28 de fevereiro de 2017

Gaston Lagaffe - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Humorístico
(Bélgica) Spirou #985, 28 de Fevereiro de 1957 – Éditions Marsu Productions, 27 de Novembro de 1996
André Franquin (argumento e desenho)
Outros autores: Jidehém
Estreia em Portugal: Cavaleiro Andante, Nº Especial do Cavaleiro Andante de Abril de 1955
Outras publicações: Foguetão, Zorro, Jacaré, Spirou (2ª série), Público Júnior, Album Arcádia, Album Correio da Manhã, Album Meribérica, Album Público/Edições ASA


Gaston Lagaffe é uma personagem misteriosa que com as suas gaffes e invenções perturba a redacção da revista Spirou. As suas principais vítimas são Fantasio, o redactor-chefe, Prunelle, sua adjunta, Yves Lebrac, desenhador, Joseph Boulier, contabilista, Molaire, a menina da limpeza, Jules Soulier, o porteiro, e as secretárias Suzanne, Yvonne e Sonia. O gaffofone e o Gastomobille são duas das famosas invenções. Em Portugal, foi baptizado em algumas publicações por Zacarias.


Quadriculografia portuguesa:
  • [gag], Cavaleiro Andante, Nº Especial de abril de 1955
  • [gag], Foguetão #2, #6, #8 e #12
  • [gag], Zorro #48 a #51, #57, #64 e #95
  • [gag], Jacaré #1 a #4, #6, #8, #13, #14 e #17
  • [gag], Spirou (2ª série) #3 a #32
  • [gag], Público Júnior #25
  • Cuidado com as gafes do gabarola (Gare aux gaffes du gars gonflé), 1967, Album Meribérica [1995]
  • Gafes e estragos (Des gaffes et dégats), 1968, Album Meribérica [1995]
  • Um bronco que só dá bronca (Un gaffeur sachant gaffer), 1969, Album Meribérica [1989]
  • Dabronca dá bota (Gaston Lagaffe nous gâte), 1970, Album Arcárdia [1981]; [Lagaffe faz das suas], Album Meribérica [1990]
  • O caso Dabronca (Le cas Lagaffe), 1971, Album Arcádia [1982]; Album Meribérica [1990]
  • O escritório das grandes gafes (Bureau des gaffes en gros), 1972, Album Meribérica [1989]
  • O gigante do disparate (Le geant de la gaffe), 1972, Album Meribérica [1991]
  • Burrices, barracas e broncas (Gaffes, bévues et boulettes),1973, Album Arcárdia [1978]; [Gafes, broncas e argoladas], Álbum Meribérica [1992]
  • O bando das broncas (Le gang des gaffeurs), 1974, Album Arcárdia [1978]; Album Meribérica [1992]
  • Festival de gafes e gargalhadas (Gala de gaffes à gogo), 1970, Album Meribérica [1999]
  • Lagaffe só à estalada (Lagaffe mérite des baffes), 1979, Album Meribérica [1991]
  • O engenhocas trapalhão [coletânea], Album Correio da Manhã [2005]*
  • Gaston (Gaston), 1997, Album Meribérica [coleção 40º aniversário] #1 [2003]
  • A saga de gafes (La saga des gaffes), 1982, Album Meribérica [1992]
  • Os arquivos do Lagaffe (Les archives de la gaffe), Franquin e Jidehem, Album Público/ASA #1 [2010]
  • Gafes em barda (Gaston Lagaffe 2), Album Público/ASA #2 [2010]
  • Gafes de um fanfarrão (Gaston Lagaffe 3), Album Público/ASA #3 [2010]
  • Festival de broncas (Gaston Lagaffe 4), Album Público/ASA #4 [2010]
  • O escritório vai abaixo (Gaston Lagaffe 5), Album Público/ASA #5 [2010]
  • Calinadas do Calinas (Gaston Lagaffe 6), Album Público/ASA #6 [2010]
  • Mais Gafes do Lagaffe (Gaston Lagaffe 7), Album Público/ASA #7 [2010]
  • Gafes às rajadas (Gaston Lagaffe 8), Album Público/ASA #8 [2010]
  • De gafe em gafe (Gaston Lagaffe 9), Album Público/ASA #9 [2010]
  • O ás das argoladas (Gaston Lagaffe 10), Album Público/ASA #10 [2010]
  • O descanso do trapalhão (Gaston Lagaffe 11), Album Público/ASA #11 [2010]
  • Engenhocas do Lagaffe (Gaston Lagaffe 12), Album Público/ASA #12 [2010]
  • Um bronco do piorio (Gaston Lagaffe 13), Album Público/ASA #13 [2010]
  • Gafes, argoladas e trapalhadas (Gaston Lagaffe 14), Album Público/ASA #14 [2010]
  • É só broncos! (Gaston Lagaffe 15), Album Público/ASA #15 [2010]
  • Tabefes para o Lagaffe (Gaston Lagaffe 16), Album Público/ASA #16 [2010]
  • Gafes atrás de gafes (Gaston Lagaffe 17), Album Público/ASA #17 [2010]
  • Resmas de Gafes (Gaston Lagaffe 18), Album Público/ASA #18 [2010]
  • Cuidado com o Lagaffe (Gaston Lagaffe 19), Album Público/ASA #19 [2010]
*Coletânea [ Coleção Série Ouro – Os clássicos da Banda Desenhada #16]

Os 60 anos de Gaston Lagaffe [1957-2017]

Gaston Lagaffe, concebido pelo "mestre" André Franquin, nasceu nas páginas da revista belga Spirou em 28 de Fevereiro de 1957, ganhando logo as preferências dos leitores e, no decorrer do tempo, o estatuto de um dos grandes heróis da banda desenhada ao lado de Tintin ou de Astérix

Gaston, nasceu como um "herói sem emprego", concebido, numa primeira fase para animar e "destruir" as páginas da revista Spirou. Posteriormente, "admitido" como empregado na redacção da revista, Gaston passa a ter, a partir de Dezembro de 1957, uma tira desenhada por Franquin e Jidéhem e, em 1966, uma página inteira.

Estreia de Gaston na revista Spirou
Entre 1957 e 1996, André Franquin publicará mais de 900 pranchas na revista que o viu nascer, sendo também editado em álbuns da editora Dupuis. Apesar de nascer numa publicação para jovens, Gaston é uma personagem subversiva e mais adulta, anunciando a série Ideias Negras (a Witloof editou em Portugal o integral da série), uma obra mais matura que abrirá as portas a uma nova geração de desenhadores, como Gotlib e Claude Brétecher

Comemorando os 60 anos de Gaston Lagaffe, a Biblioteca Centre Pompidou tem em exibição até 10 de Abril deste ano uma exposição dedicada ao anti-herói, mostrando aos visitantes várias pranchas originais, assim como álbuns, esboços e outros documentos. Aproveitando esta exposição, a Dupuis lançou o respectivo catálogo, um belíssimo álbum com a maior parte do material que se encontra exposto acrescido com comentários de Franquin, proporcionando ao leitor uma "visita" virtual à referida exposição. Também a revista francesa Paris-Match editou um número especial ao herói mais trapalhão da banda desenhada. 

Gaston Lagaffe estreou-se em Portugal no número especial do Cavaleiro Andante de Abril de 1955 baptizado com Zacarias. Posteriormente, foi publicado pelas revistas Cavaleiro Andante, Foguetão, Zorro, Jacaré, Spirou (2ª série) e Público Júnior. Em álbum, temos edições da Arcádia, Correio da Manhã, Meribérica e uma belíssima colecção da parceria Público/Edições ASA.



27 de fevereiro de 2017

Colecção Oficial de Graphics Novels da Marvel #37

“A Falha — um rasgão entre universos — voltou a abrir e libertou um horror pior do que todos até agora. Vindos de um domínio conhecido como Cancroverso, Lorde Mar-Vell e as suas forças demoníacas e imortais lideram uma cruzada para escravizar tudo e todos.

Perante probabilidades impossíveis, os Guardiões da Galáxia idealizam um plano desesperado para deter a conquista do guerreiro Kree corrupto. Plano que significa unir esforços com o maior vilão cósmico de sempre – nem mais, nem menos do que o Titã louco, apaixonado pela Morte: Thanos!”

