  • Café Budapeste, Levoir, 2019

Revistas

  • dBD #136, septembre 2019
  • Revista do Clube Tex Portugal #10, Julho de 2018
  • Tintin c'est l'aventure #2, Septembre-Octobre-Novembre 2019

Livros

  • Corto Maltese et la mer, Éditions Ouest-France, 2017
  • Alix - L'art de Jacques Martin, Casterman, 2018 
  • Tintin du cinéma à la BD, Desclée de Brouwer, 2019

Outros

Alix - L'art de Jacques Martin

Juntamente com Tintin e Blake e Mortimer, Alix é uma figura emblemática da revista Tintin, onde nasceu em 1948 e manteve-se até aos finais da década de 1980. O seu autor, Jacques Martin (1921-2010), foi um dos pilares dos Estúdios Hergé, onde criou as suas próprias séries (Alix e Lefranc) e colaborou nas aventuras de Tintin. A sua estética classicista, influenciada por Hergé e Edgar Pierre Jacobs, apoiou-se sempre numa visão rigorosa da Antiguidade romana.
A presente obra, recentemente entrada na minha biblioteca, recheada de documentos escritos e desenhados por Martin, surge como um catálogo da exposição "Alix - L'art de Jacques Martin", decorrente dos 70 anos da série e que ocorreu em Janeiro de 2018 no Festival Internacional de Banda Desenhada de Angoulême.

Alix - L'art de Jacques Martin, Casterman, 2018, 160 pp., capa dura

29 de setembro de 2019

Descender #4: Mecânica orbital

Continua a grande saga de ficção científica de Jeff Lemire e Dustin Nguyen, que acaba de vencer este ano o seu segundo prémio Eisner para Melhor Arte!

A luta épica de um jovem robô para se manter vivo num universo em que os andróides foram colocados fora-da-lei, e em que caçadores de prémios espreitam em todos os planetas da galáxia. Tim-21, Telsa e Quon conseguem finalmente escapar da Lua Máquina, e partir em busca de um mítico robô ancião que pode ser a chave para o problema dos Colectores. Entretanto, Andy e o seu grupo de indesejáveis perseguem Tim, mas a sua frágil aliança vai ser posta em causa pelas revelações de Broca. Uma odisseia cósmica, dinâmica e emotiva, que lança homens contra máquinas e mundo contra mundo, e uma das grandes space operas da banda desenhada actual.

Lemire consegue continuar a instilar vida nova na sua saga, construindo mais narrativas que se vão integrar nela, e essa mesma sensação de vida nova pode ser vista na arte de Dustin Nguyen, com as suas páginas a mostrar a sua brilhante combinação de explosões de cor vibrantes e de gradientes mais subtis.
Jesse Schedeen - IGN

Jeff Lemire é um autor best-seller do New York Times, com uma carreira como escritor e artista de romances gráficos de sucesso. Venceu em 2008 e 2013 o Shuster Award for Best Canadian Cartoonist, que premeia o melhor artista de BD canadiano. Foi também nomeado oito vezes para os prémios Eisner, e venceu em 2017 com a sua série de super-heróis Black Hammer o prémio de Melhor Nova Série, e de novo em 2019 com Gideon Falls, a série que a G. Floy inaugurou em Julho. Foi também nomeado para sete prémios Harvey e oito Shuster Awards. A sua mais recente obra foi o romance gráfico Roughneck, que a Publishers Weekly descreveu como um livro “poderoso” (e que a G. Floy editará no final de 2019).

Dustin Nguyen é outro artista de comics best-seller dos EUA, conhecido por obras como Wildcats v3.o, The Authority Revolution, Batman, Superman/Batman, Detective Comics, Batgirl e Batman: Streets of Gotham. É um dos mais requisitados artistas actuais de capas para as grandes editoras americanas. Com Descender, Dustin Nguyen venceu por duas vezes o Prémio Eisner para Melhor Arte Pintada (em 2015 e 2019), um dos mais prestigiados dos comics.

Descender #4: Mecânica orbital [reúne os números #17-#21 de Descender], Jeff Lemire e Dustin Nguyen, G. Floy, 120 pp., cor, capa dura, 13€\

Harrow County #6: Magia de Raízes

Mais um volume disponível da série Harrow County, com argumento de Cullen Bunn e arte de Tyler Crook

Neste volume, quando uma das assombrações do condado de Harrow vem pedir ajuda a Emmy, esta descobre com surpresa que uma das suas mais antigas amigas se pode estar a virar contra ela. E, enquanto Emmy se focou obsessivamente nas ameaças externas ao seu mundo, talvez tenha ignorado um problema muito maior a crescer na sua terra...

