30 de junho de 2017

Juan Solo - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Romance gráfico
(França) Éditions Humanoides Associés, 1995-2002
Alexandro Jodorowsky (argumento) e Georges Bess (desenho)
Estreia em PortugalÁlbum Edições ASA, 2002


Juan Solo é um bandido implacável, que não hesita em matar numa sede de enriquecimento. A série evolui numa cidade imaginária da América do Sul, Huatulco City, onde Solo está a mando de um ministro depravado.

Quadriculografia portuguesa:
  • Filho de uma arma (Fils de flingue), 1995, Álbum Edições ASA [2002]
  • Os cães do poder (Les chiens du pouvoir), 1996, Álbum Edições ASA [2003]


[actualizado em 7-12-2014]

CPBD - Exposição de cromos desenhados


Francis Falko - Ensaio de quadriculografia portuguesa


Ficha técnica:
Heroic-Fantasy

(França) Éditions Novedi, 1987 [Álbum único]
François Corteggiani (argumento) e Victor De La Fuente (desenhos)
Estreia em PortugalÁlbum Meribérica, 1988


Quadriculografia portuguesa:
  • O guerreiro do arco-íris (Le guerrier de l'Arc-en-ciel), 1987, Álbum Meribérica [1988]
[actualizado em 26-11-2014]



Lucky Luke: O tesouro dos Dalton

As edições ASA reeditaram o 46º volume da série Lucky Luke com o título "O tesouro dos Dalton" ("Le magot des Dalton"), originalmente publicado em França em 1979 no jornal VSD e no ano seguinte em álbum numa edição da Dargaud. O desenho é de Morris que repartiu o argumento com Vicq.

Esta aventura já tinha edição portuguesa com o título "O esconderijo dos Dalton" publicada em continuação na revista Tintin (#5 a #26 do 14º ano) e no suplemento do Diário Popular, Flecha 2000 (#82 a #90). Em álbum, a edição é da Meribérica, datada de 1981.

Eis a sinopse da editora:
Através de um companheiro de cela, os Dalton ficam a saber que há um enorme tesouro em Red Rock Junction. Atraídos pela perspectiva de um enriquecimento rápido e fácil, os Dalton evadem-se em busca do tesouro, mas infelizmente deparam com um estabelecimento prisional construído exactamente no sítio onde se encontra o saque! Os Dalton tentam então ser presos e levados para essa prisão mas, para sua grande surpresa, isso revela-se mais difícil do que seria de supor! E, além disso, Lucky Luke está no seu encalço para os levar de volta à prisão de onde eles se evadiram…

Lucky Luke: O tesouro dos Dalton, Morris e Vicq, ASA, 48 pp., cor, capa dura, 10,90€

29 de junho de 2017

Diosamante - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Heroic-fantasy
(França) Éditions Les Humanoides Associés, 1992
Alexandro Jodorowsky (argumento) e Jean-Claude Gal (desenho)
Estreia em PortugalÁlbum Edições ASA, Janeiro de 2003


Diosamante é uma rainha cujo seu povo sofre de sua crueldade. Ela irá viver uma viagem iniciática em busca de sua espiritualidade e de sua pessoa.

Quadriculografia portuguesa: 
  • A parábola do rei em chamas (La parabole du fils perdue), 2002, Álbum Edições ASA [2003]
[actualizado em 7-12-2014]

Top das vendas de BD em França de 12 a 18 de Junho

1º lugar (=) [3ª semana]
XIII Mystery #11: Jonathan Fly
Olivier Taduc, Luc Brunschwig
Dargaud

2º lugar (=) [2ª semana]
Yoko Tsuno #28: Le Temple des immortels
Roger Leloup
Dupuis

3º lugar (novo)
IR$ #18: Kate’s Hell
Bernard Vrancken, Stephen Desberg
Lombard


A Editora Devir na Festa do Japão


No dia 24 de Junho de 2017, a Editora Devir participou na VII Edição da Festa do Japão em Lisboa, no Rossio dos Olivais – Parque das Nações.

Música, artes marciais, comida, cosplay e jogos tradicionais foram algumas das atrações deste memorável evento sobre a cultura nipónica. O evento contou com a visita de cerca de 10.000 pessoas. 

A Editora Devir apresentou o livro O homem que passeia, de Jiro Taniguchi, e uma exposição sobre a obra do autor que despertou olhares e interesse de muitos que por ali passaram. 



Pif - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Pif, le chien
Animalistico
L’Humanité, 28 de Março de 1948
José Cabrero Arnal (argumento e desenho)
Outros autoresRoger Mas, François Cortegianni, Michel Motti
Estreia em PortugalMundo de Aventuras (1ª fase) #241, 25 de Março de 1954
Outras publicaçõesO Falcão (1ª série), Álbum Distri Editora

Pif serviu como pretexto para denunciar as injustiças de seu tempo: a fome e a falta de habitação.
Em Portugal, foram editados vários gags de Arnal no Mundo de Aventuras (1ª fase) e na primeira série da revista O Falcão, já com a assinatura de Roger Mas. Nos anos noventa, a Distri Editora publicou alguns álbuns de Pif Hércules.

Quadriculografia portuguesa:
  • [gag], Arnal, Mundo de Aventuras (1ª fase) #241, #244, #248 e #280
  • [gag], Mas, O Falcão (1ª série) #10, #13 a #18, #26, #43, #44, #45, #48 a #51, #53 e #80
  • A guerra do Enershmol (La guerre de l'enerschmoll), Distri Editora [1984]
  • Pif contra Krapulax (Avatar sen serie), Motti e Corteggiani, Distri Editora [1984]

[actualizado em 26-11-2014]

28 de junho de 2017

Castaka - Ensaio de bibliografia portuguesa

Ficha técnica:
Ficção científica 
(França) Les Humanoides Associés
Alexandro Jodorowsky (argumento) e Das Pastoras (desenho)
Estreia em Portugal: Álbum Vitamina BD, 2008


Sobre o planeta Marmola, pátria da linhagem de CastakaBerard, o chefe da casta, vai enfrentar o seu filho Oton em duelo, com manda a tradição, para se verificar se é digno de ser o seu sucessor. Embora ganhe o duelo, Berard não mata o filho. Ensina-lhe então a história da casta, desde os tempos ancestrais...

Quadriculografia portuguesa:
  • O primeiro antepassado (Dayal: le premier ancêtre), 2008, Álbum Vitamina BD [2008]
[actualizado em 7-12-2014]

Exposição "As cadernetas e os desenhadores - À procura da simbiose perfeita"


Bob Binn - Ensaio de quadriculografia portuguesa


Ficha técnica:
Humorístico
(Bélgica) Tintin, 1968 - Tintin Sélection, 1976
André-Paul Duchateau (argumento), Édouard Aidans (desenho)
Outros autoresJacques Acar, Hachel
Estreia em PortugalPisca-Pisca nº 7, Julho de 1968
Outras publicaçõesTintin


Bob Binn é um repórter fotográfico de reportagens de inquéritos policiais, e, simultaneamente, enfrenta os perigosos malfeitores. O temperamento de bisbilhoteiro e de habilidade de desenrascanço ajudam Bob Binn no sucesso nas suas investigações, oferecendo humor às suas aventuras. Além de Duchateau, também Jacques Acar escreveu argumentos para a série. Nos últimos episódios da série, Aidans é assistido por Hachel Christian Lamquet.
A revista Pisca-Pisca, onde a série se estreia em Portugal, baptizou-o de Aquiles. A revista Tintin publica uma aventura em 1970.

Quadriculografia portuguesa:
  • Uma grande equipa (Esprit d’équipe), 1964, Aidans e Acar, Pisca-Pisca #14
  • Salada de autómatos (Salade d’automates), 1965, Aidans e Acar, Pisca-Pisca  #9
  • O caso dos negociantes de tapetes (L’affaire des marchands de tapis), 1965, Aidans e Acar, Pisca-Pisca  #7
  • Aquiles intervém (Achille s’en mêle) 1965, Aidans e Acar, Pisca-Pisca  #12
  • Terror em 45 rotações (Série noire en 45 tours), 1965, Aidans e Acar, Pisca-Pisca  #13
  • Férias de sonho (Bob Binn et le roi de la tarte aux fraises), 1970, Aidans e Hachel, Tintin #49/2º ano
[actualizado em 26-11-2014]



27 de junho de 2017

A Casta dos Metabarões - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
La caste des meta-barons
Ficção científica
(França) Éditions Humanoides Associés, 1992
Alexandro Jodorowsky (argumento) e Juan Gimenez (desenho)
Estreia em Portugal:Álbum Meribérica, Maio de 1998
Outras publicaçõesÁlbum Vitamina BD  



Personagem chave da saga do Incal, o Metabarão é o heroi de uma série que nos faz remontar aos tempos do trisavô OthonTonto e Lothan contam-nos a história da dinastia que lutaram pela conservação da raça. Senhores guerreiros, os metabarões combatem, assassinam e copulam para que a sua raça não se extinga.