No final da primeira década do século XXI, o Universo Marvel assistiu a uma vaga de mega-crossovers. Vingadores: O Último Ato, Guerra Civil, Dinastia M e outras sagas, que tiveram enormes repercussões nos seus mundos. No entanto, esta agitação não estava apenas reservada aos habitantes do planeta Terra. Do outro lado da galáxia, os heróis cósmicos da Casa das Ideias também enfrentavam perigos que ameaçavam destruir o universo. A Onda de Aniquilação, uma gigantesca armada de criaturas da Zona Negativa, que invadiu o nosso universo, ameaçando escravizar a galáxia, a raça alienígena tecno-orgânica conhecida como Falange, agora liderada por Ultron, a guerra entre os impérios Kree e Shi’ar – um conflito que criou um enorme rasgão no espaço e ficou conhecido como a Falha...

Estes acontecimentos épicos foram responsáveis pela criação de uma nova equipa, cuja popularidade viria a atingir níveis sem precedência – os Guardiões da Galáxia. Embora o nome fosse familiar para os leitores da Marvel, esta nova equipa era muito diferente da anterior. Criados por Dan Abnett e Andy Lanning, os novos Guardiões da Galáxia eram uma estranha mistura de personagens excêntricas, reunidas pela necessidade de proteger o Universo. Senhor das Estrelas, Drax, Gamora, Rocket Raccoon e Groot – cinco heróis cuja popularidade no Universo Marvel estava prestes a aumentar e muito.

Ao longo dos anos seguintes, Abnett e Lanning iriam conceber uma sequência de eventos cósmicos sempre com os Guardiões na linha da frente, a liderarem o ataque ao pior que o Universo lhes lançava como desafios. O Imperativo Thanos foi o evento para o qual todo o seu trabalho convergiu, quando Abnett e Lanning assumiram o comando das personagens cósmicas da Marvel. Usando a mitologia de Thanos, Warlock e Capitão Marvel como base, esta história, que abalou as fundações da galáxia, é tão épica quanto as criadas por Jim Starlin. Contudo, e apesar da imensa escala dos acontecimentos, os criadores conseguiram equilibrar a dimensão épica com pequenos e relevantes momentos que realçam o drama humano que está no âmago da história. Parte ficção científica épica, parte terror à moda de Lovecraft, O Imperativo Thanos é, sem dúvida, um dos maiores eventos cósmicos que a Marvel publicou na última década.


Coleção Oficial de Graphics Novels da Marvel #37: O Imperativo Thanus,  Miguel Sepulveda, Brad Walker, Dan Abnett e Andy Lanning, Salvat, 208 pp., cor, capa dura, 11,99€ [Este volume reúne as edições 25 de Guardians of the Galaxy, The Thanos Imperative: Ignition e as edições 1 a 5 de The Thanos Imperative]

Lefranc - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Policial
(Bélgica) Tintin #21/7º ano, 21 de Maio de 1952
Jacques Martin (argumento e desenho)
Outros autores: Bob De Moor, Gilles Chaillet
Estreia em Portugal: Flecha, 1955
Outras publicações: Zorro, Tintin, Álbum Livraria Bertrand


Lefranc é um repórter free-lancer que lhe permite uma grande autonomia nas suas reportagens. Juntamente com a jovem Jeanjean vivem grandes aventuras científicas e fantásticas, lutando contra o seu eterno inimigo Alex Borg, uma verdadeira ameaça para o planeta. 
Em 1970, Jacques Martin cede o desenho ao seu amigo Bob De Moor. Em 1974, é Gilles Chaillet que assegura a continuidade da série até 1998. Em 2001 e 2002, sempre com o argumento de Martin, é Christophe Simon que se responsabiliza pelo desenho. Por fim, Francis Carin (2004), André Taymans (a partir de 2006) e Régric assumem a continuidade de Lefranc.

Quadriculografia portuguesa:
  • A grande ameaça (La grande menace), 1952, Martin, Flecha (8 fascículos); Tintin #14 a #42/6º ano
  • Furacão de fogo (L’ouragan de feu), 1959, Martin, Zorro #102 a #118
  • O mistério Borg (Le mystère Borg), 1964, Martin, Álbum Livraria Bertrand [1982]
  • A toca do lobo (Le repaire du loup), 1970, De Moor e Martin, Tintin #41/4º ano a #11/5º ano
  • As portas do inferno (Les portes de l’enfer), 1977, Chaillet e Martin, Tintin #12 a #31/12º ano

26 de fevereiro de 2017

Ramiro - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Histórico
(Bélgica) Femmes d'Aujourd'hui #1514: 8 de Maio de 1974
Jacques Stoquart (argumento) e William Vance (desenho)
Estreia em Portugal: Álbum Meribérica, 1981
Outras publicações: Flecha 2000, Jornal da BD, TV Guia


Filho bastardo do rei de CastelaRamiro é um cavaleiro fogoso que cumpre com sucesso as missões solicitadas por seu pai, ora protegendo os peregrinos a Santiago de Compostela, ora na busca de um tesouro escondido pelos Visigodos
Acompanhado pelo seu escudeiro JosRamiro percorre uma Espanha misteriosa ainda ocupada pelo inimigo mouro. Os primeiros episódios são escritos por Stoquart. Depois, Vance trabalha sozinho numa série que vai rareando em novas aventuras, após o sucesso de XIII.


Quadriculografia portuguesa:
  • O bastardo (Le batârd), 1974, Vance e Stoquart, Álbum Meribérica [1981], Flecha 2000 #22 a #31, Jornal da BD #55, TV Guia #314 a #361
  • Cilada em Conques (Traquenard à Conques), 1977, Álbum Meribérica [1981], Flecha 2000 #32 a #40
  • O segredo do bretão (Le secret du breton), 1979, Álbum Meribérica [1981]
  • Os guardas de Bierzo (Les gardiens de Bierzo), 1980, Álbum Meribérica [1981]

25 de fevereiro de 2017

Sammy - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Humorístico
(Bélgica) Spirou #1862, 26 de Março de 1970
Raoul Cauvin (argumento) e Berck (desenho)
Estreia em Portugal: Spirou (2ª série) #12, 26 de Junho de 1979
Outras publicações: Jornal da BD 

Arthur Berckmans junta-se ao argumentista Raoul Cauvin para recriar no ambiente mafioso dos anos 30 do século passado as aventuras de Jack Attaway e dos seus três «gorilas», que se reduzem, rapidamente, ao duo AttawaySammy Day. Esta versão humorística d' Os Intocáveis versa os temas próprios da época: o tráfico de álcool, o Ku-Klux-Klan, a guerra do petróleo, a Máfia...  

Quadriculografia portuguesa:
  • Bons «velhos» para os «gorilas» (Bon «vieux» pour les gorilles), 1970, Spirou (2ª série) #1 a #12; Jornal da BD #83 
  • Autómatos para os «gorilas» (Gorilles et robots), 1972, Spirou (2ª série) #12 a #22



Figuras de Tintin #27 - O Inca Nobre Filho do Sol

O Inca aparece no episódio "O templo do Sol" como uma personagem com um poder sem limites. Para evitar que a existência do Templo do Sol seja divulgada no mundo exterior, o Inca não tem outra opção senão condenar TintinHaddock e Girassol a morrer na fogueira. Contudo, um eclipse liberta os nossos heróis do sacrifício, levando o Inca a agradecer ao Sol por ter ouvido a clemência de Tintin

A referência da figura encontra-se na vinheta C4 da prancha 59 do episódio "O Templo do Sol", única aventura em que intervém o chefe Inca.

Figuras de Tintin #27 - O Inca Nobre Filho do Sol, Moulinsart, livro de 16 pp.+estatueta+passaporte, 12,99€


24 de fevereiro de 2017

Figuras de Tintin #26 - Baxter diretor do centro espacial

O director do Centro Investigação Atómica de Sbrodj na Sildávia, o engenheiro (?) Baxter, é a figura escolhida para a 26ª entrega desta colecção da Moulinsart, distribuída em Portugal pela AltayaBaxter aparece no díptico lunar que vão levar Tintin e os seus amigos à Lua. Nesta epopeia lunar, Baxter tem um papel indispensável como transmissor dos sentimentos dos leitores que, como ele, ficaram em Terra, expressando o seu pesar de não participar na viagem à Lua. 

A referência da figura encontra-se na vinheta A2 da prancha 22 da aventura "Explorando a Lua".