Este volume reúne os números #21-#24 de Harrow County, o estranho e inquietante conto de fadas southern gothic, criado pelo escritor Cullen Bunn e assombrosamente desenhado e pintado pelo artista Tyler Crook.

Ninguém consegue prever para onde a história de Harrow County vai. Pode acabar em beleza, ou pode acabar no horror. Seja como for, não se consegue parar de ler.
- SciFiPulse

Cullen Bunn é um autor de comics americanos, bem conhecido pelas histórias que escreveu para a Marvel, em particular as suas mini-séries de Deadpool (de que a G. Floy já editou os primeiros dois volumes, estando o terceiro previsto para este mês de Outubro). É também um conhecido romancista de histórias de terror, e autor de inúmeras séries de comics independentes. Tyler Crook trabalhou durante anos na indústria de videojogos, até ao lançamento, em 2011, de Petrograd, uma novela gráfica escrita por Phillip Gelatt, que marcou a sua estreia na BD. Crook venceu também um Russ Manning Award, um prémio atribuído durante os Eisners, e que premeia o trabalho de um estreante no mundo da BD.

Originalmente prevista para seis volumes, o sucesso da série Harrow County levou a que fosse prolongada para um total de oito. 

Harrow County foi considerada:

Melhor Série em Continuação 2015
Melhor Escritor 2015
- Horror News Network

Melhor Série em Continuação 2015
Melhor Escritor 2015
- Ghastly Awards

Harrow County #6: Magia de Raízes [reúne os números #21-#24 de Harrow County], Tyler Crook e Cullen Bunn, G. Floy, 120 pp., cor, capa dura, 13€

dBD #137 (Octobre 2019)

Está em distribuição o número de Outubro da revista francesa de informações e crítica de BD, a dBD.

Eis o índice da edição #137:
XAVIER DORISON / À la une
Ses trois nouveautés laissent deviner un auteur arrivé à maturité. Même s’il porte encore ses doutes, son oeuvre est amenée à vivre de beaux jours.
Actualités / Quoi de neuf ?
Pour ne rien manquer des à-côtés de la bande dessinée.
MANU DIBANGO / Personnalité
C’est par l’entremise du toujours curieux Géant Vert que la porte du studio de ce musicien connu à l’international s’est ouverte.
DANIEL MAGHEN / Enchères
Il l’avait promis. Il l’a fait. Après son départ de Christie’s, il crée sa propre maison de ventes. Courageux !
BATMAN / USA
Si à 80 ans, nous commençons à avoir de l’arthrite et du mal à nous déplacer, Batman, non ! Heureusement, car le super-héros a encore besoin de toutes ses forces pour sauver le monde.
THIERRY SMOLDEREN / One-Shot
Il forme avec Alex Clérisse un duo inattendu et vivifiant pour le 9e art. À la rédaction, on adore leurs (déjà !) trois albums en commun !
LAURENT-FRÉDÉRIC BOLLÉE / Reprise
Bruno Brazil l’a retourné adolescent quand il lisait Tintin. Des années après, profitant des nombreux revivals de la bande dessinée, il convainc les éditions du Lombard de reprendre ce personnage avec son complice Philippe Aymond. My god!
UGO BIENVENU / Nouvelle vague
En très peu de temps, Ugo Bienvenu a « imposé » son dessin, son humour et ses sujets. Vivifiant !
JEAN-YVES LAFESSE / Un peu d'humour
Le spécialiste des caméras cachées s’est posé un instant pour écrire un scénario BD au contenu très punk. No future?
CRITIQUES / Chroniques & Journal des sorties
Par nos journalistes
NINE ANTICO & GRÉGOIRE CARLÉ / Coup de cœur du mois 
Comment définir cet album météorite qu’est Il était 2 fois Arthur ? À vous de juger !
JULIEN NEEL / Jeunesse 
Lou ! dans un tout autre format. Prometteur !
JEUNESSE / Chroniques
Par Philippe Peter 

dBD, octobre 2019, 100 pp., cor, 9,90€

Tintin du cinéma à la BD

Bob Garcia já publicou vários estudos tintinófilos, surgindo com mais uma obra sobre o cinema na obra de Hergé.
Após mais de vinte anos de visionamento de centena horas de filmes, Bob Garcia interessou-se pelas origens da cultura cinematográfica de Hergé, actores e realizadores que o inspiraram nas suas aventuras de banda desenhada, nomeadamente nas de Tintin. "Tintin du cinema à la BD" é o resultado dessas pesquisas, recheado de numerosas referências e influências inéditas e surpreendentes.

