28 de fevereiro de 2018

Spirou [2ª série] - Ensaio de quadriculografia

Ficha técnica:
Datas de publicação:
#1 (10 de Abril de 1979) a #32 (13 de Novembro de 1979)
Dimensões aproximadas: 190x275 mm
Cor: 4 cores com as quatro páginas centrais a preto e branco
Periodicidade: Semanal
Preço: 17$50 (do #1 ao 28), 22$50 (restantes números)
Nº de páginas: 32
Director: Vasco Granja
Propriedade: Livraria Internacional, Lda.


Séries publicadas:

One-shots publicados:
  • A vida maravilhosa de Charles Chaplin, José Ruy, #1 a#23
  • Peregrinação de Fernão Mendes Pinto, José Ruy, #25 a #32
[actualizado em 18-2-2015]
PENTÂNGULO é uma publicação anual que mostra resultados de uma parceria entre a Escola Ar.Co e a Associação Chili Com Carne, que aqui unem os seus esforços criando um novo projecto editorial.

Este tem como objectivo conferir visibilidade ao trabalho de novos autores cuja formação tenha sido feita no curso de Ilustração e Banda Desenhada do Ar.Co. Numa relação saudável de partilha entre nomes consagrados e estreantes, a iniciativa conta com a participação de alunos, ex-alunos e professores.

O Departamento de Ilustração/BD do Ar.Co tem vindo a por em prática um modelo pedagógico que privilegia as aplicações específicas da ilustração e banda desenhada em relação ao mercado editorial, tendo para o efeito realizado parcerias com várias entidades ao longo dos seus 18 anos de existência. A Chili Com Carne - e a sua "irmã" MMMNNNRRRG - foi um dos parceiros com quem o departamento colaborou, como o atestam as publicações Brincar com as palavras, Jogar com as palavras, em 2002, e mais recentemente O Andar de Cima de Francisco Sousa Lobo, álbum realizado no âmbito do Ano Europeu do Cérebro, em 2014.

É na sequência destas colaborações que estas duas associações se juntam novamente, para afirmarem os seus lugares próprios na produção de banda desenhada nacional. 

Neste primeiro número colaboram Amanda Baeza, Anna Bouza da Costa, Cecília Silveira, Carolina Moreira, Daniel Lima (capa), Dileydi Florez, Francisco Sousa Lobo, Gonçalo Duarte, Igor Baptista, João Carola, João Silva, Luana Saldanha, Martina Manyà, Mathieu Fleury, Pedro Moura (como argumentista e crítico), Rafael Santos, Rodolfo Mariano, Sara Boiça, Simão Simões, Stephane Galtier, colectivo Triciclo e Vasco Ruivo.

O lançamento oficial foi no dia 27 de Fevereiro com a presença especial de Francisco Sousa Lobo que lançou também o seu livro Master Song, 65º volume da colecção mini kuš! (da Letónia).

O livro está à venda na loja em linha da Chili Com Carne e nas livrarias Linha de Sombra, Tigre de Papel,... e brevemente na Mundo Fantasma, Artes & Letras...

Coleção Oficial de Graphic Novels #60: Demolidor

Chegou ao fim esta colecção de novelas gráficas da Marvel com a chancela da editora Salvat. O último volume reúne as pranchas originais publicadas nos números #169 a #171 e #163 a #167 da revista Daredevil.

Com a missão de levar justiça às ruas de Hell’s  Kitchen, o Demolidor fez muitos inimigos. Agora, o herói cego tem a cabeça a prémio por uma cabala de criminosos — e toda a escória de Nova Iorque quer matá-lo! Contudo, de todos eles, nenhum é tão perigoso nem está tão determinado em eliminar o Homem sem Medo do que o assassino louco, o Mercenário.

Os fãs poderão assistir ao nascer de uma lenda nas páginas deste volume, que reúne as primeiras histórias que Frank Miller desenhou para a revista do Demolidor, talvez o herói ao qual ele ficou mais associado na sua já longa carreira nos comics. Este conjunto de história lançou os alicerces para o que viria a seguir. É fascinante ver como, ao longo de apenas nove números, o estilo de Miller começa a evoluir. Ao trabalhar com os argumentos de Roger McKenzie, começa a experimentar novas formas de representar os sentidos apurados do herói, produzindo páginas com um realismo cru nunca visto nas aventuras do Demolidor. A revista estava a ponto de ser cancelada, mas a combinação de uma linha e direcção novas para os argumentos, estabelecidas por McKenzie – que viria a lançar as bases das sagas que Miller mais tarde escreveria quando já estava à frente dos destinos do Homem sem Medo a solo – e da arte inovadora de Miller, transformariam Daredevil num dos títulos de maior sucesso da Marvel na altura. Duas das histórias são exemplares a esse título, o #163, em que o demolidor enfrenta o Hulk, uma das lutas mais improváveis dos comics, e a outra, no #164, um mergulho na história pessoal do herói que inauguraria quase uma nova maneira de contar histórias de super-heróis.

Coleção Oficial de Graphic Novels #60: Demolidor - Marcado para morrer, Roger McKenzie, Frank Miller e Klaus Janson, Editorial Salvat, 184 pp., cor, capa dura, 11,99€

Colecção I.R.$. #1: Via fiscal + A estratégia Hagen

Inicia-se hoje a nova colecção de BD da parceria Público/Edições ASA com o primeiro volume duplo das aventuras de Larry B. Max da série I.R.$. dos autores Bernard Vrancken (desenho) e Stephen Desberg (argumento). O volume em causa apresenta-nos os dois primeiros episódios da série, já publicados em Portugal na colecção "Os Incontornáveis de BD", 6º volume em 2011.

Sinopse dos episódios:
VIA FISCAL (La voie fiscale, 1999)
Nesta primeira aventura da série I.R.$., ocupa-se de um riquíssimo judeu americano, Moshe Geldhof, conhecido pelo seu compromisso na recuperação dos bens confiscados pelos nazis durante a Segunda Guerra Mundial. O problema é que alguém das suas relações contratou o assassinato, em Los Angeles, de um antigo trabalhador da União dos Bancos Suíços. Vasculhando as contas daquele milionário, Larry empreende uma perigosa viagem até às misteriosas origens da sua imensa fortuna...

A ESTRATÉGIA HAGEN (La stratégie Hagen, 2000)
Na segunda aventura, Geldhof é preso pela polícia americana. Entretanto, a investigação desenvolvida por Larry B. Max começa a tornar-se cada vez mais perigosa. A pista seguida leva-o até Berna, onde toma conhecimento de terríveis acontecimentos relacionados com o campo de concentração de Auschwitz; descobre nomeadamente que sinistras negociações com banqueiros suíços, ainda antes do fim da guerra, tiveram como consequência a obtenção de enormes fortunas por alguns altos dignitários e carrascos do regime nazi...

