31 de março de 2019

Entradas na minha biblioteca de BD no mês de Março

Álbuns

  • Indeh: Uma história das Guerras Apaches, G. Floy, 2019
  • Príncipe Valente: 1937, Salvat Brasil, 2019

Revistas

  • dBD #131, mars 2019
  • dBD #132, avril 2019

Livros

  • La faune et flore dans l'oeuvre d'Hergé, 2019, Patrick Mérand

Outros

  • Figuras de Tintin #68: Haddock alpinista, Éditions Moulinsart
  • Figuras de Tintin #70: Dupont marinheiro, Éditions Moulinsart

Stédo - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhador
(Bélgica) Libramont, 5 de Setembro de 1978

Stéphane Dauvin completa os seus primeiros cinco anos de educação secundária antes de ingressar numa especialização na Arts Appliqués em Dinant e, posteriormente, na Saint-Luc em Liège. Graças aos arquivos endereçados ao escritório editorial da Spirou, consegue uns trabalhos com ilustrações e resumos. Em paralelo, publica algumas pranchas no Fluid Glacial. No entanto, são as pequenas edições marginais Bamboo que publicarão seus primeiros álbuns de gags: a série SOS Shobiz, cujos três títulos se espalharão a partir de 2002, e, mais recentemente, uma abordagem humorística do mundo dos bombeiros. A qualidade humorística dos seus trabalhos faz dele o candidato ideal para substituir Olis na série Garagem Isidore.
© Dupuis

Séries publicadas em Portugal:
Bombeiros (Os)

30 de março de 2019

Christophe Cazenove - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Argumentista
(França) Martigues, 16 de Julho de 1969

Como todas as crianças, sonha em ser um bombeiro e escritor de histórias em quadradinhos, sem saber realmente se isso é realmente um trabalho. Respondendo a uma de suas cartas de fãs, Greg proporciona-lhe a realização de pequenos trabalhos. Christophe é argumentista de várias séries na Bamboo: As Profecias  de Nostra (desenhos de Amouriq), Os Bombeiros (desenhos de Stédo), Zone 51 (desenhos de Wozniak), e co-argumentista com Sulpice em Os Chris (desenhos de Sulpice). Em Outubro de 2004, publica outra série na Bamboo: L'auto-école (desenhos de Amouriq).

Séries publicadas em Portugal:
Bombeiros (Os), Chris (Os), Profecias de Nostra (As)

[actualizado em 26.09.2019]

29 de março de 2019

Robin Moore - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Argumentista
(EUA) Boston, 31 de Outubro de 1925 - Hoplinsville, 21 de Fevereiro de 2008

Robert Lowell "Robin" Moore, Jr.  é um escritor americano que escreveu Os Boinas Verdes, The French Connection: uma intriga policial com tráfico de narcóticos e conspiração internacional e, com Xaviera Hollander e Yvonne Dunleavy, The Happy Hooker: My Own Story.

Moore também é co-autor da letra da Ballad of the Green Berets, uma dos principais sucessos musicais de 1966. A canção também é apresentada no filme de 1968, The Green Berets, baseado no livro de Moore, interpretado por John Wayne. Uma nova edição de The Green Berets é publicada em Abril de 2007 e o seu último livro, Wars of the Green Berets, em co-autoria com o Coronel Mike 'Doc' Lennon, é lançado em Junho de 2007.

Séries publicadas em Portugal:
Boinas Verdes (Os)

[actualizado em 25.03.2019]

28 de março de 2019

Kick-Ass nas bancas

O maior herói do mundo chega finalmente a Portugal! Ou pelo menos... um dos mais jovens, e mais convencidos! Mais de dez anos depois da sua estreia nos EUA, a comédia negra super-heróica de Mark Millar chega finalmente ao nosso país numa edição da G. Floy.

Alguma vez quiseram ser um super-herói? Não, a sério, nunca quiseram MESMO ser um super-herói? Dave Lizewski queria ser um super-herói, não queria ser banqueiro ou cozinhar hambúrgueres ou estudar direito. Queria ser SUPER-HERÓI, e ao contrário de vocês, decidiu que ia tomar o seu destino nas mãos, e seguir o seu sonho! E um fato de mergulho e uma máscara depois, a cidade começou a reparar no seu novo super-herói... KICK-ASS!