Quadriculografia portuguesa:
  • Othon, o trisavô (Othon le trisaïeul), 1992, Meribérica-Líber [1998]; Álbum Vitamina BD [2008]
  • Honorata, a trisavó (Honorata la trisaïeule), 1993, Meribérica-Líber [1999]
  • Agnar, o bisavô (Aghnar le bisaïeul), 1995, Meribérica-Líber [2000]
  • Oda, a bisavó (Oda la bisaïeule), 1997, Meribérica-Líber [2003]
  • Cabeça de aço, a Avó (Tête-d'Acier l'Aïeul), 2004, Meribérica-Líber [2004]


[actualizado em 7-12-2014]

Gomez & Gonzalez - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Humorístico
(Bélgica) Tintin, 1975 [único episódio]
Jacques Acar (argumento) e Pierre Ramboux (desenho)
Estreia em Portugal: Tintin nº 3/10º ano, 4 de março de 1977

Série efémera de apenas um episódio com as aventuras de dois nobres espanhóis na Espanha do século XVII.

Quadriculografia portuguesa:
  • As plumas dos conquistadores (Les plumes des conquistadores), 1975, Tintin #3 a #12/10º ano
[actualizado em 26-11-2014]



26 de junho de 2017

Bouncer - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Western
(França) Les Humanoides Associés, Junho de 2001
François Boucq (desenho) e Alexandro Jodorowsky (argumento)
Estreia em Portugal: Álbum Edições ASA, Junho de 2002

No rescaldo da Guerra Civil, um grupo de soldados confederados semeiam o terror, desencadeando saques e assassinatos racistas. À sua recusa em se desarmarem e aceitarem a derrota, uivam por derramar o sangue daqueles que cruzam o seu caminho.

O capitão Van Ralton Dorman é o chefe da horda de militares e de saqueadores. Para levantar a esperança do seu próprio exército e vingar a honra perdida da Confederação, decide procurar o lendário diamante "O Olho de Caim".

Quadriculografia portuguesa:
  • Um diamante para o além (Un diamant pour l'Au-delá), 2001, Álbum ASA, 2002
  • A misericórdia dos algozes (La pitié des bourreaux), 2002, Álbum ASA, 2003
  • A justiça das serpentes (La justice des serpents), 2003, Álbum ASA, 2004
  • A vingança do carrasco (La vengeance du manchot), 2005, Álbum ASA, 2005
  • O fascínio das lobas (La proie des louves), 2006, Álbum ASA, 2010
  • A viúva negra (La veuve noire), 2008, Álbum ASA*, 2012
  • Coração dividido (Coeur double), 2009, Álbum ASA*, 2012
  • To hell (To hell), 2012, Álbum Arte de Autor**, 2017
  • And back (And back), 2013, Álbum Arte de Autor**, 2017
[actualizado em 5-11-2017]
* álbum duplo
** álbum duplo

Lançamento de Velvel vol. 3 e Cidades na TV!

Será colocado em distribuição a partir de quinta-feira 29 o terceiro volume - e volume final série de Ed Brubaker e Steve Epting, a conclusão das aventuras de Velvet Templeton, Velvet: O Homem que Roubou o Mundo, que reúne os números 11 a 15 de Velvet. O livro chegará a livrarias entre sexta-feira e o início da semana seguinte.

Sinopse da editora:
Todas as pistas e todos os destinos que constituem o mistério que rodeia Velvet acabam por a levar de volta aos Estados Unidos e a Washington, para o final explosivo da saga de Velvet Templeton. Por dois dos criadores de comics mais aclamados de hoje, Ed Brubaker e Steve Epting, a dupla responsável também pela série Fatale.

A primeira grande aventura de Velvet Templeton, a secretária que era uma espia e operacional de missões secretas, chega ao fim com este terceiro volume da série. E a conclusão levará Velvet até ao topo das hierarquias do pdoer do mundo Ocidental e ao perigoiso jogo das agências secretas. Quem foi que tentou incriminá-la e destruir a sua carreia e imagem, deixando um rasto de destruição no seu caminho? Descubra tudo no último volume de Velvet!
Afinal a história não é sobre a Moneypenny, a secretária do MI6 que se transforma em agente secreto. É uma história que pergunta - e se a secretária de 40 e tal anos afinal sempre tivesse sido um agente secreto?

Para quem queira ver uma equipa de criadores de comics em plena forma a fazer o que só eles sabem fazer tão bem, podem parar de procurar.”
-Newsarama

Velvet #3: O Homem que Roubou o Mundo, Ed Brubaker e Steve Epting, G. Floy, 136 pp., cor, capa dura, 9,99€

Uma outra notícia: Ricardo Cabral e Dileydi Florez estiveram na semana passada no programa de TV "É a vida, Alvim!", a falar do recente lançamento de CIDADES, o primeiro volume de The Lisbon Studio Series (editado em parceria com a ComicHeart), uma entrevista divertida e animada que passará na terça 27 à noite (noite de terça para quarta), no Canal Q, posição 16 (MEO), 19 (Vodafone) e 70 (NOS - junto aos canais de entretenimento séries e filmes).








Strapontam - Ensaio de quadriculografia portuguesa


Ficha técnica:
Strapontin
Humorístico
(Bélgica) Tintin #4/13º ano, 22 de Janeiro de 1958 - Tintin #12/23º ano, 19 de Março de 1968
René Goscinny (argumento), Berck (desenho)
Outros autoresJacques Acar
Estreia em PortugalÁlbum Editorial Íbis, 1965
Outras publicaçõesTintin


Strapontam é um condutor de táxi que vive aventuras humorísticas-policiais nos quatro cantos do mundo, desde as brumas escocesas à pampa sul-americana.
Jacques Acar substitui Goscinny nos argumentos desta série até ao seu final, já que Berck, em 1968, abandona a revista Tintin para a sua rival Spirou.

Quadriculografia portuguesa:
  • Strapontam e o monstro do Loch Ness (Strapontin et le monstre du Loch–Ness), 1961, Berck e Goscinny, Álbum Editorial Íbis* [1965]
  • Strapontam e o gorila (Strapontin et le gorille), 1962, Berck e Goscinny, Álbum Editorial Íbis**
  • Strapontam entre os gaúchos (Strapontin chez les gauchos), 1963, Berck e Goscinny, Álbum Editorial Íbis [197?]
  • Strapontam e os esquimós (Strapontin chez les esquimaux), 1964, Berck e Goscinny, Álbum Editorial Íbis**[1966]
  • Revolta no bosque adormecido (Révolte au bois dormant), 1964, Berck, Goscinny, Álbum Editorial Íbis***[1968]
  • Strapontam e a máscara de Jade (Strapontin et le Masque de Jade), 1965, Berck e Acar, Álbum Editorial Íbis*** [1968]
  • Strapontam e o tigre verde (Strapontin et le tigre vert), 1966, Berck e Goscinny, Álbum Editorial Íbis*
  • Strapontam no Oeste (?), ?, Berck e Goscinny, Álbum Editorial Íbis [[196?]
  • Strapontam e e B.C.Z./2 (Strapontin et le B.C.Z / 2), 1966, Berck  e Acar, Tintin #9 a #22/14º ano
  • Um pouco de violência (Un zeste de violence), 1966, Berck e Acar, Tintin #17 a #20/13º ano
  • Strapontam contra Aranhex (Strapontin contre Mygalex), 1967, Berck e Acar, Tintin #18 a #26/2º ano
[actualizado em 27-11-2014]

25 de junho de 2017

Borgia - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Histórico-Ficção
(França) Albin Michel, Novembro de 2004 - Drugstore, Dezembro de 2010
Alexandro Jodorowsky (argumento) e Milo Manara (desenho)
Estreia em PortugalÁlbum Edições ASA, Maio de 2006


A série conta-nos a ascensão da família Bórgia, onde os excessos e as devassas põem a descoberto a podridão do Vaticano. O pai Bórgia, o Papa Alexandre V com as suas concubinas, a ambição do filho César e as luxúrias da filha Lucrécia, são os ingredientes desta série destinada a um público adulto.

Quadriculografia portuguesa:
  • Sangue para o Papa (Du sangue pour le Pape), 2004, Álbum Edições ASA [2006]
  • O poder e o incesto (Le pouvoir et l'inceste), 2006, Álbum Edições ASA [2010] 
  • As chamas da pira (Les flammes de bucher), 2008, Álbum Edições ASA [2010]
  • Tudo é vaidade (Tout est vanité), 2010, Álbum Edições ASA [2011] 
[actualizado em 24-12-2014]

Cavaleiro Negro - Ensaio de quadriculografia portuguesa


Ficha técnica:
Chevalier Noir
Histórico Ficção
(Bélgica) Tintin, 1978-1983
Yves Duval (argumento) e Juan Manuel Cicuèndez (desenho)
Estreia em PortugalMundo de Aventuras (2ª fase) #457, 15 de Julho de 1982

Quadriculografia portuguesa:
  • O desafio do cavaleiro negro (Le défi du chevalier noir), 1978, Mundo de Aventuras (2ª fase) #457 
  • [-] (Le chasse au «vol»), 1978, Mundo de Aventuras (2ª fase) #510 
  • [-] (Le bûcher de Seville), 1979, Mundo de Aventuras (2ª fase) #510 
  • [-] (La formule volée), 1979, Mundo de Aventuras (2ª fase) #511

[actualizado em 27-11-2014]

24 de junho de 2017

Alef-Thau - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Heroic-Fantasy
(França) Métal Hurlant #79, Setembro de 1982 - Les Humanoides Associés, Novembro de 1998
Alexandro Jodorowsky (argumento) e Arno (desenhos)
Estreia em Portugal: Jornal da BD #89, 17 de Abril de 1984 


A série Alef-Thau desenvolve-se num universo mágico e fantástico. Nascido sem braços e pernas, Alef-Thau sujeita-se a todas as provas para recuperar a sua integridade. Iniciado pelo velho mestre Holg e na companhia de Diamantee MirraAlef-Thau com a sua espada de cristal vai conquistando a sabedoria.