Baxter estreia-se na aventura "Rumo à Lua" e tem como característica distintiva "Tão nervoso que até morde a gravata!" 

Figuras de Tintin - A Coleção Oficial #26: Baxter diretor do centro espacial, Moulinsart, livro de 16 pp.+estatueta+passaporte, 12,99€


Quim e Filipe - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Quick et Flupke
Humorístico
(Bélgica) Le Petit Vingtiéme #4, 23 de Janeiro de 1930
Hergé (argumento e desenho)
Estreia em Portugal: Diabrete #14, 5 de Abril de 1941
Outras publicações: Pimba (suplemento do Diário Popular), Correio Juvenil, Álbum Difusão Verbo


Quim e Filipe são dois jovens sacripantas que habitam o bairro bruxelense de Marolles. A principal vítima das suas traquinices é o Agente 15, polícia do bairro. A série representa uma Bélgica popular e nostálgica e apresenta-se em gags de duas páginas, originalmente, a preto e branco.


Quadriculografia portuguesa:
  • [gag], Diabrete # #14, 16, 18, 19, 20, 26, 27, 29 a 32, 53 a 58, 61, 63, 70, 78, 79, 81 a 87, 89 a 107, 109, 111, 117 e 120
  • [gag], Pimba #32 e #61
  • [gag], Correio Juvenil #30, 36, 41, 42, 59 e 60
  • #1 (1e série), Álbum Difusão Verbo [1982]
  • #2 (2e série), Álbum Difusão Verbo [1982]
  • #3 (3e série), Álbum Difusão Verbo [1983]
  • #4 (4e série), Álbum Difusão Verbo [1983]
  • #5 (5e série), Álbum Difusão Verbo [1983]
  • #6 (6e série), Álbum Difusão Verbo [1984]
  • #7 (7e série), Álbum Difusão Verbo [1984]
  • #8 (8e série), Álbum Difusão Verbo [1984]
  • #9 (9e série), Álbum Difusão Verbo [1985]
  • #10 (10e série), Álbum Difusão Verbo [1985]
  • #11 (11e série), Álbum Difusão Verbo [1986]
  • #12 (12e série), Álbum Difusão Verbo [1987]


23 de fevereiro de 2017

Prudence Petiptas - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Humorístico
(Bélgica) Tintin #19/12º ano, 8 de Maio de 1957
Maurice Maréchal (argumento e desenho)
Outros autores: René Goscinny, Mittei
Estreia em Portugal: Álbum do Cavaleiro Andante #62, Julho de 1959
Outras publicações: Zorro, Tintin

Prudence Petitpas é uma bela dama de idade respeitável que vive na aldeia de Moucheron na companhia do seu gato Stanislas e do seu melhor amigo, o guarda campestre CyprienPrudence Petitpas adora resolver enigmas policiais numa paródia à célebre Miss Marple, uma heroína da escritora Agatha ChristieMaurice Maréchal tem a ajuda no argumento de GregGoscinny e no grafismo Mittei Pierre Seron. Após 1969, Maréchal dedica-se à sua profissão de professor, só voltando à série, quando se aposenta, desenhando mais cinco episódios para a revista Spirou.


Quadriculografia portuguesa:
  • O futebol (Prudence Petitpas et le football), 1958, Maréchal e Goscinny, Álbum do Cavaleiro Andante #62
  • Dona Prudência investiga (Prudence Petitpas mène l'enquête), 1966, Zorro #177 a #183
  • O zero brilhante (Prudence Petitpas et le zéro brillant), 1965, Maréchal, Tintin #28 a #42/3º ano
  • O rally dos calhambeques (Gare aux ancêtres !),1966, Maréchal e Mittei, Maréchal, Tintin #23 a #37/5º ano
  • Os carros fantasmas (Prudence Petitpas et les voitures fantômes), 1966, Maréchal e Mittei, Maréchal, Tintin #49/14º ano a #8/15º ano

Top das vendas de BD em França de 6 a 12 de Fevereiro de 2017

1º lugar (=) [5ª semana]
Tintin au pays des Soviets (version colorisée, tirage standard)
Hergé
Casterman

2º lugar (=) [3ª semana]
Undertaker #3: L’Ogre de Sutter Camp
Ralph Meyer e Xavier Dorison
Dargaud

3º lugar (+1) [11ª semana]
Culottées : des femmes qui ne font que ce qu’elles veulent #2
Pénélope Bagieu
Dargaud

22 de fevereiro de 2017

Norbert e Kari - Ensaio de bibliografia portuguesa

Ficha técnica:
Humorístico
(França) Pilote #195, 18 de Julho de 1963 – Editions Vasseau d’Argent, 1989
Christian Godard (argumento e desenho)
Estreia em Portugal: Álbum Plátano, 1975


Norbert, farto da vida urbana, instala-se num minúsculo atol perdido Taaratatah no Pacífico. Aqui encontra um adolescente, pleno de bom senso, chamado Kari. Com a evolução da série, vamos descobrindo os habitantes do atol: o chinês com o seu bazar, Albin Porexpore, o feiticeiro Rahmou, Gradubah, o chefe da aldeia, e a bela polinésia Hanipepe Anna. Os dois amigos vão afrontando os bandidos com uma arma chamada humor.

Quadriculografia portuguesa:
  • No reino d'Astap (Le royaume d’Astap), 1974, Álbum Plátano [1977] 
  • Patarata e os anões malvados (Le gugusse et les petits mutins), 1974, Álbum Plátano [1981]
  • A ilha dos monstros (L’île aux monstres), 1975, Álbum Plátano [1977] 
  • O senhor dos abismos (Le maître des abysses), 1975, Álbum Plátano [1977] 
  • A eleição (L’élection), 1981, Álbum Plátano [1984]



21 de fevereiro de 2017

Martin Milan - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Aventura
(Bélgica) Tintin #52/22º ano, 26 de Dezembro de 1967 - Éditions Dargaud, 1997
Christian Godard (argumento e desenho)
Outros autores: Dufranne
Estreia em Portugal: Tintin #1/3º ano, 30 de Maio de 1970 
Outras publicações: Álbum Livraria Bertrand, Tintin Especial Anual

Martin Milan é um piloto de um avião-táxi, o Pelicano, que transporta curiosos passageiros com aventuras em locais exóticos.


Quadriculografia portuguesa:
  • Piloto de avião-táxi (Pilote d’avion taxi), 1967, Godard, Tintin #45 a #46/3º ano
  • A ave migradora (Hélice au pays des merveilles), 1968, Godard, Tintin #20/4º ano
  • Em caso de necessidade (L’en–cas de malheur), 1968, Godard, Tintin #1/3º ano
  • O maníaco do parafuso (Martin Milan et le maboul du boulon), 1969, Godard, Tintin #10 a #11/2º ano
  • O escriba do céu (Le scribe du ciel), 1969, Godard, Tintin, #18/3º ano
  • A emboscada (Destination… guet–apens), 1969, Godard, Tintin #36 a #50/5º ano
  • Os vagabundos da selva (Les clochards de la jungle), 1970, Godard, Álbum Livraria Bertrand; Tintin #14 a #35/6º ano
  • Eglantine da minha juventude (Eglantine de ma jeunesse), 1970, Godard, Tintin #52/4º ano a #9/5º ano
  • Miss «Radada» (Miss «Radada»), 1971, Godard e Dufranne, Tintin Especial Anual de 1977
  • O emir dos 7 beduínos (L’émir aux sept bédoins), 1971, Godard e Dufranne, Álbum Livraria Bertrand [1979]; Tintin #18 a #34/7º ano
  • Ele chamava-se Jerôme... (Il s’appelait Jérôme…), 1972, Godard, Tintin #42/7º ano
  • Os homens da lama (Les hommes de la boue), 1972, Godard, Tintin #37/8º ano a 10/9º ano
  • Uma agonia de mil anos (Mille ans pour une agonie), 1977, Godard, Álbum Livraria Bertrand [1981]; Tintin #20 a #42/10º ano
  • Adeline ao fundo da noite (Adeline du bout de la nuit), 1979, Godard, Tintin #17 a #38/11º ano
  • O selvagem (L’enfant de la horde), 1979, Godard, Tintin #49 a #52/12º ano
  • Uma sombra passou (Une ombre est passée), 1981, Godard, Tintin #32/14º ano a #2/15º ano

20 de fevereiro de 2017

Larry Yuma - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Western
(Itália) Il Giornalino, 5 de Abril de 1970-1992
Carlo Boscarato (desenho) e Claudio Nizzi (argumento)
Outros autores: Nadir Quinto, Andrew Capes, Paolo Ongaro
Estreia em Portugal: Jornal do Cuto #148, 1 de Setembro de 1976
Outras publicações: Êxitos da TV, Riquiqui, Colt 45, Jovem (1ª série)


Larry, também chamado Dave, é um cowboy solitário baseado no western spaghetti. Os seus sinais característicos são um cobertor sobre os ombros com os olhos a esconderem-se por baixo da aba do chapéu. Foram publicados 164 episódios. A partir de 1979, o desenho passa a ser da responsabilidade de Nadir Quinto e no início dos anos 90 de Paolo Ongaro.