Mas agora, à medida que a moda dos super-heróis alastra pela cidade e pelas redes sociais, e que aparecem cada vez mais aventureiros mascarados, a realidade vai apanhar Dave Lizewski e exigir-lhe que demonstre a coragem que um super-herói tem de ter, mesmo que isso signifique chegar atrasado às aulas e desapontar o seu pai.

O livro que deu origem ao filme de sucesso!

O enorme sucesso desta série de comics levou a que fosse rapidamente adaptada ao cinema, num filme de Matthew Vaaghn, que aliás originou uma colaboração entre o realizador e o escritor que duraria até hoje, com mais filmes, incluindo sequelas de Kick-Ass e os filmes da série Serviço Secreto. Kick-Ass continua a ser uma das séries de maior sucesso de Millar, e junta-se à mão cheia de títulos que escreveu de super-heróis (e desconstrução de super-heróis!) e que se tornaram clássicos do género: Super-Homem: Herança Vermelha (Superman: Red Son), Guerra Civil, Os Supremos (The Ultimates), Velho Logan, e a sua mais recente série O Legado de Júpiter (editada pela G. Floy, com arte de Frank Quitely).

Uma história de super-heróis num mundo real, que se tornou famosa pelo nível de violência que mostra, e por explorar sem hesitações as consequências dessa violência.

Uma história ao mesmo tempo hilariante e divertida, e terrivelmente angustiante e assustadora, ilustrada pelo talento enorme de John Romita Jr.” - Tom McLean, Variety.com

Kick-Ass [reúne os números #1-8 da série], Mark Millar e John Romita Jr., G. Floy, 208 pp., cor, capa dura, 20€

Colecção Batman 80 Anos #6: Ícaro

Já está nas bancas o sexto volume desta colecção comemorativa da Levoir, distribuída pelo jornal Público.

A revista Detective Comics da era Novos 52 volta a estar em destaque com a publicação do primeiro arco de histórias da dupla Francis Manapul/Brian Bucellato na mais antiga revista do Cavaleiro das Trevas.

Quando Elena Aguila é assassinada à porta da Mansão Wayne, Bruce vê-se no centro da investigação do detective Bullock.  Batman, o Maior Detective do Mundo, tem de investigar um caso que envolve uma nova, letal e misteriosa droga, que está a devastar as ruas da Gotham. Uma droga chamada Ícaro que, tal como o personagem mitológico que lhe dá nome, que morreu por se aproximar demasiado do Sol, tem o desagradável efeito secundário de provocar a combustão espontânea de quem a consome. Mas essa droga não é o único desafio que Batman tem de enfrentar, pois entre os seus opositores nesta história estão vários políticos corruptos, grupos criminosos rivais e… uma lula gigante. O grande confronto desta história acaba por ser entre dois detectives: Batman e o tenente Harvey Bullock que, com o comissário Gordon na prisão — na sequência dos eventos da série Batman: Eternal, que envolveu todas as personagens do universo da série Batman — assume aqui um protagonismo pouco habitual, sendo a sua interacção com o Batman um dos pontos altos da história.

Colecção Batman 80 Anos #6: Ícaro, Francis Manapul e Brian Bucellato, Levoir, cor, capa dura, 124 pp., 11,90€

27 de março de 2019

Top das vendas de BD em França de 11 a 17 de Março de 2019

1º lugar (novo)
Walking Dead #31:Pourri jusqu’à l’os
Charlie Adlard, Stefano Gaudiano, Robert Kirkman
DELCOURT

2º lugar (novo)
On Mars_ #2: Les Solitaires
Grun, Sylvain Runberg
MAGHEN

3º lugar (+2) [17ª semana]
Blake et Mortimer #25: La Vallée des Immortels T1 : Menace sur Hong Kong
Teun Berserik, Peter Van Dongen, Yves Sente
BLAKE ET MORTIMER

Henri Bourdens - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Argumentista
(França) Paris, 2 de Março de 1923 - Dezembro de 1987

Recrutado pela aviação francesa em 1943, foi piloto de caça durante a guerra na Inglaterra. Posteriormente, foi piloto civil na Indochina, escrevendo em 1957 uma edição sobre o Império de França em 1957 sob o título Camionneur des nuées.  Escreve também Croisière cruelle sobre a sua experiência e de sua esposa numa ilha deserta na Austrália.