Quadriculografia portuguesa: 
  • A criança tronc (L'enfant tronc), 1983, Jornal da BD #89 a #93
  • O príncipe manco (Le prince manchot), 1984, Jornal da BD #153 a #160
[actualizado em 7-12-2014]

Figuras de Tintin #33: Girassol de patins

Girassol está disposto a todos os sacrifícios para nos surpreender. Depois da casa-armário, do submarino em forma de tubarão, da máquina para escovar roupa ou do foguete lunar, concebeu um meio de locomoção revolucionário para gente com pressas: os patins motorizados, uma criação que lhe daria, sem dúvidas, o direito ao Prémio Nobel para a a invenção mais fantasiosa e descabida da história dos transportes. Afinal, não seria tão descabida nos dias de hoje, já que temos os já famosos hoverboards.

A referência da figura desta 35ª entrega (volume 33 da colecção) encontra-se na aventura "Carvão no porão", prancha 61, vinheta 81.

Figuras de Tintin #33: Girassol de patins, Moulinsart, distribuído em Portugal pela Altaya, livro de 16 pp. + estatueta + passaporte, 12,99€



Doc Silver - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Western
(Bélgica) Tintin #6/22º ano, 7 de Fevereiro de 1967 - Tintin #48/24º ano, 2 de Dezembro de 1969
Yves Duval (argumento) e Liliane & Fred Funcken (desenho)
Estreia em PortugalTintin #27/2º ano, 27 de Novembro de 1969

Gary Silver é um médico que trabalha no far-west americano no início do século XX. De óculos redondos e mala de médico, Doc Silver percorre a zona de Denvers, presenciando acontecimentos históricos, como amigo de Pancho Villa ou participar na Europa em plena 1ª Guerra Mundial.

Quadriculografia portuguesa:
  • 24 horas para Doc Silver (24 heures pour Doc Silver), 1967, Tintin #27 a #48/2º ano
[actualizado em 11-11-2014]




23 de junho de 2017

Buddy Longway - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Western
(Bélgica) Tintin Sélection #16, Junho de 1972
Derib (argumento e desenhos)
Estreia em PortugalTintin #48/8º ano, 17 de Abril de 1976
Outras publicaçõesMundo de Aventuras (2ª fase), Almanaque Tintin, Selecções Tintin, Álbum Livraria Bertrand, Álbum Editorial Futura, Álbum Público/ASA

Buddy Longway inicia a sua saga como um caçador de peles solitário e nómada. Contudo, quando encontra Chinook, uma jovem índia, com a qual se casa, sedentariza-se e  constitui família, tendo dois filhos, Jérémie e a Kathleen. As aventuras retratam os perigos de uma família no Oeste selvagem: índios tumultuosos, desertores, foras-da-lei, natureza hostil... Ao longo dos episódios os heróis envelhecem e morrem, separam-se e voltam a encontrar-se.


Quadriculografia portuguesa:
  • A primeira caçada (Première chasse…), 1972, Mundo de Aventuras (2ª fase) #341; Tintin #5 a 8/13º ano; Almanaque Tintin #2; Selecções Tintin #1 
  • Chinook (Chinook), 1973, Tintin #9 a #29/14º ano; Álbum Livraria Bertrand [1978] 
  • O inimigo (L'ennemi), 1974, Tintin #48/8º ano #10/9º ano; Álbum Livraria Bertrand [1978]
  • Passaram três homens (Trois hommes sont passés), 1975, Tintin#43/9º ano a #3/10º ano; Álbum Livraria Bertrand [1979]
  • Sozinho (Seul), 1976, Álbum Livraria Bertrand [1980]
  • O segredo (Le secret), 1976, Tintin #32 a #45/10º ano; Álbum Livraria Bertrand [1981]
  • O alce (L’original), 1977, Tintin #46/10º ano a #16/11º ano; Álbum Editorial Futura [1988]
  • O inverno dos cavalos (L’hiver des chevaux), 1977, Tintin #39/11º ano a #9/12º ano; Álbum Editorial Futura [1989]
  • A água de fogo (L’eau de feu), 1978, Tintin #39 a #44/12º ano
  • O quinhão do caçador (La part du chasseur), 1979, Selecções Tintin #1 
  • O demónio branco (Le démon blanc), 1980, Tintin #31 a #43/14º ano
  • O vento selvagem (Le vent sauvage), 1984, Álbum Público/ASA* [2009]
  • O manto negro (Le robe noir), 1985, Álbum Público/ASA* [2009]

* Àlbum duplo
[actualizado em 7-12-2014]

Southern Bastards #3: Regressos

Chegou às bancas o terceiro volume da série Southern Bastards com o título "Regressos". Este volume, que reúne os números 9 a a 14 de Southern Bastards,  inclui também o ensaio de Jason Latour sobre a célebre capa variante Death to the Flag, Long Live the South ("Acerca da bandeira rebelde do sul...") e uma extensa galeria de capas alternativas e esboços.

Sinopse da editora:
Chegou a semana do Homecoming, o fim das férias e o maior jogo do ano para a equipa do Condado de Craw, os Runnin' Rebs. Mas o Coach Euless Boss tem muito mais inimigos do que os que vai enfrentar no campo de jogo. O xerife cujo passado negro o continua a assombrar. O misterioso caçador sempre pronto a fazer a sua justiça rural muito peculiar. O estranho rapaz em coma. A maquiavélica mulher do Mayor. Os cães selvagens.

E há também Roberta Tubb, do Corpo de Fuzileiros dos Estados Unidos. A filha do homem que Euless Boss matou a sangue-frio. Todos estão a regressar a casa, como que atraídos por uma promessa de violência e vingança. Mas o Coach Boss não tem medo de sangrar. Nem de verter o sangue de outros, se isso for necessário para ganhar o jogo.

Seis histórias. Seis grandessíssimos cabrões. Uma série “frita à moda do Sul”.

Southern Bastards é a aclamada criação de Jason Aaron e do desenhador Jason Latour, uma saga que nos mergulha no Sul dos Estados Unidos, na sua cultura violenta e dividida, um thriller de que ninguém sairá incólume. Southern Bastards venceu o Prémio Harvey para Melhor Nova Série em 2015.

Se existe por aí um comic mais visceral e perturbador que este, não quero saber.” - Newsarama

Southern Bastards #3: Regressos, Jason Aaron e Jason Latour (arte de Chris Brunner e argumento de Jason Latour no #12, G. Floy,  160 pps, cor, capa dura, 11,99€

Lady Bound - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Humorístico
(Bélgica) Tintin, 1967-1968
Yves Duval (argumento) e Berck (desenho)
Estreia em PortugalTintin nº 42/6º ano, 11 de Março de 1972

Quadriculografia portuguesa:
  • Lady Bound vai à guerra (Lady Bound s'en va-t-en guerre), 1967, Tintin #42 a #52/6º ano
[actualizado em 27-11-2014]



22 de junho de 2017

Palestra sobre BD do Clube Português de Banda Desenhada


Os Ahlalàààs - Ensaio de quadriculografia portuguesa


Ficha técnica:
Animalístico
(França) Achille Talon Magazine, 1975-1976
Derib (argumento e desenhos)
Estreia em PortugalTintin #44/14º ano, 13 de Março de 1982


Os Ahlalàààs são figuras microscópicas semelhantes a castores. A série reduziu-se a um episódio, onde alguns atribuem o argumento a Greg.


Quadriculografia portuguesa:
  • A aventura de uma BD (L'aventure d'une BD), 1975, Tintin #44 a #50/14º ano 
[actualizado em 7-12-2014]

Rataplan - Ensaio de quadriculografia portuguesa


Ficha técnica:
Humorístico 
(Bélgica) Tintin #25/16º ano, 20 de Junho de 1961 - Tintin #3/22º ano, 28 de Março de 1967
Yves Duval (argumento), Berck (desenho)
Estreia em PortugalTintin nº 19/3º ano, 9 de Janeiro de 1971


Rataplan é um jovem tambor da armada imperial francesa. Juntamente com o sargento Bobéche vivem aventuras na epopeia napoleónica. Contudo, este pretexto histórico rapidamente se desvanece ao longo dos episódios, caindo em argumentos mais fantasiosos e estranhos, mantendo o tom humorístico.