Quadriculografia portuguesa:
  • Adios Gringo! (Adios Gringo), Boscarato e Nizzi, 1970, Jornal do Cuto #148
  • Benvindo Gringo (Bientornato Gringo), Boscarato e Nizzi, 1970, Jornal do Cuto #172, Êxitos da TV #6
  • Por um dólar roubado (Per um dollaro rubato), Boscarato e Nizzi, 1972, Colt 45 #1
  • Gato, o rei da serra (Il re della sierra), Boscarato e Nizzi, 1975, Colt 45 #4
  • A cidade do terror (IL villagio del terrore), Boscarato e Nizzi, 1975, Riquiqui #1
  • O poço fatal (Il pozzo a vento), Boscarato e Nizzi, 1975, Colt 45 #2
  • A vingança do apache (L'assedio degli apache), Boscarato e Nizzi, 1976, Colt 45 #7
  • O bando do rio (La banda del fiume), Boscarato e Nizzi, 1977, Jornal do Cuto #171
  • Os quatro mexicanos (I quattro messicani), Boscarato e Nizzi, 1978, Jovem #1 (1ª série)
  • Roubo frustrado ao vagão-postal (Rapina el vagono postal), Boscarato e Nizzi, 1978, Jovem #2 (1ª série)
  • O rei do fogo (?), Boscarato e Nizzi, ?, Colt 45 #6
  • Vargas e o seu bando (?), Boscarato e Nizzi, ?, Colt 45 #8
  • Luta sem tréguas (?), Boscarato e Nizzi, ?, Colt 45 #9
  • Castigo merecido (?), Boscarato e Nizzi, ?, Colt 45 #11
  • A lei é matar (?), Boscarato e Nizzi, ?, Colt 45 #12

19 de fevereiro de 2017

17.º Salão do Brinquedo - Hotel Roma


Kerry Drake - Ensaio de bibliografia portuguesa

Ficha técnica:
Policial
(EUA) Publishers Syndicate, 1 de Outubro de 1943 - Março de 1983
Alfred Andriola (texto e desenho)
Estreia em Portugal: Mundo de Aventuras (1ª fase) #149, 19 de Junho de 1952
Outras publicações: Condor PopularCicloneAudáciaTigre (1ª série)Policial (Mundo de Aventuras)Selecções (Mundo de Aventuras)Mundo de Aventuras EspecialMundo de Aventuras (2ª fase), Álbum Editorial Futura, Audácia (Fanzine) 


Destinado a substituir Dan Dunn (criado em 1933 por Norman Marsh), Kerry Drake começa por ser um detective privado, fazendo, por vezes, serviços para o juiz de instrução da cidade. Possui a sua própria equipa: a secretária loura e charmosa Sandy Burns e Firetop, o seu companheiro de estrada. Em oposição a Dick Tracy, a série privilegia as investigação quotidiana a missões espectaculares. A série evolui, posteriormente, para uma «soap-opera», com a bela Sandy a ser assassinada e Drake a trabalhar exclusivamente para a polícia, algumas vezes, com a sua futura esposa Mindy. Seguidamente, descobre um irmão, Lefty, também ele defensor da ordem e da justiça. Mais tarde, os dois irmãos são rivais na resolução das intrigas policiais. Ao longo dos anos, Andriola constrói uma galeria de criminosos, como o Doutor Zero, Bottleneck, Mr. Golias ou a Mãe Whistler
Andriola é ajudado por alguns assistentes desenhadores, como Hy Eisman, Jerry Robinson, Fran Matera e, principalmente, Sururi Gümen, que compartilhou crédito com Andriola entre 1976-1983. Com a morte de Andriola, a agência abandona a série em Março de 1983.

Quadriculografia portuguesa:
  • 1951/12/??-1952/02/?? - [-],  Mundo de Aventuras (1ª fase) #149 a #156
  • 1952/02/??-1952/05/?? - O homem que apareceu sem vida, Audácia #1 a #32 (1º vol)
  • 1952/09/24-1953/01/27 - O caso Fortunato, Mundo de Aventuras (1ª fase) #305 a #342
  • 1954/04/12-1954/07/25 - Um caso de consciência, Tigre (1ª série) #52
  • 1955/05/31-1955/09/04 - Na senda do mal, Tigre (1ª série) #36
  • 1956/02/06-1956/04/07 - A testemunha, Policial (Mundo de Aventuras) #36
  • 1956/04/08-1956/06/03 - Alta tensão, Policial (Mundo de Aventuras) #33
  • 1956/06/04-1956/09/09 - Os batoteiros, Policial (Mundo de Aventuras) #56
  • 1956/09/10-1956/12/02 - [-], Mundo de Aventuras (2ª fase) #364
  • 1956/12/03-1957/02/22 - O crime não compensa, Policial (Mundo de Aventuras) #11; Audácia (Fanzine) #2 (2ª série)
  • 1957/05/31-1957/08/20 - [-], Mundo de Aventuras Especial #8; Álbum Editorial Futura [1987]*
  • 1957/08/21-1957/10/26 - Profissão perigosa, Policial (Mundo de Aventuras) #5
  • 1957/10/27-1958/01/18 - O grande problema, Policial (Mundo de Aventuras) #27
  • 1958/04/13-1958/05/31 - O casamento de Kerry Drake, Condor Popular #1/vol. 61
  • 1958/06/01-1958/08/14 - A morte de Mark O. Polo, Policial (Mundo de Aventuras) #65
  • 1958/08/15-1958/11/06 - A libertação de Colt Sádler, Mundo de Aventuras (1ª fase) #1200
  • 1958/11/07-1959/01/17 - A casa misteriosa, Condor Popular #2/vol. 59
  • 1959/01/18-1959/02/13 - O testamento do estranho velho, Ciclone #350
  • 1959/02/14-1959/04/25 - A morte espreita, Condor Popular #6/vol. 59
  • 1959/04/26-1959/08/10 - O falso cego, Mundo de Aventuras (1ª fase) #1062
  • 1960/02/08-1960/05/01 - Tudo começou no parque, Mundo de Aventuras (1ª fase) #1135
  • 1960/05/02-1960/08/05 - Instrumentos de morte, Selecções (Mundo de Aventuras) #80
  • 1960/08/06-1960/10/22 - O terror de Colt Sádler, Mundo de Aventuras (1ª fase) #1190
  • 1961/07/24-1961/09/23 - Férias acidentadas, Condor Popular #3/vol. 64
  • 1961/09/24-1961/12/02 - O segredo do professor, Condor Popular #6/vol. 57
  • 1963/07/01-1963/10/03 - [-], Álbum Editorial Futura [1987]*
  • 1972/10/22-1972/12/23 - [-], Mundo de Aventuras (2ª fase) #234
* Colecção «Antologia da BD clássica» #18

18 de fevereiro de 2017

Jugurtha - Ensaio de quadriculografia portuguesa


Ficha técnica:
Histórico
(Bélgica) Tintin #18/22º ano, 2 de Maio de 1967 - Éditions Soleil, 1995
Jean-Luc Vernal (argumento) e Hermann (desenho)
Outros autores: Franz
Estreia em Portugal: Tintin #2/3º ano, 6 de Junho de 1970
Outras publicações: Mundo de Aventuras (2ª fase), Álbum Meribérica

As aventuras de Jugurtha retratam uma versão histórica e documentada sobre a vida do célebre príncipe númida no combate permanente aos complots dos seus primos Adhubal Hiempsal e ao invasor romano.
A imaginação de Vernal permite que Jugurtha se evada das prisões romanas com a ajuda do númida Chabrias. Na companhia de milhares de númidas, Jugurtha parte na procura de novas terras para o seu povo. Conquista a sua autonomia e, em companhia da bela Vania e da escrava grega Riella. percorre os palcos do mundo antigo, desde a Ásia às selvas africanas.
Em 1976, a série passa a ser desenhada por Franz.