Séries publicadas em Portugal:

Pack Death Note


Este pack especial de Death Note inclui os três primeiros volumes desta fabulosa colecção! Com Light Yagami, Ryuk e todos os personagens que dão vida a esta história.
Dos autores consagrados Tsugumi Ohba e Takeshi Obata!
Disponível a partir de dia 27 de Março.

26 de março de 2019

Jorge Moliterni - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhador
(Argentina) 1933 (?) - 18 de Abril de 1979

Jorge Luis Moliterni é um desenhador argentino nascido em 1933 ou 1938. Inicia a sua carreira trabalhando em publicidade. Em 1957, inicia-se na banda desenhada, trabalhando para as revistas 
Hora Cero e Frontera, substituindo autores como Hugo Pratt em Ernie Pike ou em Sargento Kirk. Em 1958, desenha Leonero Brent ou Lord Crack com textos de Hector Oesterheld. Em 1962, projecta Watami na revista Misterix. Em meados da década de 1960, trabalha para as editoras britânica Fleetway e norte-americana Charlton. Para a Fleetway, destaca-se o Lone Commando para a War Picture Library. Em 1972, ilustra Bob Crockett para a revista Il Corriere dei Ragazzi. Ressuscita, em 1976, Watami para a Skorpio e Los Profesionales para as edições Record.  No mesmo ano, ilustra para a DC Comics versões de The Three Musketeers e Robin Hood com argumentos de Denny
© WikiPF

Séries publicadas em Portugal:
Bob Crockett, Caravana do Oeste (A), Watami

One-shots publicados em Portugal:
  • Sharon, Mundo de Aventuras (1ª fase) #736

[actualizado em 25.03.2019]

Exposição de banda desenhada "A Portuguesa: História de um Hino"


A exposição de banda desenhada "A Portuguesa: História de um Hino", de José Pires, será inaugurada no próximo dia 30 de Março, sábado, pelas 16:00 horas, no Cine-Teatro Caridade, em Moura.
Inserida na XXXIX edição da Feira do Livro de Moura, a mostra engloba todas as pranchas (30) que constituem este álbum, que há muito estavam guardadas no computador de José Pires. Chegou, finalmente, a hora de o público poder ver este belo trabalho, em painéis de grande formato para melhor apreciar os detalhes de cada vinheta.
A exposição é uma organização conjunta entre a Câmara Municipal de Moura e o Grupo de Intervenção e Criatividade Artística de Viseu (Gicav), tendo o apoio da Câmara Municipal de Viseu, da Viseu Marca e do IPDJ.
A Feira do Livro de Moura regressa este ano à Praça Sacadura Cabral tendo, como sempre, um programa recheado de actividade: lançamentos e apresentações de livros, conversas com autores, teatro, música, exposições...   
A exposição encerra dia 7 de Abril, seguindo depois para Viseu, onde ficará patente na Feira de São Mateus.

25 de março de 2019

Alberto Varanda - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhador
(Portugal) Arcozelo, 1 de Novembro de 1965