Quadriculografia portuguesa:
  • O príncipe de Jitomir (Le prince de Jitomir), 1962, Tintin #19 a #33/3º ano
  • O sinal do touro (Rataplan et le signe du toro), 1962, Tintin #17/5º ano a #31/6º ano
  • Rataplan e Cocotte 66 (Rataplan et Cocotte 66), 1963, Tintin #25 a #28/13º ano
  • Rataplan e o «vaudou» (Rataplan et le vaudou), 1964, Tintin #11 a #25/14º ano
[actualizado em 27-11-2014]



Mulher-Maravilha #5: Deuses de Gotham

Chega ao fim de mais uma colecção DC COMICS da Levoir em parceria com o jornal Público.

Neste último volume, o quinto da colecção, Mulher-Maravilha: Deuses de Gotham, escrita por Phil Jimenez e J. M. DeMatteis, e ilustrada pelo próprio Jimenez e Andy Lanning, pode ser apreciada uma das melhores histórias deste grupo criativo.

Os mais terríveis deuses gregos regressam ao mundo, os deuses da discórdia, medo e terror, e combinam a sua essência com a dos piores super-vilões de Gotham City, Joker, Espantalho e Hera Venenosa. Batman irá nesta história necessitar de toda a ajuda da Mulher-Maravilha para os derrotar, mas quando os deuses também conseguem possuir Batman, a Princesa Amazona descobre que mesmo a ajuda de outros protectores de Gotham, como o Asa Nocturna e o Robin, bem como da sua própria protegida, Donna Troy, a Wonder Girl, podem não ser suficientes para acabar com o reinado maligno dos deuses do submundo.

Este volume inclui as três ilustrações vencedoras do Concurso Mulher-Maravilha, cujos autores são Filipe Dias, Joel Sousa e Nuno Rodrigues.

Mulher-Maravilha #4: Deuses de Gotham, Phil Jimenez, Andy Manning e J. M. DeMatteis, Levoir/Público, capa dura, cor, 11,90€

O homem que passeia

A Devir vai lançar a novela gráfica "O homem que passeia" do japonês Jirô Taniguchi no próximo dia 24 de Junho. Trata-se de uma reedição em português, já que a obra fora editada em 2005 na colecção "Série Ouro - Os clássicos da banda desenhada" do jornal Correio da Manhã.

Sinopse da editora:
Um homem contempla os subúrbios da sua cidade. Caminhando devagar, escuta e cheira. Para e observa. 
É impossível não nos sentirmos alheios e indiferentes ao mundo, em contraste com este olhar puro. Passeando por estas páginas reaprendemos a olhar, talvez a viver, mais atentos às pequenas coisas. 

O autor:
(1947-2007) Publica a sua primeira obra no início da década de 1970. A descoberta da banda desenhada europeia, marca uma viragem na obra de Taniguchi, que opta por trabalhar sozinho, escrevendo e desenhando as suas próprias histórias. A partir de 1991, a sua obra assenta na sua experiência pessoal e na atenta observação, profundamente humana, dos seus semelhantes e do seu quotidiano.
A obra de Taniguchi espelha sentimentos positivos, um reconhecimento sincero pelas tradições culturais, uma forte ligação à família e o regresso à infância como forma de redescobrir as suas origens.

Principais distinções:
1992: Prémio do Mangá Shogakukan.
1993: Prémio da Associação de Mangaka Japoneses.
1998: Prémio cultural Osamu Tezuka.

O homem que passeia, Jirô Taniguchi, Devir, 244 páginas a preto, 19,99€


21 de junho de 2017

Jane - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Soap-opera
(Grã-Bretanha) Daily Mirror, 5 de Dezembro de 1932 - 10 de Dezembro de 1959
Norman Pett (texto e desenho)
Outros autores: Don Freeman, Hubbard
Estreia em PortugalDiário de Notícias


Loura, atraente, Jane reúne todos os atributos de uma sexy-girl. As aventuras desenvolvem-se à volta de intrigas sentimentais e policiais. Quando a série se estreia em 1932, não poderemos considerá-la uma banda desenhada, mas uma história por imagens com um texto a acompanhá-las. Contudo, em Dezembro de 1938, a série adopta as filacteras e passa a ter como autor dos textos, Don Freeman. Cheias de humor e realismo, as aventuras de Jane são desenhadas por Norman Pett até 1948, sendo substituído pelo assistente Michael Hubbard até ao final da série. Em 1961, Alfred Mazure lança as Aventuras de Jane, a flha de Jane. Contudo, não alcança o sucesso da série «mãe», terminando em 1963.

Quadriculografia portuguesa:
  • O regresso de Jane, Hubbard e Freeman, Diário de Notícias

Aventuras de Jane, a filha de Jane
  • Sarilho no Atlântico, Mazure, Tico #1
  • Uma aventura inesperada, Mazure, Tico #9
  • O mago de Bigoze, Mazure, Tico #11
  • A filha de Jane, Pantera Negra #7
[actualizado em 4-12-2014]

Top das vendas de BD em França de 5 a 11 de Junho de 2017

1º lugar (=) [2ª semana]
XIII Mystery #11: Jonathan Fly
Olivier Taduc, Luc Brunschwig
Dargaud

2º lugar (novo)
Yoko Tsuno #28: Le Temple des immortels
Roger Leloup
Dupuis

3º lugar (=) [2ª semana]
Les Aventures de Buck Danny « Classic » #4: L’Île du diable
Jean-Michel Arroyo, Frédéric Marniquet, Frédéric Zumbiehl
Dupuis/Zephir

Tenente Burton - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Lieutenant Burton
Western
(Bélgica) Tintin 1963 - 1967
Yves Duval (argumento) e Liliane & Fred Funcken (desenhos)
Estreia em PortugalZorro #30, 4 de Maio de 1963
Outras publicaçõesPisca-Pisca, Nau Catrineta


O jovem Tenente Burton, saído da Escola de Cadetes de Jerrysville, inicia a sua carreira no 7º de Cavalaria. Inicialmente mal aceite pelos rudes soldados de Goldhill Fortin, rapidamente ganha a confiança com a sua coragem e humor. O seu companheiro é o sargento Slim Kinsley e juntos desempenham missões difíceis em regiões onde reina a desordem.

Quadriculografia portuguesa:
  • Não desafiem o Tenente Burton (Ne défiez jamais le lieutenant), 1962, Zorro #42
  • A ressurreição do Tenente Burton (La résurrection du lieutenant Burton), 1962, Pisca-Pisca #15
  • O Tenente Burton acerta no alvo (Le lieutenant Burton fait un beau carton), 1962, Zorro #33; Pisca-Pisca #13
  • O Tenente Burton ajusta contas (Burton règle toujours ses comptes), 1963, Zorro #38
  • Faz testamento Tenente Burton (Fais ton testament Lt Burton!), 1963, Pisca-Pisca #14
  • Um tiro certeiro (?), ?, Zorro #30
  • A última bala (?), ?, Zorro #50
  • Serenata em colt maior (Sérénade en colt majeur), 1966, Nau Catrineta #299 a #302
[actualizado em 27-11-2014]



20 de junho de 2017

Quadradinhos Portugueses: Olhares & Estilos

A Câmara Municipal de Cascais | Bairro dos Museus | Fundação D. Luís vão levar a cabo uma exposição de BD portuguesa que é tributo e memória, convite ao sonho, ensaio ou reinvenção, revitalização convencional, projecto insólito, matriz das consciências, viagem alegórica, fulcro de identidades, sagração colectiva, portal da evasão  - em realce modelar por indícios e palavras, alusões e silêncios, sugerindo ou ilustrando, em rotura ou reincidência…

A mostra, comissariada por José de Matos-Cruz, conta com trabalhos de 13 artistas e decorrerá de 24 de Junho a 3 de Setembro, na Cidadela Art District. As entradas são gratuitas.

Buz Sawyer - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Policial
(EUA) King Features Syndicate, 2 de Novembro de 1943 - 7 de Outubro de 1989
Roy Crane
Outros autores: Henry Shclenker, Edwin Grandberry
Estreia em PortugalCavaleiro Andante #222, 31 de Março de 1956
Outras publicaçõesCiclone, Condor Popular, Álbum do Cavaleiro Andante, Mundo de Aventuras (1ª fase), Jornal do Cuto, Herói (1ª série), Tico, Mundo de Aventuras (2ª fase)


Buz Sawyer nasce em plena 2ª Guerra Mundial, um jovem oficial aeronaval, piloto de um bombardeiro, com o qual executa diversas missões perigosas. Entretanto, encontra Christy Jameson, futura esposa que lhe dará um filho, Pepper. Durante a Guerra da Coreia, Buz é novamente mobilizado, pondo à prova os seus dotes de heroísmo. Terminado o conflito, Buz torna-se detective privado.