Colecção I.R.$: Volume 1 - Via Fiscal + A Estratégia Hagen, Stephen Desberg e Bernard Vrancken, 96 pp., cor, capa dura, 11,90€

Top das vendas de BD em França de 12 a 18 de Fevereiro

1º lugar (=) [10ª semana]
Dans la combi de Thomas Pesquet
Marion Montaigne
Dargaud

2º lugar (=) [15ª semana]
Astérix #37: Astérix et la Transitalique
Didier Conrad, Jean-Yves Ferri
Albert René

3º lugar (=) [2ª semana]
Les Rugbymen #16: Le rugby, c’est un sport de compact!
Poupard, BeKa
Bamboo




Edições 70 - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Estado: Activa
Morada: Avenida Fontes Pereira de Melo, 31 - 3º C 1050-117 Lisboa
E-mail: geral@edicoes70.pt
Linkwww.ediçoes70.pt
Telefones: (+351) 21 3190240

As Edições 70 surgiram no início da década de 1970. Nos seus primeiros quatro anos, anteriores ao 25 de Abril de 1974, a editora esteve quase a desaparecer, devido à apertada vigilância exercida pela Censura, que levou à apreensão de diversas obras, levando a editora a sofrer elevadas perdas financeiras. Com o 25 de Abril de 1974 e a abertura cultural, surgiram novos e ambiciosos projectos que se concretizaram nos anos seguintes. Em 1976, iniciaram um processo de intensa cooperação com os PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) permitindo a divulgação de muitas obras e autores desses países. A partir de 1978, começaram a lançar várias colecções, que ainda hoje constituem a imagem de marca da editora e, através das quais, consagraram a sua vocação no âmbito das ciências humanas. Colecções como “O Lugar da História”, “Perspectivas do Homem”, “Arte & Comunicação”, “Biblioteca Básica de Filosofia” e “Textos Filosóficos”. Em 2005, as Edições 70 juntaram-se ao Grupo Almedina, alargando o seu catálogo, podendo continuar, como há mais de três décadas, a reivindicar o seu lema “Por uma cultura viva e livre”.

Séries publicadas:

One-shots publicados:
  • Bancarrota! (Krash!), 1981, Christian Le Toct [1982]
  • O senhor milhão!, (Messire Million!), 1981, Alain Le Tocq e Mark Pellerin [1982]
  • Relatos de guerra (Raconti di guerri), 1983, Hugo Pratt [1986]
  • A cidade dos anjos (La cité des anges), 1988, Villard e Romain Slocombe, [1990]
  • O perfume de um sonho (Rever, peut-être), 1987, Milo Manara [1990]
[actualizado em 13-2-2018]

27 de fevereiro de 2018

Selecções BD [2ª série] - Ensaio de quadriculografia

Ficha técnica:
Datas de publicação: #1 (Novembro de 1998) a #31 (Maio de 2001)
Dimensões aproximadas: [230*300]
Cor: P/B, 4 cores
Preço: 900$00 (#1 ao #18) e 990$00 (#19 ao #31)
Nº de páginas: 84
Periodicidade: Mensal
Director: Maria José Pereira
Propriedade: Meribérica/Liber, Editores, Lda.

Séries publicadas:
Alvar Mayor, Battler Briton, Billy the Kid, Blake e Mortimer, Blueberry, Cabra-cega, Caçadores de Imagens, Cidade, Cisco Kid, Cogito Ego Sum, Condenado do Farol (O), Corto Maltese, Crepúsculo dos Deuses (O), Dallas Barr, Diário de Areia, Era Xenozóica, Fábulas da Bósnia, Garra de Aço, Garth, Histórias Negras, Jérôme Moucherot, Jesuit Joe, Ken Parker, Little Ego, Lucky Luke, Mandrake, Monsieur Jean, Nic, O que há de novo no império?, Robin dos Bosques, Stratos, Thorgal, Tornado, Torpedo 1936, Verídico, Wladimir

One-shots publicados:
  • Franco Sacchetti - Nobela LXIV, 1998, E.T. Coelho, #1
  • A estátua perdida, 1999, Ruy, #4
  • Vinte anos depois (Vingt ans aprés), 1995, Dany e Van Hamme, #4 a #7
  • Carnaval (?), ?, Giardino, #4
  • Um motim popular - Franco Sachetti Novela CLIX, 1998, E.T.Coelho, #6
  • Piero, os sonhos e o tempo (?), ?, Giardino, #7
  • O teatro do mistério (E.P Jacobs dans le théatre du mystère), 1984, Carin e Riviére, #9
  • Nocturno (Nocturne), 1980, Caza, #10
  • O último selvagem (Le dernier sauvage), 1981, Dany, #10
  • Sobre um falso nome (Sotto falso nome), Giardino, #11*
  • Fantasmas, ?, Altuna e Trillo, #12
  • Senaquerib, rei da Assíria, 1999, E.T.Coelho, #12
  • L'lobo (?), ?, Caza, #13
  • Marilyn Monroe (Marilyn Monroe : A Girl's Best Friend), 1985, Blanc-Dumont e Dufaux#15
  • Húmida e distante (Umida e lontana), Giardino, #16*
  • Charlie Chaplin, o garoto de Londres (Charlie Chaplin : Le gosse de Londres), 1985, Carin e Riviére, #17 
  • Equinócio (Equinoxe), 1984, Caza, #20 a #21
  • [s.t.], Giardino, #21*
  • A descoberta da Ilha da Páscoa (La découverte de l'ile de Pâques), 1955, Follet e Duval, #22
  • O rei do bosque, 2000, E.T. Coelho, #22
  • S.O.S. Titanic (SOS Titanic), 1983, Ferry e Duval#25
  • Lendas japonesas: Amaterasu, a deusa da luz do sol, 1950, Ruy, #25
  • Mataram Wild Bill (On a tué Wild Bill), 1999, Herman, #25 a #27
  • A consoada de Candy Sand (Le réveillon de Candy Sand), 1957, E.T.Coelho,#26
  • Heyoka (Heyoka), 1981, Cosey, #27
  • Linha azul (Lune bleue), 1999, Follet e Vehlmann, #27
  • O crepúsculo dos heróis (Le crépuscule des héros), 2000, Bodart e Vehlmann, #28
  • Lendas japonesas: As duas rãs curiosas, 1950, Ruy, #30
  • A peste, 2001, E.T.Coelho, #31
  • O deus roubado, ?, Rubio e Trillo, #31
3 histórias do álbum «Férias Fatais»
[actualizado em 1-3-2015]

Coleção Oficial de Graphic Novels da Marvel #59

Está a finalizar esta colecção da Salvat que reúne 60 volumes de novelas gráficas da editora norte-americana Marvel. O penúltimo número da colecção intitula-se "Marvel - A união faz a força" dos artistas Chris Claremont e John Byrne.