Emigra com a família para França em 1968. No final dos estudos, colabora com um decorador, graças ao qual conhece Xavier Fauche e Jean Léturgie. Esto encontro é decisivo para a sua carreira: diante de seus esboços e desenhos, os dois autores oferecem-lhe uma colaboração na série Rantanplan. Centenas de esboços e quatro meses depois, realiza os esboços de uma centena de gags de Michel Janvier. Graças aos seus esboços no projeto Tifous, conhece Franquin. Realiza trabalhos para o desenho animado Luky-Lucke, mas verifica que não é o seu projecto de carreira. Alberto Varanda quer fazer banda desenhada. Colabora com a revista Tintin-repórter e conhece Fournier e Wasterlain, graças aos quais colabora na revista Spirou. É convidado para trabalhar com Anne e Gérard Guéro (Ange). A sua colaboração começa com a editora Vents d'Ouest na colecção Grain de sable. Segue-se Bloodline e A Saga dos Cavaleiros Dragões. Desenha as capas dos romances de Ange. Varanda e Ange assinam uma trilogia para a editora Soleil: Paraíso Perdido. No mesmo ano, junta-se a Arleston para a nova série Elixires. Também colabora hoje com Olivier Vatine no one-shot La mort vivante para a editora Ankama / Comix buro.
© Soleil

Séries publicadas em Portugal:
Bloodline, Paraíso Perdido, Saga dos Cavaleiros Dragões (A)

One-shots publicados em Portugal:

  • A morte viva (La mort vivant), 2018, Varanda e Olivier Vatine, Ala dos Livros [2019] 
[actualizado em 19.04.2019]

Ange - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Argumentistas
(França) Gérard Guéro, 14 de Fevereiro de 1964 e Anne, 24 de Novembro de 1966

Após um encontro em 1984 numa livraria parisiense, os dois autores não deixaram de dar rédea solta à sua criatividade. Com uma cumplicidade indestrutível, a dupla produz tramas em vários temas (fantasia urbana, fantasia, suspense, ficção científica ...) e meios de comunicação (dramatizações, traduções, revistas, literatura, banda desenhada... ). Conhecidos sob vários pseudónimos, Anne (AN) e Gérard (GE) assinam os seus muitos trabalhos sob o nome de ANGE. Prolíficos escritores em universos variados, não só escreveram dezenas de romances (O Olho dos Deuses, Ayesha- Legend of Pessoas turquesa, The Big Country ...) como criaram várias séries de banda desenhada: A Saga dos Cavaleiros Dragões e Bloodline (Alberto Varanda), Nemesis (Alain Janolle), La Cicatrice du Souvenir (Christian Paty), Le Collège Invisible  (Regis Donsimoni), Tower (Sébastien Goethals), Belladonna (Pierre Alary) e a grande saga de fantasia Paraíso Perdido (Varanda, Philippe Xavier e Brice Cossu). 
© Soleil

Séries publicadas em Portugal:
Blooline, Paraíso Perdido, Saga dos Cavaleiros Dragões (A)

[actualizado em 25.03.2019]

24 de março de 2019

Kazue Kato - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhadora, Argumentista
(Japão) Tóquio, 20 de Julho de 1980

No ano 2000, com apenas 19 anos, ganha o prestigiado Prémio Tezuka pelo seu trabalho Boku to Usagi (Coelho e Eu), posteriormente publicado na Akamaru Jump.
De 2005 a 2006, a sua série Robo to Usakichi, uma aventura de ficção científica, é publicada pela revista mensal Shonen Sirius.
A sua série mais recente, Blue Exorcist, inicia-se na Jump Square de Abril de 2009.
Kazue Kato tem usado um coelho como auto-retrato nas suas notas de autor desde o início, e as suas obras têm com frequência algo a ver com coelhos.
®Devir

Séries publicadas em Portugal:

[actualizado em 24.03.2019]

22 de março de 2019

Os surpreendentes Astonishing X-Men: Livro Dois


O segundo volume de Astonishing X-Men de Joss Whedon e John Cassaday, que completa aquela que é uma das maiores sagas de sempre dos mutantes, já está nas bancas e a chegar a livrarias um pouco por todo o lado! Agora falta esperar só uns meses, e lá mais para o Verão teremos pronto o volume que reúne a fase completa de Warren Ellis e Simone Bianchi!

O final de uma das mais célebres e aclamadas fases dos X-Men, criada por dois dos pesos pesados dos comics!