Quadriculografia portuguesa:
  • [?] Roy Crane, Herói (1ª série) #6
  • [1947/??/??-1947/10/??] - Aventura perigosa, Roy Crane, Mundo de Aventuras (1ª fase) #780
  • [1947/02/10-1947/07/05] - Aventura na selva, Roy Crane, Jornal do Cuto #99
  • [1947/10/20-1948/04/24] - Complicações de saias, Roy Crane, Selecções do Jornal do Cuto
  • [1954/01/03-1954/05/??] - Piratas do Ártico, Roy Crane, Álbum do Cavaleiro Andante #36
  • [1954/04/19-1954/08/18] - Um caso de espionagem, Roy Crane, Cavaleiro Andante #222 a #247
  • [1954/08/26-1954/11/17] - Operação YX-1, Roy Crane, Mundo de Aventuras (1ª fase) #486 a #500
  • [1955-04-??-1955-06-??] - O alvo humano, Roy Crane, Condor Popular #2-27º volume
  • [1960-02-02-1960-03-26] - Missão delicada, Roy Crane, Condor Popular #1-33º volume
  • Férias acidentadas, Roy Crane, Ciclone #127; Condor Popular #8-24º volume
  • [1966/08/15-1966/09/24] - Um voo fora de tempo, Roy Crane, Jornal do Cuto #162
  • [1966/10/18-1966/??/??] - Missão secreta, Roy Crane, Tico #4
  • [1977/02/21-1977/04/16], Roy Crane, Mundo de Aventuras (2ª fase) #223
  • [1977/04/18-1977/07/09], Roy Crane, Mundo de Aventuras (2ª fase) #263
  • [1977/07/11-1977/08/20], Henry Schlenker e Edwin Granberry, Mundo de Aventuras (2ª fase) #284
  • [1977/08/22-1977/10/29], Henry Schlenker e Edwin Granberry, Mundo de Aventuras (2ª fase) #296
  • [1977/10/31-1978/01/21] - Rapto nas Caraíbas, Henry Schlenker e Edwin Granberry, Mundo de Aventuras (2ª fase) #312
  • [1978/01/23-1978/04/15] - O lobo fantasma, Henry Schlenker e Edwin Granberry, Mundo de Aventuras (2ª fase) #376
[actualizado em 1-12-2014]



Al & Brock - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Aventura
(Bélgica) Tintin #5/30º ano, 28 de Janeiro de 1975
André-Paul Duchateau (argumento) e Christian Denayer (desenhos)
Estreia em Portugal: Selecções Tintin #3, Outubro de 1984
Outras publicações: Álbum Edinter

Alcibiade Russel e Brockowski são os nomes verdadeiros da dupla de polícias americanos criada por Duchateau Denayer para a nova versão do Tintin (Tintin hebdotimiste). A série humorística, que se iniciou com o nome de Les Casseurs (abandonado, em 1991, por ter uma conotação negativa), baseia-se nos frequentes cómicos acidentes de viação da dupla policial, explorando a vertente de Denayer no desenho de automóveis.A partir de 1993, Denayer faz-se assistir por Yvan Fernandez, terminando a série, um ano depois, com a edição em álbum pela Lombard.

Quadriculografia portuguesa:
  • Alta tensão (Haute tension), 1975, Album Edinter [1986], Jornal da BD #209 a #216 
  • Sabotagem no Forte Tempest (Sabotage à Fort Tempest), 1976, Album Edinter [1986], Jornal da BD #217 a #224
  • Comandos em Red Manson (Opération Mamouth), 1977, Selecções Tintin #3 
[actualizado em 6-11-2014]

Monografia sobre Al Williamson

Uma novidade na minha biblioteca é a recentemente adquirida monografia de Al Williamson de Yexus (pseudónimo de Jesús Garcia Sierra), editada em castelhano pela editora portuguesa Libri Impress. Profusamente ilustrada, a obra percorre a biografia de um dos grandes desenhadores norte-americanos, conhecido entre nós em séries como Flash Gordon, Rip Kirby e Agente Secreto X-9 (Phil Corrigan) e os seus trabalhos para a Marvel. Cori Williamson, filho de Al, redige o epílogo desta excelente monografia.

Al Williamson: El último aventurero, Yexus, LibriImpress, 144 pp., p&b, capa mole com badanas, 18,50€


19 de junho de 2017

Os Inoxidáveis - Ensaio de quadriculografia portuguesa


Ficha técnica:
Policial
(França) Charlie Mensuel #9 (2ª série), Dezembro de 1982 - Pilote #33, Fevereiro de 1989
Victor Mora (texto) e Antonio Parras (desenho)
Estreia em PortugalÁlbum Meribérica-Líber, 1988
Outras publicaçõesSelecções BD (1ª série)


Os Inoxidáveis vivem no ambiente hostil e negro dos anos 1920 da cidade de Chicago.
A série inicia-se com o assassínio do dono do jornal The Clarion, levando a que Mark, cronista do jornal, trave conhecimento com Golo, um capanga a soldo de uma organização de crime organizado. Após várias peripécias, Mark Golo tornam-se verdadeiros amigos, lutando para escaparam a esse mundo sórdido, procurando uma vida tranquila e justa.

Quadriculografia portuguesa:
  • Os Inoxidáveis (Les Inoxydables), 1982, Álbum Meribérica-Líber [1988], Selecções BD #13 a #15


[actualizado em 30-11-2014]

Hyperion - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Histórico
(Bélgica) Tintin, 1979-1981
André-Paul Duchateau (argumento) e Franz (desenhos)
Estreia em PortugalMundo de Aventuras (2ª fase) #422, 12 de Novembro de 1981

Quadriculografia portuguesa:
  • A bola de fogo (La boule de feu + La ville arène + L'épreuve du précipice + La catapulte + La rivière souterraine + Le mystère de la tour), 1979, Mundo de Aventuras (2ª fase) #422, #433 e #459

18 de junho de 2017

A Carroça de Thespis - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Le chariot de Thespis
Western
(França) Gomme #2, Dezembro de 1981 - Circus #115, Novembro de 1987
Philippe Bonifay (argumento) e Christian Rossi (desenho)


A acção da série decorre em plena Guerra da Secessão dos EUA. Quando o conflito rebenta, Drustan, um jovem sulista, filho de um rico fazendeiro, recusa-se a combater contra aqueles que considera seus irmãos. Assim, foge na companhia de um escravo negro, encontrando Hermés, um actor ambulante em busca do assassino de sua esposa.

Quadriculografia portuguesa:
  • A carroça de Thespis (Le chariot de Thespis), 1981, Álbum Meribérica [1984]
[actualizado em 30-11-2014]

Mr. Magellan - Ensaio de quadriculografia portuguesa


Ficha técnica:
Policial
(Bélgica) Tintin #13/24º ano, 1 de Abril de 1969 - Tintin #26/40º ano, 25 de Junho de 1985
Jean Van Hamme (argumento) e Henri Ghion (desenhos)
Outros artistasAndré-Paul Duchateau
Estreia em PortugalTintin #27/3º ano, 28 de Novembro de 1970
Outras publicaçõesTintin Especial Anual, Selecções do Mundo de Aventuras, Almanaque Tintin

Mr. Magellan, um curioso agente secreto, amante de charutos e de carros luxuosos, trabalha para a I.T.O., uma agência de contra-espionagem. A sua melhor amiga, Capella, uma jovem russa, é portadora de uma força pouco comum, que os salva em algumas situações perigosas. Mr. Magellan é uma série que alterna o fantástico, o policial e o humorístico.  Em 1971, o argumento passa para a responsabilidade de André-Paul Duchateau.

Quadriculografia portuguesa:
  • I.T.O. (I.T.O.), 1969, Ghion e Van Hamme, Tintin #27 a #41/3º ano 
  • O relógio do diabo (L'horloge du diable), 1969, Ghion e Van Hamme, Selecções do Mundo de Aventuras #243
  • Assalto ao Vaticano (Hold–up au Vatican), 1969, Ghion e Van Hamme, Tintin #15 a #29/5º ano
  • O rapidíssimo (Le robotissime), 1970, Ghion e Duchateau, Tintin Especial Anual de 1974
  • Operação Cristal (Opération Crystal), 1971, Ghion e Duchateau, Tintin #18, #21, #25 e #29/7º ano
  • Os dedos de aço (Les doigts d'acier), 1971, Ghion e Duchateau, Almanaque Tintin #5
  • A ilha dos colossos (L’île des colosses), 1972, Ghion e Duchateau, Tintin #44/7º ano
  • [-] (La cage aux fauves), 1972, Ghion e Duchateau, Tintin #47/7º ano
  • [-] (Le reveil des géants), 1972, Ghion e Duchateau, Tintin #51/7º ano
  • [-] (Carte blanche pour Magellan !), 1972, Ghion e Duchateau, Tintin #2/8º ano
  • O romance de Mr. Magellan (?), ?, Ghion e Duchateau, Tintin Especial Anual de 1976
  • A 2ª morte do faraó (La 2ème mort du pharaon), 1977, Ghion e Duchateau, Tintin #7 a #18/12º ano
[actualizado a 8-11-2014]

17 de junho de 2017

A Coleção Oficial de Graphic Novels Marvel #45: Guerra Civil

Já está nas bancas mais um volume da Coleção Oficial de Graphic Novels Marvel, intitulado Guerra Civil, com argumento de Mark Millar e desenho de Steve McNiven

Eis a sinopse da editora:
No rescaldo de um trágico acidente causado por uma equipa de heróis inexperientes, é feita uma proposta de lei para o Registo de Super-Humanos que irá forçar todos os super-heróis a revelar as suas identidades perante o governo dos Estados Unidos. Embora alguns heróis abracem a nova lei, outros consideram-na repulsiva. São então traçadas linhas e antigos aliados defrontam-se à medida que a comunidade superhumana é dividida em dois por uma decisão que irá alterar o Universo Marvel para sempre.