Neste volume, alguns dos mais poderosos heróis Marvel unem forças com o Incrível Homem-Aranha em A União Faz a Força! Testemunhem os combates do Cabeça de Teia lado a lado com ícones tais como o Poderoso Thor, o Tocha Humana, Punho de Ferro, Luke Cage, Capitão Bretanha e a Vespa, contra alguns dos piores vilões de sempre da Marvel!

Marvel Team-Up foi a segunda revista mensal que a Marvel lançou com o Homem-Aranha como herói, depois do imenso sucesso que vinha tendo durante a década de 60. A partir de 1972, os fãs da Marvel puderam encontrar nas bancas um título em que, como o nome indicava, o Homem-Aranha juntava forças a outros heróis da Casa das Ideias. O conceito tinha um potencial quase ilimitado. As histórias fluíam a um ritmo alucinante, quase sem dar tempo ao nosso herói de recuperar o fôlego entre as aventuras. Também proporcionou a vários escritores e ilustradores a oportunidade de lançarem o Aranhiço numa verdadeira digressão pelo Universo Marvel, apresentando-o a personagens que normalmente não apareciam na sua revista principal.

A revista durou na sua primeira encarnação 150 números, e de todos os escritores e artistas que nela trabalharam, a dupla Chris Claremont e John Byrne foi das mais famosas. Pode-ser dizer que, de certa maneira, o êxito fulgurante que os dois tiveram na mesma época com os X-Men fez com que estas histórias dinâmicas, divertidas e originais tenham caído um pouco no esquecimento, mas a verdade é que o seu trabalho proporcionou uma das melhores fases do título.

Por isso leiam, e vejam como dois dos maiores criadores da Marvel conduzem o Homem-Aranha numa verdadeira montanha-russa de aventuras pelo Universo Marvel, com resultados verdadeiramente impressionantes!

Coleção Oficial de Graphic Novels da Marvel #59: Marvel - A união faz a força, Chris Claremont e John Byrne, Editorial Salvat, 224 pp., cor, capa dura, 11,99€

O Top das melhores vendas de álbuns de BD em França no ano de 2017

1º lugar (1.600.000 exemplares)
Astérix et la Transitalique

2º lugar (175.000 exemplares)
Titeuf #15: Á fond le slip!

3º lugar (169.000 exemplares)
Tintin au pays des soviets (version couleur)



Selecções BD [1ª série] - Ensaio de quadriculografia

Ficha técnica:
Datas de publicação:
#1 (Abril de1988) a #44 (Dezembro de 1991)
Dimensões aproximadas: 235x310 mm
Cor: P/B, 4 cores
Periodicidade: Mensal
Director: Orlando Campos
Propriedade: Meribérica/Liber, Editores, Lda.


Séries publicadas:

One-shots publicados:
  • A caçada (partir de chasse), 1982, Enki Bilal e Pierre Christin, #1 a #6
  • O bobo, 1956, José Ruy, #6 a #11
  • Um homem particular, Franco Saudelli e Roberto Dal Prá, #10 
  • Pilatoriam, Juan Jimenez e Fernando Rubio, #12
  • O pequeno muro do Atlântico (Le petit mur de l'Atlantique), 1988, Jean-Claude Denis, #12
  • Fantasmas, Horacio Altuna e Carlos Trillo, #12
  • Navegadores do infinito, Victor Mesquita, #12
  • Carmen, Rúben Pellejero e Jorge Zentner, #13
  • O «franciú» de Malasaña (Le franchoute de Malasana), 1988, Florence Clavé, #14
  • O anjo rejeitado (L'ange déchu), 1988, Daniel Redondo e Gregorio Harriet, #15
  • Perico, Rúben Pellejero e Jorge Zentner, #15
  • Comédias, Rúben Pellejero e Jorge Zentner, #17
  • O cavaleiro branco (Le chevalier blanc), 1988, Alfonso Font, #19
  • Verão, Rúben Pellejero e Jorge Zentner, #21
  • O último voto, Will Eisner, #21
  • Notícias da China, Luís Diferr, #23
  • Viagem a Itália - 1 (Voyage en Italie - 1), 1988, Cosey, #26 a #28
  • O triunfo dos porcos (La ferme de animaux), 1985, Marc Bati e Jean Giraud, #26 a #28
  • Os fugitivos, Luís Louro e Tó-Zé Simões, #30
  • Game-over, Luís Louro e Tó-Zé Simões, #30
  • Desenhar ou não, Alberto Breccia, #32
  • Louvada seja a ciência, Miguelanxo Prado, #32 
  • Árvore-coração (Arbre-coeur), 1987, Didier Comès, #32
  • A salamandra, Didier Comès, #34
  • Acordes de cristal, Miguelanxo Prado, #35
  • A doninha (La belette), 1981, Didier Comès, #36
  • Demasiado humano, Antonio Garcés e Sanchez Abuli, #36 a #38
  • O processo, ?, Antonio Hernandez Palacios, #37
  • Boa viagem, Bruno Rocco e Ferrané, #38
  • O deus roubado, Carlos Trillo e Fernando Rubio, #38
  • Viagem a Itália - 2 (Voyage, en Italie - 2), 1988, Cosey, #39 a #41
  • Super Surfer, Dave Gibbons e Harvey Kurtzman, #41
  • Selvagens golfinhos, Antoni Guiral e Adolfo Usero, #41
  • Captain Bleed, Sérgio Aragones e Harvey Kurtzman, #41
  • O tigre de Jaipur, Antoni Guiral e Adolfo Usero, #42
  • O oásis, Alfonso Font, #42
  • O insondável (L’impénétrable), 1981, Alfonso Font, #43
  • A vampire named Mel, Thomas Bunk e Harvey Kurtzman, #44
[actualizado em 20-2-2018]

26 de fevereiro de 2018

Correio da Manhã - Ensaio de quadriculografia

Estado: Activa
Link: www.cmjornal.xl.pt

Correio da Manhã é um jornal diário matutino português, pertencente ao grupo Cofina e fundado por Vítor Direito. Iniciou a sua publicação em 19 de Março de 1979. Paralelamente, editou algumas colecções de álbuns de BD vendidas com o jornal.