Quadriculografia portuguesa:
  • Jugurtha: A batalha de Numancia (Jugurtha), 1967, Hermann e Vernal, Tintin #2/3º ano; Mundo de Aventuras (2ª fase) #337
  • O trono de Numídia (Le trône de Numidie), 1967, Hermann e Vernal, Mundo de Aventuras (2ª fase) #337
  • A luta pela coroa (La lutte pour la couronne), 1967, Hermann e Vernal, Tintin #21/4º ano; Mundo de Aventuras (2ª fase) #337
  • O regresso de Vípia (Le retour de Vipia), 1968, Hermann e Vernal, Mundo de Aventuras (2ª fase) #337
  • O cão real de Jugurtha (Les chiens royaux de Numidie), 1968, Hermann e Vernal, Mundo de Aventuras (2ª fase) #353
  • A colónia perdida (La colonie perdue), 1968, Hermann e Vernal, Tintin #30/4º ano; Mundo de Aventuras (2ª fase) #353
  • A partilha de Jugurtha (Le partage de la Numidie), 1968, Hermann e Vernal, Mundo de Aventuras (2ª fase) #353
  • O capacete celtibero (Le casque celtibère), 1969, Hermann e Vernal, Mundo de Aventuras (2ª fase) #371
  • A fuga de Miró (L'escapade de Miro), 1969, Hermann e Vernal, Tintin #44/4º ano; Mundo de Aventuras (2ª fase) #371
  • O cerco de Cirta (Le siège de Cirta), 1969, Hermann e Vernal, Tintin #42/5º ano; Mundo de Aventuras (2ª fase) #371
  • A fuga de Massiva (La fuite de Massiva), 1970, Hermann e Vernal, Tintin #18/6º ano; Mundo de Aventuras (2ª fase) #384
  • A tomada de Cirta (La prise de Cirta), 1970, Hermann e Vernal, Mundo de Aventuras (2ª fase) #384
  • Jugurtha em Roma (Jugurtha à Rome), 1970, Hermann e Vernal, Mundo de Aventuras (2ª fase) #384
  • A noite dos escorpiões (La nuit des scorpions), 1976, Franz e Vernal, Mundo de Aventuras (2ª fase) #406
  • O leão ferido (Le lion blessé),1976, Franz e Vernal, Mundo de Aventuras (2ª fase) #438
  • A ilha da ressurreição (L'île de la résurrection), 1976, Franz e Vernal, Mundo de Aventuras (2ª fase) #473 e #475
  • A guerra das sete colinas (La guerre des sept collines), 1977, Franz e Vernal, Mundo de Aventuras (2ª fase) #495
  • Os lobos da estepe (Les loups de la steppe), 1977, Franz e Vernal, Mundo de Aventuras (2ª fase) #536 e #559
  • O grande antepassado (Le grand ancêtre), 1984, Franz e  Vernal, Álbum Meribérica [1989]
  • Os montes da lua (Les monts de la lune), 1985, Franz e Vernal, Álbum Meribérica [1990]

Parker #3: O golpe

A Devir acaba de lançar o 3º volume da série Parker. Neste volume, uma vertiginosa viagem através da América, quando Parker consegue reunir uma dúzia dos melhores bandidos para roubar o alvo mais audacioso até então: Uma cidade inteira. Com a maestria a que nos habituou Darwin Cooke

OS AUTORES
Richard Stark é o pseudónimo mais conhecido de Donald E. Westlake. Em 1962 criou o mestre dos ladrões Parker e começou uma série de romances que foram reconhecidos como trabalhos muito importantes da ficção policial. A adaptação de The Grifters feita por Westlake valeu-lhe uma nomeação para o Óscar de melhor argumento. Em 1993 a Mistery Writers of America nomeou-o Grand Master, a maior honra concedida por aquela prestigiosa sociedade. 

Darwin Cooke é um designer gráfico e de animação que se dedicou à banda desenhada nos finais dos anos 1990. Conhecido principalmente pelo seu trabalho na linha de super-heróis da DC, Cooke teve sempre afinidades com a ficção policial, referindo Parker com frequência como sendo uma inspiração criativa. Recebeu prémios Eisner, Harvey e Shuster, bem como Best Series da National Cartoonist Society. Em 2008 foi nomeado para um Emmy pela adaptação para animação de The New Frontier. Foi argumentista/artista de Before Watchmen: Minutemen e argumentista de Before Watchman: Silk Spectre. Em 2014 participou na criação do filme de animação Batman Beyond, que celebra o 75º aniversário de Batman

Parker #3: O golpe, Richard Stark e Darwin Cooke, Devir, 144 pp.,  cor, 19,99€

17 de fevereiro de 2017

Hans - Ensaio de quadriculografia portuguesa


Ficha técnica:
Ficção científica
(Bélgica) Super Tintin #8 - 12bis (spécial science-fiction), 1º trimestre de 1980 - Éditions du Lombard, Dezembro de 2000 
André-Paul Duchateau (argumento) e Grzergorz Rosinski (desenhos)
Estreia em Portugal: Almanaque do Mundo de Aventuras de 1983
Outras publicações: Álbum Meribérica, Mundo de Aventuras (2ª fase), Selecções BD (1ª série)

Após um conflito nuclear, a Terra é governada por Vasarly, um déspota cruel que é escoltado pelos Vigilantes. Os sobreviventes dividem-se em dois grupos: os habitantes da Cidade Brilhante e os «exteriores». Estes recusam a autoridade do ditador e vivem no interior de grutas glaciares. Hans é enviado por Vasarly numa missão, encontrando os «exteriores» e o amor da sua vida, OrquídeaRosinski desenha a série até 1990, cedendo essa missão a Kas.

Quadriculografia portuguesa:
  • A torre do desespero (La tour du désespoir), 1980, Rosinski e Duchateau, Almanaque do Mundo de Aventuras de 1983
  • A última ilha (La derniére île), 1980, Rosinski e Duchateau, Mundo de Aventuras (2ª fase) #511 a #512; Álbum Meribérica [1989]; Selecções BD (1ª série) #14 a #16
  • O prisioneiro da eternidade (Le Prisionnier de l'eternité), 1984, Rosinski e Duchateau, Álbum Meribérica [1989]

16 de fevereiro de 2017

As Grandes Batalhas da História - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Les Grands Batailles de l’histoire en BD
Histórico
(França) Éditions Larousse, Fevereiro de 1983 – Março  de 1985
Jean Faure Bruno (desenho) e Brice Goepfert (texto)
Outros autores: Erik Arnoux e Georges Castellar
Estreia em Portugal: Álbum Agência Portuguesa de Revistas, 1985

Quadriculografia portuguesa:
  • As batalhas napoleónicas - Austerlitz e Waterloo (Les batailles napoléoniennes - Austerlitz et Waterloo), 1983, Arnoux e Castellar, Álbum Agência Portuguesa de Revistas [1985]

Loki

Uma das mais belas histórias da Marvel, um título totalmente auto-contido, pintado de modo magnífico pelo grande Esad Ribic!

Loki tornou-se finalmente soberano de Asgard, e Odin foi colocado a ferros, tal como todos aqueles que batalharam em seu nome. No entanto, Loki vê-se cercado de antigos aliados e interesses vários, todos em busca de recompensa pela ajuda prestada na sua ascensão. E Hela, deusa do Reino dos Mortos, empurra-o para completar o seu triunfo com a execução de Thor. Loki terá de ponderar se a sua existência fará algum sentido sem o seu meio-irmão...

Há dois lados para cada história, e agora chegou a altura de ouvir o lado de Loki: o filho preterido de Odin vai contar a história do seu ponto de vista, a sua sede insaciável de poder, os seus sentimentos ambíguos para com Sif, a sua antipatia para com Balder, e o imenso ressentimento contra o seu irmão mais velho, Thor. Com a excepcional arte de Esad Ribic, um dos maiores artistas da Marvel, e argumento do romancista Robert Rodi, esta história auto-contida vai mostrar-nos Asgard como nunca a tínhamos visto!