A épica série de Joss Whedon e John Cassaday conclui neste volume que reúne as sagas: Destroçados e Imparável! Na primeira história, o comportamento errático de Emma Frost está à beira de ser desvendado, quando o novo Clube do Inferno entra finalmente em acção contra os X-Men, depois de meses de se esconderem dos olhares dos mutantes do Instituto Xavier. E na segunda história, os X-Men têm de partir para o perigoso mundo Ruptura, naquela que será a sua última oportunidade de proteger a Terra dum terrível ataque. E, quando tudo acabar, nada será como dantes!

Quando esta série dos X-Men começou, em 2004, a crítica era unânime que seria difícil para a nova equipa igualar a fase anterior, escrita por Grant Morrison. Mas, com o passar dos anos, Astonishing X-Men de Joss Whedon e de John Cassaday tornou-se num dos maiores clássicos de sempre dos mutantes da Marvel. As duas fases são perfeitamente distintas, mas de algum modo complementam-se, e é adequado que Whedon siga Morrison na continuidade. Grant Morrison é um dos grandes “desconstrutores” de super-heróis dos comics, Whedon é um dos seus maiores fãs. Morrison destruiu e arrasou parte do mundo dos mutantes, Whedon reconstruiu a equipa e voltou a dar-lhe um propósito. E se Morrison puxou os X-Men um pouco para o realismo, Whedon procurou devolvê-los às suas origens como super-heróis - e escreveu uma das mais potentes cartas de amor aos X-Men de todos os tempos.

Combinando uma saga típica de mutantes, com inimigos tradicionais como o Clube do Inferno, conflitos conhecidos e recorrentes, a caça aos mutantes, a discriminação, os eternos triângulos amorosos entre X-Men, alguns deles... telepáticos? - com uma incrível saga de ficção-científica ao “estilo Joss Whedon”, Astonishing X-Men é também uma história que vai aprofundar tremendamente a caracterização de alguns dos maiores heróis da Marvel: a história da redenção e ressurgimento de Ciclope, da humanização de Emma Frost, e sobretudo, mais que todos os outros, é a história de Kitty Pryde, do seu regresso, da sua história de amor com Colossus, e do seu destino final.

Poderá dizer-se que estas histórias já foram contadas... E se isso é inegável, parece-me que nunca tinham sido contadas desta forma. Na verdade, Whedon fez deste regresso dos X-Men, ocupados com a reconstrução do grupo e da sua escola e a braços com um invulgar inimigo, um dos arcos mais interessantes dos últimos anos. De sempre, na minha óptica.
Pedro Cleto, AsLeiturasdoPedro.com

Nomeada para inúmeros prémios Eisner, venceu em 2006 o prémio para Melhor Série em Continuação, e por duas vezes, em 2005 e 2006, o prémio foi para Cassaday como Melhor Desenhador.

Os surpreendentes Astonishing X-Men: Livro Dois [reúne os comics Astonishing X-Men #13-24 e Giant-Size Astonishing X-Men #1 (correspondentes às histórias Torn e Unstoppable)], Joss Whedon e John Cassaday, G. Floy, capa dura, 344 pp., cor, 28€

20 de março de 2019

Colecção Batman 80 anos #5: Batman: Noel, Um Conto de Natal

Já se encontra nas bancas o quinto volume da colecção Batman 80 Anos. O volume desta semana tem o título Batman: Noel – Um Conto de Natal.

A história, datada de Novembro de 2011, é da autoria de Lee Bermejo e trata-se de uma homenagem ao conto de Natal do dramaturgo Charles Dickens.

Com uma arte primorosa que se destaca desde a primeira página, Lee Bermejo escolhe um narrador omnisciente que dialoga com o seu leitor. Simultaneamente à narrativa, acompanhamos o Homem-Morcego na captura de um elemento do gangue do Joker, vilão que acaba de fugir de Arkham. Pelas ruas cobertas de neve de Gotham City, acontecem uma bizarra sequência de eventos, que  ameaçam roubar a sua alma para sempre. Devido ao frio, Batman acaba por adoecer e, combalido, recebe a visita de três espíritos, mas os espíritos não são fantasmas, e sim encontros que o Batman vai tendo durante a noite. O passado vai revelar-se na forma de Catwoman e a lembrança de quem Batman já fora anteriormente.  O amigo Superman representando o presente e a sua visão mais optimista da humanidade, que contrasta com a visão do Homem-Morcego.  E, por último o inimigo Joker como o futuro, que traz  uma visão perturbadora de como será o mundo se a visão que Bruce Wayne tem da humanidade for sempre negra. São estes três personagens que durante a sua visita levaram Batman a uma análise de si e dos seus medos.