Séries publicadas:
Batman, Blueberry, Capitão América, Conan, Corto Maltese, Demolidor, Elecktra, Fantasma, Flash Gordon, Garfield, Gaston Lagaffe, Giuseppe Bergmann, Homem-Aranha, Incrível Hulk (O), Lucky Luke, Mafalda, MandrakeMichel Vaillant, Mickey, Mónica, Pateta, Pato Donald, Popeye, Popeye, Quarteto Fantástico, Ric HochetSpirou e Fantásio, Star Wars, Super-Heróis da História de Portugal, Superman, Surfista Prateado, Tarzan, Tex, Tintin, Tio Patinhas, Wolverine, X-Men 

One-shots publicados:

  • A arte de Prado, Miguelanxo Prado [2003]
  • A arte de Moebius, Moebius [2003]
  • A arte de José Carlos Fernandes - Antologia 1992-2005, José Carlos Fernandes [2005]
  • A arte de Jirô Taniguchi: O homem que caminha, Jirô Taniguchi [2005]

[actualizado em 11-2-2018]

Edições ASA - Ensaio de quadriculografia

Ficha técnica:
Estado: Activa
Morada: Rua Cidade de Córdova n.º 2 2610 - 038 Alfragide
Link: www.asa.pt
Telefones: 351 21 427 22 00

Edições ASA é a chancela da ASA Editores, S.A., uma editora portuguesa. O seu nome é composto pelas iniciais do nome de seu fundador, Américo da Silva Areal. A empresa foi fundada em 1951, e hoje é conhecida no mercado do país pelos seus manuais escolares para o ensino primário, preparatório e liceal. Possui um portefólio de autores e de colecções bastante alargado. Inicialmente mais vocacionada para a literatura, incluindo a infanto-juvenil, poesia, a arte, a arquitectura, e outros, desde 2002 aposta na banda desenhada, tanto de autores internacional como nacionais. Pertence ao grupo Leya.

Séries publicadas:
Adéle Blanc-Sec, Adler, Águias de Roma (As), Alix, Altor, Aquablue, Armazém Central, Âromm, Asteroid Fighters, Astérix, Astro Boy, Atalanta, Aventura Olímpica (A), Batalha das Ardenas (A), Billy the Cat, Blacksad, Blake & Mortimer, Blueberry, Bombeiros (Os), BórgiaBoss (O), Bouncer, Break Point, BRK, Campistas (Os), Catarina, Chuis (Os), Ciclo de Cyan (O), Cidades Obscuras (As), Clic (O), Comerciais (Os), Contos Tradicionais Portugueses, Corto Maltese, Corvo (O), Cosmonautas do Futuro (Os), Cristóvão Colombo, Decálogo (O), Despertar, Destino Adiado, Detective de Hollywood (O), Dilbert, Diosamante, Dossiers de Olivier Varese (Os), Dragon Ball, Dramacon, Enviado (O), Era uma Vez, Escorpião (O), Estrela do Deserto (A), Eu quero o Príncipe Encantado, Face de Lua, Fadas e Ternos Autómatos, Filipe Seems, Fol, Forte Wheeling, Franky Snow, Funcionários (Os), Gato do Rabino (O), Gipsy, Giuseppe Bergman, Guia, Hannah, Hellgate: London, Herb Krox, História de Portugal em BD, História dos Jogos Olímpicos, Histórias da Avozinha (As), Homodonte, Humpá-Pá, Informáticos (Os), Inimigo (O), Inventores Tantan (Os), Iznogoud, Jennifer Jones, Jim Cutlass, Jim del Mónaco, Jimmy Boy, João Pistolão, Joe Bar Team, Juan Solo, Ken Parker, Kid Lucky, Lama Branco (O), Lendas de Portugal em BD, Ligue-me ao Céu, Lucky Luke, Lucky Luke (As aventuras de), Mahou, Malika,  Maria Calafrio, Marsupilami, Memórias de Telma Ritter, Menino Boavida (O), Mestres Cervejeiros (Os), Michel Vaillant, Modeste & Pompon, Mort Cinder, Mottards, Muchacho, Mundo de Arkadi (O), Mundo de Edena (O), Munro, Mureña, Nikopol, Nino, Nomad, Oh, miúdas!, Origens de Portugal com Humor, Países Perdidos (Os), Passageiros do Vento (Os), Perdidos no Tempo, Philip & Francis, Porto Bomvento, Princesa Pêssego (A), Príncipe Valente, Quarto Poder (O), Rantanplan, Rapaces, Ray Banana, Rei Catástrofe (O), Rei Verde (O), Religiões da Bíblia (As), Replay, Ric Hochet, Roque & Folques, Rourke, Salamão & Mortadela, Senhor Texugo e a Senhora Raposa (A), Sete Vidas do Gavião (As), Silêncio, Spirou & Fantásio, Taka Takata, Ted Kirk, Tetratologia do Monstro, Thorgal, Thorint, Tintin, Titeuf, Tobias Bigom, Tramp, XII (Treze)Túnicas Azuis (Os), Under Siedge, Valérian, Vaz Taborda, Velho Louco, Verdade Sobre (A), Viagens do Juan sem Terra (As), Voo do Corvo (O), Warcraft, WEST, Wolverine, Yu-Gi-Oh!

