31 de julho de 2013

Os 55 anos de Marc Dacier


São vários os heróis da história da BD com a profissão de jornalista. Contudo, a função de jornalista raramente é retratada nas aventuras, com o herói a assumir-se como investigador/detective policial ou, mesmo, de super-herói, como Clark Kent, o clássico Superman. Tintin, o célebre repórter do Petit Vingtiéme, é mesmo «acusado» de nunca ter escrito uma linha, apesar de na sua aventura inicial («Tintin no País dos Sovietes») enviar uma reportagem escrita para o seu jornal.


A BD francófona recorreu, várias vezes, à figura do jornalista para profissão do herói da série. Além de Tintin, temos, entre outros, os célebres Lefranc (Jacques Martin) e Ric Hochet (Tibet e Duchateau). Menos conhecido, entre nós, Marc Dacier, jornalista do L'Éclair, criado por Jean-Michel Charlier (textos) e Eddy Paape (desenhos).

Publicado, pela primeira vez, em 31 de Julho de 1958 no nº 1059 da revista belga Spirou, Marc Dacier inicia a sua carreira jornalística no jornal Carillonneur de Papayous-les-Fossés.  Ambicionando ser um jornalista do afamado L'Éclair, Marc empreende, como desafio do jornal para uma futura admissão, uma volta ao mundo em menos de quatro meses sem gastar qualquer cêntimo. No decorrer deste desafio, Marc vai envolver-se em várias aventuras nos vários continentes, afrontando várias redes de criminosos.

 

Apesar da série ser uma das mais apaixonantes da BD franco-belga, Marc Dacier não obteve o reconhecido mérito dos leitores, ficando por treze aventuras, expirando-se no nº 1543 do Spirou de 9 de Novembro de 1967.

Em Portugal, só se conhece a existência da publicação do primeiro episódio, com o título «A grande reportagem», na revista Zorro da ENP entre os nºs 1 e 23. Corria o ano de 1962.



26 de julho de 2013

dBD #75

Já se encontra nas bancas a dBD, revista francesa de informação de BD, respeitante a Julho/Agosto de 2013. Destaco neste número, além das inúmeras informações avulsas, os seguintes artigos:

  • BD-Jounalisme ou bande dessinée du réel - uma panorâmica dos autores francófonos que abraçaram este tema, com Joe Sacco, Maximilien le Roy e Mathieu Sapin, entre outros;
  • Christin e Mézières falam-nos do próximo de Valérian, a aparecer em Setembro; 
  • Derniére chevauchée pour Fred Funcken - artigo biográfico de homenagem a um dos grandes autores belgas, recentemente desaparecido;
  • Luc Mazel, le quatrième mousquetaire - Henri Filippini traça-nos a biografia do autor de Fleurdelys
dBD #75, Juillet-Août 2013, 130 pp, 10 €

24 de julho de 2013

Garth faz 70 anos

Alto, atlético e dotado de uma força sobre-humana, Garth foi uma criação para o jornal britânico Daily Mirror que inicia a sua publicação em 24 de Julho de 1943. Após conhecer o professor Lumiére, Garth ganha a faculdade de viajar através do tempo, através de um raio inventado pelo cientista. Garth ganha uma vertente de ficção científica, mantendo a intriga policial e, por vezes, o romance histórico.

Garth inicia a publicação sob a forma de uma tira diária (daily strip) com desenhos e argumentos do seu criador, Steve Dowling, autor britânico. Contudo, 79 tiras depois, Dowling entrega a série a John Allard que a assegura até 1971. A partir deste ano é Frank Bellamy (Allard assegura os textos) que dá continuidade ao herói inglês até que em 1976, após a morte de Bellamy, Martin Asbury, com textos de Jim Edgar, assegura o desenho de Garth até ao seu final em 1997. Contudo, em 2008, o site do jornal Daily Mirror ressuscita o herói com desenhos de Huw Davies

Desde 2011, o site do jornal tem vindo a publicar as tiras originais a preto e branco, agora restauradas com cores.



Em Portugal, Garth tem a sua estreia em 13 de Setembro de 1950 na revista O Mosquito, sendo depois publicado em várias revistas e jornais e em dois álbuns da Editorial Futura.