Tintin du cinéma à la BD, Bob Garcia, Ed. Desclée de Brouwer, 2019, 273 pp., capa flexível, 19,50€

Os meus heróis foram sempre drogados

Já está nas banca a novela gráfica do universo Criminal, "Os meus heróis foram sempre drogados".

Obra da dupla criadora de The Fade Out: Crepúsculo em Hollywood, vencedor do prémio Eisner para Melhor Série Limitada (2016) e do Galardão BD do Comic Con Portugal para Melhor Álbum Estrangeiro editado em Portugal (2019), e de Criminal, a série policial noir que já valeu a Ed Brubaker o Eisner para Melhor Escritor três vezes, e que venceu os Eisners para Melhor Nova Série e Melhor Série Limitada, "Os meus heróis foram sempre drogados" venceu em 2019 o prémio Eisner para Melhor Romance Gráfico Original.

Ellie sempre teve ideias muito românticas sobre os toxicodependentes. As almas trágicas de artistas atraídos por agulhas e comprimidos têm sido a obsessão dela desde a morte da sua mãe, também ela uma drogada. Mas quando Ellie acaba numa clínica de reabilitação para a alta sociedade, nem tudo é o que parece, e ela vai acabar por encontrar outro tipo de romance... muito mais perigoso. Pelas mãos da dupla Brubaker e Phillips, um conto alimentado a drogas e a cultura pop, de uma jovem rapariga em busca das trevas... e do que ela lá encontra.

Este curto romance gráfico (uma novela gráfica!) ambientado no universo implacável e terrível de Criminal, mete em cena dois jovens a tentar recuperar das suas dependências a substâncias aditivas numa clínica de reabilitação de luxo... dois jovens que se envolvem, e acabam por fazer sobressair um no outro os seus piores traços e hábitos. Obviamente, nem tudo é o que parece, neste conto sobre pessoas que tomam consistentemente as piores decisões possíveis, magoando tudo e todos à sua volta, e a si próprios.

"Os meus heróis foram sempre drogados" talvez seja uma das histórias mais pessoais que Ed Brubaker já contou em banda desenhada: muitos dos acontecimentos e da caracterização das personagens são baseados nas lembranças e memórias que o escritor tem da suia juventude. “A minha mãe era dependente, e eu cresci a ir com ela a reuniões dos alcoólicos anónimos, dos meus oito anos em diante, ia com ela pelo menos uma vez por semana. Tinha de ficar lá, calado, a ouvir pessoas a contarem as suas histórias, a chorarem e agradecerem uns aos outros pelo apoio, numa sala cheia de fumo, que cheirava a tabaco, mofo e café. Foi uma das experiências formativas das minha vida como escritor, e algo com que me tenho debatido. Desde muito novo que sabia tudo sobre agarrados e bêbados, e dava comigo a romantizar as dependências, como se fossem uma maldição de família que me ia apanhar. E creio que sempre quis escrever sobre isso. Sobre como podemos crescer a admirar pessoas ‘fracturadas’, e como, no fundo, todos estamos fracturados.

Desenhado por Sean Phillips num dos seus momentos mais depurados e visualmente impressionantes, "Os meus heróis foram sempre drogados" conta também com as cores impressionantes de Jacob Phillips, que enche as suas páginas com cores variadas e surpreendentes - azuis, pastéis, amarelos pálidos... Em vez de cores planas, são dispersas, manchadas, inquietas, criando um efeito dinâmico e transbordando de vida, longe dos tons escuros e quentes que marcam as páginas da série principal de Criminal. "Os meus heróis foram sempre foram drogados" foi também o livro que relançou a série, depois de alguns anos de interrupção; depois de editar a fase inicial (que ficará completa em meados de 2020), a G. Floy irá atacar a nova série em finais de 2020.