One-shots publicados:
  • Trilogia com Tejo ao fundo, Victor Mesquita
  • À procura do fim, António Jorge Gonçalves e Artur Silva
  • História da Fórmula 1: 1950-1984, ?, Robert Bressy e Bert Marchal [1987]
  • João e o pé de feijão, Juliette Lévéjac [1987]
  • História dos Campeonatos do Mundo de Futebol (Histoire de la coupe du monde), 1981, Robert Bressy e André Manguin [1988]
  • Bartolomeu Dias, 1989, José Garcês e Carmo Reis [1988] (existe uma edição em inglês)
  • Infante D. Henrique, 1989, Baptista Mendes e Margarida Brandão [1989]
  • História de Macau, 1989, José Ruy [1989] (existe uma edição em mandarim)
  • Os dias de Bartolomeu, 1989, Nuno Saraiva [1989]
  • Fragmentos angolanos, Lito Silva, Sérgio Piçarra, Hugo Fernandes e Henriques Abranches [1989]
  • Massala, o leopardo, 1989, Lito Silva e Henriques Abranches [1989]
  • Os bucaneiros do KK, 1989, Sérgio Piçarra e Henrique Abranches [1989] 
  • Grandes catástrofes (Grandes catastrophes), 1984, Ferry e Yves Duval [1989]
  • O tambor + A embaixada, 1990, José Garcês e Jorge Magalhães [1990]
  • Os anos de fogo 1933-1945 (Les années de feu 1933-1945), 1982, Michel Schetter [1990]
  • A batalha das Ardenas (Bastogne), 1984, Willy Harold Vassaux e Pierre Lepage [1990]
  • Camões, 1990, Carlos Alberto [1990]
  • As mil e uma noites, 1990, Fernando Bento e Adolfo Simões Muller [1990]
  • A batalha das Ardenas (La bataille des Ardennes), 1984, Pierre Lepage e Willy Vassaux [1990]
  • Contos para a infância de Guerra Junqueiro, 1990, Catherine Labey e Jorge Magalhães [1990]
  • A ilha do tesoiro, 1991, Fernando Bento [1991]
  • Operação Comics (Opération Comics), 1991, Alain Grand [1991]
  • Contos para a infância, 1991, Catherine Labey e Jorge Magalhães [1991]
  • Levem-me nesse sonho! - História da cidade da Amadora em BD, 1992, José Ruy [1992]
  • As ilhas da outra face da lua, 1992, Maria Luísa Queirós [1992]
  • A dama, o cisne a sombra (La dame, le Cygne et l'ombre), 1989, Philippe Berthet e David [1992]
  • Contos para a infância de Hans Christian Andersen, 1992, Catherine Labey e Jorge Magalhães [1992]
  • Contos para a infância dos irmãos Grimm, 1992, Catherine Labey e Jorge Magalhães [1992]
  • O eclipse, 1992, José Abrantes [1992]
  • As memórias de Thelma Ritter - O homem de nenhures (Les memoires de Thelma Ritter - Homme de nulle part), 1989, Pierre Nedjar e Ted Benoit [1992]
  • Mataram o rei!... Viva a República!, 1993, José Ruy [1993]
  • Regresso à ilha do tesouro - Volume I, 1993, Fernando Bento e Jorge Magalhães [1993]
  • O buda de marfim + Uma aventura no Oriente,Vítor Péon [1993]
  • Através do deserto + O santuário de Dudwa,José Garcês [1993]
  • Joaninha dos olhos verdes - Volume I, 1993, João Mendonça e Jorge Magalhães [1993]
  • Cor de café (Couleur de Café), 1981, Philippe Berthet e Antoine Andrieu [1993]
  • D. João V - Uma vida romântica, 1994, José Garcês e Mascarenhas Barreto [1994]
  • Alves dos Reis - Uma burla à portuguesa, 1994, José Ruy e Alexandre Honrado [1994]
  • Aventura do passado perdido - Vida e obra de Francisco Martins Sarmento,1994, José Ruy [1994]
  • A voz dos deuses  - Memórias de um companheiro de Viriato, 1994, João Amaral e Rui Cunha [1994]
  • À procura do F.I.M., António Jorge Gonçalves e Nuno Artur Silva [1994]
  • Novos contos das mil e uma noites, 1994, Catherine Labey e Jorge Magalhães [1994]
  • A jóia no vale - História do Mosteiro de Pombeiro, 1995, José Ruy [1995]
  • Alice na cidade das maravilhas, 1996, Luís Louro [1996]
  • A casa e o infante - Memórias da velha alfândega do Porto, 1996, José Ruy [1996]
  • O olho do caçador (L'oeil du chausseur), 1988, Philippe Berthet e Philippe Foerster [1997]
  • O segredo de Coimbra, 1997, Etiene Scheréder [1997]
  • Coração de papel, 1997, Luís Louro [1997]
  • Bartolomeu Dias, 1998, José Garcês e Carmo Reis [1998]
  • Carmen de Bizet, 1999, Crisóstomo Alberto [1999]
  • Nascida das águas - História da cidade de Caldas da Rainha em BD, 1999, José Ruy [1999]
  • A arte suprema, 1999, António Jorge Gonçalves e Rui Zink [1999]
  • O senhor Abílio, 1999, António Jorge Gonçalves [1999]
  • Operação Óscar - Outra maneira de contar o 25 de Abril, 2000, José Ruy [2000]
  • O halo casto, 2000, Luís Louro e Rui Zink [2000]
  • História do Porto em BD, 2001, José Garcês e Luís Miguel Duarte [2001]
  • Western (Western), 2001, Gzergorz Rosinski e Jean Van Hamme [2002]
  • E Deus criou Eva (Et Dieu créa Eva), 1997, Philippe Bercovici e Gerrit De Jager [2002]
  • Nos bares (Dans les bars), 2002, Carlos Sampayo e José Muñoz [2003]
  • Corações sangrentos e outras crónicas (Cœurs sanglants), 1988, Enki Bilal e Pierre Christin, [2003]
  • As lágrimas do tigre (Les larmes du tigre), 2000, Didier Comés [2003]
  • Pessoas que Usam Bonés-Com-Hélice, 2003, José Carlos Fernandes [2003]
  • O inferno dos concertos (L'enfer des concerts), 1999, Zep [2003]
  • O pintor e a modelo (?), ?, Milo Manara [2003]
  • Os caçadores da aurora (Les chaussers de l'aube), 2003, René Hausman [2003]
  • Edgar Poe - O gato preto (Le chat noir), 1999, Horacio Lalia [2003]
  • Fado - Estórias da noite, 2003, Rui Pimentel [2003]
  • O fanfarrão (Le fanfaron), 1993, Lele Vianello [2003]
  • O segredo de Coimbra (Le secret de Coimbra), 1994, Etienne Scréder [2003]
  • Viagem a Tulum (Voyage a Tulum), 1986, Milo Manara e Frederico Fellini [2003]
  • Quotidiano delirante - A vida é um delírio - Obra completa (Quotidiania Delirante - Integral), Miguelanxo Prado [2003]
  • Crianças (Les enfants), 2004, Jean Philippe Stassen [2004]
  • Deogratias (Deogratias), 2000, Jean-Pierre Stassen [2004]
  • Buscasvidas (Buscavidas), 2001, Alberto Breccia e Carlos Trillo [2005]
  • História de Faro em BD, 2005, José Garcês [2005]
  • Exterminador 17 (Exterminateur 17), 1976, Enki Bilal e Jean-Pierre Dionnet [2005]
  • Eva Miranda (Eva Miranda), 2005, Vittorio Giardino e Giovanni Barbieri [2005]
  • É duro ser prof, Monsieur B. [2005]
  • Deogratias (Deogratias), 2000, Jean Philippe Stassen [2006]
  • Eu quero o príncipe encantado (Je veux le prince charmant), 2004, Hélène Bruller [2006]
  • Cidade de vidro (City of glass), 1995, David Mazzuchelli,Paul Auster e Paul Karasik [2006]
  • Abrafaxe e a bandeira dos piratas - Álbum do filme, ?, Colectivo [2006]
  • Alguns meses em Amélie (Quelques mois à l'Amélie), 2002, Jean-Claude Denis [2006]
  • Lá em África (Là-Bas), 2003, Anne Sibran,Tronchet [2006]
  • A mansão dos Pimpão (La Mansión de los Pampím), ?, Miguelanxo Prado [2006]
  • Curtas metragens (Courts métrages), 1988, Milo Manara [2006]
  • Evereste, 2007, Ricardo Cabral [2007]
  • Obrigada, patrão!, 2007, Rui Lacas [2007]
  • Rei, 2007, António Jorge Gonçalves e Rui Zink [2007]
  • Os Xunguis e o Mundial, Juan Carlos Ramis e Joaquin Cera [2007]
  • Alexandre, o Grande  - A vida de um e conquistador, ?, Rob Shone, Anita Ganeri e Chris Odgers [2008]
  • Astérix e os seus amigos - Homenagem a Albert Uderzo (Astérix et ses amis - Hommage a Albert Uderzo), 2007, Colectivo, [2008]
  • Israel Sketchbook, 2009, Ricardo Cabral [2009]
  • Quatro? - Último acto (?), ?, Enki Bilal [2009]
  • Hellgate London - Londres em queda (?), ?, Mo Yang e Arvid Nelson [2009]
  • Sonho sem fim - Pedro Couceiro, 2009, Rui Ricardo e Hugo Jesus [2009]
  • Animal'z (Animal'z), 2009, Enki Bilal [2009]
  • Cancer Wixen - A minha luta contra o cancro, Marisa Marchetto [2009]
  • New Born - 10 dias no Kosovo, 2010, Ricardo Cabral [2010]
  • Happy sex (Happy sex), 2009, Zep [2010]
  • Júlia & Roem (Julia & Roem), 2011, Enki Bilal [2011]
  • Tudo sobre os solteirões, 2011, Nelson Martins e Valérie Der-Sarkissian [2011]
  • Pontas soltas - Cidades, 2011, Ricardo Cabral [2011]
  • Maria e eu (?), ?, Miguel Gallardo [2012]
  • Provérbios com gatos, 2012, Catherine Labey [2012]
  • Os piratas do deserto, 2012, Santos Costa [2012]
  • 12 A Doce (12 La Douce), 2012, François Schuiten [2012]
  • Cinzas de revolta, 2012, João Amaral e Miguel Peres [2012]
  • Pessoa e Cia, 2012, Laura Pérez Vernetti [2012]
  • Portugal (Portugal) 2011, Cyril Pedrosa [2012]
  • Oh, miúdas! (Oh les filles!), 2008, Emmanuel Lepage e Sophie Michel [2012]
  • Capuchinho Vermelho, Domas e Beney [2012]
  • Branca de Neve, Richard Di Martino e Beney [2012]
  • Enorme, brutal, colossal 2012!, 2013, Henrique Monteiro [2013]
  • Ardalén (Ardalén), 2013, Miguelanxo Prado [2013]
  • Arzach (Arzach), 1976, Moebius [2013]
  • Pontas soltas, Ricardo Cabral [2014]
  • A ilha do Corvo que venceu os piratas, José Ruy [2018]
[actualizado em 11-3-2015]