Episódios publicados em Portugal:
  • #1 - 1943/07/24-1944/03/11 (#B175-#C061) - [-] (Garth), Allard/Dowling e Freeman/Dowling, Mundo de Aventuras Especial #16
  • #14 - 1949/07/11-1949/11/26 (#H163-#H282) - Mercador de escravos (Selim the slaver), Allard/Dowling e Freeman, O Mosquito (1ª série) #1171 a #1204
  • #15 - 1949/11/28-1950/06/03 (#H283-#J131) - O rei do ringue (Garth and the glove game), Allard/Dowling e Freeman, O Mosquito (1ª série) #1204 a #1266
  • #16 - 1950/06/05-1959/12/23 (#J132-#J305) - Viagem para Jason (Journey to Jason), Allard/Dowling e Freeman, O Mosquito (1ª série) #1266 a #1348; Álbum Futura [1982]*
  • #17 - 1950/12/27-1951/05/12 (#J306-#K113) - O viajante do espaço do tempo (Space-time traveller), Allard/Dowling e Freeman, O Mosquito (1ª série) #1348 a #1395; Álbum Futura [1982]*
  • #18 - 1951/05/14-1951/10/06 (#K114-#K239) - O faraó fantasma (The phantom pharoah), Allard/Dowling e Freeman, O Mosquito (1ª série) (inc.) #1395 a #1412; Álbum Futura [1982]**
  • #19 - 1951/10/08-1952/03/17 (#K240-#L065) - Asas na noite (Wings of the night), Allard/Dowling e Freeman, Álbum Futura [1982]**
  • #26 - 1954/05/06-1954/12/04 (#N107-#N289) - A esfera dourada (The golden sphere), Allard/Dowling e O'Neil, Titã (Fomento) #22 a #36
  • #30 - 1956/07/03-1957/01/01 (#P157-#Q001) - A mão de Átila (The hand of Attila), Allard/Dowling e O'Neil, Jornal do Cuto #102
  • #52 - 1966/08/15-1966/11/28 (#Z193-#Z283) - A noite das facas (The night of the knives), Allard/Dowling e  Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #61
  • #57 - 1968/03/16-1968/07/06 (#B066-#B161) - O fecho do tempo (The time lock), Allard/Dowling e Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #236
  • #58 - 1968/07/08-1968/08/28 (#B162-#B206) - A teia de Dionara (The web of Dionara - Part I), Allard/Dowling e Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #203
  • #44/#58/#59 - 1968/08/29-1969/04/22 (#B207-#C095) - Os demónios (The troll+The web of Dionara - Part II+Mind destroyers, Allard/Dowling e O'Neil/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #217
  • #60 - 1969/04/23-1969/08/01 (#C096-#C181) - A lenda dos Rohan (The Rohan legend), Allard e Edgar, Mundo de Aventuras (1ª fase) #1113
  • #61 - 1969/08/02-1969/11/07 (#C182-#C285) - Um ás do espaço (Playboy of space), Allard e Edgar, Mundo de Aventuras (1ª fase) #1186
  • #62 - 1969/11/08-1970/02/16 (#C266-#D040) - O génio do mal (These men are mine), Allard e Edgar, Selecções (Mundo de Aventuras) #124
  • #63 - 1970/02/17-1970/05/21 (#D041-#D120) - Exilados (Exiles), Allard e Edgar, Comix (Portugal Press) #4
  • #64 - 1970/05/22-1970/09/02 (#D121-#D205) - O navio do inferno (Ghost ship), Allard e Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #139
  • #65 - 1970/09/03-1970/12/09 (#D206-#D288) - Os vigilantes do cérebro (The brain voyagers), Allard e Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #183
  • #66 - 1970/12/10-1971/03/20 (#D289-#E066) - O sindicato (The Syndicate), Allard e Edgar, Selecções (Mundo de Aventuras) #139
  • #67 - 1971/03/22-1971/06/26 (#E067-#E149) - Jornada do medo (Journey into fear), Allard e Edgar, Condor (Amarelo) #19
  • #68 - 1971/06/28-1971/10/11 (#E150-#E236) - A dança do sol (Sundance), Bellamy/Allard e Edgar, Selecções (Mundo de Aventuras) #147
  • #69 - 1971/10/12-1972/01/27 (#E237-#F023) - O mistério da estação espacial (The cloud of Balthus), Bellamy/Allard e Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #29
  • #70 - 1972/01/28-1972/05/22 (#F024-#F121) - Uma aventura em Veneza (The orb of Trimandias), Bellamy/Allard e Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #12
  • #71 - 1972/05/23-1972/09/06 (#F122-#F210) - O homem-lobo de Ausensee (Wolf man of Ausensee), Bellamy e Edgar, Condor (amarelo) #71
  • #72 - 1972/09/07-1972/12/23 (#F211-#F303) - O povo do abismo (People of the abyss), Bellamy e Edgar, Jornal do Cuto #106
  • #73 - 1972/12/27-1973/04/10 (#F304-#G086) - As mulheres de Galba (The women of Galba), Bellamy e Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #258
  • #74 - 1973/04/11-1973/07/12 (#G087-#G164) - A cidade-fantasma (Ghost town), Bellamy e Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #83