O Universo Marvel nem sempre foi um lugar onde os heróis colaboram em harmonia. Nos primeiros anos de existência foram numerosas as batalhas entre os seus campeões. É claro que esses conflitos eram normalmente causados por um mal-entendido, ou consequência dos actos de algum super-vilão ardiloso (e no final da história já tinham passado de versus para “vamos unir forças”), mas eram quase um lugar-comum naquela época. Mas no início do novo milénio, já não era bem assim. Havia os ocasionais desentendimentos, mas eram raros e muito espaçados. Começou a crescer o sentimento de que os heróis se tinham tornado demasiado “amigáveis”. Era necessário algo para agitar as águas e tornar as coisas mais imprevisíveis e interessantes. Nos anos que se seguiram, a equipa editorial da Marvel passou a orquestrar uma série de eventos cataclísmicos. O maior de todos foi certamente esta Guerra Civil.

Heróis de dois lados opostos, batendo-se por aquilo que acreditam estar correto. Mesmo antes do primeiro número da história ter chegado às bancas, o nível de antecipação atingiu níveis de excitação tremendos. Todos perceberam que o evento iria alterar a paisagem do Universo Marvel, bem como o estatuto dos seus heróis mais populares. De facto, alguns dos eventos da guerra foram de tal forma chocantes, que acabaram por ser alvo de cobertura por parte da comunicação social, alimentando ainda mais a popularidade do acontecimento. Aliás, a Guerra Civil provou ser, sem qualquer sombra de dúvida, o maior best-seller da Marvel deste século.

Guerra Civil definiu muito do que foi a última década de histórias da Marvel. Tudo o que a antecede parece ter conduzido a este ponto, ao passo que os seus efeitos têm ensombrado tudo o que sucedeu de seguida. Mark Millar e Steve McNiven conceberam um conto que remodelou e revitalizou o Universo Marvel para o século XXI, e que inspirou uma recente sequela (Civil War II), para além de ter servido de principal fonte de inspiração para o recente filme Capitão América: Guerra Civil.

O artista Steve McNiven é um dos mais populares desenhadores actuais de super-heróis, embora na sua origem não estivesse ligado a este género. Vindo da CrossGen, onde desenvolveu muito do seu estilo, que combina o realismo com alguma influência do dinamismo do mangá, foi contratado pela Marvel em 2004, para desenhar a revista Marvel Knights, em que trabalhou durante 30 números, e acabou por se fixar na Casa das Ideias, onde trabalhou nalgumas mini-séries de grande visibilidade – por exemplo, além desta Guerra Civil, desenhou Velho Logan, também com Mark Millar, com quem continuaria também a trabalhar em projectos mais independentes, ou o relançamento do Capitão América com argumento de Ed Brubaker. Desde então que se tornou num dos favoritos dos leitores, que aguardam sempre com antecipação os seus trabalhos.

A Coleção Oficial de Graphic Novels Marvel #45: Guerra Civil, Steve McNiven e Mark Millar, Editorial Salvat, 208 pp., cor, capa dura, 9,90€

Lucky Luke - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Ficha técnica:
Western Humorístico
(França) L'Almanach Spirou 1947, 1946 - Lucky Luke, 2002
Morris (argumento e desenhos)
Outros autoresRené Goscinny, Bob De Groot, Vicq, Dom Domi, Xavier Fauche, Jean Léturgie, Martin Lodewijk, Guy Vidal, Claude Guylouis (Jean-Louis Robert, Claude Klotz e Guy Vidal), Lo Hartog Van Banda, Yann, Eric Adam, Patrick Nordmann, Achdé, Laurent Gerra, Daniel Pennac, Benacquista e Jacques Pessis
Estreia em Portugal: Cavaleiro Andante #340, 5 de Julho de 1958
Outras publicaçõesZorro, Nau Catrineta, Álbum Editorial Íbis, Tintin, Álbum Livraria Bertrand, Álbum Meribérica, Flecha 2000, Jornal da BD, Flecha 2000 (Diário Popular), Quadradinhos (2ª série), Álbum Correio da Manhã, Selecções BD (1ª série), Selecções BD (2ª série), Álbum Edições ASA, Álbum Público/Edições ASA

Lucky Luke é um cow-boy solitário que com o seu cavalo Jolly Jumper se cruza com as grandes figuras da história do Oeste norte-americano: Billy the Kid, os irmãos Dalton, Jesse James, Calamity Jane, Sarah Bernhardt..., assim como os grandes acontecimentos da história dos EUA, como a corrida ao ouro, as guerras com os índios, o caminho de ferro... A partir de 1955, René Goscinny assume o argumento da série até ao seu falecimento. Depois foram vários os argumentistas que trabalharam para o «cow-boy que dispara mais rápido que a própria sombra». Nos finais dos anos 80, Rantanplan, o «cão mais estúpido do Oeste» passa a ter a sua própria série e, em 1996, nasce a série Kid Lucky, retratando a meninice do herói. Com a morte de Morris, a série continua com «As Aventuras de Lucky Luke segundo Morris». 