“Todos os vilões deviam ter a sorte de poder receber um tratamento tão clássico e maduro.” - Entertainment Weekly

Roberto Rodi é um romancista, dramaturgo, escritor, crítico e artista de palco, que nasceu em Chicago e viveu as profundas mudanças e atmosferas conturbadas dos anos 70 aos anos 90 do século XX, o que lhe deu um talento natural para perceber e expor a hipocrisia e a mentira, permitindo-lhe, durante os anos 90, atingir um estatuto muito recomendável como escritor satírico e crítico da sociedade que o rodeia. Ao longo das duas últimas décadas, Rodi escreveu também argumentos para banda desenhada, inicialmente para a Vertigo, onde trabalhou também pela primeira vez com Esad Ribic (em Four Horsemen, uma mini-série de 4 comics, em 2000), e de seguida para a Marvel, para quem tem escrito regularmente mini-séries, e onde se especializou em histórias do Deus do Trovão - Astonishing Thor, com Mike Choi, Thor: For Asgard, com Simone Bianchi, Thor: The Deviants Saga, com Stephen Segovia, e claro, este Loki, que foi o primeiro de todos. Robert Rodi vive em Chicago com o seu companheiro de longa data, sendo há muitos anos um activista pelas causas gay.

Nascido em 1972 na Croácia, de origem Bosníaca, o artista Esad Ribic atingiu nesta última década e meia um verdadeiro estatuto de super-estrela dos comics, fruto do seu imenso talento e do seu estilo de arte pintada, simultaneamente grandiosa e épica, e realista. Depois de frequentar um curso de de Arte e Design em Zagreb, começou a trabalhar em comics e em animação no seu país natal. A partir do ano 2000 estreou-se no mercado americano, tendo chegado finalmente à Marvel, onde acabou por firmar a sua residência, em séries regulares e mini-séries com que teve imenso sucesso, e que construíram a sua reputação: Loki, Silver Surfer: Requiem, e mais tarde séries como Thor, God of Thunder, com Jason Aaron, ou Secret Wars, com Jonathan Hickman.

Rodi, na sua proposta de história para a Marvel afirmou: “Loki é um estudo exaustivo de um dos personagens mais complexos da Marvel. Durante mais de duas décadas, os leitores apenas conheceram a versão dos factos a partir do ponto de vista de Thor. Agora é altura de conhecermos a de Loki.”

Loki, Robert Rodi (argumento) e Esad Ribic (arte), G. Floy, formato comic, capa dura, 112 pgs. a cores, 9,99€

Top das vendas de BD em França de 30 de Janeiro a 5 de Fevereiro de 2017

1º lugar (=)
Tintin au pays des Soviets (version colorisée, tirage standard)
Hergé
Casterman

2º lugar (=)
Undertaker #3: L’Ogre de Sutter Camp
Ralph Meyer e Xavier Dorison
Dargaud

3º lugar (+1)
Culottées : des femmes qui ne font que ce qu’elles veulent #2
Pénélope Bagieu
Dargaud

15 de fevereiro de 2017

O regresso de Yoko Tsuno

Yoko Tsuno está de regresso com a sua 28ª aventura intitulada "Le temple des immortels". Roger Leloup faz reviver a sua personagem com a amiga Zarka a partir do número 4114 da revista belga Spirou de 15 de Fevereiro de 2017.

Freddy Lombard - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Aventura
(Bélgica) Bananas #1, 1 de Novembro de 1981 - Éditions Les Humanoides Associés, 1989
Yves Chaland (argumento e desenhos)
Estreia em Portugal: O Mosquito (5ª série) #5, Janeiro de 1985
Outras publicações: Jornal da BD


Freddy Lombard é um jovem sonhador e preguiçoso que se envolve em intrigas pouco claras. Nas aventuras é acompanhado pela bela Dina e pelo Sweep, outro jovem irreflectido. Este trio evolui na década de 50 do século XX soberbamente reconstruído por Chaland, muito próximo da linha clara de Hergé.

Quadriculografia portuguesa:

  • [-], 1983, O Mosquito (5ª série) #5 a #7
  • O cemitério dos elefantes (Cimetière des éléphants), 1984, Jornal da BD #161 a #164

Colecção Os Túnicas Azuis #15

"A recruta dos azuis" ("Blue Retro") é a aventura escolhida para encerrar esta belíssima colecção dos heróis criados por Louis Salverious e Raoul Cauvin. "Blue Retro" é o 18º episódio da série, publicado originalmente na revista belga Spirou em 1980 e, um ano depois, em álbum pela Dupuis. Em Portugal, o episódio consta da colecção da Edinter numa edição de 1986.

Esta história remonta ao início da Guerra de Secessão. Nessa altura, Cornelius Chesterfield trabalhava como aprendiz de talhante e Blutch era dono de um saloon. Os leitores ficarão então a saber como Chesterfield se alistou no Exército para escapar ao casamento com a filha do patrão e como Blutch assinou os papéis sem saber… sob o efeito do álcool! E perceberão também porque é que, logo de início, se instala em Blutch aquele rancor figadal que ele nutre por Chesterfield. É que ele, ainda mal se tinha alistado, já só pensava em desertar!

Colecção Os Túnicas Azuis #15: A recruta dos Azuis", Willy Lambil e Raoul Cauvin, Público/ASA, 48 pp., capa dura, cor, 6,95€ com o jornal Público

Hiper #46 nas bancas!!!

Uma das Hipers com mais histórias de sempre chegou! Como estamos uns corações moles neste São Valentim, tal qual a Brigite quando se aproxima do “seu” Patinhas num dia chuvoso, quisemos presentear-vos com uma edição variada, com conteúdos para todos os gostos! Seja a passar Uma noite no Rato Branco, a contemplar As Invenções do Morcego Vermelho, dando um saltinho até ao Brasil com o Zé Carioca, desvendando mistérios na companhia do Ser Lock, apanhando sustos com o Patelobo, acompanhando as aventuras do Superpato ou assistindo às magníficas performances do grande Burton La Valle (ufa…), o que é certo é que a emoção está garantida! Não percas estes e muitos outros episódios das personagens mais icónicas!

Hiper é BD ao quadrado!!!


ÍNDICE

06 UMA NOITE NO RATO BRANCO
51 AS INVENÇÕES DO MORCEGO VERMELHO – A pato-corda
52 AS INVENÇÕES DO MORCEGO VERMELHO – A pato-mota
54 ZÉ CARIOCA – Em busca de um pouco de frio!
64 O ESCONDERIJO DO MORCEGO VERMELHO
65 AS INVENÇÕES DO MORCEGO VERMELHO – O saltitão do Morcego Vermelho
66 SER LOCK E O STRADIVARI ROUBADO
79 PERGUNTA AO PATELOBO
83 APRENDE, PATELOBO
99 ZERO ABSOLUTO
162 STARRING THE GREAT BURTON LA VALLE – Esta calma não me agrada
171 DONALD E O HOMEM DE ULA-ULA
209 MICKEY E O MISTÉRIO DO VESPA VERMELHA
239 DONALD ENTRE OS PELES-VERMELHAS
268 MORCEGO VERMELHO E A BORBOLETA PÚRPURA
278 MICKEY, DONALD E OS FRUTOS AGARRATUDO
314 TIO PATINHAS & O DUELO GELADO

14 de fevereiro de 2017

Comix #194 nas bancas!!!

Está na altura de preparares a tua mochila e fazeres-te à aventura, na companhia do Mickey, do Pateta e da Eurásia Tost! Estes nossos amigos assumem o protagonismo na capa e podemos dizer que é caso para isso: a primeira história em destaque traz de volta a autoria de Casty para te surpreender uma vez mais, desta feita com Mickey e o raio da Atlântida! E como, nos dias que correm, aventura é sinónimo de novas tecnologias, temos também uma prodigiosa história aos quadradinhos a três dimensões! Confere em Tio Patinhas e os prodígios 3D-PI!!! Estas e muitas outras histórias na tua Comix de sempre!

Comix é a BD que todos querem ler!!!