  • #75 - 1973/07/13-1973/10/25 (#G165-#G254) - A máscara de Atacama (The mask of Atacama), Bellamy e Edgar, Mundo de Aventuras Especial #5
  • #76 - 1973/10/26-1974/02/18 (#G255-#H041) - O atentado (The wreckers), Bellamy e Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #103
  • #77 - 1974/02/19-1974/06/05 (#H042-#H131) - O monstro de Ultor (The beast of Ultor), Bellamy e Edgar, Mundo de Aventuras Especial #11
  • #78 - 1974/06/06-1974/09/27 (#H132-#H227) - Na pista do medo (Freak out to fear), Bellamy e Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #570; Comix (Portugal Press) #8
  • #79 - 1974/09/28-1975/01/14 (#H228-#J011) - A noiva de Gengis Khan (Bride of Jenghiz Khan), Bellamy e Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #168
  • #80 - 1975/01/15-1975/05/02 (#J012-#J101) - Anjos da brecha do inferno (The angels of hell gap), Bellamy e Edgar, Jornal do Cuto #136
  • #81 - 1975/05/03-1975/08/15 (#J102-#J191) - O homem condenado (The doomsmen), Bellamy e Edgar, Pantera Negra #6; Mundo de Aventuras (2ª fase) #581
  • #82 - 1975/08/16-1975/11/28 (#J192-#J281) - O homem-bolha (The bubble man), Bellamy e Edgar, Pantera Negra #10
  • #84 - 1976/03/17-1976/07/07 (#K065-#K160) - A dama espanhola (The spanish lady), Bellamy e Edgar, Mundo de Aventuras Especial #27
  • #85 - 1976/10/07-1977/01/15 (#K239-#L012) - Caça ao homem (The man-hunt), Bellamy/Asbury e Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #280
  • #86 - 1977/01/17-1977/04/29 (#L013-#L100) - [-] (Ship of secrets), Asbury e Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #368
  • #88 - 1977/08/16-1977/11/28 (#L193-#L282) - [-] (Saphire), Asbury e Allard/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #398
  • #89 - 1977/11/29-1978/04/12 (#L283-#M083) - A arma final! (Finality factor), Asbury e Allard/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #311
  • #90 - 1978/04/13-1978/08/10 (#M085-#M187) - [-] (Power Game), Asbury e Allard/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #332
  • #92 - 1978/11/20-1979/03/15 (#M274-#N063) - Viagem no tempo (Voyage into time), Asbury e Allard/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #352
  • #93 - 1979/03/16-1979/07/14 (#N064-#N166) - Os pescadores (The fisherman), Asbury e Allard/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #418
  • #94 - 1979/07/16-1979/11/10 (#N167-#N268) - Ladrões de cérebros (The mind stealers), Asbury e Allard/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #383
  • #95 - 1979/11/12-1980/02/23 (#N269-#O046) - Cidadão Mundo 19500 (Citizen Mundo 19500), Asbury e Allard/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #436
  • #96 - 1980/02/25-1980/06/13 (#O047-#O137) - A francesa (French Woman), Asbury e Allard/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #478
  • #97 - 1980/06/14-1980/10/02 (#O138-#O232) - O esquecido (The forgotten), Asbury e Allard/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #452
  • #98 - 1980/10/03-1981/02/14 (#O233-#P038) - As donzelas de aço (The iron maidens), Asbury e Allard/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #465
  • #99 - 1981/02/16-1981/04/28 (#P039-#P099) - A legião dos danados (Legion of the dammed), Asbury e Allard/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #491
  • #100 - 1981/04/29-1981/06/02 (#P100-#P129) - Faz o teu jogo (Play your game), Asbury e Allard/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #491
  • #101 - 1981/06/03-1981/10/07 (#P130-#P238) - O dia da ira (Day of anger), Asbury e Allard/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #505
  • #102 - 1981/10/08-1982/02/03 (#P239-#Q037) - Esquadrões do espaço (The space mods), Asbury e Allard/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #535
  • #103 - 1982/02/15-1982/06/07 (#Q038-#Q133) - Busca e destrói (Seek and destroy), Asbury e Allard/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #517
  • #104 - 1982/06/08-1982/10/05 (#Q134-#Q235) - Os bombistas (The bombers), Asbury e Allard/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #545
  • #105 - 1982/10/06-1983/01/27 (#Q236-#R022) - Caçadores (Hunters), Asbury e Allard/Edgar, Mundo de Aventuras (2ª fase) #560
  • #109 - 1983/11/04-1984/02/07 (#R262-#S032) - A bela selvagem (La belle sauvage), Asbury e Edgar, Selecções BD (2ª série) #29