Quadriculografia portuguesa:
  • Arizona (Arizona), 1946, Morris, Álbum ASA [2005]; Álbum Público/ASA [2006]
  • Rodeo (Rodeo), 1948, Morris, Álbum ASA [2005]
  • O sherif de Red-City (Nettoyage à Red City), 1951, Morris, Cavaleiro Andante #390 a #409, [incluído no álbum «Lucky Luke contra Pat Poker»]
  • Tumulto em Tumbleweed (Tumulte a Tumbleweed), 1952, Morris [incluído no álbum «Lucky Luke contra Pat Poker»] 
  • Fora da lei (Hors la loi), 1952, Morris, Cavaleiro Andante #479 a #502; Álbum Editorial Íbis [1967](7); Álbum Meribérica [1982](7); Álbum Público [2012](7)
  • O regresso dos irmãos Dalton (Le retour des frères Dalton), 1952, Morris, [incluído no álbum «Fora da lei»]; Zorro #145 a #153
  • Zaragata em Pancake Valley (Grabuge à Pancake-Valley), ?, Morris, Cavaleiro Andante #512; Álbum Correio da Manha* [2003]
  • O elixir do doutor Doxey (L'elixir du Dr Doxey), 1952, Morris, Cavaleiro Andante #340 a #361; Tintin #48 a #52/1º ano; Álbum Meribérica [1981](9); Álbum Público [2012](9)
  • Sob o céu do Oeste (Sous le ciel de l'Ouest), 1953, Morris, Álbum ASA [2006]
  • Lucky Luke contra Pat Poker (Lucky Luke contre Pat Poker), 1953, Morris, Álbum Meribérica [1982](8); Álbum Público [2012] (8)
  • Caça ao homem (Chasse à l'homme), 1953, Morris, Cavaleiro Andante #362 a #383; Tintin #1 a #7/2º ano; [incluído no álbum «O elixir do doutor Doxey»]
  • O terrível forasteiro/Lucky Luke e Tir'ó Linhas/Lucky Luke e Phil Defer (Lucky Luke et Phil Defer), 1956, Morris, Cavaleiro Andante #410 a #432; Álbum Editorial Íbis [1967]; Álbum Meribérica [1982]; Álbum Público [2012]
  • O «pílula» (Lucky Luke et pilule), 1956, Morris, Jornal da BD #55 a #56 [incluído no Álbum «Lucky Luke e Phil Defer»
  • Pedro Cucaracha e os Pés-Azuis/Alerta aos Pés-Azuis (Alerte aux Pieds-Bleus), 1956, Morris, Zorro #1 a #24; Tintin #8 a #26/2º ano; Álbum Meribérica [1982]; Álbum Público [2012]
  • Um comboio na pradaria/Carris na pradaria (Des rails sur la prairie), 1956, Morris e Goscinny, Cavaleiro Andante #434 a #468; Álbum Meribérica [1981]; Álbum ASA [2009]
  • Lucky Luke contra Joss Jamon (Lucky Luke et la bande de Joss Jamon), 1956, Morris e Goscinny, Tintin #27 a #47/1º ano; Álbum Meribérica [1982]; Álbum Público [2012]
  • Os primos Dalton (Les cousins Dalton), 1957,Morris e Goscinny, Álbum Editorial Íbis [1968]; Álbum Meribérica [1981]; Jornal da BD #249 a #256; Álbum ASA [2009]
  • O juíz (Le juge), 1957, Morris e Goscinny, Álbum Editorial Íbis [1969]; Álbum Meribérica [1982]; Álbum ASA [2009]
  • Corrida para Oklahoma (Ruée sur Oklahoma), 1958, Morris e Goscinny, Álbum Meribérica [1982]; Álbum Público [2012]
  • A evasão dos Dalton (L'évasion des Dalton), 1958, Morris e Goscinny, Álbum Meribérica [1982]; Jornal da BD #49 a #54; Álbum ASA [2009]
  • Subindo o Mississipi (En remontant le Mississipi), 1959, Morris e Goscinny, Nau Catrineta #205-?; Álbum Meribérica [1982]; Álbum ASA [2011]
  • À sombra dos Derricks (À l'ombre des Derricks), 1960, Morris e Goscinny, Álbum Meribérica [1982]; Álbum ASA [2008]
  • Na pista dos Dalton (Sur la piste des Dalton), 1960, Morris e Goscinny, Álbum Meribérica [1981]; Álbum ASA [2011]
  • Os rivais de Painful Gulch (Les rivaux de Painful Gulch), 1961, Morris e Goscinny, Flecha 2000 (DP) #46 a #54; Álbum Meribérica [1982]; Jornal da BD #41 a #48; Álbum ASA [2006]; Álbum Público/ASA [2006]
  • Billy, the kid (Billy the kid), 1961, Morris e Goscinny, Tintin #1 a #21/1º ano; Álbum Meribérica [1982]; Jornal da BD #209 a #216; Álbum Público [2012]
  • As colinas negras (Les collines noires), 1961, Morris e Goscinny, Álbum Meribérica [1982]; Jornal da BD #137 a #144; Álbum Público [2012]
  • Os Dalton no Canadá (Les Dalton dans le blizzard), 1962, Morris e Goscinny, Tintin #20 a #41/9º ano; Álbum Meribérica [1982]; Álbum Público [2012]
  • A caravana (La caravane), 1962, Morris e Goscinny, Tintin #11 a #32/4º ano; Álbum Livraria Bertrand [1977]; Álbum Meribérica [1983]; Jornal da BD #72 a #80; Álbum ASA [2007]
  • A cidade fantasma (La ville fantôme), 1963, Morris e Goscinny, Álbum Livraria Bertrand [1975]; Álbum Meribérica [1983]; Jornal da BD #89 a #96
  • Os Dalton continuam à solta (Les Dalton courent toujours), 1964, Morris e Goscinny, Álbum Meribérica [1982]; Álbum ASA [2007]
  • O 20º de cavalaria (Le 20ème de cavalerie), 1964, Morris e Goscinny, Tintin #41/3º ano a #10/4º ano; Álbum Livraria Bertrand [1975]; Álbum Meribérica [1993]; Flecha 2000 (DP) #1 a #9; Jornal da BD #153 a #160; Álbum Público [2012]
  • A escolta (L'escorte), 1964, Morris e Goscinny, Tintin #27 a #48/2º ano; Álbum Meribérica [1983]; Jornal da BD #81 a #88; Álbum Público [2012]
  • Os Dalton regeneram-se (Les Dalton se rachètent), 1965, Morris e Goscinny, Tintin #19 a #40/3º ano; Álbum Livraria Bertrand [1976]; Álbum Meribérica [1987]; Flecha 2000 (DP) #19 a #27; Álbum Público [2012]
  • Arame farpado na pradaria (Des barbelés sur la prairie), 1965, Morris e Goscinny, Nau Catrineta #135 a #175; Tintin #24 a #45/8º ano; Álbum Meribérica [1983]; Flecha 2000 (DP) #37 a #45; Jornal da BD #217 a #224; Álbum Público [2012]
  • Calamity Jane (Calamity Jane), 1965, Morris e Goscinny, Tintin #49/2º ano a #18/3º ano; Álbum Livraria Bertrand [1975]; Álbum Meribérica [1989]; Álbum Público [2012]
  • Tortillas para os Dalton (Tortillas pour les Dalton), 1966, Morris e Goscinny, Tintin #1 a #22/8º ano; Álbum Meribérica [1990]; Álbum ASA [2010]
  • A diligência (La diligence), 1967, Morris e Goscinny, Álbum Livraria Bertrand [1976]; Álbum Meribérica [1989]; Álbum ASA [2004]; Álbum Público/ASA [2006]
  • O pezinho-mole/O tenrinho/O engomadinho (Le pied-tendre), 1967, Morris e Goscinny, Tintin #17 a #38/6º ano; Álbum Livraria Bertrand [1977]; Álbum Meribérica [1989]; Álbum ASA [2006]
  • Dalton City (Dalton City), 1968, Morris e Goscinny, Álbum Livraria Bertrand; Tintin #31 a #52/7º ano; Jornal da BD #17 a #24; Álbum Meribérica [1981]; Álbum ASA [2004]; Álbum Público/ASA [2006]
  • O circo do Oeste/Western Circus (Western Circus), 1969, Morris e Goscinny, Tintin #33/4º ano a #2/5º ano; Álbum Livraria Bertrand [1977]; Álbum Meribérica [1990]; Álbum Correio da Manha* [2003]; Álbum ASA [2006]
  • Jesse James (Jesse James), 1969, Morris e Goscinny, Álbum Livraria Bertrand [1974]; Álbum Meribérica [1981]; Jornal da BD #129 a #136; Álbum ASA [2004]; Álbum Público/ASA [2006]
  • Canyon Apache (Canyon Apache), 1970, Morris e Goscinny, Tintin #3 a #24/5º ano; Álbum Meribérica [1988]; Álbum ASA [2004]; Álbum Público/ASA [2006]
  • Mamã Dalton/Mã Dalton (Ma Dalton), 1971, Morris e Goscinny, Tintin #25 a #46/5º ano; Álbum Livraria Bertrand [1974]; Álbum Meribérica [1989]; Álbum ASA [2004]; Álbum Público/ASA [2006]
  • O caçador de prémios (Chasseur de primes), 1972, Morris e Goscinny, Tintin #39/6º ano a #8/7º ano; Álbum Livraria Bertrand [1976]; Álbum Meribérica [1990]; Álbum ASA [2006]
  • O grão-duque (Le grand duc), 1973, Morris e Goscinny, Tintin #9 a #30/7º ano; Álbum Meribérica [1988]; Álbum ASA [2003]; Álbum Público/ASA [2006]
  • A herança de Rantanplan (L'héritage de Rantanplan), 1973, Morris e Goscinny, Álbum Livraria Bertrand [1974]; Álbum Meribérica [1990]; Álbum Correio da Manha*[2003]; Álbum ASA [2007]
  • O «desperado» do dente-de-leite (Le despérado à la dent de lait), 1974, Morris e Goscinny, Flecha 2000 #1; Jornal da BD #57; Quadradinhos (2ª série) #19
  • A hospitalidade do Oeste (L'hospitalité de l'ouest), 1974, Morris e Goscinny, Flecha 2000 #2; Jornal da BD #59; Quadradinhos (2ª série) #20
  • Maverick (Maverick), 1974, Morris e Goscinny, Flecha 2000 #3; Jornal da BD #60; Quadradinhos (2ª série) #21
  • O rival de Wyatt Earp (L'égal de Wyatt Earp), 1974, Morris e Goscinny, Flecha 2000 #4; Jornal da BD #61; Quadradinhos (2ª série) #22
  • O vendedor ambulante (Le colporteur), 1974, Morris e Goscinny, Flecha 2000 #6; Jornal da BD #62; Quadradinhos (2ª série) #23
  • Passagem perigosa (Passage dangereux), 1974, Morris e Goscinny, Flecha 2000 #7; Jornal da BD #63; Quadradinhos (2ª série) #24; Correio da Manha* [2003]
  • Sonata em colt maior (Sonate en colt majeur), 1974, Morris e Goscinny, Flecha 2000 #8; Jornal da BD #64; Quadradinhos (2ª série) #25
  • 7 histórias completas (7 histores complétes - Serie 1)(1), 1974, Morris e Goscinny, Álbum Meribérica [1981]; Álbum ASA [2008]
  • O cavaleiro branco (Le cavalier blanc), 1974, Morris e Goscinny, Álbum Meribérica [1986]; Flecha 2000 #24 a #38; Quadradinhos (2ª série) #52 a #73; Álbum Edições ASA [2006]; Álbum Público/ASA [2006]
  • Psicanálise para os Dalton/A cura dos Dalton/Os Dalton e o psicólogo (La guérison des Dalton), 1975, Morris e Goscinny, Tintin #48/8º ano a #17/9º ano; Álbum Meribérica; Álbum ASA [2004]; Álbum Público/ASA [2006]
  • O imperador Smith (Empereur Smith), 1976, Morris e Goscinny, Álbum Meribérica [1981]; Flecha 2000 #11 a #23; Quadradinhos (2ª série) #26 a #51; Jornal da BD #25 a #32; Álbum ASA [2004]; Álbum Público/ASA [2006] 
  • O fio que canta (Le fil qui chante), 1977, Morris e Goscinny, Álbum Meribérica [1981]; Jornal da BD #1 a #8; Álbum ASA [2008]
  • A balada dos Dalton (La ballade des Dalton), 1978, Morris e Goscinny, Álbum Meribérica (16x22) [198?] (2)
  • Desafio a Lucky Luke (Défi à Lucky Luke), 1978, Morris e Goscinny, Álbum Meribérica (16x22) [198?] (3)
  • Sonata em colt maior (Sonate en colt majeur), 1979, Morris e Goscinny, Álbum Meribérica (16x22) [198?] (4)
  • A corda do enforcado (La corde du pendu), 1979, Morris e Vicq, Álbum Correio da Manha* [2003]
  • O justiceiro (Le justicier)(5), 1980, Morris e  Goscinny, De Groot e Vicq, Álbum Meribérica (16x22) [198?]
  • O esconderijo dos Dalton (Le magot des Dalton), 1980, Morris e Vicq, Tintin #5 a #26/14º ano; Flecha 2000 (DP) #82 a #90; Álbum Meribérica [1981]; O tesouro dos Dalton, Álbum ASA [2017]
  • A mina do camelo (La mine du chameau), 1980, Morris e Dom Domi, Selecções BD (1ª série) #23; Álbum Correio da Manha* [2003]
  • Os Dalton apanharam o comboio (Les Dalton prennent le train), 1980, Morris e Goscinny, Álbum Correio da Manha* [2003]
  • O bandido maneta (Le bandit manchot), 1981, Morris e De Groot, Álbum Meribérica [1981]; Álbum ASA [2006]
  • Sarah Bernhardt (Sarah Bernhardt), 1982, Morris, Fauche e Léturgie, Álbum Meribérica [1982]; Jornal da BD #9 a #16; Álbum Correio da Manha* [2003]; Álbum ASA [2006]
  • O justiceiro (Le justicier), 1982, Morris e De Groot, Álbum Meribérica (16x22); Álbum Correio da Manha* [2003]
  • A palavra divina (La bonne parole), 1982, Morris e De Groot, Álbum Correio da Manha* [2003]
  • Ajuste de contas (Règlement de comptes), 1982, Morris e Lodewijk, Selecções BD (1ª série) #23; Álbum Correio da Manhã* [2003]
  • Daisy Town (Daisy Town), 1983, Morris e Goscinny, Flecha 2000 (DP) #10 a #18; Álbum Meribérica [1983]; Jornal da BD #65 a #71; Álbum ASA [2005]; Álbum Público/ASA [2006]
  • Fingers (Fingers), 1983, Morris e Van Banda, Álbum Meribérica [1984]; Flecha 2000 (DP) #28 a #36; Jornal da BD #185 a #192; Álbum ASA [2012]
  • Daily Star (Le Daily Star), 1984, Morris,  Fauche e Léturgie, Álbum Meribérica [1985]; Jornal da BD #169 a #176; Álbum ASA [2003]; Álbum Público/ASA [2006]
  • A noiva de Lucky Luke (La fiancée de Lucky Luke), 1985, Morris e Vidal, Álbum Meribérica [1986]; Jornal da BD #233 a #240
  • Rancho maldito (Le ranch maudit), 1986, Morris e Guylouis, Álbum Meribérica [1987]; Jornal da BD #257
  • A estátua (La statue), 1986, Morris e Guylouis, Jornal da BD #259 a #260
  • O açude (Le flume), 1986, Morris e Léturgie, Jornal da BD #261 a #262
  • O caminho do crepúsculo (Le chemin du crépuscule), 1986, Morris e Goscinny, Selecções BD (1ª série) #33
  • A balada dos Dalton e outras histórias (La ballade des Dalton et autres histoires), 1986, Morris, Goscinny, Álbum Público/ASA [2006]; Álbum ASA [2005]
  • O rancho maldito (Le ranch maudit), 1986, Morris; Guylouis, Fauche e Léturgie, Álbum Meribérica(5); Álbum ASA [2006]
  • Nitroglicerina (Nitroglycérine), 1987, Morris, Van Banda e Lo Hartog, Álbum Meribérica [1987]
  • O alibi (L'alibi), 1987, Morris e Guylouis, Álbum Meribérica [1990]
  • O Pony Express (Le Pony Express), 1988, Morris e Fauche, Álbum Meribérica [1990]
  • Um lapão no Canadá (Un Lapon au Canada), 1990, Morris e Dom Domi, Selecções BD (1ª série) #33
  • Li-Chi's story (Li-Chi's story), 1990, Morris e De Groot, Álbum Correio da Manha* [2003]
  • A vidente (La bonne aventure), 1990, Morris, Fauche e Léturgie, Jornal da BD #258
  • A amnésia dos Dalton (L'amnésie des Dalton), 1991, Morris, Fauche e Léturgie, Álbum Meribérica [1992]
  • Caça aos fantasmas (Chasse aux fantômes), 1992, Morris e Van Banda, Álbum Meribérica [1992]
  • A corda do enforcado e outras histórias (La corde du pendu et autres histoires)(6), 1982, Morris; Vicq, Goscinny, De Groot, Dom Domi e Lodewijk, Álbum Meribérica [1990]; Álbum ASA [2007]
  • Os Dalton no casamento (Les Dalton à la noce), 1993, Morris, Fauche e Léturgie, Álbum Meribérica [1993]; Álbum ASA [2005]; Álbum Público/ASA [2006]
  • A ponte sobre o Mississipi (Le pont sur le Mississipi), 1994, Morris, Fauche e Léturgie, Álbum Meribérica [1998]
  • Belle Starr (Belle Starr), 1995, Morris e Fauche, Álbum Meribérica [1998]
  • O klondike (Le klondike), 1996, Morris, Yann e Léturgie, Álbum Meribérica [1998]
  • O.K. Corral (O.K. Corral), 1997, Morris, Fauche e Adam, Álbum Meribérica [1999]
  • Marcel Dalton (Marcel Dalton), 1998, Morris e De Groot, Álbum Meribérica [1999]
  • O profeta (Le prophète), 2000, Morris e Nordmann, Selecções BD (2ª série) #23 a #24; Álbum ASA [2004]; Álbum Público/ASA [2006]
  • O artista plástico (L'artiste peintre), 2001, Morris e De Groot, Álbum ASA [2003]; Álbum Público/ASA [2006]
  • A lenda do Oeste (La legende de l'ouest), 2002, Morris e Nordmann, Álbum ASA [2003]; Álbum Público/ASA [2006]

