14 de setembro de 2019

Jirô Taniguchi - Ensaio de quadriculografia portuguesa

Desenhador, argumentista
(Japão) Tottori, 14 de Agosto de 1947 - Tóquio, 11 de Fevereiro de 2017

Inicia a carreira como assistente do artista de mangá Kyota Ishikawa. Faz a sua estreia  nos mangás em 1970, com Kareta Heya, publicando na revista Young Comic. Publica a sua primeira obra no início da década de 1970. De 1978 a 1986, cria vários policiais com o argumentista Natsuo Sekigawa. A descoberta da banda desenhada europeia marca uma viragem na obra de Taniguchi, que opta por trabalhar sozinho, escrevendo e desenhando as suas próprias histórias. A partir de 1991, a sua obra assenta na sua experiência pessoal e na atenta observação, profundamente humana, dos seus semelhantes e do seu quotidiano.
A obra de Taniguchi espelha sentimentos positivos, um reconhecimento sincero pelas tradições culturais, uma forte ligação à família e o regresso à infância como forma de redescobrir as suas origens.

One-shots publicados em Portugal: 
  • O homem que caminha, 1992, Masayuki Kusumi e Taniguchi, Álbum Correio da Manhã [2005]; Álbum Devir [2017]
  • O diário do meu pai, 1994, Álbum Levoir [2015]
  • Terra de sonhos (Terre de rêves), 2005, Álbum Levoir [2016]
  • Os guardiões do Louvre (Lee gardiens du Louvre), 2014, Álbum Levoir [2018]
[actualizado em 14.09.2019]

Sem comentários:

Enviar um comentário