25 de fevereiro de 2018

Revistas da Marvel distribuídas pela Panini Brasil em Portugal no mês de Fevereiro







Público/Edições ASA - Ensaio de quadriculografia


Os álbuns com a chancela Público/ASA é uma parceria do jornal Público e as Edições ASA, que têm vindo a editar várias colecções distribuídas com o jornal e, posteriormente, em algumas livrarias.


Séries publicadas:

One-shots publicados:
  • A feira dos imortais (La foire des immortels), 1980, Enki Bilal [2008]*
  • O sono do monstro (Le sommeil du monstre), 1998, Enki Bilal [2008]*
  • A vida é um delírio, Miguelanxo Prado [2008]
  • O raio U (Le rayon U), 1974, Edgar Pierre Jacobs [2009]
  • Jardim Zoológico - 125 anos, José Garcês [2009]
*Álbum duplo [Colecção Grandes Autores de Banda Desenhada #5]
[actualizado em 8-2-2018]

Figuras de Tintin #50: Tharkey o xerpa leal

Tharkey é o xerpa que acompanha Tintin e Haddock na aventura "Tintin no Tibete" até ao local do acidente do Douglas DC-3, avião em que Tchang viajou e que Tintin presume que esteja vivo. Tharkey foi o primeiro a chegar ao local da tragédia e por isso é ele que indica a carcaça do aparelho. A personagem do xerpa foi inspirada num conquistador do Annapurma, o chefe dos xepas da expedição histórica que, a 3 de Junho de 1950, chegaram ao topo dos Himalaias numa escalada de oito mil metros de altitude.

A referência da figura encontra-se na vinheta A3 da prancha 28 da aventura "Tintin no Tibete".

Figuras de Tintin #50 - Tharkey o xerpa leal, Editions Moulinsart com distribuição em Portugal pela Altaya, livro de 16 pp.+estatueta+passaporte, 12,99€



24 de fevereiro de 2018

Foguetão - Ensaio de quadriculografia


Ficha técnica:
Datas de publicação:
#1 (4 de Maio de 1961) a #13 (27 de Julho de 1961)
Dimensões aproximadas: 300x420 mm
Cor: P/B, 2 cores, 4 cores
Director: Adolfo Simões Müller
Propriedade: E. N. P.

Revista de formato gigante que teve uma vida efémera de 13 números. Após o seu encerramento, as histórias em continuação continuam no Cavaleiro Andante.

Séries publicadas:

[actualizado em 29-1-2015]

WORLD PRESS CARTOON NAS CALDAS DA RAINHA DE 2 DE JUNHO A 29 DE JULHO


A cidade das Caldas da Rainha recebe, pela segunda vez, o grande evento anual do desenho de humor na imprensa internacional, o WORLD PRESS CARTOON 2018.


A décima terceira edição deste salão que todos os anos selecciona e premeia os melhores cartoons publicados nos jornais e revistas de todo o mundo vai decorrer entre 2 de Julho e 29 de Julho no Centro Cultural e de Congressos.

Falamos de humor mas o que não deve ser nada divertido é o trabalho do Júri que terá de escolher entre as mais de quatro centenas de trabalhos de elevado nível que estão a concurso.

Robert Rousso (França), Michael Kontouris (Grécia), Rayma Suprani (Venezuela - exilada nos EUA) e Saad Hajo (Síria - exilado na Suécia) compõem o júri que está este fim-de-semana reunido nas Caldas Rainha para apreciar os desenhos.

Os trabalhos prolongam-se até segunda-feira, 26 de Fevereiro, altura em que será possível à comunicação social trocar impressões com os promotores e elementos do júri, pelas 15H00 no CCC.

A organização do certame encontrou nas Caldas as condições e os apoios necessários à concretização deste importante evento artístico, cultural e também muito político!