As novas aventuras de Lucky Luke segundo Morris
  • Lucky Luke no Quebeque (La belle province), 2004, Achdé e Gerra, Álbum ASA; Álbum Público/ASA [2004]
  • O nó ou a forca (La corde au cou), 2006, Achdé e Gerra, Álbum ASA [2007]
  • O homem de Washington (L'homme de Washington), 2008, Achdé e Gerra, Álbum ASA [2008]
  • Lucky Luke contra Pinkerton (Lucky Luke contre Pinkerton), 2010, Achdé, Pennac e Benacquista Álbum ASA [2010]
  • Todos por conta própria (Cavalier seul), 2012, Achdé, Pennac e Benacquista Álbum ASA [2012]
  • Os tios Dalton (Les tontons Dalton), 2014, Achdé, Pessis e Gerra, Álbum ASA [2014]
  • A terra prometida (La terre promise), 2016, Achdé e Jul, Álbum ASA [2016]
* Colectânea
(1) Contém os episódios: «A corda do enforcado», «Os Dalton tomam o combóio», «O justiceiro», «A mina do camelo», «Ajuste de contas», «A palavra divina» e «Li-Chi's story»
(2) Contém os episódios: «O rancho maldito», «A estátua», «A vidente» e «O açude»
(3) Contém os episódios: «O "desperado" do dente de leite». «A hospitalidade do Oeste».«Maverick». «O rival de Wyatt Earp». «O vendedor ambulante», «Passagem perigosa» e «Sonata em Colt Maior»
(4) Contém os episódios: «Balada dos Dalton», «História de Li-Chi» e «A escola dos xerifes»
(5) Contém os episódios: «Desafio a Lucky Luke», «Arpejos  no vale», «Passeio pela cidade», «A boa palavra segundo Morris», «O "desperado" do dente de leite» e «A batalha do arroz»
(6) Contém os episódios: «Os Dalton assaltam o comboio», «A corda do enforcado», «Um amor de Jolly Jumper», «O justiceiro». «Desordem em Panckake Valley» e «O caminho do crepúsculo»
(7) Contém os episódios: «Fora-da-lei» («Hors le loi», 1952) e «O regresso dos irmãos Dalton» («Le retour des frères Dalton», 1952)
(8) Contém os episódios: «Limpeza em Red City» («Nettoyage à Red City», 1951) e «Tumulto em Tumbleweed» («Tumulte à Tumbleweed», 1952)
(9) Contém os episódios: «O elixir do doutor Doxey» («L'elixir du doctor Doxey», 1952) e «Caça ao homem» («Chasse à l'homme», 1953)

[actualizado em 10-12-2016]