ÍNDICE

05 Mickey e o raio da Atlântida
88 Rei dos sarilhos – O segredo
90 Piadas
92 Mínima Patarália – Remédio santo
93 Tio Patinhas e os prodígios 3D-PI

JOGOS

128 As aventuras mais loucas do Mickey
129 Atenção, Donald!

Os Aquanautas - Ensaio de quadriculografia portuguesa


Ficha técnica:
Aventura
(Bélgica) Le Soir, 1970 - Le Soir, 1974
Albert Weinberg (argumento e desenhos)
Estreia em Portugal: Mundo de Aventuras (2ª fase)  #265, 26 de Outubro de 1978


Olaf Lordhal, especialista em mergulho de profundidade, Anémone, sua irmã e manequim, e Vik Nobels, antigo nadador de combate, formam os Aquanautas, uma equipa que se aventura nos quatro cantos do mundo em situações perigosas. As aventuras são publicadas em 908 tiras diárias no jornal belga Le Soir.


Quadriculografia portuguesa:
  • [1º episódio] (Le bateau fantôme), Mundo de Aventuras (2ª fase) #265
  • A serpente emplumada (Le serpent emplumé), Mundo de Aventuras (2ª fase) #285
  • [-] (Le fantôme du Tassin), Mundo de Aventuras (2ª fase) #302
  • Hurricane «Alma» (Hurricane «Alma»), Mundo de Aventuras (2ª fase) #333
  • Blowfish (Blowfish), Mundo de Aventuras (2ª fase) #487

13 de fevereiro de 2017

Lançamento do livro Reportagem Especial no próximo dia 17 de Fevereiro


Os Escorpiões do Deserto - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Gli Scorpioni del Deserto
Histórico
(Itália) Sgt Kirk #28, Outubro de 1969
Hugo Pratt (texto e desenho)
Estreia em Portugal:  Mundo de Aventuras (1ª fase) # 1039, 22 de Agosto de 1969
Outras publicações: Álbum Edições 70, Álbum Meribérica, Selecções BD (1ª série)

Através do relato autêntico dos Escorpiões do Deserto, uma unidade irregular do exército britânico que opera no Médio Oriente, Pratt reflecte os efeitos da guerra nos homens e mulheres dos anos 40 do século XX.

Quadriculografia portuguesa:
  • Nada a assinalar em Djaraboub, Álbum Edições 70 [1983]
  • Direcção Cairo, Álbum Edições 70 [1984]
  • Um fortim em Dancália, Álbum Edições 70 [1984]
  • Conversa mundana em Moululhe, Álbum Edições 70 [1987]
  • [-], Selecções BD (1ª série) #42 a #44
  • Os Escorpiões do Deserto 1, Álbum Meribérica [1991]
  • Os Escorpiões do Deserto 2, Álbum Meribérica [1992]

12 de fevereiro de 2017

A Descoberta do Mundo em Banda Desenhada - Quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
História
(França) Éditions Larrousse, 1978 - 1980
Colectivo (argumento e desenhos): Alarico Gattia, André Bérélovitch, André Martin, Raphael Carlo Marcello, Dino Battaglia, Eduardo Teixeira Coelho, Enric Sió, François Lambert, Guido Buzzelli, Guido Crépax, Jacques Bastian, Jaime Marzal-Canós, Jean-Marc Delaunay,  Jean Ollivier, José Bielsa, Marie-Claude Rouzier, Michel Pierre, Milo Manara, Milo Milani, Nikita Procofieff, Paolo Ongaro, Pierre Castex, Raymond Poivet, Sérgio Toppi
Estreia em Portugal: Álbum Publicações Dom Quixote, 1981 


Uma obra em 24 fascículos que retrata a História da Civilização. 

Quadriculografia portuguesa:
  1. Ulisses e Alexandre o Grande (Ulysse et Alexandre Le Grand), 1978, Bielsa e Coelho; Bastian e Olivier, Álbum Publicações Dom Quixote (#1) [1981]
  2. Os vikings (L'aventure des Vikings), 1978, Bielsa e Coelho; Bastian e Olivier; Álbum Publicações Dom Quixote (#2) [1981]
  3. Marco Polo (Marco Polo), 1978, Sió e Marzal-Canós; Bérélowitch e Olivier, Álbum Publicações Dom Quixote  (#3) [1981]
  4. Cristóvão Colombo (Christophe Colomb), 1979, Buzzelli e Manara; Lambert e Bérélowitch, Álbum Publicações Dom Quixote (#4), [1981]
  5. Vasco da Gama e Afonso de Albuquerque (Vasco da Gama), 1979, Coelho e Bielsa; Olivier, Álbum Publicações Dom Quixote (#5) [1982]
  6. Cortez e os Aztecas (Cortés au Mexique), 1979, Marcello e Sió; Lambert e Milani, Álbum Publicações Dom Quixote (#6) [1982]
  7. Pizarro no país dos incas (Pizarre chez les incas), 1979, Toppi e Gatia; Lambert, Álbum Publicações Dom Quixote (#7) [1982]
  8. A descoberta do Brasil (Au fil de l'Amazone), 1979, Sió e Bielsa; Olivier e Sió, Álbum Publicações Dom Quixote (#8) [1982]
  9. Fernão de Magalhães - A primeira volta ao mundo (Magellan et le premier tour du monde), 1979, Buzzelli e Coelho; Milani e Olivier, Álbum Publicações Dom Quixote (#9) [1982]
  10. A conquista do Novo Mundo (Jacques Cartier au Canada), 1979, Sió e Poivet; Milani e Bastian, Álbum Publicações Dom Quixote (#10) [1982]
  11. A descida do Mississipi (Le descente du Mississipi), 1979, Marzal-Canós e Marcello; Castex e Lambert, Álbum Publicações Dom Quixote (#11) [1982]
  12. O capitão Drake (Un corsaire Drake), 1979, Crépax e Poivet; Bérélowitch e Lambert,  Álbum Publicações Dom Quixote (#12) [1982]
  13. A caminho da Austrália (Cap sur l'Australie), 1979, Toppi e Battaglia; Lambert e Olivier, Álbum Publicações Dom Quixote (#13) [1983]
  14. Os exploradores do Pacífico (James Cook), 1979, Manara e Marcello; Olivier e Castex, Álbum Publicações Dom Quixote (#14) [1983]
  15. A revolta da «Bounty» (Les révoltés du «Bounty»), 1979, Bielsa e Poivet; André Martin e Bérélowitch, Álbum Publicações Dom Quixote (#15) [1983]
  16. A miragem de Tombuctu (Le mirage de Tombouctou), 1980, Coelho e Sió; Lambert e Milani,  Álbum Publicações Dom Quixote (#16) [1983]
  17. No coração da África (Livingstone et Sidney au coeur de l'Afrique), 1980, Marzal-Canós e Marcello; Milani Álbum Publicações Dom Quixote (#17) [1984]
  18. Nas nascentes do Nilo (Aux sources du Nil), 1980, Bielsa e Marcello; Milani e Bérélowitch,  Álbum Publicações Dom Quixote (#18) [1984]
  19. O cavalo de ferro (Le cheval de fer), 1980, Gattia e Marcello; Michel Pierre e Delaunay, Álbum Publicações Dom Quixote (#19) [1984]
  20. Darwin nos Galápagos (Darwin aux Galapagos), 1980, Crépax e Coelho; Rouzier e Olivier, Álbum Publicações Dom Quixote (#20) [1984]
  21. A Ásia desconhecida (Le croisière jaune), 1980, Battaglia e Toppi; Bastian e Michel Pierre, Álbum Publicações Dom Quixote (#21) [1984]
  22. O assalto ao grande Norte (À l'assaut du Grand Nord), 1980, Sió e Buzzelli; Lambert e Castex, Álbum Publicações Dom Quixote (#22) [1984]
  23. A corrida ao Pólo Sul (Byrd dans l'Antarctique), 1980, Marzal-Canós e Ongaro; Olivier e Procofieff, Álbum Publicações Dom Quixote (#23) [1984]
  24. Da Terra à Lua (De la Terre à la Lune), 1980, Marzal-Canós e Ongaro; Olivier e Procofieff, Álbum Publicações Dom Quixote (#24) [1984]

11 de fevereiro de 2017

Cartouche - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
(França) Cartouche #1, Setembro de 1964 - Cartouche #9, Maio de 1965
Jean Ollivier (argumento) e Eduardo Teixeira Coelho (desenhos)
Estreia em Portugal: Mundo de Aventuras (2ª fase) #174, 22 de Janeiro de 1977
Outras publicações: Selecções do Mundo de Aventuras

Série de capa e espada, Cartouche (qual Robin dos Bosques) e o seu amigo Trubert roubam os ricos senhores para distribuirem pelos mais pobres. Aventuras repletas de combates heróicos, acompanhados de momentos de humor.