Os meus heróis foram sempre drogados (My Heroes Were Always Junkies), Ed Brubaker e Sean Phillips, G. Floy, 72 pp., cor, capa dura, 13€


28 de setembro de 2019

O Caminho do Oriente - 2º volume

Em meados de Outubro sairá o segundo volume da versão colorida de O Caminho do Oriente, numa edição de José Pires. O primeiro volume esgotou a sua tiragem de 40 cópias. Para os interessados, contactar gussy.pires@sapo.pt

Tintin c'est l'aventure #2

Numa parceria com a Fundação Hergé, a GEO lançou o segundo número desta revista trimestral. Além das várias separatas, a revista contempla-nos com alguns artigos interessantes como:

  • Îles, terres d'imaginaire - uma busca na literatura e na BD de ilhas que conquistaram o nosso imaginário;
  • Entrevista com o tintinólogo Michel Serres;
  • À la recherche du Yéti - Em busca do abominável homem das neves;
  • De Zaharoff à Bazaroff - Itinerário de um comerciante de armas;
  • Entrevista com o desenhador Emmanuel Lepage;
  • L'Afrique rêvée des sorciers.
 Tintin c'est l'aventure #2, sept-ont-nov 2019, 136 pp., cor, 15,99€

27 de setembro de 2019

Cartaz do 30º Festival de Banda Desenhada da Amadora - 24/Outubro a 3/Novembro


Casemate #129 (Octobre 2019)

O número de Outubro da revista Casemate está nas bancas portuguesas.

O sumário desta edição é a seguinte:
P.4-6 Alléluia, Sœur-Marie Thérèse revient parmi les siens !
P.8-10 Hubert sculpte de drôles d’oiseaux avec Le Boiseleur
P.12-16 Closets revient sur l’amitié entre Einstein et Haber
P.18-20 Rouge passé, une terroriste sur le chemin de la rédemption
P.22-23 Journorama, revue de presse de l’actu BD
P.24-29 Riff Reb’s adapte le Vagabond des étoiles de London (+4 planches)
P.30-35 Sfar explore l’adolescence de Zlabya dans le Chat du Rabbin (+4 planches)
P.36-41 Hérenguel fait de Kong le roi d’un New York destroy (+4 planches)

Cahier spécial Mattéo #5 • 32 pages
Après les tranchées, la révolution bolchévique et les bourgeois de Collioure, Jean-Pierre Gibrat retient son Mattéo dans la terrible guerre civile espagnole. Celle qui change les hommes, mais aussi les femmes. (+20 planches commentées).

P.43-52 Une sélection de 36 BD à découvrir en octobre
P.54-58 Agenda : les 416 sorties d’octobre, les festivals et les expos
P.58-63 Charlie Chaplin, un triomphe entre ombre et lumière (+3 planches)
P.64-69 Merwan règle les querelles de 2068 à la balle au prisonnier ! (+4 planches)
P.70-75 Senso, histoire de rencontres et rapprochements pour Alfred (+4 planches)
P.76-79 Avril dans le calme régénérant de ses Isolated Houses
P.80-81 Perriot se décarcasse pour Soutine
P.82 Le courrier du mois à la loupe

Casemate #129, octobre 2019, 114 pp., 9,00€

26 de setembro de 2019

Chester Gould - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhador, argumentista
(EUA) Pawnee, 20 de Novembro de 1900 - Woodstock, 11 de Maio de 1985

Gould é o criador da série Dick Tracy, que escreve e desenha de 1931 a 1977. Estuda desenho por correspondência, trabalhando por um período curto em Oklahoma, desenhando cartoons desportivos.
Vence o Prémio Reuben da Sociedade Nacional de Cartunistas em 1959 e 1977. Em 1980, os Mystery Writers of America homenageiam Gould pelo seu trabalho com um Prémio Especial Edgar. Em 1995, a tira de Dick Tracy é uma das vinte incluídas na série de quadradinhos comemorativos da Comic Strip Classics.
De 1991 a 2008, a arte e os artefactos da carreira de Gould são exibidos no Museu Chester Gould-Dick Tracy no Old Courthouse, na Praça de Woodstock, Illinois. Os visitantes do Museu viram histórias em vinhetas originais, correspondência, fotografias e muitas recordações, incluindo a prancheta e a cadeira de desenho de Gould. Em 2000, o Museu recebe um Prémio de Realização Superior da Associação de Museus de Illinois e, em 2001, recebe um Prémio de Excelência da Sociedade Histórica do Estado de Illinois. O museu continua hoje como um museu virtual online.
Gould aposenta-se em 25 de Dezembro de 1977 e morre em 1985, em Woodstock, Illinois, devido a insuficiência cardíaca congestiva.
Em 2005, Gould entra no Hall Of Fame dos Cartunistas de Oklahoma em Pauls Valley, Oklahoma.