A paleta de cores mais clara e mais alegre, em tons pasteis da colorista Barbara Ciardo, com quem Bermejo volta a trabalhar depois da história curta do Super-Homem para a revista Wednesday Comics — acentua o lado mais luminoso de conto de fadas, não interferindo com o estilo gráfico inconfundível que já se tornou uma imagem de marca de Bermejo. Um belo clássico, graficamente deslumbrante, que mostra que, mesmo em Gotham City, o Natal é “sempre que um homem quiser”. Uma história a não perder.

Colecção Batman 80 anos #5 – Batman: Noel, Um Conto de Natal, Lee Bermejo, Levoir, cor, capa dura, 11,90€





Star Wars: A guerra secreta de Yoda

A Planeta lançou mais um volume da saga Star Wars. Desta vez, trata-se do título "A guerra secreta de Yoda", desenhado por Salvador Larroca e textos de Jason Aaron.

As lutas de Yoda no passado serão entendidas por Luke Skywalker no presente! Pois está tudo interligado. Finalmente, a linha de argumentação de Luke une-se à de Yoda, embora tenham ocorrido em épocas diferentes, já que Lucas lia nos diários de Ben Kenobi sucessos que tinham acontecido no passado. Mais uma soberba ilustração de Salvador Larroca e umas ideias originais do argumentista J. Aaron, que novamente vai surpreender os leitores.

Star Wars: A guerra secreta de Yoda, Salvador Larroca e James Aaron, Planeta, capa dura, cor, 160 pp., 16,95€

Top das vendas de BD em França de 4 a 10 de Março de 2019

1º lugar (novo)
Les Chevaliers d’Héliopolis #3: Rubedo, l’œuvre au rouge
Jérémy, Alejandro Jodorowsky
GLÉNAT

2º lugar (+14) [88ª semana]
L’Arabe du futur #1: Une jeunesse au Moyen-Orient, 1978-1984
Riad Sattouf
ALLARY

3º lugar (+12) [32ª semana]
L’Arabe du futur #4: Une jeunesse au Moyen-Orient, 1987-1992
Riad Sattouf
ALLARY



19 de março de 2019

Chantal De Spiegeleer - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhadora
(Bélgica) Kinshasa, 15 de Abril de 1957

Aluna da Escola Superior de Artes Gráficas de Saint-Luc (Bruxelas), iniciou, em 1975, a sua carreira com a série Mirabelle em pranchas a preto e branco. Chegando à cor, ela compõe uma Hollywood imaginária com Madila, um mundo transbordando entre cinema, arte e moda, mas com dramas reais.
É responsável pela coloração da série Adler, dirigida por René Sterne. Com Sterne, colabora em dois álbuns colectivos dedicados aos direitos das crianças e das mulheres (Ed. Ikusager, Espanha).
Chantal de Spiegeleer termina o álbum de seu falecido marido, René Sterne, que morre em 2006, A Maldição dos Trinta Denários, uma aventura de Blake e Mortimer.

Séries publicadas em Portugal:

[actualizado em 19.03.2019]

Figuras de Tintin #70: Dupont marinheiro

Dupont e Dupond estão a bordo do Sirius com uma missão muito particular: proteger Tintin e o capitão Haddock, ao que parece ameaçados pela presença de Máximo Pardal, o antiquário que viram a rondar os arredores do navio. E, como sempre, os polícias não estão com meias medidas. Com o objectivo de se misturarem "discretamente" com a tripulação, escolhem uns fatos de marinheiro... muito diferentes daqueles que vestem os membros da guarnição do Sirius.

A referência da estatueta encontra-se na vinheta D3 da página 14 de "O tesouro de Rackham o Terrível".