Para o presidente do Município caldense, Tinta Ferreira, este evento que “reúne nas Caldas os mais reconhecidos caricaturistas do mundo” faz todo o sentido, afirmando a cidade “como a capital da caricatura” dada a reconhecida “histórica ligação ao humor e à caricatura de Rafael Bordalo Pinheiro”.

I.R.$ | nova coleção de BD ASA/Público - a partir de 28 de fevereiro

O PÚBLICO e a ASA reúnem pela primeira vez em português, já a partir de 28 de Fevereiro, a colecção completa de I. R. $.
São 9 álbuns duplos, de capa dura, da autoria de Stephen Desberg (argumento) e Vrancken (desenho).
O I.R.S. (Internal Revenue Service), é o organismo da Administração americana responsável pela colecta de impostos nos EUA. O agente especial do I.R.$, Larry B. Max, é um renomado perito no desmantelamento de circuitos de evasão fiscal e de branqueamento de capitais. Tem a seu cargo alguns dos dossiers mais sensíveis, dispõe de todos os meios informáticos necessários e está na primeira linha da luta contra o dinheiro sujo e as mais intrincadas fraudes fiscais.
A série I.R.$ constitui assim um empolgante thriller de contornos bem actuais, cuja acção gira em torno de um herói incorruptível mas muito menos desinteressante do que parece.
Esta colecção inédita em português, que resulta da parceria ASA/Público, é composta por 9 volumes duplos, de capa dura, que integram todos os títulos da série até agora publicados e será distribuída com o jornal Público, todas as quartas-feiras, entre 28 de Fevereiro e 25 de Abril de 2018.
O PVP de cada livro é de 11,90€.

Lista de álbuns da colecção:
1. Via fiscal / A estratégia Hagen (28-fev)
2. Blue Ice / Narcocracia (7-mar)
3. Silicia inc. / O corruptor (14-mar)
4. Corporate America / Guerra Negra (21-mar)
5. Ligações romanas / A sociedade dos assassinos (28-mar)
6. O caminho de gloria / Em nome do presidente (4-abr)
7. O ouro de Yamashita / Os sobreviventes de Nanquim (11-abr)
8. Mais-valias face à morte / Opções face à guerra (18-abr)
9. Larry's Paradise / Kate's hell (25-abr)

Assassination Classroom #11: Hora do desporto

Já está nas prateleiras das livrarias o décimo primeiro volume da série de manga Assassination Classroom, "Hora do desporto".

Neste volume, Isogai quebra as regras da escola ao trabalhar em part-time e é descoberto por Gakuhou que, com outros quatro estudantes, usam este segredo para forçar a turma E a participar num estranho dia desportivo.

Assassination Classroom #11: Hora do Desporto, Yusei Matsui, Devir, 204 pp., p&b, capa flexível, 9,99€

Camarada [editora] - Ensaio de quadriculografia

Estado: Inactiva

Editora da Mocidade Portuguesa Masculina.

Séries publicadas:
Clorofila e MinimumSpirou e Fantásio

One-shots publicados:
  • Uma aventura em Paris O signo do centauro, Marcello de Moraes [?]
  • Brés, a ilha afortunada, (?), Júlio Gil [?]
  • Guerra no país dos insectos, (?), Cabrero Arnal [?]
  • O cruzeiro do caranguejo, 1963, Carlos Roque [1963]
[actualizado em 8-12-2014]

23 de fevereiro de 2018

Eddy Paape - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Édouard Paape
Jo Legay, Forget
Desenhador, Argumentista
(Bélgica) Grivegnée, 3 de Julho de 1920 - Bruxelas, 12 de Maio de 2012

Eddy Paape, em jovem, estuda desenho e artes na ECAM -École Centrale de Arts et Métiers. Aos 15 anos, entra no Instituto Saint-Luc e aí trava conhecimento com Franquin.
Em 1942, durante a ocupação da Bélgica pelos alemães, Paape trabalha em animação na CBA - Compagnie Belge d'Actualités, estúdio com ligações com a resistência belga. Nessa época, adopta o nome artístico de Eddy Paape. Neste estúdio vem a conhecer Peyo e Morris, que o incentivam a entrar no mundo da BD. Desenha, então, capas para a editora Dupuis e colabora com Jijé em Emmanuel.
Em 1946, substitui Jijé - que havia viajado para o México - no desenho das aventuras do detective Jean Valhardi, publicadas nas páginas da revista Spirou. Os argumentos eram de Jean DoisyYvan Delporte Jean-Michel Charlier. Desenha Valhardi até 1958. Durante este tempo, ainda ajuda Hubinon a desenhar Tarawa, atoll sanglant (textos de Charlier).
Torna-se assistente de Hubinon nas tiras de jornal de Buck Danny, distribuído pelo World Press Syndicate. Em 1951, desenha alguns episódios de As Mais Belas Histórias do Tio Paulo, com argumentos de Charlier.
Desenha as aventuras do jornalista Marc Dacier, um personagem criado com o argumento de Jean-Michel Charlier, que é publicado pela primeira vez nas páginas da revista Spirou, em 1958.
O personagem mais famoso de PaapeLuc Orient, surge em 1966. Paape Greg criam esta aventura de ficção científica para a revista Tintin.
Em 1969, Paape voltou ao Instituto Saint-Luc, onde permanece até 1975, com o apoio de Hergé, para criar um curso de História da BD, .
Outros trabalhos importantes de Paape incluem Jeux de Toah, uma colaboração com André-Paul Duchateau, publicada em 1969; Tommy Banco, duas aventuras escritas por Greg, lançadas em 1970; e Yorik das Tempestades, série em parceria com Duchateau, em 1971. Paape Greg voltam a trabalhar juntos em Johnny Congo (1992-1993)
Em 2001, o CBBD - Centre Belge de La Bande Dessinée e os Correios da Bélgica prestam uma homenagem a Paape, com o livro Eddy Paape a des Lettres, publicado por ocasião do lançamento do selo ilustrado por PaapePhilatélie de Jeunesse 2001 - Eddy Paape.