Séries publicadas em Portugal:

[actualizado em 26.09.2019]

Colecção Novela Gráfica #13: Café Budapeste

Termina hoje a colecção da Levoir/Público com a publicação do volume Café Budapeste, o último volume da colecção da 5ª série das Novelas Gráficas.

Zapico é o autor e ilustrador de Café Budapeste, uma novela gráfica sobre judeus sobreviventes da Shoá na Guerra da Independência. Depois de se ter estreado no mercado francês, construiu uma carreira em Espanha, em que Café Budapeste é a sua carta de apresentação e onde se mostra um hábil narrador. Alfonso Zapico é também autor de Gente de Dublin, a biografia gráfica de James Joyce, que os leitores portugueses já tiveram oportunidade de ler, (editado pela Levoir e o Público em 2018), livro nomeado para o prémio de melhor obra espanhola no Salón Internacional del Cómic de Barcelona em 2012, e com o qual venceu o Premio Nacional del Cómic.

Yechezkel Damjanich é um jovem violinista judeu que vive com a sua mãe doente na devastada Budapeste do pós-guerra. Para fugir à miséria, “Chaskel” diminuitivo pelo qual é tratado em família, pede ajuda ao tio Yoséef Nagy, que vive na Palestina, onde dirige o Café Budapeste, um lugar pitoresco perto da Cidade Velha, onde judeus, árabes e ocidentais coexistem … Um oásis efémero de harmonia onde as notas do violino de Yechezkel vão dar lugar ao estrondo dos obuses de Davidka, bombas árabes, ódio e destruição.

Neste ambiente de intolerância e violência a paixão de Yechezkel por Yaiza, uma jovem de origem árabe, enfrenta ainda maiores desafios. Mas isso não os impedirá de procurarem a felicidade, numa cidade em guerra, onde o Café Budapeste é um dos últimos espaços de paz e tolerância.

Alternando de forma hábil a realidade histórica — e as questões políticas e geoestratégicas inerentes a um dos momentos mais importantes da história do século XX, a formação do Estado de Israel, cujas consequências ainda hoje se fazem  sentir na região — com os dramas pessoais de Yechezkel e da sua família, Zapico constrói uma história cativante, que é um hino à tolerância e à paz entre os homens, independentemente da etnia ou credo.
    
Colecção Novela Gráfica #13: Café Budapeste, Alfonso Zapico, Levoir/ Público, 160 pp., p&b, capa dura, 10,90€

Conversas com os putos e com os professores deles

Ser professor em Portugal é mais ou menos como ser árbitro de futebol. Um tipo anda por ali a tentar controlar vinte e tal pirralhos injustiçados enquanto é mimado por todos os lados com uma variedade de insultos que se vão ramificando pela sua árvore genealógica acima, sem ter o direito de poder passar-se da cabeça, bater em alguém ou sequer responder ao mesmo nível. 
Quer-se dizer… pode responder ao mesmo nível. E até bater em alguém. Pode…
Só que depois é brindado com um processo disciplinar assinado por alguma indignada sumidade da Educação que provavelmente passa os Domingos, rodeada de gente pouco escolarizada ou bem instalado no camarote de algum criminoso, num estádio a insultar árbitros.

Neste terceiro livro da série Conversas com os Putos temos acesso a algumas coisas que o stôres dizem fora das aulas. 
Há de tudo. Desde burros ignorantes com as palas bem fechadas para se protegerem daquilo que não compreendem, a profissionais competentes já meio avariados da psique. 
Não é à primeira vista que se distinguem uns dos outros. 
O resultado do seu trabalho só é perceptível anos mais tarde. Está bem à vista na programação televisiva, nos resultados das eleições e no número de licenciados que emigram.

Conversas com os putos e com os professores deles, Álvaro, Insónia, 80 pp., p&b, capa mole, 11€

25 de setembro de 2019

Top das vendas de BD em França de 9 a 15 de Setembro de 2019

1º lugar (=) [3ª semana]
Les Indes fourbes #1
Juanjo Guarnido, Alain Ayroles
DELCOURT

2º lugar (=) [3ª semana]
XIII #25: The XIII History
Iouri Jigounov, Yves Sente
DARGAUD

3º lugar (=) [2ª semana]
Centaurus #5: Terre de mort
Zoran Janjetov, Leo, Rodolphe
DELCOURT