Figuras de Tintin #70: Dupont marinheiro, Éditions Moulinsart [distribuído em Portugal pela Altaya], livro de 16 pp. + estatueta + passaporte, 12,99€


18 de março de 2019

Colecção Príncipe Valente


A editora Planeta de Agostini começou a publicar as aventuras integrais de Príncipe Valente, a obra-prima de Harold Foster, integralmente a cores com restauração de cor vinheta a vinheta. 

Cada livro, de grande formato e a cores, incluiu o material publicado num ano, desde 13 de Fevereiro de 1937, data da publicação da primeira página da série, até ao último de 2018. Além disso, cada ilustração foi restaurada com a cor das edições que saíram nos jornais norte-americanos.

A cada volume, especialistas retratam a obra com profundidade: sua ambientação, sua técnica, a genialidade da história, o tema arturiano, a inspiração e a documentação de Hal Foster.

A colecção é composta por 82 livros de capa dura e com 72 páginas, em que cada livro retrata a obra de um ano completo de Harold Foster de 1937 a 2018.

Juan Guarnido - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhador
(Espanha) Granada, 1 de Janeiro de 1967

Estuda a especialidade de Desenho na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Granada.  
Colabora com diferentes fanzines e produz obras para a editora Cómics Forum (uma divisão da Editorial Planeta). De lá, tenta dar um salto para a Marvel na Grã-Bretanha, Marvel UK ou directamente para a sede em New York, assim como outros artistas da mesma editora, mas o seu trabalho é rejeitado. Devido à escassez do mercado de BD em Espanha, é forçado a procurar outros percursos profissionais. Em 1990, troca Granada por Madrid, onde trabalha em séries de televisão. Conhece Juan Díaz Canales, com quem compartilha a ideia de criar uma série de banda desenhada. Em 1993, consegue um emprego no Walt Disney Studios em Montreuil (França), mudando-se para Paris. Guarnido é o principal animador do personagem Sabor no filme da Disney, Tarzan.
Após deixar a Disney, volta a estabelecer relações com Canales. Depois de contactarem vários editores, Guarnido e Canales acabam assinando com a editora francesa Dargaud. Em Novembro de 2000, Algures entre as sombras, o primeiro episódio de Blacksad é publicado.
Em 2013, vence dois prémios Eisner na Venezuela, o primeiro deles compartilhado com Juan Díaz Canales na categoria de Melhor edição norte-americana de material internacional pelo seu trabalho em O Inferno, Silêncio, quarto episódio da série Blacksad

Séries publicadas em Portugal:
Blacksad

[actualizado em 18.03.2019]

Juan Bobillo - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhador
(Argentina) Buenos Aires, 1 de Janeiro de 1975

Estreia-se na década de 1990 com Bird com argumento de Carlos Trillo. Tem a sua incursão no mercado norte-americano através de colaborações para a Marvel. No início de 2004 tem a responsabilidade gráfica do relançamento de Hulka. A sua permanência na série prolonga-se até 2007, com os seus desenhos a encaixarem-se perfeitamente nos argumentos humoristas e irónicos de Dan Slott.
Em Novembro de 2011, retorna à série Os 4 Fantásticos com a colaboração no número comemorativo Fantastic Four Vol. 1 #600, passando a desenhador regular da série com o argumentista Jonathan Hickman.
Em 2014, começa a trabalhar em Amazing Spider-Man: Who Am I?: Infinite Comics, uma maxi-série de doze números.

Séries publicadas em Portugal:

[actualizado em 18.03.2019]

Gray Morrow - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Dwight Graydon "Gray" Morrow
Desenhador, argumentista
(EUA) Fort Wayne, 7 de Março de 1934 - Kunckletown, 6 de Novembro de 2001