* Colecção «Antologia da BD Clássica» #2
**Colecção «Antologia da BD Clássica» #7





21 de julho de 2013

Les personnages de Lucky Luke et la véritable histoire de la conquête de l'Ouest

Em 2011 e 2012, a parceria de publicações francesas Le Point/Historia editaram dois volumes intitulados «Les personnages de Tintin dans l'histoire» onde se cruzavam as fontes históricas e a ficção dos argumentos de Hergé.

Em 2013, cabe a Lucky Luke a distinção de um estudo sobre as personagens e lendas do Oeste norte-americano e o seu contributo para os episódios do «cow-boy que atira mais rápido que a própria sombra».

Percorrendo onze álbuns do herói de Morris e Goscinny, os autores retratam a história da América, iniciando-se na conquista do Oeste pelo comboio («Carris na pradaria»), os sulistas maus perdedores que se transformam em criminosos («Lucky Luke contra Joss Jamon»), os terríveis irmãos Dalton Os primos Dalton»), a conquista do Oeste pelos colonos europeus («Corrida para Oklahoma»), a lenda de Billy the kidBilly the kid»), a ascensão dos agricultores no far-westArame farpado na pradaria»), a mítica Calamity JaneCalamity Jane»), o império das diligências da Wells Fargo A diligência»), a personagem lendária de Jesse James Jesse James»), as mães coragem do Oeste («Mã Dalton») e a importância do telégrafo na construção dos Estados Unidos da América («O fio que canta»).

A finalizar esta extraordinária obra de contributo a uma das personagens de ouro da banda desenhada europeia, uma selecção biográfica para melhor compreendermos a obra de Lucky Luke e a história do Far-West.

«Les personnages de Lucky Luke et la véritable histoire de la conquête de l'Ouest» pode ser encontrada em Portugal nas lojas FNAC e El Corte Inglês.

«Les personnages de Lucky Luke et la véritable histoire de la conquête de l'Ouest», colectivo, Le Point/Historia, hors-serie, cartonado, 130 pp., 10,90 €

14 de julho de 2013

O Cinema e a BD (I) - O Mascarilha

Johnny Depp e o realizador dos «Piratas das Caraíbas» (Gora Verbinski) recuperam a lenda d' O Mascarilha (Lone Ranger) num filme da Disney a estrear, entre nós, no próximo mês de Agosto.

Como sabemos, o Mascarilha, cowboy imaginado por Fran Striker (há quem afirme que o autor é o dono da rádio, George Trendle) para a estação de rádio de Detroit WXYZ, tinha como característica a sua máscara negra, fazendo-se acompanhar por Tonto, um ameríndio, e pelo célebre cavalo Silver. A procura da justiça foi a sua principal missão ao percorrer o Velho Oeste, com as suas aventuras a passearem-se pelas novelas radiofónicas e em revista, pela banda desenhada e pelo cinema e TV.

A primeira transmissão das aventuras de Lone Ranger ocorreu em 30 de Janeiro de 1933, com as suas novelas radiofónicas a animaram os serões dos lares norte-americanos até 3 de Setembro de 1954. Entretanto, o Mascarilha começou a ser distribuído pela King Features Syndicate em 1938 numa tira diária de banda desenhada, desenhada por Ed Kressy, substituído um ano depois pelo consagrado Charles Flanders, que mais tarde substituiria Alex Raymond no desenho do Agente Secreto X-9, embora mantendo-se na série até ao seu final em 1971 com a colaboração de Tom Gill e Jon Blummer.


Em 1939, a Dell Comics lança uma revista com o nome do autor, com histórias recuperadas das páginas dominicais e outras inéditas, produzidas pelos argumentistas Gaylord Dubois (autor de vários episódios de Tarzan) e Paul S. Newman e pelos desenhadores Keats Petree e Tom Gill.