Quadriculografia portuguesa:
  • A concha de ouro (La coquille d'or), 1964, Mundo de Aventuras (2ª fase) #174
  • Cartouche diverte-se (Cartouche s'en mêle), 1964, Mundo de Aventuras (2ª fase) #193; Selecções do Mundo de Aventuras #241
  • O testamento (Cartouche et le testament), 1964, Mundo de Aventuras (2ª fase) #224
  • Cartouche abre o baile (Cartouche ouvre le bal), 1964, Mundo de Aventuras (2ª fase) #254
  • Só contra todos (Seul contre tous), 1965, Mundo de Aventuras (2ª fase) #308
  • Em guarda, La Tour (La Tour, prends garde), 1965, Mundo de Aventuras (2ª fase) #340
  • A moeda de ouro (La rose d'or), 1965, Mundo de Aventuras (2ª fase) #485

Tokyo Ghoul #5

A partir deste mês, a Devir disponibiliza o 5º volume da colecção Tokyo Ghoul do japonês Sui Ishida.

Neste volume Kaneki, Nishiki e Toka vão salvar Kimi, a sua amiga humana. Nas ruas, baixas da guerra entre a Comissão Anti-Ghouls e os Ghouls aumentam e os Pombos não dão tréguas...
Serão Kaneki e os outros amigos capazes de lidar com o desafio?

Tokyo Ghoul #5, Sui Ishida, Devir, 204 pp., p&b, capa mole, 9,99€


10 de fevereiro de 2017

Bernard Prince - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Aventura
(Bélgica) Tintin, #1 (21º ano), 4 de janeiro de 1966
Greg (argumento), Hermann (desenho)
Outros autores: Dany, Y. Hermann
Estreia em Portugal: Álbum Editorial Íbis, 1979
Outras publicações: Álbum Livraria Bertrand, Tintin, Tintin Especial Anual, Mundo de Aventuras (2ª fase), Álbum Distri Editora, Selecções Tintin (Íbis), Álbum Meribérica, Selecções BD (1ª série), Álbum Vitamina BD, Álbum Público/ASA


Foi Greg, enquanto chefe de redacção da revista Tintin, que criou o personagem Bernard Prince para o jovem desenhador HermannPrince herda um pequeno veleiro, o Cormoran, salva um pequeno indiano, o Djinn, e conhece um grosseiro, mas fiel marinheiro, o Barney Jordan. Este trio inicia um périplo de aventuras cheio de intriga e exotismo, tornando Bernard Prince parte da galeria dos grandes heróis da banda desenhada franco-belga. Hermann abandona a série em 1977 e Greg confia o desenho a Dany, cedendo, por sua vez, em 1992, o grafismo a Édouard Aidans que assina os dois últimos episódios da série. Contudo, em 2010, por iniciativa do filho de Hermann, a série reaparece com um novo episódio.

Quadriculografia portuguesa:
  • Bilhete surpresa (Billet surprise), 1966, Hermann e Greg, Mundo de Aventuras (2ª fase) #506
  • Operação «casados de fresco» (Opération «jeunes mariés»), 1966, Hermann e Greg, Mundo de Aventuras (2ª fase) #506
  • A terceira testemunha (Le troisième témoin), 1966, Hermann e Greg, Mundo de Aventuras (2ª fase) #506
  • Uma lanterna para um pequeno polegar (Une lanterne pour un Petit Poucet), 1966, Hermann e Greg, Mundo de Aventuras (2ª fase) #506
  • Barney em apuros (Simples routine), 1966, Hermann e Greg, Mundo de Aventuras (2ª fase) #401
  • A fuga do Cormoran ( L'évasion du Cormoran), 1966, Hermann e Greg, Mundo de Aventuras (2ª fase) #506
  • Especialidade da casa (Spécialité maison), 1966, Hermann e Greg, Mundo de Aventuras (2ª fase) #506
  • Os piratas de Lokanga (Les pirates de Lokanga), 1967, Hermann e Greg, Álbum Editorial Íbis [1969](2); Álbum Livraria Bertrand [1978]*; Tintin #49/13º ano a #7/14º ano; Álbum Público/ASA [2015]*
  • O general Satã (Le general Satan), 1967, Hermann e Greg, Álbum Editorial Íbis [1969]*; Álbum Livraria Bertrand [1978] ; Tintin #7 a #15/14º ano; Álbum Público/ASA [2015]*
  • Tormenta sobre Coronado (Tonerre sur Coronado), 1967, Hermann e Greg, Tintin #1 a #18/2º ano; Álbum Público/ASA [2015]
  • A fronteira do inferno (La frontière de l'enfer), 1968, Hermann e Greg, Álbum Editorial Íbis [1970]; Álbum Público/ASA [2015]
  • Aventura em Manhattan (Aventure a Manhattan), 1968, Hermann e Greg, Álbum Distri Editora [1987] (1); Tintin #46/2º ano a #11/3º ano; Álbum Público/ASA [2015]
  • Oásis em chamas (L'oasis en flammes), 1969,  Hermann e Greg, Álbum Livraria Bertrand [1973]; Álbum Público/ASA [2015]
  • A lei do furacão (La loi de l'ouragan), 1969, Hermann e Greg, Álbum Livraria Bertrand [1977]; Tintin #35/3º ano a #4/4º ano; Álbum Público/ASA [2015]
  • A passageira (La passagére), 1970, Hermann e Greg, Tintin #37 a #40/4º ano; Álbum Distri Editora [1987] 
  • As vítimas (Les victimes), 1970, Hermann e Greg, Tintin Especial Anual de 1974
  • A fornalha dos condenados (La fournaise des damnés), 1971, Hermann e Greg, Tintin #37/5º ano a #6/6º ano; Álbum Público/ASA [2015]
  • A chama verde do conquistador (La flamme vert du conquistador), 1971, Hermann e Greg, Álbum Meribérica [1988]; Tintin #47/6ºano a #14/7º ano; Álbum Público/ASA [2015]
  • Barney Jordan, o sol vermelho (Barney voit rouge), 1973, Hermann e Greg, Selecções Tintin (Íbis) #2
  • O regresso do fantasma (Guérrilla pour une fantôme), 1973, Hermann e Greg, Álbum Livraria Bertrand [1974]; Álbum Público/ASA [2016]
  • O sopro de Moloch (Le souffle du Moloch), 1974, Hermann e Greg, Álbum Meribérica [1989]; Tintin #37 a #47/8º ano; Álbum Público/ASA [2016]
  • A fortaleza das brumas (La forteresse des brumes), 1975, Hermann e Greg, Álbum Público/ASA [2009] ; Tintin #20 a 34/9º ano
  • Objectivo Cormoran (Objectif Cormoran), 1976, Hermann e Greg; Álbum Público/ASA [2009] ; Tintin #46/9º ano a #9/10º ano
  • O rapto de Djinn (Djinn a disparu), 1977, Hermann e Greg, Mundo de Aventuras (2ª fase) #349
  • O porto dos loucos (Le port des fous), 1977, Hermann e Greg, Álbum Distri Editora; Tintin #20 a #42/10º ano; Álbum Público/ASA [2016]
  • Nictalope (Le nyctalope), 1978, Dany e Greg, Selecções BD (1ª série) #3
  • A cilada dos 100.000 dardos (La piége aux 100.000 dards), 1979, Dany e Greg, Álbum Meribérica [1987]; Selecções BD (1ª série) #1 a #3; Álbum Público/ASA [2016]
  • Ameaça sobre o rio (Menace sur le fleuve), 2010, Hermann e Y. Hermann, Álbum Vitamina BD [2010]
*Contém os episódios «General Satã» e «Os piratas de Lokanga»

Naruto #21: Imperdoável

Mais um volume de Naruto disponível nas bancas portuguesas. "Imperdoável" é o título deste volume da série de mangá criada por Masashi Kishimoto e reúne os episódios #181 a #190.

Neste volume, Tsunade envia uma equipa em busca do atormentado Sasuke, que acaba de fazer uma escolha terrível no que toca a companhias.

Será que Naruto, Neiji e os restantes companheiros conseguirão derrotar o Quarteto do Som? Só lhes resta uma hipótese: descobrir!


Naruto #21: Imperdoável, Masashi Kishimoto, Devir, 212 pp., p&b, capa mole, 9,99€