Séries publicadas em Portugal:

One-shots publicados em Portugal:
  • O homem que faz descarrilar os comboios (L'homme qui faisait sauter les trains), 1966, Paape e Yves Duval, Tintin #18/5º ano
  • S.O.S.... Itália (S.O.S.... Italia), 1966, Paape e Yves Duval, Tintin #6/1º ano; Selecções do Mundo de Aventuras #196
  • Peter Stuyvesant (Peter Stuyvesant), 1966, Paape e Pierre Step, Selecções do Mundo de Aventuras #193
  • A «rainhazinha» (La «petite reine»), 1966, Paape e Yves Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #210
  • Pela espada e pela chama (L'épée et la charrue), 1966, Paape e Yves Duval, Tintin #30/2º ano
  • História de um grande advogado (Un grand avocat en 20 croquis d'audience), 1966, Paape e Yves Duval, Tintin #28/2º ano
  • A travessia do fogo (La traversée de feu), 1966, Paape e Yves Duval, Tintin #18/1º ano
  • O senhor do trovão: Lavoisier (Le mâitre du tonerre: Lavoisier), 1966, Paape (Jo Legay), Tintin #48/2º ano
  • A viagem de núpcias dos Tambs (Le voyage de noces des Tambs), 1966, Paape (Forget) e Pierre Step, Tintin #24/1º ano
  • O senhor de Childerico (Le trésor de Childerico), 1966, Paape e Yves Duval, Nau Catrineta #187 a #292
  • Um grande senhor da sétima arte (Un grand monsieur du 7ème art), 1967, Paape e Yves Duval, Tintin #17/1º ano; Mundo de Aventuras (2ª fase) #352
  • A dinastia dos Campbell (La dynastie des Campbell), 1967, Christian Denayer e Paape, Tintin #2/1º ano
  • O pai da tracção à frente: André Citroen (Le père de la traction-avant: André Citroën), 1968, Paape e Yves Duval, Tintin #43/2º ano
  • Operação Overlord (Opération Overlord), 1969, Paape e Yves Duval, Tintin #23/4º ano
  • A primeira travessia aérea do Atlântico Sul (La première traversée de l'Atlantique sud), 1969, Paape e Yves Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #372
  • Missão em 2012 (Mission en 2012), 1978, Paape e André-Paul Duchateau, Selecções do Mundo de Aventuras #232
  • Longin, um verdadeiro centurião (?)  Paape e Yves Duval, Mundo de Aventuras (2ª fase) #391
[actualizado em 9-11-2014]

X-Men Série I - Vol. 3 > Nas bancas desde 23 de fevereiro

Após uma missão bem sucessiva, a equipa Blue foi recebida em Madripoor pelo seu novo benfeitor: Magneto! Jean Grey não está totalmente convencida acerca das reais motivações de seu antigo arqui-inimigo, mas nesta fase não existe tempo para pensar no assunto. Os X-Men são chamados de emergência para Barcelona onde surgiu um grupo de Sentinelas… amigáveis e que dizem querer salvar a raça mutante! Confiar no Magneto? Confiar em Sentinelas? O mundo é realmente um lugar estranho e por vezes nada é o que parece! A equipa Gold vive igualmente dias agitados. Para Kitty Pryde a missão é simples: encontrar a Irmandade de Mutantes que raptou o Presidente da Câmara de Nova Iorque e devolver ao público uma imagem positiva da raça mutante, em particular dos X-Men. As questões surgem em catadupa: qual o verdadeiro objetivo da Irmandade? Quem é o seu verdadeiro líder? Este volume inclui ainda um arco completo na história do homem agora conhecido por O Velho Logan, além da continuação da série dedicada especifi camente à jovem Jean Grey, ela que vive momentos de enorme tensão face ao regresso da Fénix.

Inclui:
X-Men: Blue (2017) #3 - por Cullen Bunn, Jorge Molina, Ray-Anthony Height e Matt Milla
X-men: Gold (2017) #3 - por Marc Guggenheim, Ardian Syaf, Craig Yeung e Jay Leisten
Jean Grey (2017) #2 - por Dennis Hopeless, Victor Ibáñez, Jay David Ramos e Chris Sotomayor
Old Man Logan (2016) #5-7 - por Jeff Lemire, Andrea Sorrentino e Marcelo Maiolo

Goody, 128 pp., cor, capa flexível

Círculo de Leitores - Ensaio de quadriculografia


Estado: Activa
Morada: Rua Professor Jorge da Silva Horta 1, 1500 Lisboa
E-mail: correio@circuloleitores.pt
Link: www.circuloleitores.pt
Telefones: 21 762 60 00

Círculo de Leitores é o único Clube do Livro em Portugal, com uma rede de assistentes espalhada por todo o país.Foi fundado em 1971, e desde então faz parte do DirectGroup Bertelsmann, um grupo de dimensão internacional, que reúne actualmente algumas das mais importantes editoras de Portugal, como a Temas e Debates, Bertrand, Editora Pergaminho.

Séries publicadas:

One-shots publicados:
  • Filosofia de ponta, Nuno Saraiva e Júlio Pinto [1995]

[actualizado em 10-2-2015]

22 de fevereiro de 2018

Torpedo 1936 #4

Foi hoje para as bancas o quarto volume da colecção Torpedo 1936, editada pela Levoir e distribuída pelo jornal Público.

Este volume começa com as histórias O Sórdido e Lolita, que contam a juventude de Luca Torelli em Nova Iorque. Lolita fazia parte de um lote de seis histórias contratadas pelo El País Semanal, mas devido ao delicado tema abordado foi censurada e nunca chegou a ser publicada. Estas e outras histórias foram originalmente publicadas no suplemento semanal do El País e nas revistas Luca Torelli es Torpedo, Co & Co e Viñetas e, só posteriormente, reunidas em livro.

Neste volume são apresentadas várias histórias sobre o ajudante de Torpedo, Rascal, que ficaremos a conhecer melhor, em Nem Tudo o que Seduz é Ouro, e onde compreenderemos o porquê do seu fracasso junto das mulheres. Em a Outra Face da Miúda, descobrirá que trabalhar com Torpedo pode ter grandes desvantagens e em a Madrinha, irá travestir-se para ajudar o seu patrão em mais um plano de vingança.

Entre as várias histórias apresentadas destaca-se Uma, Duas e três, onde em apenas uma página é resumida toda a vida de Luca Torelli.

Este quarto volume termina com Cuba, onde Torpedo e Rascal vão fazer um “serviço” para o milionário Francis Wyncoop, que se quer vingar de Jimmy Carlson, o seu antigo amante, que fugiu para Cuba, onde vive rodeado por um exército de guarda-costas.

A última história deste volume enquadra-se no início da década de 50, já que a actividade da guerrilha que ia levar à queda do regime de Batista e à ascensão ao poder de Fidel Castro em 1959, desempenha um papel de relevo na trama. As habituais referências ao cinema voltam a aparecer, sendo claras nos guarda-costas de Jimmy Carlson, parecendo os Dalton, que Goscinny criou para Lucky Luke, mantendo os mesmos nomes, só faltando um, William.

A ironia e o sentido do humor de Abulí, combinam na perfeição com o traço de Bernet, o mestre do branco e preto, para criar uma verdadeira obra de arte.

Torpedo 1936 #4, Enrique Sánchez Abulí & Jordi Bernet, Levoir, 152 pp., p&b, capa dura, 11,99€ com o jornal Público