Os personagens Tonto e Silver também tiveram direito a revistas próprias. Em 1981, recuperou-se a lenda numa outra tira diária, desenhada por Russ Heath, com argumento de Cary Bates, mantendo-se em publicação apenas três anos. Finalmente, em 1994 a Topp Comics lança uma edição do Mascarilha realizada por T. Truman, R. Landsale e Ragyar.

Quanto ao cinema, em 1938, a TV emite uma série de quinze episódios com Lee Powell (Mascarilha) e Chief Thunder-Cloud (Tonto). No ano seguinte, é emitida mais uma série de quinze episódios com o Mascarilha agora a ser protagonizado por Robert Livingstone. Em 1956, surge a primeira grande metragem («O Homem da Mascarilha»), numa realização de Stuart Heisler com os actores Clayton Moore (Mascarilha) e Jay Silverheels (Tonto). Em 1958, a dupla repete em «Lone Ranger and the lost city of gold», agora com realização de Lesley Selander. Finalmente, em 1948 a TV volta com mais uma série com os mesmos protagonistas dos dois filmes anteriores (John Hart substitui mais tarde Clayton Moore). Esta série é emitida, entre nós, na década de 60 do século passado pela RTP.

Em Portugal, as aventuras do Mascarilha apareceram nas revistas da Agência Portuguesa de Revistas (Mundo de Aventuras, Condor, Tigre e Mascarilha) e no Cavaleiro Andante.







3 de julho de 2013

Doryphores #7

Recebi a revista do clube tintinófilo belga «Le Cercle Archibald» Doryphores, relativo ao ano de 2013. A Doryphores é uma revista de estudos sobre a vida e obra de Hergé.
O sumário deste número é o seguinte:


·         Les Tziganes, yetis de Moulinsart
·         Tintin, John Steed et l’Angleterre
·         Traits d’humour II
·         Rencontre avec Benoît Peeters

·         La Licorne ou le secret des luttes cachées


Doryphores #7, 2013, 48 pp, reservados aos sócios

1 de julho de 2013

O 30º aniversário de Anjos de Aço

Com autoria dos espanhóis Victor Mora (argumento) e Victor de La Fuente (desenho), a revista Pilote #110 de Julho de 1983 inicia a publicação desta série de guerra que decorre nos anos 30 do século passado na Abissínia (actual Etiópia), então ocupada pelos fascistas italianos. Para tentar deter a insurreição independentista, o governo de Mussolini envia para aquele território africano uma legião de aviadores intitulada «Os Anjos de Aço».

Após o primeiro episódio publicado na Pilote, a série continua na segunda série da revista Charlie Mensuel, retornando à Pilote, onde termina em Dezembro de 1988.

Em Portugal, a série foi publicada em álbum pela Meribérica-Líber (três álbuns), além de um episódio na revista Selecções BD.


  • Os Anjos de Aço (Les anges d'acier), 1983, Álbum Meribérica [1988]
  • Os Anjos de Aço na floresta maldita (Sur la jungle des damnés), 1986, Álbum Meribérica [1989]; Selecções BD (1ª série) #16
  • A rota da Abissínia (La rose d'Abyssinie), 1987, Álbum Meribérica [1989]



Arno faz 30 anos

Foi em Julho de 1983, que a revista Circus (#63) inicia a publicação das aventuras de Arno Firenze, um jovem músico veneziense que marca a sua vida pelo salvamento de Napoleão Bonaparte, alvo de um atentado de uma organização intitulada «Espadas Vermelhas». Mais tarde, acompanhando a conquista do Egipto pelo imperador francês, Arno encontra o amor de bela Djeilà.

Arno deve-se à imaginação de Jacques Martin, criador de Alix e Kéos, outras personagens históricas, e ao desenho de André Juillard, que, paralelamente ao trabalho em As Sete Vidas do Gavião, acede colaborar na série.

Após a publicação inicial em Circus, Arno transfere-se para a revista Vécu, especializada em banda desenhada e história, até que em Fevereiro de 1987 (Vécu #23) cessa a sua publicação, após três efémeros episódios. A razão deve-se ao extremo trabalho de Juillard que não consegue dedicar-se a Arno, apesar do seu sucesso e qualidade indubitáveis. 

Em Portugal, só foram publicados os dois primeiros episódios (álbuns da Edinter).



  • Espadas Vermelhas (Le pique rouge), 1983, HC, Álbum Edinter [1987]
  • O olho de Kéops (L'oeil de Kéops), 1985, Álbum Edinter [1988]