Gray Morrow é um dos icónicos artistas de histórias de horror e de ficção científica "realistas". Faz a sua estreia profissional  numa agência de publicidade em Chicago. Trabalha para a Timely, onde faz uma adaptação de Conan - The Elephant Tower, que permanece inédito. Serve na Coreia durante a guerra, descobre a arte oriental e torna-se o principal artista de pin-up da Timely. De volta à vida civil, é apresentado em 1958 à revista Cracked por Angelo Torres. Posteriormente, é um dos artistas anónimos da Classics Illustrated de Gilberton e o ilustrador de várias bandas desenhadas de Stan Lee para a editora Atlas. Em 1964, torna-se um artista regular das revistas Warren, Creepy, Eerie e Blazing Combat.
Durante a década de 1970 e início dos anos 1980, trabalha para a DC, Marvel e Archie Publications. Colabora nas séries Rip Kirby (com John Prentice), Príncipe Valente (com Hal Foster), Big Ben Bolt (com John Cullen Murphy), Agente Secreto X-9 ( com Al Williamson) e Friday Foster (com Jorge Longaron). Assume, em 1979, a série Buck Rogers e ilustra a prancha dominical de Tarzan de 1983 a 2001. Nos anos 1990, Morrow também colabora para a Rip-Off Press, Dark Horse e Hamilton.
Um de seus maiores trabalhos foi a novela gráfica The Illustrated Roger Zelazny (1978). 

Séries publicadas em Portugal:
Big Ben Bolt, John Carter de Marte

[actualizado em 18.03.2019]

Joe Kubert - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhador, argumentista
(Polónia) Jezierzany, 18 de Setembro de 1926 - 12 de Agosto de 2012

Reconhecido pelo seu trabalho na DC Comics, nas séries Tarzan, Sgt. Rock, Hawkman  e Tor. Também teve sucesso na tira Os Bóinas Verdes, com a colaboração do argumentista Robin Moore. 

Em 1976, funda a The Joe Kubert School of Cartooning and Graphics, escola de arte e banda desenhada dos Estados Unidos.

Kubert também foi o primeiro norte-americano a desenhar uma história de Tex, com a história "Os Quatro Assassinos".

Séries publicadas em Portugal:
Big Ben Bolt, Bóinas Verdes (Os), Firehair, Korak, Tarzan

One-shots publicados em Portugal:
  • Fax de Seravejo (Fax from Seravejo: A story of survival), Álbum Levoir [2016]
[actualizado em 18.03.2019]

Carlos Garzón - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhador
(Colômbia) Bogotá, 22 de Maio de 1945

Carlos Garzón cria o seu primeiro personagem, El Dago, em 1967. Em 1968, participa na criação da revista Super Historietas. A partir de 1970, publica Calarcá no jornal El Espectador. Reside nos EUA desde 1975, onde trabalha para a Marvel, DC e Dark Horse. Ajuda Al Williamson em Agente Secreto X-9 e Guerra nas Estrelas e trabalha em séries como Star Trek, Doom Patrol e Flash Gordon. Na década de 1970 colabora com John Cullen Murphy em Big Ben Bolt e desenha para as publicações Warren e Skywald.

Séries publicadas em Portugal:
Big Ben Bolt, Flash Gordon

[actualizado em 18.03.2019]

Karel Verschuere - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhador
(Bélgica) 19 de Novembro de 1924 - 10 de Agosto de 1980

Karel Verschuere é um desenhador flamengo e um dos colaboradores mais importantes de Willy Vandersteen nas décadas de 1950 e 1960. Juntamente com Vandersteen, é um dos artistas a que se deve o sucesso da revista de BD Bessy. Os álbuns deste período foram escritos sob o pseudónimo Wirel, de acordo com as primeiras letras de seus primeiros nomes, Willy e Karel. Verschuere também contribui para as aventuras do Cavaleiro Vermelho, Karl May e Biggles. Colabora em alguns álbuns de Bob e Bobette, incluindo as historias Le Loup qui rit (1952) e, especialmente, De rammelende rally (1958), um álbum promocional para a Federação de Turismo da Província de Antuérpia. Após demitir-se do Studio Vandersteen, cria uma série de westerns (Arendklauw), outro detective (Sam D. Howard) e uma série de duas partes sobre um aventureiro belga na América do Sul (Filip Hechtel) .

Séries publicadas em Portugal:

[actualizado em 18.03.2019]